História Os caminhos de um destino - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saga Crepúsculo, The Vampire Diaries
Personagens Damon Salvatore, Edward Cullen, Elena Gilbert, Jacob Black, Stefan Salvatore
Tags Crepusculo, Crossover, Romance, The Vampire Diaries, Universo Alternativo
Visualizações 17
Palavras 1.796
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Ecchi, Fantasia, Ficção, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - Miragem


Fanfic / Fanfiction Os caminhos de um destino - Capítulo 13 - Miragem

Meus olhos podiam estar, em segundo plano, focados na estrada, no entanto, minha mente somente enxergava aqueles pequenos olhos castanhos. Caso algum animal decidisse entrar em meu caminho eu teria o reflexo necessário para desviar, isso não seria problema, afinal a velocidade era minha segunda natureza. Como me fascinar, ao que parecia, poderia ser uma característica nata dela.

Eu repassava nossa conversa em minha mente, repetidas vezes, procurando um sentido em tudo aquilo. Tantas vezes me peguei preocupado com a reação dela, quando descobrisse a verdade sobre mim. Imaginando como ela gritaria e correria para longe, isso é o que humanos normais fariam. Em contraste a isso a verdade inquestionável é que ela não era comum, em nenhum sentido. Bella não me via como um monstro, ela não fugiria de mim, ela me convidava a fazer parte da sua vida. Se eu pudesse sonhar, eu poderia dizer que estava dormindo, eu saberia que a realidade logo me puxaria de volta. Em contrapartida, esse não era o caso, se eu não tivesse preso a esse cinto de segurança eu estaria voando.

Perdido em meus devaneios não notei que chegara em casa. Eu não sabia se algum dos meus irmão gostaria de ir ao baile também, mas a essa altura Alice já deveria ter visto minha decisão e comentado com eles. Corri para dentro de casa e notei que estava tudo exatamente da mesma forma de sempre. Esme cantarolando com suas plantas, Carlisle lendo em seu escritório, Emment e Jasper assistindo a vários canais de esporte ao mesmo tempo, Rosalie no computador e Alice sentada no topo da escada. Meio segundo após eu entrar ela pensou “Edward precisamos conversar”, no mesmo momento meu corpo enrijeceu, algo em minha decisão ou na decisão de Bella resultaria em uma tragédia? A expressão ressentida de Alice abaixou minha guarda. – O que você tem? – Eu lhe perguntei em voz alta.

- Dor de cabeça. – Ela me respondeu dando as costas e seguindo para o segundo escritório da casa. Eu a segui no mesmo momento questionando antes mesmo de fechar a porta. – O que esta acontecendo?

Ela fez uma careta raivosa, o que seria cômico se eu não tivesse tão preocupado.  – Eu não sei Edward. Eu não entendo. Eu vejo que você e Bella estão determinados a ir ao baile hoje à noite, mas eu não vejo isso acontecendo de fato. O futuro muda tanto a cada segundo que eu estou cega. Pela primeira vez eu não sei o que irá acontecer!

Eu podia ver em sua mente tudo o que ela falava, o futuro distorcido. Era verdade, mas não fazia sentido. O que eu deveria fazer, desmarcar nosso encontro? Mais do que não querer deixa-la na mão, eu queria estar com ela.

De repente o telefone tocou e Rosalie que estava mais perto atendeu.

- Residência dos Cullen? – Uma voz familiar falava do outro lado da linha.

- Pois não? – Rosalie respondeu com educação forçada.

- É Jessica Stanley, por favor, gostaria de deixar um recado para o Edward. Bella  esta se arrumando e gostaria que ele pudesse pega-la aqui para irmos ao baile.

Rosalie, que até então não sabia da historia do baile começou a pensar em diversos insultos, sabendo que eu estaria ouvindo, e respondeu com um tom mais insolente: - Considere como recado dado, adeus.

Nesse momento na mente de Alice imagens de Bella se arrumando no quarto dela e no quarto de Jessica se formaram. Eu tentei me desligar desses pensamentos para dar mais privacidade, mas nós dois dividíamos a mesma duvida de como isso era possível. Depois de três segundos Alice finalmente respondeu: - Bom, ela pode estar decidindo onde irá terminar de se arrumar. De qualquer forma eu acho adequado todos nós te acompanharmos, por segurança.

Eu balancei a cabeça e Alice desceu as escadas já formulando estratégias de como convencer Rosalie e Emment a irem. Jessica não era amiga de Bella, nenhuma daquelas garotas eram. Eu podia ver isso todos os dias, e não havia nenhuma tendência ou intenção, em seus pensamentos, de mudar esse fato. O que teria motivado essa situação? Só ela poderia me responder. Fui a meu quarto me arrumar o mais rápido possível.

Todos prontos foram para o carro de Rosalie me seguindo enquanto eu dirigia sozinho em direção à residência dos Stanley. Quando estacionei o carro Bella, que já estava em frente à casa, sorriu e veio correndo em minha direção. Não vi qualquer sinal de Jessica.

Ela estava formidável, o vestido negro moldava e valorizava cada curva do seu corpo. Seus olhos hoje estavam não só brilhantes, mas excitados e misteriosos. Sua mente, como sempre, silenciosa.

- Onde está Jessica? – Perguntei casualmente, tentando tirar meus olhos do seu decote.

- Ela já saiu, Mike chegou dez minutos mais cedo. – Eu não sabia se isso era resultado do meu deslumbramento ou da forma intensa que tudo aconteceu nessa tarde, mas sua voz para mim soava como sinos, como se fosse a primeira vez que eu estivesse ouvindo. Bom, era a primeira vez, desde que ela descobriu tudo sobre mim.

- E eu estou bastante atrasado. Desde quando você e Jessica se tornaram grandes amigas? – A forma como sua mente funcionava era mais do que intrigante, era viciante. Todavia, minha pergunta pareceu ofendê-la, ela olhou para o vidro da janela e em outra mente eu vi uma nova visão se formar.

- Meu ex namorado. Ele já deve estar em Forks. Ele quer me levar de volta. Quando me ligou hoje à tarde, fiquei sem saber o que fazer e tive a ideia de ir para casa de Jessica. Eu não queria deixar de ter esse momento com você por causa dele.

A visão de Alice era sólida como uma pedra, ele a carregava para um carro e seguia noite a fora. Mas se ela estava segura ao meu lado, significava que em algum momento eu iria falhar? Não, ele teria que me matar para isso.

- Ele não vai chegar perto de você, Eu prometo! – Ela sorriu brilhantemente e pegou em minha mão. – Você é tudo que eu podia desejar. – disse docemente e meu coração, se pudesse bater, com certeza estaria disparado.

Quando chegamos ao baile ficamos a certa distancia da minha família. Afinal eu ainda não tinha tido tempo de contar as novidades. Bella pareceu satisfeita com minha atitude, talvez ela preferisse uma coisa de cada vez.

EDWARD CULLEN?! Ele nunca veio ao baile antes. Que bela chave de perna ela deu”  - Os pensamentos de Leah se tornaram cada vez mais insultantes o que me fez rosnar. Bella me olhou com curiosidade e eu tomei a liberdade de colocar meus braços em seus ombros a trazendo mais para perto. – Leah está me dando nos nervos. – Eu respondi sua pergunta silenciosa e ela sorriu.

- Não vamos ligar para ela eu e você é o que realmente importa. – Ela me disse sorrindo de forma convidativa e me puxando para a pista de dança. Nunca ficamos tão próximos daquela maneira, por mais que eu soubesse sobre meus sentimentos ela nunca deixou claro quais eram os seus. Agora pela forma como ela tocava meu corpo me deixava cada vez mais ansioso.

- O que você acha de sairmos para um lugar mais reservado? – Ela disse em meu ouvido, minha respiração estava desigual quando meus olhos encontraram o de Alice, seu olhar era sem foco, em sua mente outra gama de possibilidades se formava.

- Só um minuto. – Eu disse a ela indo em direção a minha irmã. Aproveitando-se da situação ouvi as intenções de Leah ao se aproximar de Bella.

- Meus parabéns. Mas me conta, quem está pagando para quem? – Ela disse enquanto suas amigas Jessica e Lauren riram baixinho.

- Depende. Você está falando de você ou dos outros? – Bella perguntou com um tom novo, que me pareceu um pouco de superioridade.

- Hã? Ah, isso deve ser efeito do álcool. Já não está falando nada com nada... Vou deixar mais claro, é melhor você diminuir na bebida ou ele pode pedir o dinheiro do programa de volta, sendo rico como ele é poderia pagar por algo melhor, mas vai entender. – Ela disse com tom de deboche e então continuou: - Mas eu realmente estou curiosa para saber como você o convenceu a vir com você. Porque você não conta o segredo as suas amigas?

Eu queria voltar e defende-la mas eu precisava ajudar minha irmã a se focar, entender o que estava acontecendo.

- Vou deixar mais claro – Bella respondeu sorrindo e se aproximando mais de Leah. – As únicas pessoas que estão pagando algo aqui são você e os demais cidadãos de Forks. Eles pelos impostos que acabam remunerando Charlie e consequentemente pagando pelo seu vestido. E você pagando mico e dando a todos uma noite memorável. E não se preocupe com bebida, eu já bebi o suficiente. – Ela disse derramando o copo de ponche em cima da cabeça de Leah a molhando toda. – Com licença. – Ela finalmente falou e veio em minha direção.

Bella nunca aguentou uma injustiça calada, sempre defendeu sua integridade com maestria, mas humilhar alguém em publico nunca fora algo do seu feitio. Suas atitudes não condiziam com a pessoa que eu amava.

- Quem é você? – Eu perguntei ainda incrédulo. – Nesse momento o celular dentro da bolsa dela tocou e ela saiu em direção a porta. Eu a segui e Alice me seguiu. Quando já estávamos fora do ginásio eu segurei o braço dela obrigando-a a parar. Nesse momento as imagens na mente de Alice se multiplicavam em diversas possibilidades se consolidando em uma na qual Bella estava dentro de um carro novamente, feliz, com outras duas garotas. Então a historia do ex namorado já não fazia mais sentido.

 - Por que você mentiu para mim? – Eu indaguei e ela me deu um golpe que me fez parar a metros de distancia. Quando ela se virou para correr Jasper e Emment a agarraram e imobilizaram. Ela parecia humana, cheirava como humana, como isso era possível?

- Explique-se! – Eu exigi atordoado, torturado, me sentindo traído. Ela continuou calada me olhando com raiva e desdém.

- É melhor sairmos daqui! – Jasper disse, eu assenti e ele e Emment a levaram para a mata onde Rosalie levava o carro para sairmos de forma mais despercebida.

Alice seguiu comigo para o meu carro, calada porem pensando em mil coisas ao mesmo tempo. Quando estávamos chegando em casa meu celular vibrou. O numero era desconhecido. O que mais poderia me surpreender naquela noite? Quando atendi não ouve nenhuma voz, nenhum som. Eu já estava impaciente o suficiente – Alô?! – Eu disse dando a ultima chance a essa pessoa que queria contribuir para a ruína da minha existência.

- Edward, sou eu. – Sim, um coração morto poderia voltar a bater.    


Notas Finais


"No entanto, para dizer a verdade, hoje em dia a razão e o amor quase não andam juntos. O amor não se vê com os olhos mas com o coração."

William Shakespeare


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...