História Os 4 Atos de um Mistério - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Mistério, Romance, Sequestro
Exibições 2
Palavras 921
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Ta aí povo mais um capítulo

Capítulo 3 - O Homem na Floresta


Fanfic / Fanfiction Os 4 Atos de um Mistério - Capítulo 3 - O Homem na Floresta

Após finalmente chegarmos à casa havia chegado a hora de explorá-la. Bianca entrou na frente, e eu logo atrás dela. A casa era pequena, com apenas um comodo que era um banheiro meio velho. A mobilha era tão velha quanto o banheiro e na maior parte estava cheia de mofo ou quebrada. No canto havia um colchão quase igual ao de Bianca, o que a fez ficar animada, junto com duas almofadas do sofá, que estava totalmente rasgado na sala. Sobre uma mesa de madeira havia uma carta escrita a mão que dizia:

Caso tenha achado esta cabana fique feliz, pois ela não tem mais dono. Deixamos ela para o próximo casal apaixonado que busca por um pouco de isolamento da cidade.
                                                                                                                                                                                                     ASS: R. e A.

Eu lí em voz alta a carta, o seu conteúdo agradava Bianca, que começou a arrumar as camas. Ainda era cedo, abri minha mochila e me senti agradecido ao ver que tinha esquecido de tirar minha carteira. Nela estavam 20$, o que não era muito mas dava para usar em um primeiro dia, já que nem sabíamos se íamos ficar ali. Então eu falei para Bianca:

- Bi, vou sair e comprar alguns lanches para a gente enquanto ainda é cedo.

Ela concordou com a cabeça e então eu saí da cabana. No caminho para a cidade sentia uma estranha sensação de estar sendo seguido ou observado. Ao achar um pedaço de estrada, à segui até chegar em um posto de gasolina. Ao entrar peguei dois sacos de salgadinho, duas garrafas de suco e uma de água. Chegando no caixa, enquanto o homem passava os produtos, o pergunto sobre uma cabana na floresta. Ele me responde que lá era uma a casa de um homem louco que decidiu se isolar do mundo, e após sua morte, a casa começou a ser usada por casais para passarem a noite. Ele termina sua história dizendo para eu ficar longe da casa, já que poderia ter algum casal lá que não gostaria de ser perturbado.

Voltando para a cabana, com o sol já se pondo, fico pensando sobre o que a Bianca ficou fazendo enquanto eu estava fora. Ao entrar na cabana, vejo que ela arrumou a cama e a mesa, deixando pronto para nossa "janta". Quando viu que eu já havia entrado correu em minha direção e, após um longo abraço, perguntou-me sobre o que eu tinha trazido, e eu a respondi:

- Trouxe dois pacotes de salgadinho,  duas garrafas de suco e uma de água.

Pela expressão que ela fez percebi que ela gostou do que eu escolhi. Nos sentamos à mesa e começamos a comer. Após esse "banquete", nós nos sentamos na varanda da casa e ficamos olhando a lua e as estrelas. Após um longo bocejo, percebi que estava tarde e a chamei para entrar. Quando nos deitamos, Bianca olha pra mim e diz:

- Você sabe que você é a melhor coisa que já me aconteceu?

Eu a respondo meio sem graça:

- Sim... Você disse isso na minha casa.

Nesse momento me escorre uma lágrima do rosto ao me lembrar que deixei meu pai para trás. Bianca percebendo a mudança no meu humor me abraça e diz:

- Não se preocupe, no final vai dar tudo certo.

Eu concordo com a cabeça e acabo dormindo em seus braços.

Era início da manhã quando começou as batidas na porta. Eu me levanto e vou até ela e, ao abrir, me deparo com um homem de terno e chapéu preto, com uma gravata vermelha. Era difícil ver o seu rosto abaixo do chapéu, já que ele era bem alto. Ele então diz:

- Você garotinho, se chama Ruben Torres?

Minha espinha se gela ao ver que ele sabe meu nome completo. Bianca já está de pé ao meu lado e ele continua:

- E você jovenzinha, só pode ser a Bianca Santos.

Bianca tem a mesma reação que eu e antes que pudéssemos responder ele fala:

- Vou ser breve, você, garotinha, vem comigo ou algo de ruim acontecerá com o seu amigo.

Bianca então diz:

- Nem ferrando.

Eu não sabia com o que ficava surpreso: Com o medo que o homem passava ou com o fato de Bianca estar despreocupada comigo. O homem então puxa o braço de Bianca repentinamente, e eu, como um ato reflexo, o ataco, pulando sobre ele, empurrando-o. O homem furioso se reconstitui e puxa uma arma da cintura, Nesse momento eu e Bianca corremos para fora da casa pela janela e antes que pudéssemos chegar longe escutamos um barulho de tiro.

Bianca me olha com um olhar de medo. Era a primeira vez que via ela com essa expressão. Eu então sinto uma forte dor no abdômen e vejo sangue escorrer pelo meu corpo. Antes que pudesse dizer algo meu corpo despenca ao chão. Me viro para o lado, tentando achar Bianca com os olhos. Então o homem reaparece e diz:

- É uma pena um garoto tão jovem como você, com seus 12 anos, ter que morrer por sua imprudência.

Bianca chorando diz para o homem:

- Por favor não mate meu amigo... Pode me levar pra onde você quer.

O homem esboça um sorriso e pega Bianca pelo braço e se afasta dizendo para mim:

- Bom, já que terminamos por aqui, adeus.

A única coisa que eu digo antes de desmaiar é:

- Bian... ca...

E então vejo o homem sumir puxando Bianca pelo braço para a floresta enquanto meus olhos lentamente se fecham.


Notas Finais


Como eu botei no último capítulo, os próximos podem acabar demorando de um a dois dias (depende do meu humor)
Então até os próximos capítulos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...