História Os Irmãos Eaton - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Divergente, Shailene Woodley, Theo James
Personagens Beatrice "Tris" Prior, Caleb Prior, Christina, Eric, Ezekiel "Zeke" Pedrad, Jeanine Matthews, Lynn, Marcus Eaton, Personagens Originais, Peter, Shauna, Tobias "Quatro" Eaton, Uriah, Will
Tags Adoção, Amor, Divergente, Família, Fourtris, Irmãos, Romance, Shai Woodley, Theo James
Exibições 263
Palavras 2.174
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi pessu!!!

Beleza?

No capítulo de hoje o Tobias vai ficar meio revoltado... e vocês vão entender o porquê, pois vocês também vão ficar. Hahaha

Boa Leitura ♥

Capítulo 5 - Será?


Fanfic / Fanfiction Os Irmãos Eaton - Capítulo 5 - Será?

São Paulo; 06:09

Tobias

Acordo e eu e Tris estamos de conchinha.

Ela é tão fofa, tão pequenina, não queria que ela fosse minha irmã.

Não pelo fato dela ter sido adotada pelos meus pais, mas sim pelo fato que se eu quiser ficar com ela nossos pais talvez não aceitem.

Poxa, ela poderia ser uma garota nova na escola, ou uma amiga em comum com outros amigos, mas não, tem ser justo minha irmã.

Tris começa a se mexer na cama e seu bumbum pressiona meu membro, e eu prendo a respiração por um tempo, tentando me controlar. Tris se mexe de novo e seu bumbum se esfrega um pouco em mim, despertando a anaconda. Droga, se ela sentir é capaz dela acordar. Ela para de se mexer e eu suspiro aliviado. Fico fazendo carinho no cabelo dela, que a propósito tem um cheiro muito bom... melancia, mas não é um cheiro forte, é um cheiro doce, porém suave. Me embriago no cheiro dela e fecho meus olhos, acabo por não perceber o momento em que caio no sono.

***

Acordo e a Tris não está mais do meu lado, viro de barriga para cima, encaro o teto e respiro fundo. Por que tinha que ser logo ela, mãe?

Ouço três batidas na porta, que me tiram dos devaneios.

-Pode entrar.- digo e a porta se abre, revelando uma Tris linda.

- Oi mano.- ela diz sorrindo e eu sorrio também-Bom dia, a mãe pediu para eu vim te acordar.- ela diz se aproximando e sentando na cama ao meu lado.

Ela começa a acariciar o meu cabelo e eu fecho meus olhos.

- Algum motivo em especial?- pergunto.

-Na verdade sim, temos um jantar com a sua família hoje.- ela diz e eu abro meus olhos.

-Nossa família.- corrijo e ela assente.

-Sim, nossa família.- ela diz sorrindo e consigo sentir sua felicidade ao dizer isso.

- Quer ir no shopping, ou você já tem roupa para o jantar?- eu pergunto.

-Não tenho- ela diz.

-Tudo bem. Me espera aqui, eu vou tomar um banho rapidão e nós vamos, beleza?!- digo.

- Beleza.- damos soquinho um na mão do outro e eu vou pro banheiro.

Tomo banho, enrolo a toalha na cintura, e saio do banheiro em direção ao closet. Mas eu tenho que passar pelo quarto para entrar na porta ao lado.

Eu simplesmente saio do banheiro e entro na outra porta. Sinti e ainda sinto o olhar da Tris sobre mim, não fechei a porta do closet, então ela consegue me ver perfeitamente. Coloco minha cueca e fico desfilando para lá e para cá no closet, só para atrair a atenção dela.

Depois de uns minutos assim, pego uma bermuda branca, gosto de usar bermuda clara, contrasta com o bronzeado da minha pele. Pego uma Polo preta lisa e um sapatenis preto.
Passo perfume, penteio e depois bagunço um pouco meu cabelo e volto para o quarto.

- Uau!- diz a Tris e eu me sinto um deus.

- Ficou bom?- pergunto dando uma rodada de um jeito sexy.

- Tá lindo!- ela diz rindo e eu sorrio em agradecimento.

- Vamos?

-Claro!- ela diz e levanta da minha cama.

Fomos para sala e minha mãe estava sentada no sofá com o macbook no colo.

- Oi mãe.- digo dando um beijo na cabeça dela.

- Bom dia meu anjo. A Tris já lhe avisou do jantar, não é? - eu assinto- Ótimo. Já estão indo?- ela pergunta.

- Sim, estamos sim- digo.

- Tchau mãe- diz a Tris.

- Tchau meus amores. Juízo!- ela diz e a Tris ri balançando a cabeça.

Fomos para o shopping conversando animadamente. Chegando lá nós fomos dar uma olhada em algumas lojas, quando a Tris gostava de algo eu incentivava, apesar que tudo que ela escolheu eu realmente gostei.

Depois de comprarmos alguns vestidos e conjuntos para ela, fomos na loja da Chanel e depois na da Calvin Klein, compramos alguns perfumes, roupas íntimas, e a Tris comprou uns cinco tops para fazer exercícios. Não que eu ache que ela precise, porque ela é uma p*** de uma gostosa.
Depois fomos na praça de alimentação, Tris disse que queria comer lanche.

-Mana, Mc ou BK?-pergunto.

- Hum... BK.- ela diz.

-Perfeito! Vamos.-digo e puxo ela pela cintura e paramos na fila.

Eu abraço a Tris pela cintura e enterro meu rosto em seu pescoço, sentindo o seu cheiro alucinante.

Admito que eu gosto de tirar uma casquinha da Tris, um beijo no canto da boca aqui, uma mãozinha boba ali...

-Tobias? - diz a Tris me tirando dos pensamentos.

- Sim?- respondo.

- A mão.- ela diz e quando olho para minha mão estava no bumbum dela.

- Desculpa, eu não reparei.-NAAAAÃO, imagine!!

Ela ri, soltando um "uhum".

Ficamos um tempo na fila, já que estava meio embaçado.

- Nossa que saco!- murmura a Tris.

-Calma Pequena, vem cá.-digo e ela se aproxima de mim, e nos abraçamos.

- Gosto do seu abraço.- ela diz deitando a cabeça em meu peito.

-E eu gosto de te abraçar.- digo e dou um beijo na bochecha dela.

Tris olha para mim e sorri. Sorrio de volta. Olho para seus lábios e ela os umedece com a língua, sinto-os me chamarem, então aproximo devagar meu rosto do seu, Tris cora, mas não me impede e nem recua. Pelo contrário, ela se aproxima de mim também.
Sinto nossas respirações trocadas, roço meus lábios nos seus e quando íamos começar o beijo...

- Boa tarde, senhores.-diz a atendente um pouco constrangida.

Bufo e me viro para frente, ainda segurando a cintura da Tris.

-Boa tarde.-digo com uma voz e um olhar mortal.

Faço nossos pedidos e esperamos para retirar. Olho para Tris e me aproximo novamente, jamais deixaria esse momento passar. Levo minha mão a sua bochecha e acaricio, ela sorri um sorriso fofo que me deixa com ainda mais vontade de beijá-la, e é o que eu faço. Me aproximo ainda mais e colo nossos lábios, mas só deu tempo de um selinho e movimentarmos os lábios uma vez porquê...

- Tobias.- diz a atendente e eu bufo novamente.

Me separo da Tris, pego a bandeja com os lanches e saio bravo em busca de uma mesa.
Tris me acompanha, andando ao meu lado.

Acho uma mesa e nos sentamos. Pego meu lanche e a batata e dou a bandeja para ela, que me olha com um olhar diferente, meio triste e ao mesmo tempo calmo,  fazendo me acalmar também. Suspiro olhando para os lados tentando me acalmar um pouco mais. Olho para ela novamente e ela continua me olhando daquele jeito.

- Desculpa pelo meu nervosismo, Tris- digo e seguro a sua mão por cima da mesa.

- Tudo bem.- ela diz sorrindo de um modo acolhedor e acariciando minha mão.

Comemos e depois voltamos a andar. Compramos alguns sapatos, tenis e sandálias para Tris e depois algumas maquiagens.

Depois disso voltamos para casa.

- Manhê, chegamos!!- eu digo.

- Olá meus amores e uauu!! Filha eu quero ver as coisas.- diz minha mãe animada.

- Vamos lá que eu te mostro, mãe.- diz a Tris animada também.

Ela pega as sacolas da minha mão e me dá um beijo na bochecha, ou melhor, no canto da boca.

- Obrigada, Tob.-ela diz e eu a puxo para um abraço.

- Imagina, Tris- digo e beijo a sua testa.

Ela sobe com a minha mãe e eu vou para o quarto. Não vejo a hora de ver a Tris com uma daquelas roupas.

Tris

Levo minha mãe para o meu quarto. Entramos, eu fechei a porta e nos sentamos na cama.

-E então filha? Gostou de passear no shopping?- ela me pergunta.

- Eu gostei bastante mãe! Foi bem divertido!- digo animada.

- E... Rolou beijinho? - ela me pergunta.

- Mãe! Não, claro que não!- digo rindo meio nervosa.

- Tá bom.-ela diz estreitando o olhar.

- Tá... A senhora venceu. Rolou só um selinho. Quando ele ia me beijar a atendente nos chamou. Ele ficou muito bravo, mãe. Deu até um certo medo.- digo.

- Sei bem, Tobias as vezes é meio nervosinho.- ela diz rindo-Mas agora me mostra. O que vocês compraram? - ela pergunta e eu vou mostrando as roupas para ela e depois os sapatos.

Dei a ela os sapatos que eu havia comprado especialmente para ela e a mesma ficou toda animada.

- Aahh filhaa eu amei! Obrigada!!- ela diz.

- Imagina mãe!- digo e ela me abraça.

- Vou usá-lo hoje a noite. Bom... Já sabe como vai?-ela me pergunta.

- Já sim. Mas mãe... Preciso de ajuda com o cabelo e a maquiagem.- digo e ela dá um salto da cama.

- Ah!- ela bate palmas- Vou ajudar!!

Nós ficamos conversando até ouvirmos uma batida na porta. A mesma se abre revelando o pai e filho mais lindos que eu já vi. Hahaha saiu meio que puxa saco isso. Mas o pior é que é verdade. Marcus é lindo e Tobias também,  mesmo não parecendo inteiramente com o pai.

- Olá!- diz meu pai entrando no quarto sendo seguido por Tobias.

- Oi, amor.- diz minha mãe e eles dão um selinho, arrancando a linguona de Tobias, que faz uma careta.

- Oi, filha.- diz meu pai, dando me um beijo na testa e ignorando completamente a atitude, de mostrar a língua, do Tobias.

Assim que ele se aproxima do filho, lhe dá um tapa brincalhão na cabeça.

- Bobão!- ele diz e nós todos rimos da segunda careta feita por Tobias.

- Já estão prontas?- pergunta meu pai.

- Nop.- respondo.

- Nem eu.- ele diz indo até a porta- vou me aprontar, aprontem-se também. - ele finaliza.

- Sim, senhor.- digo e ele abre um sorriso largo.

-Veja Tobias, você deveria ser mais como a sua irmã. - ele brinca.

- Nossa, pai.- Tobias abaixa a cabeça,  fazendo cara de triste.

Dá muita vontade de agarrar ele quando faz essas caras.

- Oh meu filho, sabe que só brinco. Te amo do jeito que você é. Até mesmo quando é abusado.- ele diz abraçando Tobias e eu não contenho o choro.

Gente, vocês tem que entender que eu nunca tive demonstração de afeto em relação a família.  Para mim tudo isso é muito novo e muito bonito e eu me emociono mesmo.

- Oh, filha. Você também.- ele diz.

Marcus se aproxima e se senta do meu lado esquerdo, me deixando entre ele e Evelyn.

Tobias se senta no chão,  de frente para mim apoiando as mãos em minhas pernas.

- Saiba que mesmo convivendo a pouco tempo com você,  nós já te amamos muito. Você se mostra sempre uma meninas carinhosa, amorosa e nós daremos isso em dobro a você... Eu sei como se sente filha.- diz ele com a voz embargada.- Eu também cresci em um orfanato, mas diferente de você,  eu não fui adotado. Saí do orfanato com maior idade, e desde lá decidi que quando eu tivesse filhos daria a eles todo amor, carinho e afeto que eu não tive.- nesse momento percebo que todos estão chorando, inclusive Tobias.-  As pessoas acham que as Eaton' s já vem de tempos,  mas eu a formei. Nunca tive um pai ou uma mãe para me incentivar a seguir na carreira que eu queria . Mas aí eu conheci a mãe de vocês, dois meses depois que eu saí do orfanato. E ela foi de extrema importância em minha vida.- ele diz pegando a mão dela- Ela me incentivava, me dava forças e a cada dia fomos lutamos juntos para chegar onde chegamos, sempre seguindo os caminhos de Deus, claro. E graças a Ele, nós conseguimos o que temos hoje, inclusive, uma família perfeita. Família esta que agora você faz parte.- ele diz enxugando minhas lágrimas- Nós te amamos Beatrice. Independente de qualquer coisa. Talvez você esteja pensando que eu estou falando isso da boca para fora, porque faz pouco tempo que nos conhecemos. Mas uma exemplo de que pouco tempo entre pais e filhos não quer dizer nada, é uma mãe. Quando ela começa a gerar o filho ela já o ama, bem no comecinho, quando ele ainda tem o tamanho da metade de um grão de arroz. E mesmo esse não sendo o caso,  nós te consideramos como nossa filha e o Tobias já te considera como irmã. - nesse momento vejo Tobias revirar os olhos- Então não se esqueça meu amor, nós te amamos!

Assim que ele termina de falar eu o abraço. Um abraço forte, em que Marcus me passa toda segurança e amor que um pai passa para um filho.

Depois de abraçar meus pais, abraço Tobias, que percebi que ficou meio bravo com a parte do "irmã".

As vezes me pergunto... Será que ele sente algo por mim? Será que ele sente o mesmo que sinto por ele ou é algo diferente?
Ou será que esses comportamentos e reações dele são provenientes de um suposto ciúme de seus pais comigo?



Notas Finais


Não me matem pelo "quase beijo".

Eles vão se beijar gente, mas calma. O beijo está próximo, só não vou dizer em qual capítulo está, está próximo.

Para falar a verdade o beijo estava nesse capítulo, mas eu não gostei da descrição dele, então resolvi reescrever em outro capítulo.

Enfim, em breve teremos o tão esperado Beijo.

Esse Tobias é um safado!

E ainda para valorizar, chama seu parceiro de Anaconda, e diz que é capaz de acordar a Tris.
Ok né? ! Se levarmos em consideração os 18 centímetros... a Tris vai descrever a Anaconda no tempo certo.
Ela nos dirá como é.

Bom, eu espero que vocês tenham gostado do capítulo.

Até... gente decidi postar no domingo também. Então até domingo!♡♥

Mil beijos meus amores♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...