História Os Guardiões Das Estações - Capítulo 43


Escrita por: ~

Exibições 18
Palavras 1.388
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Escolar, Fantasia, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hizei: O senpai me deixou escrever um pouco desse capitulo.
Jaicke: Claro, depois da safadeza que ele escreveu ele te deixou pra arrumar os espaços.
Hizei: Você deveria ficar calado depois dos capítulos anteriores!
Jaicke: Só queria dar um pouco mais de animo, nao tenho culpa se as pessoas sao fracas!
Hizei: Pare com isso, nem voce é lá toda essa força! Podem ir ler pessoal!

Capítulo 43 - Momentos Atrasados


Pov. Jackson – Eu não acredito que o Hic fez isso comigo, o pai dele quase me mata e ele simplesmente deixa que minha mãe me traga de volta para casa? Porque ele não me quis com ele? Isso não foi nada agradável! (Eu andava de um lado para o outro completamente confuso, não saberia dizer se assustado ou irritado).
- Jack, você quer alguma coisa? Você está melhor? (Minha mãe gritou da sala, como eu estava trancado no quarto a algum tempo ela começava a ficar preocupada).
- Eu estou melhor sim, e não, não quero nada, obrigado! Pode ficar tranquila! (Gritei de volta, sim, eu já estava mais calmo o suficiente para responder as perguntas da minha mãe).
- Qualquer coisa que precisar é só me chamar está bem?
- Pode deixar mãe!
- Infelizmente mãe, você não pode me dar o que eu quero nesse momento, e tudo que eu posso fazer é dormir, não estou afim de mais nada! (Foi meu último pensamento antes de me lançar sobre a cama). - Será que ele não me quer mais tão perto dele? Será que ele estava planejando fazer algo com o Jai e não queria que eu visse?
Foi com esses pensamentos que acabei sendo levado pelo sono, não percebi quando foi, mas lembro que algumas lagrimas molharam meu travesseiro antes que o sono chegasse...
Em um momento da noite eu despertei completamente sonolento ouvindo o som da chuva, decidi me levantar para ir observar o lado de fora da casa pela janela já que aquela chuva parecia um tanto quanto “suspeita”. (Já que o céu não tinha nada que indicasse que iria chover por um bom tempo antes que eu pegasse no sono). Olho pelo vidro e não vejo nada além de algumas arvores sendo encharcadas pela chuva que ao mesmo tempo que parecia calma, mostrava que era forte.
- Eu queria você aqui, do meu lado! Porque você não está aqui comigo em?
- E quem disse que eu não estou? (A voz que tanto buscava ouvir me fez sobressaltar, o som vinha detrás de mim, tão próxima ao meu corpo que parecia toca-lo).
Me virei tão rapidamente quanto fosse possível, mas tudo que encontrei foi o meu quarto vazio e silencioso. Eu volto meus olhos para a chuva que parecia tão serena, ao visualizar o meu reflexo no vidro, o rosto que encontro é o dele.
- Será que eu não mais me reconheço? Será que tudo que vejo é você?
- Se vamos ficar juntos para sempre, eu espero que tudo que você veja seja eu, assim como eu só quero ver a você! (Dessa vez o som veio do próprio reflexo, aquilo começava a me assustar completamente).
- Hic? É mesmo você? Ou tudo isso não passa de uma simples ilusão? Um sonho ou um pesadelo? (Minha voz parecia não querer sair de meus lábios, mas eu sentia que elas tinham sido ouvidas).
De repente eu vejo uma forma atravessando o piso do meu quarto, agora eu conseguia visualizar seu rosto límpido e puro, com os olhos fechados e o corpo a se materializar sobre a minha visão.
- Sim Jack, tudo isso é um sonho, acorde! Eu estou bem aqui com você!
Neste momento tudo pareceu desaparecer, eu ainda estava no meu quarto, mas ao prestar melhor atenção ele estava lá, eu estava sobre seu colo, estava chorando. Então tudo não passou de um sonho? Mas como tudo aquilo aconteceu? E como ele estava ali e eu não o percebi chegar?
- Hic? Mas como você...?
- É um talento dos meus poderes, posso atravessar matérias solidas, foi dessa forma que cheguei aqui sem ninguém perceber!
- Mas...
- O sonho? Bem... nossos pingentes nos conectam, então eu achei que eles poderiam te fazer sonhar o que eu quisesse e funcionou!
- Mas porque tudo isso?
Porque meu egoísmo quase me fez cometer outra loucura, e isso eu não permitiria de modo algum! Eu estou aqui porque é você que amo e te ver triste me deixa triste! Foi culpa minha você chorar, então eu que terei que seca-las!
Naquele momento eu parecia estar totalmente nas mãos de Hic, eu estava submisso a ele e daquela vez, queria estar assim, dessa forma eu sempre saberia que também sou dele!
Hic tomou meus lábios calmamente, podia sentir o doce sabor de seus lábios, aquele sabor que era só dele, nossas línguas travavam uma batalha por espaço, mas eu não me importaria em perder, podia sentir seus braços me apertando ainda mais contra seu corpo, eu queria ele completamente...
- Hic...
Eu não pude terminar de falar, porque ele não permitia que meus lábios se desconectassem dos dele, e felizmente, eu também não queria que o beijo terminasse, mas o ar se fez falta.
- Jack, acho que trocamos os papeis por este momento não acha? O chorão aqui sou eu! (O sorriso dele era tão lindo, tão sereno).
- Contanto que apenas você tenha esse lado de mim, eu não me importarei nem um pouco.
Desta vez fui eu quem recomeçou o beijo já me virando para poder retirar sua camisa, eu o queria a todo custo e não deixaria nem mesmo um segundo sequer passar. Hic percorria suas mãos por baixo da minha camisa acariciando todo o meu corpo e logo depois retirou-a e lançou para um lado do quarto. Eu me levantei para retirar o resto das minhas roupas e aproveitando esta pausa Hic fez o mesmo com as dele, me aconcheguei entre suas pernas e comecei a morder seu pescoço, além de fazer curtos movimentos com meus quadris sobre seu membro ereto e exposto arrancando abafados gemidos de prazer.
Aquilo parecia me tomar para um outro universo, o qual não me importaria nem um pouco de se perder para sempre. Eu começava a percorrer todo o seu corpo distribuindo beijos e mordidas começando pelo seu peito, sugando e saboreando todo o gosto do seu corpo, do meu corpo, porque ele era apenas meu! Após terminar o “trabalho” em um de seus mamilos, parti para o outro, repetindo o ato que cada vez se tornava mais saboroso a medida que os gemidos de Hic iam ficando cada vez mais excitantes.
Continuei percorrendo minha trilha pelo seu abdômen, tendo o cuidado de não permitir que nenhum espaço sequer não fosse alvo dos meus beijos e mordidas. Enfim cheguei onde tanto queria e ansiava, seu membro pulsante que buscava alivio, sem rodeios o abocanhei de uma única vez e ferozmente, com movimentos rápidos e intensos que aumentavam em sincronia com os gemidos de Hic, eu queria mais, muito mais!
Parei minha apreciação recebendo uma mordida no pescoço em sinal de reprovação, não me importei muito com aquilo. Me posicionei sobre o seu membro e com cuidado fui o penetrando em meu interior, deixando abafados gemidos de dor e prazer escaparem dos meus lábios, quando senti todo seu membro em meu interior comecei a me mexer, eram movimentos calmos e tranquilos que se intensificavam à medida que o prazer ia tomando o lugar da dor. Hic começou a me masturbar seguindo a mesma velocidade que meus movimentos e soltando contidos gemidos de prazer, nossos corpos suados pelo calor agora aqueciam completamente todo o quarto que antes parecia frio e fúnebre, era assim que era Hic, o meu calor, ele aquecia o meu coração quando este parecia frio e morto, ele se tornava o meu calor e a minha luz. Chegamos ao limite juntos, com todo seu prazer preenchendo o meu interior enquanto o meu tomava nossos corpos, estávamos ofegantes e cansados, retirei seu membro do meu interior e me aninhei no colo de Hic.
- Jack, eu só quero que saiba, eu não aguentaria nem mais um segundo sem você, queria um simples beijo e ganhei tudo isso.
- Eu também queria te confessar uma coisa, eu esperei por isso tempo demais para acabar logo agora!
Hic corou com o que eu havia dito, mas eu não me importava, era desse modo que eu o amava e continuaria a amar, ele é meu e eu não o divido com ninguém! Tomei novamente os seus lábios em um beijo fervoroso.
- Hic, eu só não quero que a noite acabe tão cedo porque eu ainda quero te amar até o dia clarear! ...
 


Notas Finais


Hizei: O senpai estava sem escrever por um tempinho porque nao estava se sentindo bem.
Jaicke: Pode-se dizer que o pinguim nao aguenta as altas temperaturas que estão fazendo.
Hizei: Como assim pinguim?
Jaicke: Meu querido Good, pare de ser tao inocente, voce deveria entender um pouco mais as coisas!
Senpai: *lança um tijolo no Jaicke*
Hizei: Assim como voce que deveria aprender a ter a cabeça mais resistente? *rindo*
Jaicke: Seus idiotas! Vamos logo embora!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...