História Os dois lados - Capítulo 141


Escrita por: ~

Visualizações 113
Palavras 2.514
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 141 - Khan



Sonho Mari on:
Eu estou no meu bistrô favorito. Ele está pouco diferente. Tem um anel no meu dedo, e não é o que o Adrien me deu. Tô com uma saia longa meio amarelada, um lenço na cabeça e uma blusa verde. Qual é a dessa roupa? Parece daquelas donas de casa de filmes antigos.
- O que você tá fazendo aqui?- Alguém que não vejo que é me pergunta. Me viro e vejo o Khan.
- Eu posso muito bem ir pra onde eu quiser.
- Voltou com essa mania? Achei que tínhamos nos livrado disso no dia do nosso casamento.
- É o que!!!!!????!!!- Não consegui acreditar. E o Adrien? O amor da minha vida? Cadê ele? Por que tô com o Khan?!
- Vai me dizer que não se lembra? Agora anda, pra casa. Não quero você aqui. Nem em lugar nenhum. Aliás, o ideal era que você sumisse.  Já tive o que queria de você na sua época bonita. Agora que tá esse bagaço não preciso mais. Se ao menos ainda tivesse dinheiro.
- Você gastou tudo o que eu só consegui com anos de trabalho muito duro e estudo!? Não pode ser!!- Que espécie de pesadelo cruel é essa!? 
- Me poupe. Nem foi tão difícil conseguir aquela merreca. 6 anos... até que demorou pra eu conseguir acabar com seus mils. 
- Você conseguiu acabar com  meus 900 mil euros em 6 anos?! Só pode ser brincadeira. - Todo o meu trabalho de anos jogado ao ventilador!? Não pode ser 
- 900? Tá louca? Que dia VOCÊ teve 900 mil? EU tinha.
- Claro que não! Fui eu  que consegui. Isso foi fruto de 5 anos de trabalho sem parar! MEU trabalho.- Quem esse cara pensa que é? Foi ele que perdeu litros de sangue com agulhas para conseguir isso? Não, Não foi. Foi ele que passou noites sem dormir para terminar  algum desenho? Não, Não  foi. Foi ele que não pode comemorar algo por estar atrasada pra uma reunião? Não, não foi.
- Que se tornou meu no dia em que começamos a namorar.
- Que foi.. ..- Eu tinha que obter o máximo de informações o possível 
- Sei lá, mulher. Acha que tô ligando pra isso?
- Devia. Já que estamos casados você no mínimo tinha que lembrar quando começamos a namorar - O que é? Eu quero brincar com a mente do Khan da minha mente.
- Não lembro nem quando nos casamos.
- E meus  amigos?
- Que amigos? Você não tem mais amigos. Pelo menos é o que eles acham, já que você está proibida de os ver a no mínimo uns 4 anos.
- O que!? Por que!?
- Eles são um problema. Te incentivam a sair.
- Não pode ser. A Hanna, o Nino, o Yin, a Mary, a Aly, a Chlo.... O Adrien....
- O Adrien? Ah, coitado. Ele? Amigo seu? Faça me rir. Ele tá no Brasil! Casado com uma gostosona de lá.
- C-casado!?- Não pode ser, MEU gatinho,  ele não pode estar casado com outra... Nem no meu pesadelo.
- Achou mesmo que isso que vocês tinham iria durar? Ele CANSOU de você. Pelo menos não é tão trouxa quanto eu pensava. Desistiu de você antes que o caso ficasse mais sério. - Ele falou isso e eu senti como se o mundo tivesse acabado. Passei a  mão pelo pescoço e meu colar não estava lá.
- Procurando aquele gato? Você sabe onde ele está. 
- Onde você colocou o meu pingente!? 
- No fogo. - ele sorriu cínico
- Você queimou!? - Eu me exaltei 
- Queria que eu fizesse o que? Você não vai ficar com nada que tenha vindo dele.
- Claro, você não quer que eu me lembre do único que eu realmente amei.
- Você me amando ou não eu não ligo. Contando que o jantar esteja pronto e a casa arrumada quando eu chegar  por mim tá ótimo.
- Contrate outra empregada,  porque eu me demito!- Saí correndo. Como minha vida pro do vinho pra água desse  jeito!? Do oásis para o deserto tão rápido? Não pode  ser. Espero que isso realmente não vá passar de  um péssimo sonho.
Trombei em alguém, quando olhei, não acreditei.
- Mari!?- ele me encarou com aquele par d e olhos cor de esmeralda que me deixam doida. Ou deixavam, nem sei mais.
- Adrien!? 
- Quanto tempo! Você continua linda - ele sorriu. Olhei pra baixo e reparei que das roupas de dona de casa que eu usava a poucos segundos nem sombra. Agora eu estava com um vestido cinza e uma jaqueta vermelha. Meu costumeiro batom vermelho estava de volta, o cabelo solto novamente, meu amado par de coturnos pretos também. Mas a droga do anel continuava lá - Não perde nunca a mania de usar coturnos não é?
- Ah, se você soubesse - Suspirei -  Você não estava no Brasil?
- Eu voltei, ontem.
- Sua esposa veio?
- Esposa? Tá doida?- ele riu e eu também, de repente fiquei 15 vezes mais feliz - Não consigo mais olhar para alguém sem me lembrar de quem realmente tem meu coração - ele sussurrou, era pra eu ouvir? Não. Mas fazer o que?
- Você não tá casado então?
- Não - sorriu - Mas pelo visto você tá - disse olhando para o anel, notei um quê de tristeza na voz dele - Eu conheço?
- Gostaria muito que não estivesse. Conhece. 
- Você não queria estar casada?- Claro que não seu gato tonto. Queria estar casada, mas com você. 
- Não mesmo. Não com ele.
- Posso saber quem é?
- Acho melhor não. - O Adrien odeia o Khan ,  melhor não.
- Me desculpa. Então, Eu tava indo lá pra casa do Nino, quer ir comigo?
- Claro!- disse sorrindo. Queria ver como os meus amigos estavam, e de quebra fugir do Khan.
- Se dermos sorte encontramos a Alya também. Ela mora lá mas nem parece. Tá sempre trabalhando em lugares diferentes. Enquanto eu estava no Brasil ela passou na minha casa umas 20 vezes.
- Ela conseguiu o que queria. O trabalho dos sonhos de jornalista mundial - Eu ri. Era isso o que minha melhor amiga mais queria. Será que ainda estávamos brigadas?- E você? Ainda faz aquelas roupas incríveis? Eu adorava ver você trabalhando.
- Não..... - Pelo menos era isso o que parecia. Se eu tô com o Khan, então eu só fico dentro de casa o dia todo.
- Por que!? Você é de mais! A Cheng desistiu de assumir o trono de rainha da moda?
- Não foi só desse trono que eu abdiquei- disse me lembrando do que ele sempre fala ou falava sei lá. Que no dia em que me casasse com ele passaria de princesa para rainha. Bom, Isso nunca aconteceu.
- Vai me dizer que você também parou de cantar!?
- Tem muito tempo - Provavelmente uns 6 anos.
- Por que você desiste das coisas mais incríveis!? Tá usando lentes, não canta, não desenha....- Lentes! O que o Khan fez com os meus olhos!? Não acredito! - Pintou o cabelo - Meu cabelo!!! Não! O que eu mais amava em mim, ele tirou. Parabéns, Khan, você definitivamente acabou com a minha vida. - Espero que sua mudança tenha sido só no físico. Você continua sendo aquela Mari que era a 6 anos não é?
- Claro ! - Acho que dei uma mentida. A Mari doce, gentil, corajosa e destemida não existe mais, pelo menos aqui - E como vai o Plagg?- quero saber da minha segunda bolinha de pelos favorita.
- Acho que muito bem - ele riu - Não tem Camembert no Brasil. Então.. . O Plagg tá soltando fogos porque voltamos para a França.
- Até imagino - também ri 
- E  a Tikki?
- Eu meio que não tenho mais os miraculous - Supus. Eu não podia usar nada além dessa droga de anel. Então meus miraculous deviam estar protegidos com o Mestre.
- É o que!? Sério!? Você desistiu de ser a Ladybug? Você amava! Eu fui pra outro país ou outro mundo!?
 Nós dois fomos conversando para a casa do Nino e da Aly. Ele não havia mudado nada, já eu.... Ele bateu na porta e um moreno alto, com uma camisa azul e fones laranja atendeu 
- Adrien!!!- Nino abraçou Adrien 
- Fala Dj!!!! - sorriu. Como eu vivo sem esse sorriso todos os dias? 
- Sereia?!!!!!!!!!!!!!!!!- Ele parecia ainda mais surpreso em me ver. Me abraçou. O abraço dele ainda parecia o de um irmão pra mim.
- Oi, Nino - sorri 
- Quanto tempo Não? Acho que no mínimo uns 4 anos.
- Mais ou menos isso mesmo.
- Espera aí, vocês não se veem a 4 anos!? - Adrien perguntou. Eu amo meu loiro, mas as vezes ele é meio lerdo.
- Isso aí, Einstein. Foi o que eu disse . - Nino riu -  Entra aí gente.
Nós entramos. A casa não era a mesma. Estava maior.
- A Alya tá aqui?- Adrien perguntou
- Não. Minha deusa no momento se encontra em Portugal. Ela tá lá desde a semana passada 
- E seus filhos?- Perguntei. Será que os 7 ainda estavam nos planos do destino?
- Filhos? Enlouqueceu, mulher? Eu mal vejo a Alya. - É o que!? Os filhos do meu casal favorito não existem!? Bom, se nem minha própria cria  existe.... Não foi só minha vida que foi pro buraco. O Nino é louco pela Alya, deve ser uma tortura ele ser obrigado a não vê-la - 4 anos é pouco tempo pra você enlouquecer, Mari.
- Se você mora com a mesma pessoa que eu é um milagre que não precise ser internado. 
- Ele continua bem... sendo ele?
- Cada dia pior.
- O loiro do teu lado já sabe?
- Não 
- Querem parar de falar como se eu não estivesse aqui!?- Adrien reclamou 
- Desculpa Senhor "Não gosto de ficar excluído ". Sereia, você nunca sai de casa, essa foi um rara exceção. Então..  vou ligar pra galera
- Tô com tanta saudade...

- Não mais que nós - Nino me abraçou de novo. Ah, até no sonho esse moreno é meu porto seguro.

- Alguém pode me dizer o que tá acontecendo!? Com quem a Mari é casada!?- uma vez Adrien, sempre Adrien. 

- Eu posso, Sereia?

- Tanto faz - Suspirei e me sentei no sofá, já pronta pra ver o Adrien mechendo no cabelo 

- Ela.... Ela é casada com o Khan

Meu loiro respirava fundo, essa definitivamente foi a vez que eu vi ele mais irritado. Mais do que a   vez que ele me pegou chorando na sala. Ele se sentou e começou a passar a mão pelo cabelo. Murmurar algumas coisas que eu não conseguia ouvir. Uma delas eu conseguiu escutar

- Ah, Cheng. Depois de tanto tempo você ainda me enlouquece.... Me deixou pra ficar com ele!?

Eu fiz isso!? Eu me condenei?! Não pode ser.... Eu terminei com o Adrien!? Onde eu tava com a cabeça?

- Eu ainda amo você. - murmurou por fim. Acho que essa até Nino ouviu 

- Vou deixar vocês dois sozinhos. Não sei lidar com os ataques de fúria do Agreste. Acho que só você sabe, Mari. Já que foi a única que já viu algum.- Muito obrigada Nino, agora vou ter que ficar em uma sala, depois de uma declaração de amor, casada e com meu ex-noivo que eu ainda sou apaixonada. Melhor amigo de todos.

- Er.... Adrien?- Chamei. Eu sei que isso não adianta quando ele tá irritado, mas não custa tentar. Pena que não funcionou, ele não respondeu. Sei o que tenho que fazer, mas não sei se devo. Se eu terminei com ele, eu não devo mais ter esse efeito. O que eu faço?

- Por que?- ele perguntou com os olhos marejados. Não Não Não não não Não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não não  não chora, Por favor.....- Por que me trocou para ficar com a pessoa que mais te faz mal no mundo? Você não me amava? Tínhamos tudo para sermos o casal mais feliz do mundo! Por que desistiu de Nós? 

- Eu não te amava....

- Não!? Então minha vida foi uma mentira!? Foi por VOCÊ que voltei pra Paris. Pelo nosso amor! E agora eu descubro que ele nunca foi real...

- Eu te amo!- Comecei a chorar. Ele logo se levantou e me abraçou. Ah, como eu amo esse abraço. Ele começou a secar minhas lágrimas como sempre fazia. Como ele consegue não ligar pras dele pra vir secar as minhas?

- Então por que não desiste de tudo isso e volta pra mim? - Não diz isso que eu apaixono Adri....

- Eu... Eu não posso.... - Chorei mais ainda. Essa era a realidade,  o que eu poderia fazer? Eu era a empregada do Khan. Mas a empregada que ele não tinha que pagar e podia controlar. Nunca ia querer me demitir se separando.

- Por que não pode? Eu te amo, você me ama. Não é só isso o que importa?

Nesse momento, não consegui me controlar. O beijei. Um dos beijos mais intensos, necessitados e apaixonados da nossa história.

- Espero que meu mapa não tenha mudado - passando a mão pela minha cintura, ele sussurrou no meu ouvido com aquela voz rouca que me faz estremecer 

- Pode ter certeza que está do mesmo jeito que da última vez que você o atualizou - sussurrei de volta sorrindo enquanto passava os braços pelo pescoço dele e iniciava mais um beijo.Só que a droga do anel começou a brilhar e bateram na porta. Nino foi abrir e a cara que ele fez não foi das melhores....

- O que você pensa que tá fazendo!?- Khan disse  pegando meu braço e me arrastando pra fora 

- Sendo feliz! O que você acha!?

- Acho que seu fogão tá te esperando. - ele disse isso e minha roupa mudou de novo.  Voltou para aquela saia, blusa e lenço.

- Meu fogão o caramba! Se quiser comer pega e faz!- o troca troca começou. Meu vestido cinza voltou 

- Quem você acha que é? Eu é que mando. E tô mandando você ir pra aquela porcaria de casa fazer a droga da comida, se trancar no quarto e ficar lá até dormir!

- Eu não Vou!

- Sim, você vai!

- Já disse que não. Você não manda em mim.

- Claro que mando! Somos casados!

- E isso não te dá o direito de me dominar!

- Ah não é?- ele me agarrou e me beijou 

Sonho Mari off


Notas Finais


Que pesadelo horroroso e bipolar foi esse, pai!?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...