História Os guerreiros do apocalipse - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 7
Palavras 746
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mecha, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Doutora Seyna protege seu filho


Fanfic / Fanfiction Os guerreiros do apocalipse - Capítulo 4 - Doutora Seyna protege seu filho

Doutora Marta Seyna chefe do departamento de tecnologia avançada da sessão 9 e responsável pelo acompanhamento do desenvolvimento bélico de uma estação avançada na cidade vizinha, Ultra city. Ela também desenvolveu dois protótipostadores que acabaram sendo reprogramados para proteção domiciliar, eram chamdos de A1 e A2 por serem do mesmo material e das mesmas configurações, o único diferencial eram as cores deles onde o 1 era vermelho e o 2 era amarelo.

Seyna tinha uma vida de sucesso na cidade e era reconhecida pelo seu esforço nos projetos desenvolvidos para novos armamentos na sessão 9 , ela ficou no lugar de Norman depois que ele passou os seus seis meses na china e tomou posse da sessão depois que ele saiu da empresa , mas logo passou a responsabilidade para outro doutor , pois ela não queria ocupar o lugar de um amigo. Uma mulher forte que perdeu o marido nas guerras áreas contra os Zogues e tinha um filho no qual ela dava tudo pela segurança e vida dele.

Quando os alarmes tocaram foi um horror no bairro de Seyna , os bandidos começaram a invadir as casas de todos na vizinhança e por má sorte a dela foi invadida e nesse exato momento os robôs emitiram um alarme para seu upcell, uma versão do celular , então ela saiu as pressas da secretcom e foi para sua casa. Os robôs não tinham armas e não eram programados para lutar eles apenas emitiam alarmes para a polícia e para Seyna deixando assim com que os bandidos entrassem na casa e rendesse o pobre Will de 12 anos.

Desesperada e dirigindo um caminhão da companhia Seyna ia o mais rápido possível para sua casa salvar o seu filho de alguma forma e nesse momento ela lembrou que tinha uma arma de desintegração molecular na sua bolsa e logo bolou um plano na mente. Estacionando o caminhão quase na porta de sua casa ela sai correndo com à arma na mão , da a volta na casa e entra pelos fundos e é surpreendida por um dos bandidos.

- olha a delícia que temos aqui. - disse o bandido cheirando os cabelos loiros de Seyna.

- me solte sua barata asquerosa. - disse Seyna fazendo força para se soltar.

- agora seu filho vai ver a mãe dele sendo estuprada por todos nós.

Seyna lembrou que seus robôs domésticos poderiam restaurar suas configurações originais através de uma palavra de comando a qual ela não se lembrava, mas lutava mentalmente para achar o nome em sua memória, enquanto isso , os bandidos alisavam seu corpo e um deles se posicionou na altura de sua cintura e começou a tirar a calça de Seyna. O pobre Will estava sendo forçado por um dos bandido para olhar sua mãe que estava prestes a ser estuprada.

Lutando contra sua mente ela finalmente descobre a palavra que na verdade era uma equação.

- acabou seus monstros!- gritou ela. - X Y=4-5=1×0,34÷7. - depois de falar a equação os dois robôs se reiniciam e entram no modo soldado.

Quando um dos bandidos começa a tua a calça de Seyna ele é surpreendido com uma bala de ultra anestesia na perna e o mesmo cai, o outro que segurava a doutora é acertado com uma perna de cadeira na cabeça, Seyna pega sua arma e atira no que está no chão e o mesmo se desmaterializa e o que estava segurando seu filho é arremessado para o teto com tanta força que seu corpo fica preso e logo sem seguida cai sem vida. Os robôs perdem energia, pois havia muito tempo que não eram sobrecarregados e logo se desligam, a mãe abraça seu filho e olha no relógio percebendo que faltava apenas 15 minutos para a tempestade chegar e então aciona os botões de locomoção manual dos robôs e logo ela é seu filho empurram os dois robôs para o caminhão partindo então para o templo que ficava bem perto dali.

Na porta do templo Seyna diz para seu filho. - meu amor , a mamãe vai demorar um pouco para entrar, pois vou trocar a placa dos robôs. Então entra logo e me espera na praça A.

- volta logo mesmo mamãe. - disse Will chorando.

Seyna colocou os robôs um do lado do outro e trocou rapidamente a placa e deu novos e rápidos comandos para os robôs que logo ligaram e ficaram como sentinelas na porta do templo e cinco minutos depois ela entra  e encontra seu filho e a tempestade alcança a cidade.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...