História Os Cavaleiros da Energia Divina - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Aiolia de Leão, Aioros de Sagitário, Aldebaran de Touro, Camus de Aquário, Dohko de Libra, Kanon de Dragão Marinho, Kiki de Appendix, Mascára da Morte de Câncer, Miro de Escorpião, Mu de Áries, Personagens Originais, Saga de Gêmeos, Shaina de Cobra, Shaka de Virgem, Shion de Áries, Shura de Capricórnio
Tags Amor, Atena, Batalha, Camus De Aquário, Cavaleiros, Cavaleiros Do Zodiaco, Cdz, Dohko De Libra, Gravidez, Hentai, Mitologia, Mu De Áries, Revelaçoes, Romance, Saga De Gêmeos, Saint Seiya, Santuário, Shaka De Virgem
Exibições 34
Palavras 4.560
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiii gente, desculpem a demora! De verdade, mas o tempo tem sido muito pouco para tanta coisa! Desculpem!
Bem, esperando que me perdoem, digo-vos que este capítulo não é dos mais interessantes de sempre, mas era necessário (talvez por isso tenha demorado tanto a postá-lo, parecia que faltava alguma coisa para ficar bom o suficiente, mas pronto, adiar mais é demais). O próximo trará a GRANDE GRANDE revelação, e não, não demorarei um mês a postar, porque esse já está meio escrito :) Aliás, duas revelações, uma esperada e outra... que é quase certo que ninguém espera ;)
Por isso, gente linda do meu coração, me perdoem a demora e... boa leitura! Beijinho de pedido de desculpas!

Capítulo 47 - Zeus e a Força que move Atena


Fanfic / Fanfiction Os Cavaleiros da Energia Divina - Capítulo 47 - Zeus e a Força que move Atena

A chuva, pela primeira vez em meses, abrandou e as estrelas no céu apareceram novamente, e, mesmo por trás das nuvens, iluminaram a impenetrável escuridão trazida por Érebos. Algo de muito forte estava avançando até ao Santuário de Atena.

Raijin tinha os punhos cerrados e parecia explodir de ódio. O riso de Kami deixava-o mais irritado ainda. 

- Você... Você matou Dohko de Libra! Como teve coragem?! COMO?! 

Kami riu ainda mais alto.

- Você não percebeu, cavaleiro de Libra? Foi você que o matou! Você é que trespassou o corpo do seu velho pai com a espada que ele guardou durante séculos! Raijin, você é realmente do mal!

O filho de Dohko, que estava de olhos fechados, abre-os por instantes e deles saem dois brilhantes raios dirigidos a Kami, que se esquiva por pouco, ficando surpreso e pensativo.

- Você... não sabia que Libra tinha o poder de controlar tão facilmente a eletricidade. Pois bem, se é assim que quer, seja homem e lute comigo sozinho. Vingue o fraco do seu pai.

- Que seja!

Nerissa mal percebe o que poderia vir a acontecer, corre para a frente do filho, ficando entre ele e Kami.

- Você nem sonhe lutar com Érebos sozinho! Não permitirei!

- Saia da frente, mãe. Esse desgraçado matou Dohko, não se irá ficar a rir! Essa era a minha missão! E não admito que outra pessoa a tenha concretizado no meu lugar!!

- Foi você que lhe tirou a vida, Raijin! - gritou a guerreira. - Deixe de ser teimoso!!

O filho olhou para ela com raiva também. Não era decididamente isso que esperava ouvir da mulher que sempre o havia tratado de forma doce e meiga. 

O libriano canalizou a raiva e avançou em direção a Kami, atacando-o com o Cólera do Dragão. 

- NÃO! - gritou Nerissa, sustendo o ataque do filho.

- SAIA!! 

O grito de Raijin lançou a mãe longe. Sim, o ataque de um simples cavaleiro de ouro foi suficiente para a guerreira de Quasar ser arremessada vários metros. 

- Mas o que... - questionou Atena, correndo em direção a Nerissa. 

- ESCURIDÃO FINAL!! 

Kami tinha acabado de lançar um ataque no sentido de Atena e Nerissa. Era um dos ataques mais poderosos do deus da escuridão. A guerreira tentou levantar-se e defender a deusa, mas não conseguiu, seu braço estava partido e possivelmente sua perna direita também.

- A-Atena!!

Shaka, Aiolos, Afrodite, Máscara da Morte e Shura avançaram na frente da deusa, tentando defender a vida daquela que protegiam. Uma dor impossível de definir por palavras percorreu o corpo de todos em segundos, assim que o ataque os atingiu. Caíram no chão, sangrando por todas as aberturas. Todas as veias e artérias de cada corpo haviam sido explodidas. Mesmo apesar da barreira, uma parte do ataque seguiu até Atena, que o defendeu com o seu báculo. 

Exceto Shaka, todos tiveram morte imediata. Érebos era fortíssimo. O seu sorriso no final mostrou isso mesmo. Orgulho do seu próprio poder.

A chuva voltava novamente a ameaçar. Um vento gelado vinha agora da direção da vila, irritando o anjo negro.

- P-Pai? - balbuciou Diana, ainda em choque, agarrando o corpo de Shaka. - PAI!! 

- P-Proteja Atena, m-minha filha... Ele... Ele é mais poderoso... do que eu julgava...

Diana sentiu a mão de Shaka enfraquecer e seu corpo perder a vida. Era um pesadelo, ela sentiu que o que estava a viver era um verdadeiro pesadelo, do qual não conseguia fugir de forma nenhuma. 

Raijin, por qualquer razão, ficou incomodado com a dor da jovem, mas não avançou ou desconcentrou a atenção do seu real objetivo, combater Kami.

Marie observou aquilo e, incrédula, avançou até ao seu deus, Chronos. 

- Como pôde deixar isto acontecer?! Você sabe o que acontecerá no futuro com a morte dos guerreiros de ouro de Atena?!

Chronos não respondeu a Marie.

- Você está me ouvindo, Chronos?! 

Não obteve resposta novamente. 

- CHRONOS?!?! 

O deus do tempo abriu os olhos e, de forma rude e grosseira, gritou a Marie:

- Eu sei tudo!! Não ouse levantar-me a voz!! 

Marie foi também empurrada para o chão, esta por Chronos. Metade do seu rosto ficou dorido e a sangrar.

- Chronos, o que você fez?! - perguntou Altair, furioso, tentando atingir o deus do tempo com um ataque.

Em vão. Os seus músculos perderam a força como se tivessem mais de duzentos anos. 

- O-O que... você... me fez? - perguntou, a custo. 

- Exceto o seu coração, todos os músculos do seu corpo têm a força de um homem de duzentos anos. Black Hole, não matarei você apenas porque será decisivo para a batalha final, mas não ouse erguer sua força contra mim novamente. Eu sou um deus. Você tem apenas metade do meu poder.

- V-Você atacou Marie...

- Garota irritante ela, desestabilizou a minha paz e meditação. Que não ouse voltar a elevar-me a voz. Não fosse ela tão importante e pode ter a certeza que seria destruída em poucos minutos.

Chronos virou costas e deixou Altair respirar e mover-se normalmente. 

- Poderia tê-lo destruído facilmente. 

Altair ignorou e aproximou-se de Marie.

- Marie... Você está bem? - perguntou Altair, segurando na cintura da guerreira, que se levantou devagar.

A aprendiz de Aldebaran não lhe responde e ergue-se, olhando para Kami, que olhava agora Raijin nos olhos. 

- Isto não vai correr bem, Altair! Temos de parar Raijin! O filho de Nerissa não pode lutar contra Érebos!

O guerreiro de Black Hole olha para os olhos de Marie, tentando perceber a razão daquela preocupação.

- Você tem de confiar em mim, Altair... Por favor. Me perdoe.

Raijin estava a arder em ódio e raiva. Kami estava ali à sua frente, com as suas enormes asas negras prontas a erguerem-se e a atacarem-no. O seu cosmo estava instável e ele começava a perder a noção disso. Tentava controlar-se, mas a dor de ter perdido o pai estava a consumi-lo por completo. A dor de saber que possivelmente, no seu futuro, não teria hipótese de o conhecer como tinha acontecido agora.

O filho de Nerissa fez queimar o seu cosmo ao máximo. Algo mais forte que ele estava a empurrá-lo para a batalha com Kami.

Nerissa tentou, a custo, levantar-se. Teria sido a relação filho-mãe a levá-la a ser tão fraca perante o ataque de Raijin? A força de Quasar era quase metade da de um deus. Só poderia ter sido a fraqueza do amor que sentia por Raijin a fazê-la falhar daquela maneira.

- Raijin! Páre!

Também Diana observava tudo aquilo com o coração apertado. O libriano morreria de uma forma brutal e dolorosa se enfrentasse assim Kami.

- Raijin, você não vai aguentar com ele! Raijin, pare! - pediu encarecidamente a virginiana, em lágrimas ainda pela morte do pai. 

- É tarde demais, Diana, lamento... 

O cosmo do guerreiro começava a alterar-se, todo ele estava eletrificado agora, a sua armadura emanava cosmo elétrico, como se este fizesse parte dela própria. 

- Raijin!! Não o faça!! Por favor! Raijin, meu filho!! - Nerissa agarrou o filho. 

- ME SOLTE, MÃE!! 

- Não deixarei que você se mate!! Pare com isso!! 

A guerreira agarrou-o com mais força ainda, firmemente, vendo o estado alterado do filho.

- EU NÃO VOU CONTROLAR ESTE PODER!! SAIA!! 

Nerissa não lhe prestou atenção e apenas viu Diana agarrar o outro braço do filho. 

- D-DIANA! NÃO!! - gritou o jovem.

O desespero estava a consumi-lo. Kami apenas sorria satisfeito.

- DIANA, SAIA!! VOCÊ NÃO VAI TER FORÇA PARA AGUENTAR ESTA DESCARGA, MINHA MÃE TERÁ, VOCÊ NÃO! SAIA!!

- Eu não vou abandonar você agora, Raijin. Não vou. Me perdoe, mas... eu sempre amei você!!

O que se passou a seguir foi assustador e difícil de definir. Raijin gritou de dor, não conseguia conter-se mais. Fortes raios saíram dos seus braços, da sua armadura, dos seus olhos, de todo o seu corpo, em todas as direções. Diana e Nerissa sentiram toda a sua espinha se arrepiar, uma dor insuportável e perderam a força. Raijin conseguiu parar o ataque, mas já sem nada poder fazer ou corrigir. As duas guerreiras estavam caídas aos seus pés, inconscientes.

- M-Mãe?... D-Diana?

Lorene fechou os olhos e caiu de joelhos sobre o sangue do chão, percebendo o que havia acontecido. Atena baixou-se e afastou-lhe os cabelos da cara triste. 

- Raijin... Você... Você é o meu orgulho. - disse Nerissa, enquanto enviava a Mu uma mensagem telepática para criar o seu filho da melhor maneira que soubesse. - Você será sempre o meu orgulho.

Mu sentiu um arrepio e viu a guerreira ficar com o olhar fixo no horizonte repentinamente. 

 Mu e todos os deuses presentes ficaram chocados. 

- Como pode um simples cavaleiro de ouro ter o nível de poder suficiente para matar duas guerreiras poderosas de uma vez só?! - gritou Poseidon, retrocedendo um pouco. 

Raijin fica paralisado em choque. 

- Que... Que é que você disse? - perguntou, cerrando os punhos.

Abriu os olhos e sentiu que o mundo à sua volta tinha acabado. 

- D-Diana? N-Nerissa? 

Não obteve resposta. Isso desesperou-o mais ainda. Baixou-se, quase sem respirar e percebeu que nenhuma das duas tinha batimentos cardíacos. 

- Diana morreu... A filha de Shaka morreu? Atena, se ela morresse neste tempo não voltaria a viver nele também! Se Milky Way chegar e der vida aos guerreiros divinos... Diana estará morta! Neste tempo e no futuro! - gritou Marie, chegando perto da deusa. 

Raijin escutou. Escutou e ganhou consciência. Tentaria a todo o custo reanimar a companheira de batalha.

- Diana! Diana! Você tem de voltar! 

Pressionou o peito, insuflou os pulmões. Pressionou o peito, insuflou os pulmões. Vezes e vezes sem conta, sem se cansar.

- Diana!! Volte!! Volte para mim, volte para mim! VOLTE!! 

Os gritos não chegavam para aliviar a dor. Continuava as tentativas de reanimação da jovem.

- Diana!! Você... Você não pode... Você não pode morrer! Você não vai deixar o Raijin deste tempo ficar sozinho! Ele tem de conhecer você! 

Seus braços começavam a falhar.

- DIANA! Eu jamais teria sobrevivido sem você! Por favor, POR FAVOR! Diana, acorde!! Por mim!! Eu-Eu não aguento mais! 

O filho de Dohko caiu no chão esgotado com as mãos na cabeça, com vontade de se matar. 

Mu entrou ao seu lado e recomeçou novamente as manobras.

A batalha seguia atrás deles, os deuses lutavam finalmente com Kami, tentando combatê-lo da forma que conseguiam. 

- Cavaleiro de Áries... Diana vai morrer?

- Raijin, ela recebeu um choque muito forte, nem Nerissa superou esse ataque, Diana estará condenada. No seu tempo e neste... 

Foi aqui que Mu percebeu qual a realidade do momento. 

- Diana ainda não nasceu neste tempo! - disse, concentrando-se e trazendo, telepaticamente, o corpo de Ute já falecido para junto de ambos. -  Que Shaka me perdoe o que vou fazer, mas é a única forma! A alma de Diana está agora neste corpo, tentarei fazer uma cesariana de urgência, precisarei de você, Raijin!

- Diga-me o que precisa! Eu ajudarei!

Mu pega num bisturi e começa a abrir a barriga da guerreira morta. Poderia Diana ainda sobreviver? O ariano retirou a criança da forma mais rápida e segura que conseguia. 

- Está sem pulso, tentarei as manobras aqui. Raijin, você tem de preparar um descarga de energia mais fraca para tentar reanimar Diana. 

- O-O quê? 

O filho de Dohko não conseguia criar eletricidade sem estar debaixo de pressão e raiva. Nunca o tinha feito.

- Terá de o fazer! Ou a sua amiga não voltará a viver!

Mu começava as manobras de reanimação no recém-nascido.

- Mas, cavaleiro de Áries, eu apenas consigo formar raios em momentos de ódio! Não conseguirei por livre vontade!

- Você é que sabe, Raijin, mas lembre-se, Diana não voltará com você para o futuro por sua culpa, e possivelmente ficará também morta neste tempo e você não permitirá que o Raijin recém-nascido possa conhecê-la! Mas a escolha é sua! Shaka jamais me perdoaria ter roubado o corpo de Ute do jardim de Virgem e ter deixado a sua filha morrer. E mesmo assim eu fi-lo. Você tem força para criar o choque elétrico necessário para reanimar Diana, você sabe se o quer utilizar ou não. 

- Como?! - questionou o libriano irritado. - Isto não é uma questão de querer ou não querer! É uma questão de possibilidade! 

- Não me queira enganar com isso, Raijin, por favor. 

- Enganar?! Ah, cavaleiro de ouro insolente!! Você apenas está querendo que eu ataque Diana com o mesmo poder que a matou! Você é muito idiota!! 

- Serei? Ou será você o maior idiota daqui por ter atacado duas das mulheres da sua vida?! E lhes ter roubado a vida com imensa dor e, de certo, desilusão?!

Raijin irritou-se mas explodiu em lágrimas, deixando seu cosmo completamente apagado. 

Mu parou os movimentos de reanimação à bebé. 

- Porque é que parou?! - exaltou-se o libriano. - Porquê?! 

O cavaleiro de Áries levantou-se com Diana nos braços. 

- Diana está morta. 

Raijin arregalou os olhos. Diana o quê? Ele não conseguia acreditar, lançou-se ao chão e esmurrou-o com todas as suas forças, vezes sem conta. O sangue salpicava-lhe a armadura de cada vez que o fazia. O filho de Dohko sentia que estava a atingir um limite que nunca antes tinha atingido. As nuvens começavam a juntar-se no céu, prontas a largarem chuva torrencial novamente a qualquer momento.  

O guerreiro sentiu duas pequenas patas pousarem-lhe na mão, enquanto chorava. Um pequeno pássaro olhava para ele. Quase como se quisesse apaziguar a dor que ia na sua alma. Raijin abriu a mão e deixou o animal encolher-se nela, como se estivesse protegido. 

- Diana amava tanto os animais... - balbuciou para si próprio, sem querer saber se alguém o ouviria. - Se ela aqui estivesse... ela... ela me diria "Viu, Raijin, até os animais pequenos gostam de você! Eles vêem a verdadeira alma de cada pessoa...". MAS DIANA NÃO ESTÁ AQUI MAIS! Diana morreu!!

O pranto insuportável do jovem assustou o animal, que caiu na poça de sangue no chão. Era relativamente pequeno ainda, suas asas jovens não o deixavam voar alto. 

- Porquê?! Porquê?! Me diga, Mu de Áries!! Porque é que ela teve de partir?? Porque é que... Ahhhhh!!! 

O grito de Raijin fez Mu chegar mais perto de si. Um cosmo imensamente instável estava entalado em algo.

- Raijin... Seja forte.

- Diana morreu porque eu a matei!! Ela... Ela... Droga! Ela me amava e eu... Eu nunca amei ninguém na vida. Mas ela... Ela... Ela tinha algo diferente de todas! Uma força de viver... uma alegria quase inesgotável... Mesmo sabendo que ia morrer ela sorria! O contrário de mim! Eu... Eu talvez fosse capaz de passar o resto da minha vida ao seu lado! 

As lágrimas continuavam a cair da sua face. O seu pequeno pássaro, que ainda se mexia na poça de sangue, pára por momentos e se transforma em pedra ali, sem Raijin se aperceber. Apenas Mu viu aquilo. 

- Raijin?! O que...?

- AAAHHHHH!!! 

Um grito fez ambos olharem para trás, para a batalha. Altair estava no chão a contorcer-se em dores, sem nada lhe ter tocado. Aquilo apenas acontecia quando um dos guerreiros recuperava a sua armadura, mas aparentemente o cavaleiro de Black Hole estava a sofrer bem mais agora. 

Mu percebeu que algo estava a acontecer ali. Altair reagia ao amor dos guerreiros. E aparentemente era o que estava a acontecer ali agora. 

- Raijin, o que você sente por Diana? - perguntou o ariano, quase em desespero, sem entender como uma pequena estátua de pedra poderia ser alguma armadura. 

- Eu... não sei.

- Raijin! Largue esse orgulho! Foi esse orgulho que fez Dohko e Nerissa morrerem separados!

O jovem abriu mais ainda os olhos, susteve a respiração e engoliu em seco, finalmente. Sabia que era verdade. Pegou no pequeno pássaro agora transformado em pedra e segurou-o firmemente na mão, levantando-se. 

- Eu poderia estar entre mil milhões de mulheres, poderia estar a anos-luz de distância de Diana, mas eu sempre a iria encontrar. Por ela, era capaz de... amar de verdade alguém. Por ela... Droga! Eu amava Diana! E ela... 

Uma lágrima caiu no pequeno pássaro de pedra. Altair deu um último grito ensurdecedor, acalmando de seguida. Os olhos do libriano mudaram por completo.

Raijin olhou para as suas mãos, virou rapidamente a cabeça e agarrou a criança que Mu tinha nas mãos. 

- Diana!! Diana!! Você vai viver, Diana!! - gritou, dirigindo uma corrente elétrica em todo o corpo do bebé. - VIVA, DIANA!! VIVAAAAA!!!!

Aquele grito energizou também o pássaro de pedra, criando nele uma forte luz amarela e brilhante como o sol. Em instantes, o pequeno e frágil pássaro transformava-se numa armadura brilhante e imponente. A armadura de Zeus. 

Raijin trajou-a de imediato, enquanto a armadura de Libra se unia ao seu lado, e apenas teve tempo de ver Kami correr para si e esquivar-se por pouco. 

Chronos atuou de imediato, perante o choque, e parou o tempo do deus maligno.

- ZEUS!!! Você é o filho de Nerissa!?! Tem apenas quinze minutos para se explicar! EU NÃO AGUENTAREI MUITO MAIS!! - gritou o deus do tempo, elevando ao máximo o seu poder divino. 

Diana começava a chorar, agora nos braços do rei dos deuses, que olhava para ela com amor. 

- Você voltou à vida, meu amor... - falou, de uma forma doce e carinhosa. 

- ZEUS!!! - gritou Chronos. 

Hades, Atena, Poseidon e Apolo olhavam para ele surpreendidos por completo. Como era possível o rei dos deuses ser o filho de Dohko? 

- O Olimpo entrou em colapso com tempo contado. As almas de alguns deuses foram completamente destruídas, o paraíso que vocês conhecem foi transformado num mar de lodo negro e cinzento. Revivi os mais sábios conselheiros que existiram desde a época mitológica, e todos me aconselharam a reencarnar neste mundo, encontrar-vos e alertar-vos para as consequências que a encarnação de Érebos trouxe para a existência de todo o universo. 

- O que se passou?! - questionou Lorene, de uma forma demasiado interessada. 

- Érebos transformou toda a matéria existente em negra escuridão. Eu permiti que selassem a minha memória até ter em mim o maior poder existente em todo o planeta Terra. Quem diria, Atena, minha filha, que esse poder é aquilo que faz você não conseguir abandonar os humanos. 

Lorene ia falar, mas Atena adiantou-se. 

- Quem diria era que você, meu pai, encarnaria como o filho de um dos meus guerreiros de ouro mais poderosos e se apaixonaria pela filha de outro deles, também ela uma amazona de ouro. Zeus, você me surpreendeu. 

- Eu esperarei esta menina crescer novamente. Aguardei milénios por isto, vinte anos não serão nada. 

- ZEUS!! - gritou Chronos, caindo de joelhos. 

Faltavam apenas dez minutos. 

- O Olimpo colapsou, deuses têm de continuar a vigiar o universo. Dez foram destruídos já, é necessário encontrar urgentemente novos substitutos que possam elevar o seu cosmo ao nível de um deus. E... - disse, voltando-se para Kami e Chronos. - Não se deixarem destruir.

Zeus abraçou Diana. Um ser humano tão frágil e pequeno, que olhava para ele ainda com os olhos muito fechados. 

Lorene aproximou-se dele.

- Raijin...

- Lorene, você... Diana não vai ter ninguém para a proteger, Shaka e Ute estão mortos. Por favor, encontre alguém que lhe possa dar amor e uma vida digna... por favor. 

- Raijin... Diana não será a mesma que você conhece agora. Foi o que ela viveu que criou a sua personalidade meiga e bondosa. Os pais dela morreram, mesmo que outros os substituam, Diana não viverá as mesmas experiências e provavelmente nem chegará a amazona de Virgem. Lamento, lamento imenso, mas... ela apaixonou-se por você, tal como você era, irritado, frio mas bondoso... porque você cresceu odiando seu pai. Você também ficará diferente! Quero que saiba que as coisas poderão ser diferentes. 

Mu avançou também ele em frente, juntando-se aos dois. Chronos aguentaria apenas mais cinco minutos.

- Eu ficarei com Diana e cuidarei dela como se fosse minha filha. Shaka era meu melhor amigo, tentarei passar-lhe os valores que eu sei que ele quereria que um filho dele tivesse. 

Lorene sorriu ao ariano, de um jeito que o deixou envergonhado.

Zeus abraçou uma última vez Diana. Sabia que o que a jovem havia dito era verdade. Ele poderia ter perdido a mulher da sua vida para sempre, mesmo tendo-lhe restituído a vida novamente. Entregou a criança a Mu e envolveu-a com uma luz de proteção divina. 

- Pequena Diana, que nenhum ser maligno te possa fazer mal até que eu volte a ter consciência do meu real poder. Perdoa-me por isto... 

O ariano segurou Diana nos seus braços. Podia jurar ter visto duas lágrimas a caírem pelo rosto de Raijin. Mas preferiu não confirmar. 

- Agora é connosco! Chronos, se afaste!

- Zeus... 

- SE AFASTE!! 

O grito de Raijin lançou o deus do tempo para trás, e deixou que Kami recuperasse o seu tempo e se dirigisse novamente a ele, tentando atingi-lo. 

- Então é você, Zeus! Quem diria que o cavaleiro de ouro frio e assassino, capaz de matar seus pais e sua namoradinha, seria o grande rei dos deuses! - riu Kami. - Vergonha!

Raijin não se descompôs. 

- Você acha mesmo que será capaz de me afetar com isso? Ora, Érebos! Eu tenho em mim um poder maior do que você julga! E esta vida fez crescer a minha alma até ultrapassar os limites que eu achava possíveis! 

Zeus ergueu a sua lança e, em segundos, tinha um potente raio elétrico na sua mão. 

Ao vê-lo, Raijin lembra-se de Diana e do seu olhar enquanto ele lhe enviava um choque e fazia com que o seu coração parasse de bater. Esse sentimento que deveria fazê-lo o ser mais poderoso do universo, era agora a sua fraqueza. 

E bastou um momento apenas para Kami o trespassar com a sua lança negra, sem qualquer tipo de hesitação. 

Atena e os restantes deuses levaram a mão à boca e gritaram chocados. Pouco havia mais que se pudesse fazer para salvar a guerra. Se até o próprio Zeus era atacado e derrotado assim.

O deus caiu por terra e olhou para Mu que tinha a bebé nos seus braços. Chorava com o enorme ruído à sua volta, se o visse naquele trato talvez se desiludisse com ele... 

- Zeus!! Raijin!! - gritou Altair de Black Hole, no mais alto que conseguia. - Você ainda não entendeu como funciona essa força a que chamam de amor!! Você tem de abrir o seu coração por completo!! ZEUS! VOCÊ NÃO PODE DESISTIR AGORA!!! NÃO SEM LUTAR!!!

Raijin ouviu aquilo mas não entendeu o seu significado. Diana jamais o conheceria assim, talvez nem o amasse como amava.

- Apenas desejava poder pedir-lhe desculpa...

Kami pareceu perceber o que as palavras do guerreiro divino significavam. Avançou rapidamente até ele e também o iria trespassar, não fosse Chronos chegar-se à frente e agarrar com força a lança de Érebos. 

- PÁRE DE TENTAR MATAR, KAMI!! - gritou a armadura de Nerissa, Sol, em lágrimas. - Você não é assim!! 

De nada valeu. Kami tinha a mão direita pronta para arrancar o coração de Chronos. 

- Não deixarei que você mate Black Hole! Ele é essencial nesta guerra!! - exclamou o deus do tempo.

A mão do anjo negro avançou e penetrou o peito do opositor. Viu a expressão chocada de Chronos, sorriu e arrancou o coração do peito de uma vez só. 

Marie cai nos braços do seu deus, já sem vida. 

- Você cumpriu sua obrigação até ao fim, cara guerreira divina de Pulsar. Estar-lhe-ei agradecido toda a vida. 

Altair gritou ao se aperceber da realidade do momento. 

Kami não parava. Dirigia-se agora para Atena. 

- NÃÃÃOOO!! ATENA!! - gritou o único guerreiro divino que sobrava enquanto a deusa se defendia com o seu báculo. 

Altair caía agora de joelhos no chão, a guerra estava quase acabada... Ele era o único ainda vivo, com capacidade para proteger os deuses e o universo.

- Porquê... Porquê eu? 

Atena e Poseidon lutavam contra Kami, sendo arremessados longe e violentamente. Apolo tentou entrar em seguida na batalha, mas nem mesmo os raios mais poderosos do sol conseguiram evitar que fosse arrastado pela escuridão até Atena e Poseidon. Restava agora apenas ele e Hades. Kami não se controla e explode até ao deus do Inferno, que se defende eficazmente, golpeando o oponente. No entanto, ao trespassar Kami com a sua espada, um veneno poderoso parecia percorrê-la por inteiro até chegar aos seus punhos, paralizando todo o seu corpo. 

- MAS O QUE...? - perguntou, sendo lançado contra um pilar de seguida.

Altair percebeu o desespero no coração de todos os deuses e dos poucos cavaleiros ainda vivos. Kami, Érebos, tinha de ser parado. Não havia hipótese. 

Desenbainhou a sua espada e gritou o mais alto que conseguiu:

- MILKY WAAAAAYYYYY!!!!!! 

Este grito fez o guerreiro da escuridão deixar cair a sua lança. 

- Mas o que...? QUE FEZ VOCÊ BLACK HOLE?! - gritou Kami, percebendo que as suas forças estavam a enfraquecer. 

Altair leva os seus olhos ao céu escuro e dirige-os para a vila. 

- Funcionou...

Um cosmo muito poderoso estava cada vez mais próximo do Santuário. 

- Tenho pena que... você veja o estado em que o Santuário está. Venha, meu velho amigo! Venha e traga a luz da justiça a esta guerra! Venha, MILKY WAY!!

Aquele grito fez todos os olhares e concentrarem no caminho que dava para a vila. Estava quase. Em poucos minutos o lendário e mitológico guerreiro divino chegaria ali.

 

CASA DE PEIXES

Nara e Kiki tinham percorrido as casas todas em busca de Takara e não a haviam encontrado em lugar nenhum. 

- Chega, cavaleiro de Áries, Takara não está nas doze casas.

- Qual a possibilidade dela ter entrado na batalha?

- Muito pouca. Acredito que esteja escondida, mas agora, e mais importante... Você tem de ir. Ouviu o grito de Altair? As coisas estão feias lá fora. Você tem de ajudar seu mestre, Atena e todos os outros. Vá, Kiki, vá, eu encontrarei Takara! 

O guerreiro mais novo de Áries assentiu e dirigiu-se para a porta de Peixes que dava passagem para a entrada da casa do grande mestre. 

Nara suspirou, levou as mãos à cara e chorou em prantos. Tinha de sair dali o mais rápido possível e dirigiu-se para fora do Santuário, passando pelas chamas poderosas que já alastravam em cinco casas.

 

CAMINHO DE TERRA PRÓXIMO AO SANTUÁRIO

Uma onda de cosmo e energia positiva circundava uma pessoa que se dirigia para o Santuário de Atena. Os passos eram fortes mas lentos. A cada pisada na terra sentia-se o tamanho poder daquele guerreiro. Na sua mão esquerda levava a capa vermelha que anteriormente já havia sobrevoado o Santuário. 

Parou, antes de começar os últimos metros que lhe permitiriam começar a ver o local da batalha, e colocou a capa sobre o corpo, vestindo-a. Suspirou e levantou um dedo na direção do céu.

E agora, a chuva parava. A chuva havia acordado. E ninguém mais a faria adormecer. Ela havia acordado. E na casa do grande mestre outra força também se levantava, e a capa percebeu. E a chuva também.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...