História Os de Verre - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Styles, Madelaine Petsch
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Harry Styles, Madelaine Petsch, Ossos De Vidro
Visualizações 32
Palavras 672
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, como estão? Espero que bem!
Trago-lhes mais um dos meus projetos <3
Entretanto, essa será uma short-fic, e terá no máximo 15/20 capítulos, apenas.
Avisos básicos:

* Henri Beaumont e Louise Fountaine são personagens inteiramente meus, assim como suas personalidades. Harry Styles e Madelaine Petsch são apenas as aparências dos mesmos.
* A fanfic não será focada em sexo ou coisas do tipo, mas pode ocorrer em algum capítulo
* A trama é da categoria drama, então recomendo que preparem os lenços ;u;
* Capítulo não revisado, então perdoem qualquer erro.
* A história se passa em Paris, no bairro de Saint-Germain-Des-Prés, no 6° arrondissement.
* Uma playlist estará disponível em breve <3

Boa leitura!

Capítulo 1 - 1; C'était le printemps quand je vous ai rencontré


Fanfic / Fanfiction Os de Verre - Capítulo 1 - 1; C'était le printemps quand je vous ai rencontré

Saint-Germain-Des-Prés, 6 arrondissement; Paris, França – 7:30AM

 

O jovem de cabelos bagunçados encontrava-se parado no quintal de sua casa. Seus pés tocavam a úmida e verde grama, e suas mãos faziam um tipo de proteção contra o sol em seus olhos. Alguns homens robustos carregavam as caixas para dentro da nova casa da família Beaumont, enquanto o jovem Henri encarava a casa vizinha á sua frente.

A porta da frente logo foi aberta, revelando uma jovem de baixa estatura. Os cabelos ruivos e ondulados, que contrastavam com a pele branca, os olhos esverdeados e as bochechas rosadas. A garota utilizava um vestido branco, que ia até próximo de seus joelhos, e uma sapatilha azul. A mesma desceu as escadas, e tornou a caminhar pela rua vagarosamente.

Henri a observou sumir por entre as ruas. Ouviu a doce voz de sua mãe, o chamando para dentro, assim que o caminhão partiu. Quando adentrou a casa, sentiu o cheiro da típica e deliciosa quiche de sua mãe. Dirigiu-se para a cozinha, encontrando seu pequeno irmão, e sua mãe sentados à mesa, e logo juntou-se a eles.

O jovem encarou sua mãe, que sorria com a pequena bagunça feita por seu irmão com a comida. Após a separação de seus pais, Henri fora mandado para morar com a mãe, já que seu pai não o achava apto o suficiente para herdar sua empresa. A mãe de Henri, nascida e criada na França, sempre fora uma mulher doce, e em uma de suas viagens, acabou por conhecer o pai do mesmo, um empresário britânico. A mulher sempre fora simples, no entanto. Diferentemente do marido, que preferia disfrutar todos os benefícios que o dinheiro lhe trazia. As personalidades e anseios divergentes foram suficientes para que o casamento começasse a desmoronar lentamente.

(...)

O rapaz encontrava-se deitado em sua cama, e a brisa fresca daquele dia balançava vagarosamente as cortinas das grandes janelas de seu quarto. Henri encarava o teto, pensativo. Foi tirado de seus devaneios pelas vozes que vinham da pequena rua. Conseguiu reconhecer a de sua mãe, no entanto. Levantou-se, indo até a janela, e observou sua mãe, que segurava seu pequeno irmão e conversava com a bela jovem que vira mais cedo.

- Bonjour, Senhorita Beaumont. – A garota acenou-lhe.

- Bonjour, Louise. – A mãe de Henri acenou com a mão livre, sorrindo-lhe.

A garota encarou a mulher, sorrindo-lhe sem mostrar os dentes, e logo encarando o rapaz na janela. Henri encarou-a de volta, acenando vagarosamente para a mesma, sendo retribuído. Observou a garota adentrar sua casa. Ouviu o barulho da porta bater, constatando que sua mãe também voltara para dentro de casa.

A janela da garota ficava frente-a-frente com a sua, dando-lhe a possibilidade de ver um pouco do quarto da mesma, devido a cortina aberta. Quando a porta do quarto da garota foi aberta, e a mesma adentrou o cômodo, Henri a observou se sentar na cama. A porta fora novamente aberta, revelando uma mulher parecida com a jovem. A mesma sentou-se ao lado da garota na cama, a abraçando de lado. Cautelosamente, Henri conseguiu ver as pequenas lágrimas que escorriam vagarosamente pelo rosto da jovem, enquanto sua mãe afagava seus cabelos.

Num instante, o que antes era uma cena triste, transformou-se em uma gritaria. A garota levantou-se, ficando frente-a-frente com a mulher. Louise gritava com a mulher, enquanto violentas lágrimas tocavam seu rosto. A mulher se levantou e se retirou do quarto. A garota se encolheu na cama, e continuou a chorar.

Henri permaneceu ali, encarando a jovem. Quando a moça finalmente o viu, levantou-se e foi até a janela, fechando a cortina com brutalidade. Henri, no entanto, ainda lembrava-se do rosto cheio de lágrimas da jovem garota ruiva. Imaginava o que havia ocorrido para que tamanha angústia se alastrasse pela jovem.

Continuou observando a janela da jovem, e prestando mais atenção, notou a alta árvore que acabava próxima a janela. As flores de coloração rosa denunciavam a primavera, que se fazia presente naquele mês.

No entanto, Henri pensava em uma flor diferente daquelas. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, e não esqueçam do meu feedback, sim?
Esse é um capítulo curto, pois é apenas uma introdução à história e aos personagens.
Até o próximo <3

XO
Mari.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...