História Os descendentes( Filhos de TMI) - Capítulo 44


Escrita por: ~ e ~Annia_brum

Postado
Categorias Originais, Os Instrumentos Mortais
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Asmodeus, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Magnus Bane, Personagens Originais, Simon Lewis
Tags Os Instrumentos Mortais
Visualizações 121
Palavras 2.727
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Fantasia, Magia
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oooi genteee
Cheguei aqui com mais um capítulo e agora as coisas vão pegar fogo!!
Boa leitura ♡

Capítulo 44 - A queda de Vitória Lightwood


Fanfic / Fanfiction Os descendentes( Filhos de TMI) - Capítulo 44 - A queda de Vitória Lightwood

O dia amanheceu tenebroso, um mau presságio, pensou Vitória .
Desde o dia em que evocaram Sebastian o mundo estava em contagem regressiva para o início da guerra, tal guerra que Vitória ainda não entendia o seu envolvimento. 
A Annia iria virar um anjo ,ok isso era bizarro mas dava para entender o papel dela na guerra mas e ela e o Kelvin?
A profecia regia que teria a filha das luzes, e as das trevas e o viajante do futuro. 
Nada fazia sentido.
Vitória: Eu não sou santa é claro, mas filha das trevas é demais. 
Será? 
Será que ela era tão má a esse ponto? 
Não, não poderia.
Claro que ela ja errou muito mas nunca cometeu atrocidades como de Valentim ou até mesmo Sebastian. 
A menina estava perdida em pensamentos mas uma batida na porta a despertou. 
Vitória: Entre...
Era Kaike , ah finalmente alguém para desabafar mas ela continuava andando- Eu sou má? -perguntou de repente. 
Kaike :Ah , claro que não! 
Vitória:Mas a profecia...
Kaike:Essa profecía sempre foi má explicada.
Vitória:Tenho a impressão que meus pais sabem de algo. 
Kaike: Fale com eles
Vitória: E adianta? -suspirou- eles mudam de conversa, eu preciso saber a verdade eu , eu não aguento mais! 
E Vitória fez algo que não costumava se permitir, ela chorou, não podia ser tão má, podia? 
E por que ela sempre era a fruta podre?!
A Annia sería um anjo, e ela ?
Viraria um ...demônio? 
Kaike a abraçou , ah aquele abraço que ela estava tão acostumada, o abraço quente do seu Kaike, o abraço com cheiro de suor e hortelã. 
Mas naquele momento nem aquele abraço poderia ajudar ela precisava, precisava da verdade. 
Vitória:Chega! 
Ela correu, os pais estavam em casa ,provavelmente no quarto, ela ouviu alguém ao seu lado, com certeza o Kaike ia ajuda-la , ele sempre ajudava, ela sentiu a mão dele na dela, ele estava lhe dando coragem. 
Ao abrir a porta os pais estavam conversando. 
Magnus com seu roupão de seda dourada e cabelos desgrenhados e Alec com sua camisa cinza velha e desgastada. 
Alec:Filha aconteceu algo?
Vitória:Aconteceu!  -ela deu um grito e Magnus estava alerta.
Magnus:Alguém te incomodou querida?  -disse lançando um olhar severo ao menino ao seu lado
Vitória: Sim ,vocês! 
Alec :Como...
Vitória: Eu estou cansada de mentiras-disse soluçando- cansada! Eu quero a verdade, eu sei que estão escondendo algo de mim ,algo terrível e eu preciso saber! 
Magnus : Querida...- começou ele mas Alec lhe lançou um olhar severo - ela precisa saber Alec!
Alec :Não agora! 
Vitória: Agora sim!
Alec: Você é só uma CRIANÇA, não merece esse fardo.
Magnus:A escolha é dela Alec, somente dela. -ele franziu o rosto para o som que saiu do celular do Kaike.
Vitória: Meu pai tem razão...- Kaike pigarreou -que foi porra? 
Kaike: Me desculpe, é que... A Annia me disse que aconteceu algo , algo grave e que daqui cinco minutos eles vão desaguar aqui por uso de um portal .
Magnus: Privacidade zero .
Vitória:Depois continuaremos.                                                            *******************
A casa de Magnus lotou exatamente cinco minutos depois da discussão, estavam todos preocupados, Um demônio maior havia fugido do inferno, e para piorar tudo era um príncipe, aparentemente Asmodeus decidiu dar uma voltinha na Terra ,e esse "passeio" fora consequência de cinco mortes : Três fadas ,um feiticeiro e um mundano. 
Todos os corpos marcados com marcas em língua demoníaca. 
Maryse: Você entende o que está escrito? 
Magnus:Não... É uma língua muito antiga, uma que só os demônios maiores são permitido traduzir, uma espécie de clube ou seita .
Vitória olhou as fotos, como mágica as letras se traduziram para o Inglês e nela estava escrito. 
Vitória : Eu voltei e minha serva logo vira
Isabelle: Você entende o que está escrito ?- ela confirmou com a cabeça
Simon: Mas como se o Magnus acabou de dizer que só quem é desse fandom ,quer dizer seita sabe ler. 
Todos olharam para ela ,alguns assustados e outros nada surpresos. 
Vitória: Parem de me olhar!
Jace : Você já viu essa língua em algum lugar? 
Vitória: Não, eu olhei e elas se traduziram automáticamente na minha cabeça.
Clary : Mas isso não faz sentido...
Vitória: Sua filha ser um anjo também não faz e não estou jogando isso na cara de ninguém. 
Kelvin: Magnus , isso tem alguma explicação?
Magnus lançou um olhar de súplica a Alec , que lhe lançou um olhar severo em resposta. 
Alec : Talvez seja a origem demoníaca da Vitória, seu lado do submundo, faz sentido. 
Maryse: Então porque Magnus não conseguiu, principalmente que ele é um legítimo membro submundo. 
Annia: Eu adoro reuniões familiares mas sinto em atrapalhar mas tem um demônio enorme querendo matar todo mundo e o bando do Luke não está dando conta, não quero que meu namorado morra. 
Simon: Annia tem razão.
Jace: Vistam o uniforme e peguem a maioria das armas que puderem ,essa luta não será fácil. 
                 ***********
A tarde se estendia tenebrosa, mas quanto mais perto do local dos assassinatos mais a penumbra aumentada e o frio também, o local dava a impressão que toda a felicidade foi sugada. 
Eles haviam se trocado rápidamente,  Nephilins eram rápidos com a troca de uniforme e manejo de armas ,por sorte Maryse havia trago consigo bastantes armas pois na casa de Alec havia o suficiente para ele e a filha. 
Vitória estava com o uniforme de combate e com um casaco grosso por cima, os uniformes Nephilins eram conhecidos por sua indestrutibilidade ,mas para uma luta dessa quanto maior a proteção melhor. 
Vitória havia posto seu sinto de armas e posto nele varias lâminas de serafim nomeadas e sua estela , além do mais de facas de arremesso e seu chicote dado por Isabelle que estava enrolado no seu braço.
Ela estava preparada para essa luta, ela sabia mas a adrenalina começava a tomar conta dela, a adrenalina pré combate e ela começou a se sentir livre. 
O carro parou bruscamente ,chegaram...
O local era uma área industrial desabitada do Brooklyn , a área parecía totalmente deserta mas o colar sensor da Annia pulava com um ritmo frenético. 
Annia: Demônios e muitos...
Eles desceram do carro e viram umas pessoas deitadas, pessoas feridas e uma delas era Duda.
Kelvin: Duda! 
Duda: Estou bem ,fui atacada por um Oni mas estou sendo curada, proezas de ser uma licantrope.
Annia: E o Jackson? 
Duda: Lutando mais para o centro do combate -Annia olhou em volta preocupada, não haviam ninguém, nem lobisomens ou demônios- eles estão mais para frente, se é nisso que estão pensando e Jackson esta bem Annia, eu saberia se fosse ao contrário.
Eles correram, o único intuito era ajudar o bando de Luke , foi insanidade de Maryse mandar eles sozinhos, eles não tinham auxílio das armas ou marcas Nephilins.
Vitória e os outros chegaram ao dito centro da batalha e la encontraram dezenas, se não centenas de demônios menores. 
Tinham Oni ,Belial , demônios aracnídeos, Ravanes.
E vários nomes conhecidos lutando contra eles. 
Emma Carstairs  que deu uma piscadela para Vitória quando a viu, ela lutava imponente ao lado de seu parabatai Julian Blackthorn .
Jace ,Clary , Izzy lutavam em compasso, quando Simon e Alec lutavam na surdina. 
Maryse e Robert esqueceram as diferenças e lutavam. 
Magnus e Tessa enviavam faíscas coloridas. 
E Jem manuseava sua bengala imperiosamente. 
Jocelyn lutava ao lado de Luke e seu bando .
Na frente da batalha lobisomem encontravam Jackson e Maia lutando em forma de lobo. 
Logo o cheiro de sangue e enxofre invadiram as narinas de Vitória e ela junto os primos agiram. 
Kelvin atacava os Onis e os Ravenges com seu arco em flexa ,quando Annia lutava sem esforços com uns Aracnídeos. 
Vitória manuseava o chicote com glória, cortando ao meio três Beliais.
Vitória ia em partida para ajudar o primo a atacar uns Ravenges quando um deles  falou ,com uma voz cortante como algo entre uma tosse e um uivo esganiçada.
- A menina! 
E quando Vitória foi passar um corredor se abriu , um corredor de demônios, todos abriram espaço para ela. Vitória seguiu, confusa mas seguiu e viu que todos inclusive os seus olhavam para ela.
-Por aqui... -Rosnou um Oni .
Vitória seguiu , ela ouviu Alec gritar mas o que ele disse foi abafado pelo retorno da luta.
Vitória entrou dentro de uma das indústrias abandonadas , essa era toda de tijolos e estava sucateada de caixas com enormes conteúdos que vitória não reconheceu de início. 
Ela subiu o segundo andar, guiada pelo Oni , o local também possuía aquelas caixas com que a menina reconheceu agora horrorizada como corpos. 
O cheiro de sangue, metal e mofo era enorme, a garota teve vontade de vomitar. 
E no centro daquela sucata havia um trono, um trono negro incrustado com rubis , o contraste era incrível e assustador. 
O mal e o sangue, o trono lembrou a menina ,e sentado la um homem negro e alto, que Vitória o reconheceu da praia ,aquele que estava seguindo ela .
Ora ,ora - disse o homem- é um prazer tê-la aqui,  Vitória Lightwood .
Vitória : Quem...quem é você- perguntou temendo a resposta. 
- Digamos que meu nome aqui seja Rodrigo, mas no meu mundo me chamam de Asmodeus , um príncipe do inferno. 
Vitória: O que quer de mim ,demônio? !
Asmodeus: Ah criança, admiro o seu tom, corajosa como todos filhos de Raziel - ele cuspiu a última palavra- Mas você é incomum, não é só descendente de Raziel mas minha descente também.
Vitória: Sua o que? 
Asmodeus: Ora , ora vejamos que meu filho não te contou,  então eu digo sou seu avô querida. 
Vitória: Não! Você é um monstro. 
Asmodeus: Ah , tenho tempo para ser os dois, você vai entender também é imortal.
Vitória: Ninguém tem certeza disso, posso ser mortal e normal como todos.
A cabeça de Vitória estava a mil , não só pelo fato da mentira deslavada dos pais ,sabia que era descendente de um demônio, mas não um tão poderoso. Mas o fato de ter a confirmação de ser imortal a  assustava , desconfiar e ter certeza são coisas opostas. 
Asmodeus: Normal... concepção interesante, então seu pai não é normal? 
Vitória: É... É diferente. 
Asmodeus: Diferente só porquê é um dos seus?  Por que se permitiu ser escravizados pelos filhos dos anjos?
Vitória: Escravizado? - riu com desdem - A vôzinho não vou discutir com uma pessoa que não é capaz de ser amada ou de amar, até porque você é uma coisa nojenta, um bosta no sapato de alguém, descartável.
Asmodeus : Sem papas na língua, já tinha ouvido falar dessa sua ...característica , mas cuidado criança, se não...
Vitória: Se não o que?  Vai me matar?  Sei que precisa de mim, se não me traria aqui. 
Asmodeus: Matar você?  Não pensei nisso criança, a coisas piores que a morte, com o tempo você entende.
Vitória: Isso é uma ameaça? 
Asmodeus: Não minha cara, apenas um alerta. 
Mas vamos ir aonde eu quero, quero te fazer uma proposta. 
Vitória: Está de brincadeira, não é? 
Asmodeus: Apenas ouça -disse calmamente- veja isso.
Com um aceno de mão vários reinos apareceram. 
Reinos ricos,  reinos com vasta luxúria e dinheiro, jóias e homens belos e no centro o Kaike, nu e coberto de jóias a chamando, ele estava belo, até mais que o normal, uma beleza escupida e perfeita mas um pouco maligna, ele parecia uma fada ,com essa beleza perfeita e artificial.-Vê isso ? Tudo podera ser seu se unir a mim ,querida...
Mas algo o atrapalhou, um grito na verdade vários , de tonalidades diferente e Vitória viu um andar abaixo : Annia,  Kelvin , Kaike e Jackson. 
Annia:Vitória! 
Kaike:Ali! 
Asmodeus: Calem-se!
Annia:Quem é você para achar que manda em nós? 
Asmodeus: Que tal Asmodeus! 
Annia: Não tenho medo de você princepisinho de merda...
Um jato de luz percorreu e derrubou Annia. 
Vitória: Annia! 
Asmodeus: Não ligue para ela ,você acha que ela é melhor que você, todos acham...
Kaike: Não escute ele! 
Asmodeus : ... mas você é mais preciosa que ela , você tera glória minha neta ,se você se juntar a mim.
Kelvin :Vitória somos sua família. 
Asmodeus: A decisão é sua querida. 
Vitória olhou a miragem com desejo e olhou para a família ali em baixo,  estava dividida. 
Jackson segura uma Annia descontrolada e machucada, Kaike a olhava com súplica e Kelvin tentava se comunicar com ela ,seus olhos diziam : Somos sua família. 
Vitória: Não sou um monstro como você...
Asmodeus: Será?  
Vitória: Suma seu monstro! 
Asmodeus: Como quiser mas antes - ele elevou a mão e o Jackson caiu no chão com um estrondo, e ele escorria em sangue. 
Annia: Não! 
              ***********
Todos foram mandados ao instituto, todos inclusive Vitória. 
A garota estava com ódio mas uma profunda tristeza,  Jackson foi ferido por sua causa e o olhar de ódio que Annia a lançou quebrou seu coração. 
Kaike: Não foi sua culpa. 
O menino repetía tentando consolar ela mas nada a consolava ela precisava falar com Annia, que no momento se enfiou em um quarto com Kelvin após ser expulsa da enfermaria por um dos irmãos do silêncio. 
Ela andava pelos enormes corredores do instituto e localizou um quarto que ela e Annia usavam quanto ficavam no instituto.
Ela bateu, um grito de fúria respondeu e logo alguém abria.
Kelvin: Ah , oi vi , entre.
Annia: Você!  -rosnou- como tem coragem de vir aqui, depois...depois de quase matar meu namorado ,sua  incompetente. -rosnou. 
Vitória: Incopetente?  -gritou e viu a tristeza esvair e substituir por raiva- se enxerga Annia , eu não tive culpa! 
Annia: Não teve? -gritou- Você nunca tem , a mimada.
 Vitória Lightwood,  a queridinha.
Não basta ter tudo, ainda tem que ouvir o que aquele demônio nojento te ofereceu. 
Vitória: Eu a queridinha? -riu com desdem- eu?
Kelvin: Meninas...
Annia: É claro! -rosnou - a única metarmofa depois de Tessa , shadowhunter e feiticeira,  a esperança das esperanças, nunca soube dar valor ao poder que tem, mimada! 
Vitória: Mimada é o caralho , você é a perfeita .
Annia: Você é a pior de todas! 
Com aquí vitória chegou ao seu êxtase, estava com tanto ódio, de sua mão saiu faíscas rosas e vermelhas  ela fez algo que nunca imaginava, atacou Annia mas ela era rápida, sacou uma lâmina e o feitiço foi refletido e acertou em Kelvin formando uma marca em sua testa, a marca de Caim...
Kelvin: Chega voces duas! -gritou- estou cansado de vocês! 
Vitória não estava se controlando, ela mirou um espelho em um canto e viu , se viu...seus olhos estavam em fendas azuis, como de gatos e em sua volta ela estava envolvida por uma aura negra, ela estava com a aparência de um demônio, um anjo caido e com um estalar de dedos ela sumiu. 
                **********
Annia: Vitória! 
Kelvin: Pelo anjo, aonde ela foi?
Annia: acho que eu sei.
Kelvin: Você acha? 
Annia: Sim ,o parque que ela sempre fugia quando estava com medo quando era criança. 
Kelvin: Mas o parque fica em uma convergência e lá não é segura ,não agora. 
Annia:Talvez ela não seja segura, não nesse estado. 
Kelvin parou bruscamente a velha Toyota ,o parque foi abandonado a muitos anos, as convergências eram um local de grande quantidade de magia negra, só Vitória podía achar la um local confortável. 
Annia: Aquela sombra no balanço velho, é ela... Mas kelvin, sua testa. 
Kelvin: Eu não sou foco agora, não importa , não agora. -disse tocando a testa. 
Annia tinha razão, o local era frío e tenebroso,  o parque tinha aparência sombria e abandonada, um mundano chamaria de asombrada. 
Vitória era uma sombra no local, os cabelos rosas esvoaçantes , ela era linda pensou Annia mas atingira no momento um tom macabro e a menina arrepiou. 
Annia: Vitória! 
Vitória : Saiam daqui! 
Kelvin: Somos sua família. 
Vitória : Eu não tenho família, não tenho ninguém eu sou um monstro! 
Annia: Vi ...Não fala assim - disse tocando no ombro. 
Vitória: Não toque em mim! -rosnou e faíscas atingiram Annia que tombou e desmaiou. 
Kelvin: Annia!
Vitória: Suma ou sua consequência será pior. 
Kelvin: não tenho medo de você ,você é minha priminha.
Vitória: Suma. - faíscas saíram de suas mãos e o Kelvin desapareceu, deixando apenas uma Vitória descontrolada e uma Annia desacordada.


Notas Finais


Ixi... Agora sim a guerra começou.
Espero que tenham gostado do capítulo e até o próximo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...