História Os escolhidos - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Grega
Personagens Personagens Originais
Tags Amigos, Aventura, Colegial, Drama, Família, Mitologia, Romance
Visualizações 4
Palavras 1.243
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Científica, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas da Autora


Oiiii ;3
Aqui estou eu e tenho que avisar que temos mais uma integrante da família de semideuses!
Dêem boas vindas à Marye!
Filha de Tânatos: 14 anos. Responsável , muito inteligente e briguenta. Odeia filhos de Ares e ama livros. Possui asas negras. Olhos e cabelos pretos, porém seus cabelos têm as pontas rochas.
Essa personagem é ao pedido de uma leitora, então espero que gostem e...
Boa leitura *-*

Capítulo 2 - O retorno do demônio das sombras.


POV Marye

Estou me sentindo meio fraca, até parece que aquela luta de minutos antes esgotou todas minhas energias. Já é difícil respirar e observar o lindo céu estrelado que tem a minha frente. 

Será que morrerei assim?

Espero que não, seria uma vergonha.

Dou o meu máximo para manter meus olhos abertos e continuar com pernas firmes. Olho em volta e vejo uma enorme casa, parece uma mansão, eu acho... não consigo ver direito, minha visão está sem foco, ouço meu sangue pulsando em meus ouvidos.

Me lembro da cena de minutos antes.... sangue, muito sangue.

O vermelho preenche minha mente por completo me deixando paralisada. Eu realmente matei alguém?

Eu sei que sou filha da morte... mas não esperava que chegasse a esses ponto apenas para seguir o caminho qualquer o qual eu nem sabia para que lugar dava.

Caminho com minhas pernas bambas, que nem parecem mais pernas e sim duas bananas de tão moles que estão, na direção da enorme casa.

Chegando mais perto vejo que a casa está toda escura, porém tem um barulho que faz minha cabeça latejar... está vindo lá de baixo, será que estou viajando? Ver aquele sangue todo, por algum motivo, não me fez bem. 

Pego todo o restante de minha coragem e grito:

– Alguém? Por favor! Preciso de ajuda! - grito, minha voz está distante, não consigo ouvi-la. Parece que estou em outro corpo, olho para baixo e estou no meu mesmo. Estranho... 

O barulho infernal que fazia minha cabeça doer parou ao me ouvir, pelo menos era isso que eu achava, ouvi uma voz masculina dizer:

– Vai lá você Samantha! - parece ser um garoto não muito novo e nem muito velho.

– Oras! Por que tem que ser eu? Você está parado com essa bunda aí faz horas! - retruca a garota que imagino ser a tal de Samantha.

– Ei! Você também ficou o dia inteiro com essa bunda aí nesse sofá! 

– Mas pelo menos eu fiz algo de produtivo, você só ficou aí namorando essa foto!

– Já chega! - grita uma garota. O barulho para na hora... 

– Desculpe, Awdrey... - diz o garoto que não sei o nome.

– Vocês param de gritar em minhas orelhas delicadas se eu descer para ver quem disse isso lá fora? - diz mais calma.

Nenhum respondeu, pelo menos não ouvi nada:

– Ok. 

A garota que se chama Awdrey desce as escadas, pelo o que posso ouvir, e caminha na direção da porta, preparo minha adaga caso ela me ataque...

A garota abre a porta e desvia de meu ataque como se nada tivesse acontecido:

– Uau! Você é boa garota. Mas não pense que você pode chegar na casa dos outros e me atacar desse jeito, não sei se sabe, mas sou muito boa na luta. - diz, tirano uma espada de suas costas e me lançando um sorriso de canto. 

A olho com um olhar mortal é aponto minha adaga para sua barriga:

– Quem é você? - pergunto, me distanciando.

– Awdrey e você? 

Ela quer saber meu nome? Interessante:

– Marye... - digo, abaixando minha adaga quando vejo a garota que está atrás de Awdrey.

– Oi! - diz, me lançando um sorriso simpático. – Seja educada com os outros, Awdrey!

– Cale a boca, eu faço o que eu bem entender, mamãe. - diz, lançando um olhar desafiador para a outra garota, que a olha como se fosse a chefe do lugar.

– Filha de Ares, se você me der licença... tenho que conversar com... Marye, não? - diz e eu confirmo.

Espera um segundo... ela disse filha de Ares?

Não acredito que eu perdi a oportunidade de matá-la!

Esses cretinos devem todos morrer. Odeio os filhos do deus da Guerra desde que me conheço por gente.

Lanço um olhar assassino para Awdrey, que me encara confusa:

– O que foi? Parece que viu um fantasma! 

Pego minha adaga e lanço em direção a ela, logo coloco minha espada em punhos e abro minhas asas negras:

– Sou Marye, filha de Tânatos, se você ousar colocar suas mãos de filhos de Ares em mim, juro que irá se arrepender eternamente!

A garota apenas ri e me olha com um sorriso debochado. 

Mamãe, foi como Awdrey a chamou, olha feio para a mesma:

– Qual o seu problema, queridona? Acha que pode me vencer? - diz. Num piscar de olhos ela desapareceu e reapareceu ao meu lado, com sua faca em meu pescoço e a espada de antes em minhas costas. – Sou boa nisso, acredite. Anos de treinamento e já tive as habilidades desde que nasci, então não se ache a fodona.

Fecho meu punho, sendo dominada pela raiva, a olho mortalmente e vôo bem alto.

Desço numa velocidade incrível e a derrubo no chão, nem dando tempo dela perceber o que aconteceu:

– JÁ CHEGA! - grita a outra garota, que nos olhava como se pudesse nos matar. – Se vocês não pararem com isso agora, eu juro pelo Rio Estige que...

– Pare Melissa. - chega uma garota, de olhos azuis esverdeados e cabelos escuros. Ela tem um tapa olho em seu olho esquerdo. Gostei.

Todas a olhamos como se ela fosse a autoritária:

– Alyssa... - resmungou Awdrey, tirando a terra suja de seu casaco.

– Deixe-me ver... Eu quase desmaio agora pouco e vocês tem a coragem de lutarem desse jeito, como se fossem as donas do mundo, acabando com o meu descanso? ESCUTE AQUI AWDREY! ISSO É PRINCIPALMENTE PARA VOCÊ!

A garota que estava ao meu lado, cabisbaixa, engoliu em seco antes de ter a audácia de olhar para essa tal de Alyssa:

– Como? - diz, olhando a de olhos esverdeados com uma expressão séria.

Alyssa da uma risada um tanto maligna, que se eu fosse um mero mortal ficaria com medo e olhou assassinamente para a filha de Ares:

– Eu fiquei a tarde inteira investigando papéis com Lucas, enquanto você ficava com essa sua bunda sentada na cama fazendo sabe o que. E sabe o que descobri? SABE? - diz mais alto e a morena ao meu lado nega com a cabeça, da para ver o medo em seus olhos. – Chara voltou. 

A garota que se chama Melissa se virou, incrédula, ela estava tremendo:

– V-v-você e-está f-f-falando  s-sério? 

Alyssa a olha com raiva:

– Acha que eu brinco com essas coisas, Meli? ACHA? A minha vida inteira fui amaldiçoada por esse demônio. Minha mãe morreu por culpa dela, e depois descubro que agi por conta própria. EU, ou melhor, ELA MATOU INOCENTES!

Apenas observo Awdrey resmungar:

– Se você não tivesse cedido seu corpo a ela nada disso teria acontecido, imbecil. 

Alyssa a olha, com a mão num colar. Acho que as duas não se dão muito bem:

– Você realmente acha que fui EU que escolhi esse destino? Eu e Chara - noto que a pronúncia de seu nome não causa muito conforto. – somos ligadas uma a outra. Eu não quis isso. Apenas a vi, chorando, enquanto voltava para casa, e ela pediu ajuda. Então eu peguei sua mão e foi aí que tudo começou. - seus olhos estão marejando, porém seus lábios tremem de raiva. 

Awdrey a olha como se isso fosse a coisa mais normal do mundo. Então sua expressão se torna vazia e desesperada:

– A-a-atrás de v-v-você! - diz, tremendo da cabeça aos pés.

Uma sombra estava ali parada com uma faca em sua mão e um sorriso um tanto macabro no rosto. Olhando diretamente na alma de cada uma de nós:

Parece que o demônio das sombras voltou, não é mesmo? - diz com uma voz sombria, distante e assustadora, parece que sua voz é em 3D... 

– Merda. - diz Alyssa baixinho.








Notas Finais


Oeee!
Sim, eu tirei o nome Chara de UNDERTALE.❤
Realmente amo esse jogo e recomendo muito!
Espero que tenham gostado e comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...