História Os contornos do destino parte 2 - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Androide Nº 18, Bra, Bulma, Chichi, Dende, Gohan, Goku, Goten, Kuririn, Marron, Mestre Kame, Oob (Uub), Pan, Personagens Originais, Piccolo, Trunks, Vegeta, Videl, Yamcha
Tags Ball, Bra, Dragon, Fanfic, Goten
Exibições 29
Palavras 1.711
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa Leitura!!!

Capítulo 3 - Uma grande decpeção.


Fanfic / Fanfiction Os contornos do destino parte 2 - Capítulo 3 - Uma grande decpeção.

Mais tarde da noite a festa chega ao fim; e todos vão para suas casas. E todos adormecem. Na manhã seguinte todos estão de pé; na corporação capsula todos estão ao redor da mesa tomando café. Logo Trunks e Bra iriam para o colégio; seria o primeiro dia de aula, eles iriam fazer o 3° ano do ensino médio, seria um ano muito corrido de muitas provas e também a formatura. Logo Trunks se levanta e se despede de seus pais.

_Tchau mamãe, tchau papai._ disse ele pegando seus materiais escolares.

_tchau meu filho, boa aula! _ disse Bulma ó beijando na testa.

_me espere... Trunks irei com Você._ disse Bra se- levantando da cadeira.

_Bra irei voando, juntamente o Goten e o Uub.

_irei com vocês!

_não!  _ Vegeta frangiu a testa._ sua mãe ira te levar.

_Vegeta, mas hoje não há como leva-la. Irei construir o carro aéreo que o Yamcha pediu._ disse Bulma já vestida com o jaleco.

_eu não irei leva-la._ disse Vegeta saindo de braços cruzados.

_está bem ligue para o motorista do ônibus, passar por aqui._ disse Sr Briefs.

_mas, é para ir todos os dias e voltar somente de ônibus; se não quebro a cara de Trunks e te deixo de castigo, ouviu bem Bra?_ disse Vegeta de mau humor de dar cismo.

Trunks saiu voando rapidamente e encontra no caminho com Uub e Goten. E os três logo chegam ao colégio. Na casa de Pan, o ônibus já á esperava, logo ela entra no ônibus. E em seguida chegaram à corporação capsula, e Bra entra no ônibus com a ajuda de Pan. Quando mal contaram os minutos já estavam paradas em frente o portão do colégio e do lado Marron.

_oi meninas!_ disse ela.

_oi Marron!_ respondeu Bra.

_por que, não me responde Pan?

_unf!_ Pan, respirou fundo, sentindo ódio de Marron por causa do dia anterior.

_Pan, por favor, me desculpe se-estiver com ódio de mim!_ Marron se-aproximou dela.

_ah!_ Pan, virou o rosto em outra direção contraria de Marron.

_Pan, seja o que for, por favor, desculpe a Marron, sempre fomos grandes amigas._ disse Bra sem poder imaginar como estaria a suas duas amigas.

_esta bem!

_muito obrigada, amigas?_ disse Marron, estendendo a mão.

_amigas!_ disse Pan, colocando a mão em cima da mão de Marron.

       As garotas foram para a suas salas de aula, enquanto os garotos estavam sentados na calçada do pátio. Quando escutaram o sinal da escola anunciar, inicio as aulas. Já na sala de aula, o professor iniciava a aula de português. Todos os alunos copiavam do quadro de louça em seus cadernos, já Bra tinha uma professora especialmente para ela; que também havia as vistas escuras. As demais primeiras aulas se passaram; já era hora do recreio Trunks, Uub e Goten estavam conversando e andando pelas as calçadas do pátio. Marron, Bra e Pan, estavam tirando fotos na sala de aula. Assim as últimas três aulas se passaram à tarde na corporação capsula Trunks liga para uub e Goten irem ate lá. Os garotos se divertiram a tarde toda.

    Uma semana depois na aula de geografia Trunks estava concentrado na explicação do trabalho que a professora propunha para os alunos; quando sentiu o impulso aumentar, seu ki não pode sentir os movimentos com rapidez, aos seus olhos foi inevitável saber quem poderia ser; sentiu o sangue quente escorrer pelo o rosto, olhou lentamente para o chão e viu os rastos de passos reconhecíveis aos seus olhos, levou á mão ao seu rosto passando os dedos pelo o ferimento; de leve ficando sangue em seus dedos. Ficou tremulo e tenso. Quando ouviu alguém lhe chamar.

_Trunks!

Trunks continuou de cabeça baixa observando os rastos do solo do sapato, que algum dia também já usara.

_Trunks!_gritou a professora irritada.

_sim!_ disse Trunks levantando a cabeça.

_por que, não presta atenção na aula? Estou explicando o trabalho._ disse ela ó olhando furiosamente.

_aih!_gemeu Trunks.

_Trunks; por que, não me responde?_ disse ela ó sacudindo de um lado para o outro. Trunks gemeu outra vez e se debruçou na mesa; se amoleceu sobre o chão; deixando sangue escorrer.

_Trunks!_ gritou á professora desesperada. A professora sacudia Trunks desesperada. Aa professora sacudia Trunks desesperadamente; e o garoto continuava no chão. Todos os alunos se-aproximaram dele.

_Trunks! O que aconteceu?_ perguntou Goten.  

_ele esta perdendo sangue!_ falou Pan desesperada.

_mas, o que ó feriu?_ perguntou Bra.

_não sabemos!_ respondeu Uub.

_mas, vocês sentiram um ki?_ perguntou Goten.

_não, não senti._ respondeu Uub.

_eu senti..._ respondeu uma voz vinda da cadeira ao lado de Trunks.

_unh! Você?_ surpreendeu-se Marron.

_um ki muito poderoso!_ disse o garoto de cabelos loiros olhos castanhos.

_mas, como você sabe sentir o ki, Carlos Daniel?_Uub ó perguntou.

_mas o que estão falando?_ a professora se aproxima.

Todos ficaram muitos preocupados com Trunks. Ate que o ferimento parou de sangrar e o garoto abriu os olhos e se-levanta com a ajuda de Goten e Uub.

_o que aconteceu comigo?_ Trunks ficou se aproximou.

_você foi ferido e de repente desmaia com o rosto sangrando sem parar!_ respondeu Carlos Daniel.

Já na hora de irem embora do colégio todos os alunos andavam tranquilamente, ate chegarem a seus determinados automóveis e motocicletas. Ou ate mesmo iam de á pé. De repente começou um ataque de bolas de energia; no ar. Destruindo casas, carros, e pessoas. Todos começaram a gritar desesperadamente. Uub e Goten pediram para Marron segurarem seus materiais escolares, e saíram voando.

_esperem por mim!_Trunks mandou sinal.

Pan também foi atrás dos garotos. Quando os quatros se-aproximaram tiveram uma surpresa, que quase fez Trunks morrer de susto.

_mas, o Sr?

_mas, o que esta fazendo?_ disse Uub surpreso.

_não me venha com perguntas inúteis seus embecil!_ esbraveceu Vegeta furioso.

_mas, viemos lutar, onde esta o adversário?_ disse Pan.

_esta na sua frente!_ disse Vegeta fazendo uma bola de energia com as mãos; e á lançando em Pan, que desviou.   

Bra estava ao lado de Marron; em frente ao portão do colégio. E do lado um garoto que observava tudo. Quando a bola de energia iria cair em cima de Bra; o garoto á pegou em seus braços e se-dirigiu avoando ate um jardim mais próximo do colégio e á  colocou Bra sentada na grama ao seu lado, ela ficou sem entender nada, pensou que fosse Trunks ou o Goten talvez o Uub ou os guerreiros ‘’Z”.

_quem é você? O que estamos fazendo aqui? Onde estamos? Você sabe avoar?

_psciu!_ disse ele colocando o dedo indicador nos lábios dela._ acalme, pergunte uma coisa de uma vez só.

_cadê minha amiga?_ disse Bra confusa.

_acalme estudo com você, você me conhece.

_não; não conheço mais ninguém com super. Poderes que estude comigo, á não ser meus amigos e meus irmão.

_pois, acabou de conhecer mais um!_ disse ele.

_ah eh! Por acaso jogou uma moeda no poço dos desejos, ou pediu á fada madrinha que lhe concedesse super. Poderes?_ disse Bra sorrindo dele.

_há há! que engraçadinha!_ ele fez uma risadinha forçada.

_super. Man; não vai dizer o seu nome?

_não reconhece minha voz Bra Briefs; irmã de Trunks Briefs._ele se aproximou dela e ela pode o sentir respirar.

_há há! Quem não sabe que sou irmã de Trunks Briefs._ela fez um leve sorriso forçado.

_eu sou o Carlos Daniel._ ele se-aproximou dela, e ela sentiu todo o perfume dele resplandecer o local.

_ah! Nunca iria reconhecer a voz de um playboy exibido como você; não iria saber que era você se não dissesse o seu nome, Carlinhos Danielzinho._ ela ficou imaginando como seria seu rosto depois de jovem, ela tinha o visto seu rosto quando eram crianças no jardim de infância, e depois que ficou cega, o seu perfil se mudou dia pós dia.

_então não deveria ter dito o meu nome senhorita Briefs.

_Carlos Daniel como você é?

_eu sou legalmente loiro olhos azuis, não muito alto, magro forte e musculoso._ Bra ficou imaginando enquanto ele dizia seu perfil atual.

_uah! Você deve ser muito lindo!_ ela ficou vermelha.

_obrigado, eu sei que você não pode se ver no espelho, se pudesse se ver iria ver o quanto também é linda.

_por que, me trouxe para cá, deveria ter trazido com você; uma pire guete como a Rakêlly, Monick ou Fabiatriz?

_não! Eu prefiro trazer comigo á Sr Briefs, que é cega, porque assim salvaria a vida dela, de ser atingida por uma bola de energia. E alias tenho nojo daquelas três._ Disse Carlos Daniel.

_por que tem nojo delas se todo o garoto como você gosta desse tipo de garota?

_bom isso foi um ano atrás, quando eu era namorado de uma delas “ Rakêlly’’._ ele fez cara de nojo.

_também não vou com a cara delas, sempre vivia me implicando á mim e minhas amigas. Meu irmão tempos atrás, quando criança; era apaixonado por Rakêlly, e seu amigo o Goten, era apaixonado por Mônick._ disse ela.

Carlos Daniel e Bra tiveram um longo dialogo como nunca tiveram antes. Goten e Trunks, Uub e Pan perceberam, os olhos avermelhados de Vermelhos de Vegeta, e logo sentiram que ele estava sendo hipnotizado. Logo avistaram um ser estranho que já haviam visto antes quando crianças “ Phypyople’’. Gritaram eles. Tentaram lutar contra ele mas estava muito forte, nem parecia ser aquele ser inofensivo que um dia conhecerá, no planeta ludo.

Pan e os três garotos desistiram de lutar, pois estavam exaustos e machucados, então foram todos para casa. Marron foi com eles e Bra foi embora com Carlos Daniel pois; ele levou ela ate á corporação capsula. Na corporação capsula Bulma chorava de ódio; de seu marido ter sido hipnotizado por um alienígena. Logo á noite chegou, todos estavam deitados adormecidos.

Na casa de Carlos Daniel, todos estavam adormecidos, menos ele; que estava pensando na garota de cabelos azuis.  “não sei por que, quis salvar Bra Briefs nunca fomos próximos, desde criança ela sempre esteve com suas melhores amigas e seu irmão e os amigos dele”. Já eu sempre estive ligado em interesses pessoais, por exemplo, (Rakêlly)’’.

Pensou ele, com a cabeça em seu travesseiro. Carlos Daniel pensou tanto na garota durante aquela noite que quando ao dia amanhecer teve certeza absoluta de que estava apaixonado por Bra Briefs.

                                       

                                      Continua...  


Notas Finais


obrigada por ler....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...