História Os Donos da Rua - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Ação, Gaara, Hinata, Ino, Matsuri, Naruto, Neji, Romance, Sai, Sakura, Sasuke, Shikamaru, Temari, Tenten
Exibições 86
Palavras 2.455
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoal, estamos mais uma vez aqui com o quarto capítulo da Fanfic, hoje é a vez dos rapazes aparecerem, espero que todos gostem.

Tenha uma boa leitura. :D

Capítulo 4 - Movidos por Motores


Fanfic / Fanfiction Os Donos da Rua - Capítulo 4 - Movidos por Motores

Quando você menos esperar, encontrará algo em sua frente que fará sua vida mudar radicalmente.Não importa o que seja: amor, dinheiro ou adrenalina.

A partir do momento que deixar este algo dominar a sua vida esqueça, pois nada mais fará com que você se afaste disso. Quando perceber, estará vivendo, comendo, respirando, suspirando e morrendo por isso, e é por este motivo que nós falamos.

Não deixe para viver aquilo que você mais ama amanhã, pois o amanhã é tão incerto quanto o agora. Viva intensamente, mesmo que isso o mate, pois todos morreram um dia.

Konan

[...]

 

Sai Pov´s On

Amsterdã / Holanda

Quando ainda era uma criança, presenciei uma corrida ilegal nas ruas da minha cidade. Achava algo ridículo e perigoso e ficava feliz quando os policias conseguiam pegar os malandros, porem uma vez encontrei com uma mulher também corredora de corridas ilegais, ela era muito linda e um pouco assustadora.

Passado alguns tempos, quando estava na sala assistindo ao jornal na televisão,essa mesma mulher estava sendo levada presa. Fiquei um pouco triste por ela, mas não sabia o motivo, afinal criminosos tinham que pagar por seus erros, contudo o que ela disse na reportagem aquele dia fez com que minha ideia mudasse completamente.

Depois que meus pais morreram, por causa de uma epidemia que atacou a cidade. Encontrei-me com um grupo de corredores e decidi mudar o rumo que estive seguindo, a vida é levada por um sopro e não queria mais perder o meu tempo, fingindo ser o que não sou.

Sai Pov´s Off

Shikamaru Pov´s On

Estocolmo / Suécia

Desde pequeno meu pai me ensinou a desmontar, limpar, lavar e montar de novo todo o motor de um carro. Era algo que gostava de fazer e sempre me juntava ao meu pai, quando chegava da escola.

Quando tinha dezesseis anos, meu pai e eu começamos a montar um carro. Dizia ele que era apenas por diversão, mas eu já sabia que aquele seria o meu presente. Depois de anos como corredor profissional, largou a carreira para me criar logo após minha mãe falecer, no entanto, seus dias foram curtos, pois logo depois também morreu por velhice assim como minha mãe.

Ainda criança, quando meus pais eram vivos, estava assistindo a uma reportagem e vi uma moça muito linda, no noticiário dizia que ela era corredora ilegal de rachas, fiquei impressionado com isso e continuei assistindo. A frase que ela disse antes de entrar na viatura, e tenho certeza que deixou muitas pessoas pensativas. Creio que esse foi um dos motivos para que entrasse nas corridas ilegais, mas o verdadeiro motivo foi o meu pai, ele era corredor e iniciou nas corridas ilegais.

Sem sombra de duvidas, segui os mesmos passos que meu pai, me juntei a uma equipe de corredores e agora também sou procurado.

Shikamaru Pov´s Off

Gaara Pov´s On

Abu Dhabi / Emirados Árabes Unidos

Como é a vida de um ladrão que viveu sua vida inteira a beira da morte, tirado de perto da sua família pelo seu próprio pai e largado para a morte, muitos não vão me compreender, creio que ninguém vá. Mais se parar para pensar em tudo isso, permaneci vivo sozinho, lutando todos os dias por um pedaço de pão.

No dia que confiei em alguém me arrastaram até uma casa e tatuaram em minha testa um símbolo, ainda não sei o que significa, olharam para mim e disseram “Agora você pagará suas dividas” de certa forma as pago até hoje. Naquele dia me jogaram em outro quarto, trancaram-me lá por uma semana, e fui sobrevivendo apenas de mingau e água, quando fui solto me treinaram e acabei virando o que sou hoje.

Nunca pensei em fugir ou permanecer aqui. Entretanto, quem desobedece às ordens da Yakuza acaba por sofrer as consequências. Conhecendo muito bem suas punições, indico a nunca desobedecê-los ou nunca mais conseguira dormir tranquilo como eu.

Gaara Pov´s Off

Neji Pov´s Off

Hong Kong / China

Após a morte de meu pai quando eu ainda tinha sete anos, fiquei muito sozinho e depressivo, meu tio até tentou cuidar de mim, mais não deu muito certo. Recordo bem que minha prima ficou muito triste quando deixei a casa deles, no entanto não queria ser um incomodo a ninguém, então parti sem olhar para trás.

Depois de alguns anos fazendo bicos e sobrevivendo com o pouco que dava, conheci um grupo de corredores e disseram que se eu quisesse ganhar muito dinheiro e não passar fome nunca mais, então bastava me juntar a eles. Não sei até hoje o motivo exato de terem me recrutado, mas não recusei, segui eles nas mais loucas e perigosas corridas, cada vitória minha era uma festa e após a morte de nosso líder, todos me escolheram para liderar o grupo.

Passei de um simples incomodo para o líder de um grande grupo.

Neji Pov´s Off

Sasuke Pov´s On

Hawai / Estados Unidos

Ser uma pessoa com duas vidas, nunca foi o meu estilo. Nunca escondi o que sou de ninguém, ninguém simplesmente nunca o interesse em saber mais sobre mim.

De dia sou um trabalhador comum, trabalho em uma lanchonete, para ser mais exato faço os lanches para outras pessoas entregarem. Mais durante a noite... Durante a noite, nesse momento sim vivo faço aquilo o que realmente me faz bem. Não importa qual seja, se existir carros potentes e bons adversários então me contate, pois o meu sonho é ser o maior corredor de rua do mundo.

Assim como um dia meu irmão sonhou com isso, e no final acabou morrendo na corrida mais importante de sua vida, também sonho e quero seguir os mesmos passos que ele.

Um dia ele me falou algo e levo isso até hoje comigo.

"Não são apenas corridas, carros ou a adrenalina. Isso é o que amamos e pelo que morreríamos."

Hoje entendo o que ele quis dizer, e posso dizer com toda confiança, se for para morrer que seja em uma pista de corrida de preferência com um acidente que seja lembrado pelo mundo.

Sasuke Pov´s Off

Atualmente

­Abu Dhabi / Emirados Árabes Unidos

­– Você sabe qual é a sua missão, certo Gaara? – pergunta, sentado em sua poltrona, virado de costas para o ruivo.

– Sim senhor, encontrar e matar. – diz com um olhar frio e sem mover um músculo se quer.

– Muito bem rapaz, sabia que não me arrependeria de ter lhe escalado. Peque, este é seu alvo. – joga uma pasta no garoto, entregando todos os dados que tinha sobre seu alvo.

Olhando para a pasta, levou sua mão até ela e abriu o fecho de botão. Tinham vários dados: nome, altura, idade, sexo e uma foto do seu rosto.

– Matsuri, vinte e um anos. – parado e olhando para a foto, sem nenhuma reação incomum. – Quanto tempo para executar o serviço? – pergunta continuando a olhar a fotografia.

– Vou ser bem companheiro com você desta vez, você tem um mês para me trazer ela morta. Entretanto... – sorri no final com uma voz sombria. – Qualquer erro que cometer, saiba que nem precisa voltar se conseguir fuja, pois iremos caçá-lo como um leão caça um veado. – ergue a mão para o alto, mostrando uma pistola automática, com o desenho de uma cobra no cabo da arma.

Sem dizer uma única palavra, Gaara fecha o arquivo e o pega. Curvando-se para o homem, começa a caminhar em direção a porta de saída, abre a porta e deixa a sala.

– Assim que ele terminar o serviço cuide dele para mim. – diz olhando para um de seus espadachins. – Não precisamos mais dos serviços dele. – completa sorrindo largamente, em seguida bebendo um pouco de Whisky.

[...]

Amsterdã / Holanda

– Esta tudo preparado, essa corrida é nossa com toda certeza. – diz animado, pulando para aquecer o corpo.

– Acalme-se um pouco, primeiro temos que chegar lá a tempo. – tenta abaixar um pouco a animação do rapaz.

– Não seja chato Sai. Todos aqui sabem o quão importante é vencer essa corrida, se vencermos imagina aonde nosso nome vai parar no mundo de corridas ilegais. – altera um pouco a voz, irritando-se com a falta de animo do moreno.

Olhando para os dois uma linda e jovem corredora, única do grupo como membro feminino, caminhou em direção a eles e entrelaçou seus braços no moreno, abraçando-o pelas costas.

– Sai querido, não precisa ser tão rígido assim. Você sabe muito bem o quanto ele se excita com uma corrida. – sussurra ao ouvido do moreno, mordendo de leve o canto de sua orelha.

– Samanta, por favor, não me faça tirar você a força. – murmura com um sorriso nos lábios.

– Poxa Sai larga de ser chato, até quando vai me tratar assim. Tem que superar aquilo. – resmunga, tentando aproximar-se mais dele.

Sem querer ser grosso, mas sem paciência com a insistência da mulher, segura o antebraço dela e puxa com força fazendo-a solta-lo. Gemendo leve por causa do puxão, arregala os olhos o observando e percebe que não estava em um dia bom.

– Quer saber, FODA-SE VOCÊ SAI! – grita nervosa, começando a chorar e a andar com passos rápidos até seu quarto.

– Ai Sai não precisava de tanta violência assim, você não acha que foi um pouco exagerado com ela hoje? – faz uma pergunta retórica, já sabendo que ele não se importava muito.

Sai olha por cima dos ombros, deixando de demonstrar a sua fúria. Sabia muito bem o que Samanta e James faziam quando ele não estava ali, enquanto estava na rua conseguindo recursos pra o grupo, do qual liderava no momento, os dois transavam.

– Termine com os preparativos finais, vamos partir em quatro horas. – diz, deixando a sala e indo para o terraço onde costumava ficar sozinho para pensar.

[...]

Estocolmo / Suécia

– Onde o Shikamaru está? Preciso dele para completar a programação da viagem até a Califórnia. – entra na sala principal, perguntando a todos no recinto.

– Não tenho ideia chefe, ele disse que ia dar uma volta com o carro do pai dele, mas até o momento não voltou. – responde, continuando a sua partida de futebol em seu Play Station 4.

Estranhando a informação de que Shikamaru havia saído com o carro do pai, olha para o calendário e suspira recordando-se.

– Bom hoje não vamos vê-lo tão cedo, então alguém pode me ajudar aqui, não podemos parar o dia temos que viajar amanhã cedo. – fala, voltando sua visão para os outros pilotos. – Hoje é o aniversario da morte de seu pai não é Shikamaru, não se preocupe conosco, fique com ele. – pensa olhando pela janela para o horizonte.

[...]

– Bom dia pai, como que esta ai hoje? – sussurra, sentado ao lado do tumulo de seu pai. – Finalmente consegui uma grande corrida, talvez a maior que irei correr, pena que o senhor não esteja aqui para me assistir, mas sei que estará ai me observando. – tira algumas folhas velhas sobre o chão, que caiam das arvores.

Mais ao lado, na estrada de terra o veículo que seu pai montou com ele, um Opala SS ‘80 em boa forma, reformado com pintura clássica em metálico.

– O senhor se lembra desse carro, compramos ele em um ferro velho por 15 coroas, como não teve tempo para finalizar a reforma comigo, então finalizei sozinho a reforma e o mantenho comigo desde então. – olha para o carro, tendo uma leve visão de seu pai ao lado do veículo em estado ainda velho. – Com certeza valeu a pena todo o esforço, desta vez ele vai mostrar toda sua potencia em uma corrida mundial, todos vão conhecer o nome Nara é uma promessa. – completa deitando-se e observando as nuvens flutuando.

[...]

Hawai / Estados Unidos

– Bom dia, como que anda a reforma do motor? – pergunta, entrando ao estabelecimento.

– É o senhor Sasuke, bom dia, dá só um minuto. – responde ainda em baixo do veículo, finalizando a reforma do motor.

Enquanto esperava, olhava ao redor da oficina, eram muitas ferramentas e algumas carcaças de carros ainda em reforma. Mais ao fundo, havia um carro coberto por uma manta marrom.

– Que carro é esse? – diz, olhando para a manta.

Deslizando para fora, olha para o mesmo lugar que o moreno e sorri de canto. Muitos se interessavam por uma maquina antiga, mas nem todos podiam dirigir e dar tudo que o veículo tinha.

– Esse é um Camaro ’74. Você tem bons olhos, mas será que tem a capacidade para dirigir algo assim. – comenta, notando o interesse de o rapaz aumentar ainda mais. – O ultimo cara que pilotou esse carro, sofreu um acidente e morreu na curva da morte. – diz sabendo e conhecendo muito bem quem foi o antigo dono.

– Então foi com esse carro, nunca soube qual foi o veículo que matou meu irmão. – sussurra aproximando-se do veículo.

– Vamos fazer um acordo, esse carro a partir de hoje é seu. Entretanto, você terá que ultrapassar o seu irmão, dirija na mesma pista que ele morreu e faça aquela curva na mesma velocidade que encontrei no marcador quando recuperei o veículo. – sorri de canto, percebendo o olhar de medo no rosto dele.

– Qual foi à velocidade, que encontrou? – pergunta, interessando-se pelo passado de seu irmão mais uma vez.

– 180 km/h – responde sem enrolar. – se ele tentou, com certeza é possível, mas algo deve ter o atrapalhado naquele dia. – encostar sua mão na manta e segura.

– E o meu carro o que fará com ele? – olha para seu carro que esta sendo reformado.

– O deixarei aqui, quando terminar a sua corrida volte e o peque. – completa olhando para o moreno. – e então o que você vai querer? – pergunta um pouco mais serio.

– Eu aceito. – responde, com um sorriso de canto, gostando da ideia de superar seu irmão.

[...]

Hong Kong / China

Observando a cidade na escuridão da noite, sente atrás de si a presença de alguém e logo em seguida duas mãos o agarram.

– O que esta acontecendo? – pergunta, segurando a mão da garota e olhando por cima do ombro.

– Me senti sozinha, o que aconteceu que deixou a cama querido? – sussurra, deitando o rosto sobre os largos ombros do moreno.

– Já disse para não me chamar assim, não temos nada um com o outro para toda essa intimidade. – diz soltando as mãos dela de seu abdômen.

Cruzando os braços e fazendo um leve bico em seus lábios, caminha até o sofá e se senta.

– Quando viajamos? – pergunta, sem olhar para o moreno.

– Amanhã cedo já quero estar na estrada, então fique preparada. – responde ainda olhando para a cidade, conseguindo observar tudo do 38º andar.

– Onde os outros estão, vamos encontrá-los em algum lugar amanhã?  - olha para o moreno, vendo o mesmo virar para ela.

– Vamos encontrá-los amanhã, então vá dormir agora. Não vou acordar ninguém, nove horas já estaremos na estrada. – começa a caminhar em direção ao banheiro.


Notas Finais


Obs: Coroas é o nome da moeda na Suécia.

E então o que acharam do capítulo, vocês curtiram? espero que sim, fiquem ansiosos pelo próximo, vamos ter o primeiro encontro de todos os nossos protagonistas na Fanfic, nada muito (CARALHO É AGORA) mais eles se verão pela primeira vez. :D

Não darei foco em nenhum casal no próximo capítulo, mas sim na aproximação de todos os rapazes, afinal eles precisam fazer amizade logo antes de começar as corridas, não será nada muito rápido mais vai indo fortalecendo com o tempo.

Até o próximo :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...