História Os Guardiões Das Estações - Capítulo 28


Escrita por: ~

Exibições 32
Palavras 1.303
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Escolar, Fantasia, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoas lindas ^-^ voltei com mais um capitulo, espero que gostem, como dividi ele vou postar o outro depois, talvez hoje talvez não, tenho que olhar umas coisinhas... Mas vamos ao capitulo!

Capítulo 28 - Um A Um... (Parte 1)


Pov. Autor – Os jovens continuavam a caminhada pela estranha caverna, o local apesar de parecer infinito, encurtava a cada segundo, definindo que apesar de não se encontrar o fim, sentia-se que chegava-se cada vez mais até ele. Em um instante Jai parou de caminhar e começou a encarar o nada.
- Jai, o que aconteceu? Algum problema? (Perguntou Els para o garoto).
- Esperem aí, acho que tem uma parede ali na frente. (Disse Jai apontando para o nada).
- Uma parede? Mas não há nada aqui! (Falou Eth, indo um pouco para frente tentando tocar em algo, logo se surpreendendo quando sentiu que realmente havia algo que impedia de prosseguir). - Que estranho, tem mesmo algo aqui, o que vamos fazer agora?
- Vamos tentar quebrar seja lá o que isso for, eu começo! (Disse Rinda, já partindo para atacar o nada).
Porém, quando tentou usar seus poderes o que antes era invisível acabou ganhando uma cor prateada, seu pingente brilhou em contraste com a estranha parede e seus poderes não funcionaram, logo depois um estrondo repentino invadiu o ambiente como se parte da caverna estivesse desmoronado, então a parede tomou a forma de uma aura que os quatro principais jovens conheciam muito bem.
- Homem da Lua? (Perguntaram os quatro surpresos com a aparição daquele ser que tinham visto apenas em seus sonhos).
- Prestem atenção, a partir daqui vocês terão que descobrir do que são capazes, terão que usar seus talentos ao máximo para enfrentar os desafios que viram, e tenham certeza, se não colocarem a prova sua união como grupo, não conseguiram sair deste lugar. (Disse o ser áurico e logo se foi, sem tempo para que os jovens dissessem algo).
- Bom, acho que depois dessa repentina e desesperada aparição devemos continuar, não é? (Disse Jack, recebendo um aceno dos jovens, suas expressões porem demonstrava uma desconfiança mutua).
Os jovens continuaram caminhando para alcançarem seus objetivos, quando enfim puderam ver uma luz vinda possivelmente do final da caverna começaram a correr em direção dela. Quando chegaram no local, havia ali apenas uma gigante placa de pedra que impedia a passagem para uma porta enorme feita de madeira de diversas cores, quase todos os jovens não conseguiram entender as escrituras, exceto Eth, que já havia testemunhado tal escrita em outras placas de pedras.
- Pessoal, podem deixar que eu leio isso para vocês, está escrito assim: Para cada problema, uma solução. Para cada meta, uma missão. Para cada encontro, um sacrifício. Para cada um, apenas um! (Disse Eth para que todos pudessem compreender as escrituras).
- A mesma coisa que aquela aranha gigante nos falou, tenho um mal pressentimento quanto a isso. (Disse Jack, se aproximando um pouco de Eth).
De repente, as escrituras começaram a brilhar, a estranha pedra começou a rolar e a porta se mover, abrindo passagem para que os jovens pudessem continuar sua jornada, quando passaram pela porta chegaram a uma floresta, todos ficaram assustados com a impossibilidade de haver uma floresta dentro de uma caverna que deveria ser minúscula.
- Acho que estamos mesmo em um pesadelo, não é possível, a lógica deve ter pedido demissão ou tirado férias! (Disse Punzie com um ar de deboche, fazendo os jovens rirem um pouco).
- Mesmo assim temos que tomar cuidado. (Disse Jack relaxadamente, com um tom de voz que não deixava transparecer a sua preocupação).
De repente outra estranha voz ecoou pelo ambiente, os jovens se assustaram um pouco com o que havia acontecido, mas então a voz começou a falar claramente, o que tomou a concentração dos jovens.
- Tomaras para ti a natureza, criaras a flor do amanhecer, abriras da terra o que os levará, mas apenas cinco deveram continuar! (Disse a voz, desaparecendo tão repentinamente quanto surgira).
- Então suponho que agora estamos resolvendo enigmas? Façam suas apostas, quanto podemos ganhar pela cabeça da desgraça que criou esse lugar? (Disse Jai um pouco revoltado com o que estava acontecendo).
- Espere, acho que era isso que a aranha nos avisará, assim como a mensagem nas escrituras, “para cada um apenas um”, acho que assim como só um deve ficar, este será o que vai garantir que os outro passem! (Disse Rinda, compreendendo que esta nova tarefa caberia a ela). - Todos se afastem, esse trabalho é da flor aqui!
Quando todos se afastaram, Rinda se posicionou um pouco à frente dos jovens, fechou os olhos e juntou as mãos as colocando próximas a sua barriga. “Flor do amanhecer... flor do amanhecer”, sussurrava sozinha, tentando decifrar seu próprio enigma.
- Um girassol! A flor que busca os raios do sol, que amanhece junto com o sol! (Disse a jovem, sentindo-se satisfeita por ter conseguido compreender sua tarefa).
A garota então acumulou seu poder por todo o corpo, o enviando rapidamente para seus pés, e com um movimento rápido, elevou seus braços criando abaixo de si uma gigantesca flor de girassol, a flor começou a brilhar em sintonia com os poderes da jovem que a elevou um pouco, o que criou ao redor do seu caule uma escadaria no solo, que parecia desaparecer no fim do abismo, a jovem se virou para seus amigos que rapidamente entenderam o que deveriam fazer e partiram para a escada, quando todos os jovens passaram e a jovem cessou seu poder, da própria terra que se fechou das escadarias, uma estranha massa começava a tomar forma, a garota ficou espantada quando enfim conseguiu visualizar a forma do que se havia criado.
- Acho que estou um pouco encrencada... (Disse Rinda, antes de mudar suas vestimentas para a de batalha preparando-se para o que enfrentaria)...
Os demais jovens ao descerem a escadaria não conseguiam visualizar mais nada, estava tudo absolutamente composto por sombras e escuridão, não poderiam enxergar um palmo diante de seus olhos.
- Punzie, você pode iluminar o.... (Tentou Jack fazer o pedido para a jovem amiga, mas foi surpreendido por algo que se chocou em suas costas).
Em questão de segundos, todos estavam rolando ladeira abaixo em meio as sombras, por um túnel que não se sabe de onde veio ou iria se findar, mas que logo se findou. Os jovens haviam caído em um tipo de caverna subterrânea, o local ainda era sombrio, mas agora podia ser visto o caminho percorrido.
- Enigmas, cavernas, tuneis escuros, florestas que aparecem do nada, é oficial, estamos fodidos. (Disse Jai novamente com ar de desaprovação).
- Só mesmo você Jai, só você! (Falou Jack em um tom um pouco ríspido).
- Depois de gritar com as partes intimas do Eth nas suas regiões traseiras você vem me dizer que não está fodido? Claro que não, você está é completamente arrombado querido! (Rebateu Jai com fúria).
- O QUE VOCÊ DISSE SUA BICHA FALSIFICADA! (Gritou Jack raivosamente).
- FOI O QUE VOCÊ OUVIU ALBINO METRALHADO! (Gritou também Jai).
Em questão de segundos viu-se um clarão de luz percorrer o espaço entre os jovens, logo depois Jai e Jack serem lançados contra a parede por uma poderosa descarga elétrica, os jovens ficaram atordoados com o impacto.
- Querem parar com a viadagem de vocês? Acabamos de deixar para trás a Rinda que pode estar correndo risco de vida e vocês ficam brigando como duas garotinhas? Tenha dó viu! (Disse Eth, fuzilando os dois garotos na parede, ambos ficaram sem reação com o que ouviram e voltaram para seus lugares de antes silenciosamente).
Pela segunda vez desde que passaram pela porta de madeira, uma voz ecoou pelo ambiente, novamente falando algo que precisava ser cumprido.
- Na caverna só há proteção das sombras e da escuridão, para que tudo se possa observar, algo necessita brilhar, mas apenas quatro poderão passar! (Falou a voz, desaparecendo logo depois).
- Já entendi, acho que agora é a minha vez! (Disse Punzie, preparando-se para agir)...
 


Notas Finais


Até outra hora ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...