História Os dois youtubers - Capítulo 40


Escrita por: ~

Exibições 147
Palavras 1.751
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olha eu aqui de novoo!!! ÊÊÊÊÊ

ta, ngm liga.

Agr vamos direto para o capitulo?!

Capítulo 40 - O pesadelo acabou...


Fanfic / Fanfiction Os dois youtubers - Capítulo 40 - O pesadelo acabou...

POV Cellbit

  Saimos da delegacia e entramos em um carro de policia, havia eu, o delegado e mais dois policiais. Eu me lembrava perfeitamente de onde era a casa, talvez por ter passado bastante tempo por la.

 POV Ju

 Não sabia onde estava. Nem tive o trabalho de perguntar, apenas estava sentada olhando a paisagem pela janela. Com um fã ao lado, que ja me pediu foto e tudo mais. Eu estava ouvindo minhas musicas, ouvindo Butterfly- BTS, o que me fez lembrar da Carol. Espero que esteja bem, segura e feliz, que sabemos que ela nao esta. Espero que a achem, sem ferimentos, sendo eles fisicos ou psicologicos. Quero muito ver Carolline Angel, minha melhor amiga...

 POV Cellbit

 Estavamos na frente da casa, os policiais estavam armados e eu... com nada. Um policial BEM alto arrombou a porta da frente da casa, fazendo a gente ter acesso a parte interior da casa. Me lembrei daqueles moveis da sala de estar, e um fedor muito esquisito entrou em meu nariz.

 - Vocês estão sentindo este cheiro?- perguntei aos policiais

 - Sim, muito estran... AI MEU DEUS!!!- gritou o delegado a entrar na cozinha, fomos atras dele e encontramos 2 corpos que pareciam que estavam em decomposiçao.- Parece que eles ja estão mortos ha algumas 5 semanas aqui... Deve ter sido essa tal de Manuela que os matou.

 - Sã-são os pa-pais de-dela...- falei chocado, eram os senhores Mattarazzo, os pais da Manuela- Nã-não acredito que ela fez isso...

 - Uouu, esta menina esta meio psicopata. Mas, precisamos achar a Carolline.- disse um dos policiais, e ele estava errado, a Manuela não estava meio psicopata e sim, psicopata por completo.- Cada um pra um lado, vamos encontrar esta menina!!!

 Fui procurar nos quartos, aquela casa não tinha muitos lugares para se esconder, depois de procurar até atras do armario (nem sei por que), desci as escadas até a sala, onde todos os outros se encontraram.

 - Não achei nada... E nenhuma pista- falou o delegado

 - Onde sera que esta a garota? Sera que aqueles bandidos mentiram para gente?- um dos policiais falou

 - Eles não seriam capazes. Deve ter algum lugar escondido nesta casa, não é possivel!!!- disse outro policial, e foi ai que lembrei...

 FLASHBACK ON

 - AMOR!!!- gritou a Manu da sala de estar dela- VEM AQUI POR FAVOR!!!

 Eu tinha dormido com ela, seus pais estavam na casa de uma parente, e aproveitamos para ficarmos juntinhos. Depois de colocar uma camisa e uma calça, desci as escadas e a vi sentada no sofa a minha espera.

 - Bom dia amor!!!- falei e ela abriu um sorriso maravilhoso

 - Preciso te mostrar uma coisinha!!!- ela diz, e puxou meu braço ate uma estante- Preciso que não conte a ningurm, por favor, consegue guardar este segredinho?- ela pergunta e afirmo

 Ela puxou uma decoraçao que estava em cima da estante, do nada se abriu e deu entrada para um corredor escuro, pensei que isso só existia em filmes, mas estava enganado. Ela me puxava mais para frente, ate que nos demos com uma portinha. Ela pegou as chaves em seu bolso e a abriu, adentramos a sala onde tinha MUITOS ursinhos, cartinhas e etc.

 - O que é isso Manu?- perguntei

 - Hoje esta fazendo 1 ano, ou você não se lembra?- ela perguntou um pouco triste.

 - Claro que me lembro... Mas, tudo isso pra mim?- perguntei, foi uma pergunta idiota, confesso.

 - Sim amor!!! Sei que gosta dessas coisas. Tudo seu!!! Te amo muito...

 - Te amo muito mais- falei e a beijei

  FLASHBACK OFF

 Voltei ao mundo, e pensar que ja amei aquela garota me da nojo... e vergonha de mim mesmo.

 - Aqui tem algum tipo de alavanca... Venham!!!- digo e corro ate a estante- Acho que era esse...

 Puxei uma decoraçao de cachorriho e nada aconteceu. Fui puxando um monte de decoraçao, até que puxei uma de flor e a estante se abre.

 - Pensei que isso só existia em filmes- diz um dos policiais

 Adentramos o corredos e o delegado arrombou a portinha, foi quando eu a vi. Ela estava ali, sentada de tras para a gente, amarrada... Sem perder tempo corri ate ela e fui tirando as cordas...

 - Amor, você esta aqui, não acredito...- ela diz cansada, e muito suada.

 - Que saudades que eu estava. Eu te amo tanto!!!

 - Opa, esquecemos de te ajudar- disse o delegado e todos foram me ajudar com a Carol

 3 minutos tirando tudo aquilo, ela se soltou e me deu um beijo que sentia saudades, um beijo caloroso e apaixonante. Depois de faltar nosso ar, a peguei no colo e fomos correndo até a portinha. Até que brota uma pessoa em nossa frente...

 - ACHAM QUE VÃO PRA ONDE, HEIN?!- gritou a Manuela que em um movimento rapido, me enforcou com uma arma em minha cabeça. Sim, estava sendo refém de uma maluca.- SOLTAAA A VADIAA!!!

 - Como? Sendo que você não esta em meu colo?- falei, e me arrependi depois de lembrar que ela tinha uma arma...

 - RAFAEL, EU NÃO QUERO TE MACHUCAR!!!- ela gritou com voz de choro

 - Mas ja machucou, isso ha uns 3 anos, quando me traiu com um desconhecido!!!

 - Não precisa lembrar disto agora, ok? O que importa é que te amo!!!

 - Não me ama, se ne amasse eu não seria seu refem. E se me amasse, queria que estivesse feliz com a Carol, que é quem eu amo.

 - MAS ELA NÃO TE AMA. ELA SO QUER FAMAA RAFAEL!!! VOCÊ NÃO ENTENDE??!!- ela gritava desesperadamente

 - OQUE? EU AMO O RAFAEL, AO CONTRARIO DE VOCÊ NÃO FICO TRAINDO ELE COM UM QUALQUER!!! Você não tem moral pra falar de ningume Manuela, nem mesmo de uma cobra!!!- Carol gritou ja irritada com toda a situaçao

 - CALEE A BOCAAAAA SUA VADIAA!!!- Manuela gritou e atirou no teto, o que fez eu pular de susto- VOCÊ NÃO TEM DIREITO DE FALAR DE MIM!!!

 - Solta esta arma e vamos conversar como todo mundo. Não é mais facil?- perguntei mas parece que ninguem me ouviu

 - OLHA AQUI CAROLZINHA, SAI DA MINHA FRENTE AGORA, ANTES QUE EU ME ARREPENDA DO QUE IREI FAZER!!!- Manuela gritava que nem uma louca

 - Não adianta Rafael, ela não vai soltar...- disse o delegado, foi quando percebi uma arma escondida na mão de um dos policiais.

 - VAI FAZER O QUE HEIN? ME MATAR? QUE ME MATEE!!! PELO MENOS NÃO VOU PRO INFERNO QUE NEM VOCÊ!!!

 Manuela estava tão distraida com a briguinha que não tinha visto a arma na  mão do policial, foi em um movimento rapido que ele apontou a arma e atirou na barriga da Manuela. Mas inflezmente, a Manuela conseguiu atirar, e acertou de raspão no braço da Carol. Depois de tudo ter processado em minha cabeça, corri desesperado até a Carol, que estava ajoelhada no chão com a mão no machucado.

 - Amor, vamos logo!!!- a peguei no colo e fui correndo ate fora da casa

 - Eu não estou tão ruim assim, afinal pegou de raspão- ela falava com dificuldade e seu ferimento sangrava um pouco mais

 Entramos no carro e o motorista, um dos policiais, dirigiu rapido ate o hospital mais proximo.

 - O pesadelo acabou meu amor!!!- eu disse a olhando fixamente- Tudo vai ficar como era antes... Você vai ver...

 -Eu te amo Cellbit!!! Eu te amo Rafael, muitooo!!!- ela dizia repetidamente, uma lagrima ate escorreu do meu rosto.

 - Preciso ligar pra Ju!!!- falei prgando meu celular

 LIGAÇAO ON

 - Julia? Ju?

 - Oi, então, encontrou?- ela perguntou com a voz suave

 - Sim, ja acabou tudo isso Julia, acabou!!!

 - AHHH, QUE BOM!!! Espero chegar ai logo!!!- ela começou a chorar, talvez emocionada

 - A gente ta indo pro hospital municipal, nos encontra la.

 - Hospital? Por que? O que aconteceu?- ela ficou preocupada

 - Nada de demais, apenas um tiro de raspão, mas ta tudo bem. Quer falar um pouco com a Carol?

 - Claro!!! Passa ai por favor!!!- passei o telefone pra Carol

 LIGAÇAO OFF

 As vezes dava pra ouvir os gritos de felicidade da Julia, coitadas das pessoas que estiverem no ônibus dela. Uma duvida surgiu em minha cabeça... e a Manuela?

 - É... delegado, e a Manuela?- perguntei

 - Ahh, ela... Chamei a ambulancia pra ela, inflezmente so tinha vaga pra uma pessoa, então preferi trazer a Carol que esta numa melhor situaçao.- ele falou- A saúde neste país não esta facil...

 - Você acha que a Manuela pode sobreviver?

 - Hm, tem chances sim. Poucas, mas tem. Mas, alma ruim sempre sobrevive.- ele falou, eu até fiquei preocupado, minha vó disse que não podemos desejar a morte de ninguem.

 POV Ju

 Cheguei na rodoviaria, fui correndo para a rua. Esperava por um taxi, ate que depois de 3 minutos chegou um.

 - Por favor moço, me leve pro Hospital Municipal.- falei e o homem dirigia pelas ruas de SP

 POV Cellbit

 Enfim, chegamos no hospital, por sorte a Carol conseguiu entrar em uma sala no momento em que adentrou o hospital. Pelo que sei, só precisava fazer alguns pontos e essas coisas que fazem quando se toma um tiro de raspão. Esperei na sala de espera por uns 15 minutos, e a Julia apareceu, não só ela mas também nossos amigos.

 - Onde ela ta?- perguntou a Camz abraçada com o Fê

 - Numa sala, fazendo pontos...- respondi

 - E como ela esta?- perguntou a Isis

 - Bem, deve estar um pouco traumatizada psicologicamente, mas fisicamente esta otima.- respondi novamente

 - Ta, e afinal, quem era o sequestrador?- perguntou o Lira

 - Na verdade, a sequestradora, era minha ex...- e contei a historia a eles que ficaram de boca aberta

 - Jesus, como ela foi capaz?- comentou a Nenha e eu apenas ri- Vou mata essa menina

 - Isso se, eu não matar primeiro- a Ju falou

 Um homem de branco se aproximou, aparentemente um medico, e comunicou

 - Responsaveis de Carolline Angel, por favor...

 - AQUI!!!- levantei a mão

 - Ela ja esta em alta, apenas indico um pouquinho de "folga". Ela parece estar muita cansada, tanto psicologicamente quanto fisicamente.

 - Ok, ela vai ter folga sim!!! Quantos dias, mais ou menos?- perhuntei. E sim, eu ja estava querendo dar uma festa.

 - Uma semana ta ótimo- o medico falou- Vou traze-la...

 Ele se foi e apareceu novamente com a Carol, todos correram até ela e a abraçaram lentamente...

 1 SEMANA DEPOIS...


Notas Finais


Nd a por aqui HAHAHAHAHA

Tchauzinho pessoas lindas do meu core!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...