História Os Dois Lados de Uma Moeda - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Animes, Aventura, Elementos, Lobos, Luta, Mangás, Monarquia, Super Poderes, Transformaçao, Universo Alternativo
Visualizações 7
Palavras 1.504
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Super Power, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olha eu aqui denovo 😄
Demorei um pouco mais do que queria mais tá aí.
Boa leitura 😊

Capítulo 4 - Verdades escondidas


Fanfic / Fanfiction Os Dois Lados de Uma Moeda - Capítulo 4 - Verdades escondidas

Maria - vou te dar uma coisa, e te contar um pouco o que eu sei sobre a história da sua... mãe...

Fiquei em choque. Eu nunca conheci minha mãe e não sei nada sobre ela além do fato de estar morta. Meu pai nunca me disse nada apesar das várias tentativas de fazer ele falar, na verdade NINGUÉM nunca me diz nada sobre ela, até parece que isso é um total tabu nessa casa. Me sinto um tanto traída, eu já perguntei pra Maria se ela sabia algo sobre a minha mãe várias vezes mais ela sempre negou com todas as forças.

Por um momento eu fico triste, viver uma vida inteira sem uma mãe é difícil. Eu me lembro quando era o dia das mães, todos tinham mãe e eu não tinha ninguém, algumas crianças que não tinham mães faziam coisas para os pais, mais nem isso eu tinha direito.

Na época que meu avô era vivo era tudo mais fácil, meu avô gostava muito de mim e até meu pai me dava um pouco de atenção, tudo mudou depois que meu avô foi assassinado pelo atual rei de Clark(Norte) eu perdi a única pessoa com laço sanguíneo que gostava de mim e me apoiava, meu pai ficou mais frio depois disso, eu sempre me senti tão sozinha mais agora saber pelo menos uma pequena coisa sobre a minha mãe confortá meu coração.

Mia -o que você tem pra me dizer Maria? - tudo o que for dito a partir de agora vai fazer uma grande diferença na minha vida.

Ela pegou um lenço branco que tinha no bolso e me mostrou.

Uma corentinha de ouro com um cristal que conhecemos como Cristalito, é um cristal que acumula aura do usuario, ele é do tipo sol.

Maria -isso veio com você, provavelmente era da sua mãe, ainda da pra sentir uns resquícios de aura nele.

Mia -como assim veio comigo? -perguntei a primeira coisa que veio na minha cabeça, isso não pode ser o que eu estou pensando.

Ela suspirou.

Maria - eu vou te contar o que sei, não é muito e talvez deixe sua cabeça mais confusa - olhou nos meus olhos.

Pronto. Certeza que tem bomba.

Maria - o seu pai tinha uns vinte anos quando estava com a sua mãe, eles não eram namorados mais o seu pai trouxe ela várias vezes escondido aqui anoite e eu já cheguei a ter uma breve conversa com ela.

Tá bom a primeira impressão não foi muito boa, eles só ficavam não eram nada sério, minhas esperanças de não ser fruto de um acidente só diminuem.

Mia - minha mãe era ficante dele - dei logo todas as palavras.

Maria - não é isso que você está pensando, eles realmente se gostavam sabe? Dava pra ver como a relação deles era profunda só de olhar nos olhos. - não pude evitar sorrir, talvez eles se amassem - há! só pra confirmar oficialmente, a Elizabeth não é mesmo sua mãe -nós rimos.

Mia - não precisa ser um gênio pra concluir isso, só pra ter uma idéia todo mundo dessa casa tem cabelo loiro e olhos azuis claros então eu sou diferente de todos, além do que ela me odeia, que tipo de mãe odeia o filho? - ela riu depois colocou a mão no queixo me analisando.

Maria - na verdade você parece MUITO com a sua mãe - deu ênfase no "muito - Como já disse eu só tive uma breve conversa com ela mais você me lembra muito ela.

Mia - sério? De que jeito? - perguntei rápido. Parecer com a minha mãe me deu um certo orgulho alheio.

Maria - a sua personalidade, ela era muito simpática e tinha uma personalidade muito forte igual você - posso até  imaginar - o seu cabelo e os seus olhos vem dela, os cabelos dela eram pretos e caiam em cascata como o seu, os olhos dela eram de um azul tão escuro que chegava a lembrar preto. Acho que seus olhos vem da mistura dos dela com o do seu pai que é claro.

Mia - mais e sobre a história deles? Você ainda não disse o que realmente aconteceu com ela e nem sobre essa história de "Quando eu cheiguei" - Ela fez uma careta e disse de uma vez.

Maria - uma noite eu ouvi seu avô gritando com seu pai...

                                    Flash back/on


Mario - VOCÊ É UM INÚTIL!! COMO VOCÊ SE ENVOLVE COM UMA PESSOA SEM SABER DE ONDE ELA VEM?!! - gritava furioso o rei com seu filho.

Estêvão - eu não sabia.. -sussurrava temeroso - ela nunca me disse...

Mario - E VOCÊ NÃO PERGUNTOU!!-seus nervos estavam a flor da pele, tinha acabado de saber que seu filho tinha um relacionamento com uma garota da vila de Vink, a vila mestiça, sem raça, sem porte, a vila de sangue incerto.

Seu filho não podia fazer isso, ele seria rei, não podia tem filhos mestiços, defeituosos.

O rei respirou fundo tentando manter a calma, não queria dizer coisas pra ferir o filho.

Estêvão - ela... ela... ela está... - o jovem nervoso não conseguia nem terminar sua frase, ele tinha medo da reação do pai.

Mario - fala de uma vez - exigiu já sem paciência.

Estêvão - ela tá grávida pai - falou de uma vez temendo o pior.

Quando olhou para seu pai o viu espantado. Depois de muito tempo assim ele bufou e começou a andar de um lado para o outro no escritório real.

O rei andava de um lado para o outro pensando em uma solução pra todos os seus problemas quando parou de frente pro seu filho o olhando decepcionado.

Mario - me escuta com atenção - os dois se olhavam sérios enquanto o rei falava conviquito - vai acontecer assim, eu vou falar com essa garota e esclarecer pra ela como vão funcionar as coisas, quando essa criança nascer e fizer um ano eu contrato um especialista pra saber se ela nasceu puro ar ou mestiça.

Estêvão - e o que acontece depois? - perguntou com receio já imaginando a resposta.

Mario - se ela for pura ela vem morar aqui e vai ter todosido os direitos que um primogênito teria, a mãe seria morta pra não ternos problemas futuros. Se ela for mestiça tanto a mãe quanto o bebê morrem - falou friamente.

O jovem não sabia como reagir a essa notícia, ele concordava que o bebê seria um problema agora e estava com muita raiva de Letícia por ter escondido isso dele mais não significa que queria a morte dos dois, apesar de tudo ainda amava muito Letícia e essa criança ainda era seu filho.

Percebendo os pensamentos do filho o rei logo falou.

Mario - você trate de casar com uma mulher pra ontem, case com uma JASTKIANA que te ame loucamente e assuma o seu filho se necessário, suma por dois anos com ela, é tempo o suficiente pro bebê nascer e ter aura suficiente pra um especialista analisar, eu cuido de tudo sozinho enquanto você estiver fora - então os dois se encararam com dor no olhar - você sabe que eu não queria que isso acontecesse..Mas nós não temos opção.

Então assim sem protestos o assunto foi encerado com a vida de uma, ou duas pessoas em jogo.

                                   Flash back/of


Mia - espera um segundo - olhou chocada para a mulher a sua frente - você está dizendo que meu avô mandou matar minha mãe?

Não é possível, meu avô... Ele era uma pessoa tão boa e gentil... Como pôde fazer uma coisa dessas...

Provavelmente já imaginando meus pensamentos confusos ela disse.

Maria - um homem é capaz de tudo pra salvar aqueles que ama, de tudo, até fazer-los sofrer pra que um dia possam ser felizes - ela me olhou de um jeito tão profundo... Eu não tenho motivos para ficar brava com meu avô, o que passou passou, não tem mais volta então não tem porque me sentir assim. Além do que a memória dele nunca vaí mudar pra mim.

Mia - bom agora eu tenho a informação que a minha mãe chamava Letícia e era uma Vinkiana? 

Maria - provavelmente.

Mia - eu queria pesquisar mais sobre ela mas amanhã é o IHT e como você sabe são 6 meses presa lá, quando sair eu vou com o Max pesquisar, vai ser mais facil com ele. 

Maria - tudo bem querida vai dormir senão não vai acordar amanhã.

Mia - tudo bem.

Ela sorriu pra mim e colocou o colar da minha mãe na minha escrivaninha.

Maria - leve com você, vai ser bom sentir a presença dela com você.

Me deu um beijo na testa e saiu.

A noite vai ser difícil. Com as notícias recentes vai ser difícil dormir.

O IHT vai dar trabalho, eu tenho que dar o melhor de mim, eu preciso da confiança das pessoas.

Dormi ao som de uma única palavra.

"Imprecionar"

             ¤~¤~¤~¤~¤~¤

Nesse mesmo dia...


                                                Leonardo/on

Eu tenho me preparado muito pro IHT, eu tenho que causar uma boa impressão pra todos, meu histórico não me ajuda...

Meu principal objetivo é conseguir uma aliança com Jastk. Só eu sei o quanto eu sofri por conta dessa rivalidade entre nós e eles.

"Tudo o que eu quero é paz... "


Notas Finais


Que tenso né gente...
Próximo capítulo já é o IHT!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...