História Os Guardiões Das Estações - Capítulo 26


Escrita por: ~

Exibições 32
Palavras 2.067
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Escolar, Fantasia, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Acho que me empolguei um pouquinho, então vamos a segunda parte ^-^ Boa leitura.

Capítulo 26 - Brincadeiras De Criança (Bônus Parte 2)


Pov. Jackson – Tudo que eu tivesse direito de oferecer a ele eu faria, hoje, eu queria ser só dele.

Enquanto eu voava pelo céu com Hic em meus braços eu apenas comecei a pensar o que fazer daquele dia, eu queria ter um dia especial com ele, um dia divertido, deixar um pouco de lado todos os problemas ou todas as questões que tínhamos que resolver, queria um dia de brincadeiras de crianças, mas ainda assim, queria...

- Jack... (Não consegui terminar meus pensamentos, um Hic completamente vermelho me encarava e chamava, aquilo me arrancou de qualquer coisa que não fosse olha-lo nos olhos).

- O que foi Hic? Algum problema?

- Bem, você ao mens poderia me deixar ir sozinho?

- Não!

- Nossa, tão curto e rápido assim?

- Quero ter certeza de tudo hoje, certeza do que farei, e certeza do que estou fazendo e para quem estou fazendo.

Hic ficou ainda mais vermelho do que poderia ser possível, mas não me importei muito, eu o queria comigo daquele jeito, e não iria tira-lo de perto de mim!

- Então? Vamos para algum lugar se divertir? Eu sei que tem um parque de diversões aqui perto, e quero passar o dia todo com você!

- Você está me perguntado ou afirmando?

- Quer adivinhar?

Recebi um balançar de cabeça como resposta, sorri e dei um pequeno selinho nele. Voei até perto da entrada do parque de diversões que haviam colocado ali exatamente para esse dia, então seria a oportunidade perfeita para aproveitar o máximo que o tempo nos desse...

Andávamos de um lado a outro, comendo doces, indo a todos os brinquedos possíveis, era um dia para voltarmos a ser a criança que já fomos, um dia de diversão que faltava em nossa vida corrida e cheia de coisas de adolescentes, acho que todos precisamos voltar a ser criança alguma vez, mesmo que por poucos instantes.

Hic parecia muito feliz com tudo aquilo, o dia parecia ter se ido tão rápido quanto possível, já era noite quando nos demos conta, mesmo assim eu me sentia meio receoso de acabar o dia, ainda pensava em várias coisas que poderiam ser feitas.

- Jack, obrigado! (Não tive tempo de pensar, caminhávamos através de um jardim quando Hic falou, quando me virei ele selou meus lábios nos dele de um modo calmo e imprevisível, eu estava surpreso com aquela reação).

- Foi o mínimo que eu poderia fazer por você hoje, acho que todos nós precisamos de um pouco de sossego as vezes.

- Não Jack, não é pelo dia de hoje que estou agradecendo.

- Em? Então foi pelo que?

- Por você existir, por sempre me fazer feliz!

Logo depois que ouvi aquilo meu coração se acelerou por um momento, Hic selou novamente nossos lábios e eu apenas consegui retribuir, não esperava por aquilo, parecia que eu havia feito tudo para que ele se sentisse feliz, mas aquelas únicas palavras dele conseguiram retribuir todo o favor e ainda mais, ele era simplesmente incrível...

Estávamos voltando para casa de mãos dadas, havíamos nos divertido todo o dia e eu particularmente estava um pouco cansado, então preferi caminhar com ele a irmos voando. Hic parecia tão perdido em pensamentos quanto eu, mas eu não queria perguntar nada, só queria continuar ali com ele para sempre.

- Jack, você viu o que o Jai comprou certo?

- Em? É... bem... sim... mas não se preocupe, eu não vou... (Eu estava vermelho pelos meus insanos pensamentos, ele não precisava tocar nesse assunto naquele momento).

- Está tudo bem, se você quiser eu posso faze-lo! (Seu rosto estava mais vermelho do que nunca, mas ainda assim parecia convicto do que falava, eu estava impressionado).

- O QUE? (Acho que meu rosto estava mais vermelho do que o dele, PARE DE PENSAR NISSO, PARE DE PENSAR NISSO).

- E não se preocupe, tenho certeza que Jai não errou no seu tamanho! (Ele agora dava gargalhadas, senti um arrepio na espinha e me lembrei das palavras de Jai: “Para os dois”).

- COMO É? ...

Não consegui ir contra ele, ele parecia tão envergonhado quanto animado para tudo aquilo, eu temia, mas naquele momento, também era tudo que eu mais queria.

Quando chegamos na casa de Hic tudo estava trancado, Hic pediu que eu esperasse e atravessou a porta até o outro lado, logo depois ele destrancou a porta por dentro e entrei.

- Pensei que havia alguém dormindo ou algo assim, mas achei isso encima da mesa.

Hic me entregou um pedaço de papel dobrado ao meio, quando o abri a caligrafia era de Jai e estava escrito: “A casa é de vocês! ” Hic estava corado, mas acho que eu estava prestes a ficar também, ele simplesmente se desmaterializou através do piso, fiquei receoso de imaginar para onde ele havia ido, mas segui até o quarto. Calmamente abri a porta, como tudo estava escuro não era muito visível o local, de repente eu senti uma coisa sendo arremessada até mim, corei fortemente quando percebi o que era.

- Eu só vou aparecer quando você se trocar!

Engoli em seco, quando parei para observar melhor o que era que havia sido lançado percebi que se tratava de uma fantasia de gato, ela era de um azul marinho, tinha um capuz com orelhas grandes e um rabo, era divertido pensar naquilo, era vergonhoso e também estranho, mas divertido.

Me vesti tão rápido quanto possível e voltei para o quarto, eu queria vê-lo também, já imaginando como ficaria.

- Queria saber quem foi que deu essa ideia absurda para o Jai, eu preciso mata-lo logo!

- Hic, você prometeu, pode aparecer!

Ele surgiu de dentro do banheiro, não fazendo questão de abrir a porta e a atravessando calmamente, a fantasia de gato que ele trajava era preta com alguns detalhes brancos, poucos e sutis, ele surgindo daquela maneira deixava um ar de mistério, era sombriamente maravilhoso.

- Mas que gato esplendido, será que eu posso chegar perto dele? Parece tão magnifico que chega a ser radiante e assustador ao mesmo tempo. (Hic ficou ainda mais vermelho com o que falei, me aproximei calmamente, assim como um gato astuto).

- Você também está lindo vestido assim, o gato da neve. (Ele deu um pequeno sorriso, agora me encarando com seus olhos brilhantes).

- Sou o SEU gato da neve! (Falei, recuperando todo o folego para não me lançar sobre Hic, sua roupa parecia colar em seu corpo, definindo cada parte que havia ali). - E você é o meu lindo gato sombrio, tão lindo quanto um dragão, a sombra da noite.

Não resisti mais um segundo sequer, selei nossos lábios em um beijo devorador e apreensivo, eu queria toca-lo, senti-lo, queria ele para mim naquele momento. Abracei Hic pela cintura e o apertei mais contra o meu corpo, sentia o calor de sua pele através da fantasia, sentia seu corpo nu se contrair através daquele fino pano, e por mais que eu não quisesse admitir, não saberia escolher entre tê-lo vestido ou não para mim...

Hic apertou meu pescoço em um abraço forte logo que nossos lábios se separaram por falta de ar, aproveitei a oportunidade para morder seu pescoço, já que era uma das poucas pastes que não estavam com “pele de gato”, ouvia os gemidos abafados de Hic sobre meu ouvido e tudo que eu queria era causa-lhe mais e mais, muito mais...

Levantei Hic o ar um pouco e me direcionei até sua cama, me sentando e o colocando sobre meu corpo, voltei a beija-lo ferozmente e de modo insaciável, eu queria como o gato que ele era, mas enquanto a mim, só conseguia pensar em me tornar o próprio tigre das neves. Puxei o zíper que ficava na frente da fantasia de Hic e desci um pouco, sem deixar que aquela peça linda se fosse tão rápido do meu gato mais lindo, passei minhas mãos pelo corpo de Hic e o sentia se contrair com cada toque, a respiração dele ressoava contra minhas mãos, e todo o calor que ele sentia era o mesmo que eu sentia, eu amava tudo aquilo, amava aquele garoto com todas as forças. Desci um pouco mais o zíper de sua roupa e comecei a morder e beijar seus mamilos, roubando ainda mais dos gemidos que tanto queria ouvir, cada som que Hic fazia me levava cada vez mais a loucura. Parei meus atos para voltar aos seus lábios e toma-los com desejo e luxuria, eu queria cada parte dele, cada pedaço, cada detalhe dele eu queria para mim. Coloquei Hic deitado na cama e o visualizei de cima a baixo analisando cada parte ainda coberta pelas roupas, vi ele também me analisar com um olhar tão sedutor quanto o seu rosto.

- Jack...

- Hic...

Nada mais precisava ser dito, não precisava de outras palavras, apenas o nome de um já falava ao outro tudo que os desejos queriam. Comecei a retirar toda a roupa de Hic calmo e devagar, apreciando cada parte antes e depois, era tentador tê-lo com aquela fantasia, assim como tê-lo sem, não conseguia agir rápido quanto aquilo. Hic por outro lado, já se inclinava até mim para retira minhas roupas, quando enfim ambos estávamos ali, apenas com nossos corpos e desejos voltei a beijar sedutoramente todo o corpo de Hic, saboreando cada detalhe, mordia e chupava seu pescoço, depois seus doces mamilos, sua barriga, cada parte saborosa daquele corpo minimamente definido e exposto a mim.

Antes que os gemidos de Hic se tornassem palavras formadas tratei de abocanhar sem membro pulsante de uma vez, sugando fortemente e me deliciando daquele sabor e cheiro que eram apenas dele. Hic gemia abafado, apenas meu nome era audível através de seus sons, e eu queria ouvir muito mais daquilo, cada vez mais e mais...

Parei por um momento e voltei a beijar todo o seu corpo, agora subindo em direção de seus lábios e os tomando, um pouco mais calmo e tranquilo, mas ainda cheio de desejo. Cessei o beijo por um momento para prepara-lo, lambi dois dos meus próprios dedos e os direcionei a sua entrada, logo depois voltei a beija-lo, não queria perder um minuto sequer daqueles lábios, depois de alguns segundos o preparando direcionei meu membro pulsante em sua entrada, entre um beijo e outro eu pude ouvir um gemido baixo de dor, tratei de continuar devagar e cuidadoso até que todo meu membro se encontrasse em seu interior, parei por um instante para que Hic se acostumasse com a dor e depois comecei a me movimentar, devagar e calmo, mas que ia acelerando a medida que sentia Hic ressoar gemidos de prazer, direcionei meus beijos agora para seu pescoço enquanto começava a masturbar seu membro antes esquecido, eu queria ouvi-lo e senti-lo, queria sua voz, seu corpo, seu cheiro, seu gosto, seu carinho, seu amor, queria tudo que pertencia a ele, porque tudo que era meu, também era dele...

A cada estocada eu sentia que chegava cada vez mais no limite do meu corpo, sentia Hic se contrair contra mim e acelerei ainda mais meus movimentos e a masturbação, queria que ele delirasse de prazer assim como estava me levando a loucura, quando enfim chegamos no clímax, senti seu sêmen preencher nossos abdomens enquanto eu o preenchia com o meu, no mesmo instante eu mordi fortemente seu pescoço, queria lhe deixar uma última marca, queria mostrar que ele era meu e de mais ninguém. Estávamos ofegantes, nossos rostos vermelhos e corpos queimando de prazer, apenas retirei meu membro de seu interior e voltei a encara-lo, aquele rosto lindo, aqueles olhos brilhantes, toquei seus lábios em um selinho calmo e voltei a encara-lo.

- Hic, eu te amo muito, eu queria te dar um dia divertido ao menos uma vez, me desculpe se não consegui lhe agradar em algo.

- Eu já disse, eu agradeço por você existir, eu te amo acima de tudo e estou muito feliz por tudo que fez por mim hoje.

Seu rosto ainda estava vermelho e sua respiração meio ofegante.

 Posso ao menos fazer mais uma coisa pra você? (Perguntei com um sorriso safado, acho que até demais).

- O que?

- Você vai descobrir já já! (Falei e voltei a beija-lo fortemente, ele era meu, mas ainda assim, eu era seu, então nada melhor do que dar a ele tudo de mim também).


Notas Finais


Hizei: MDS O SENPAI VIROU UM PERVERTIDO COMPLETO!
Jaicke: Está retornando sua origem maligna e sádica.
Senpai: CALADOS! Um pouco de malicia faz bem.
Então até mais, agora eu vou voltar a historia original porque né ^-^ até qualquer hora.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...