História Os Laços Que Nos Unem - Capítulo 83


Escrita por: ~

Postado
Categorias Academia de Vampiros (Vampire Academy), Dylan O'Brien, Holland Roden, Lendas Urbanas, Mitologia Grega, Shelley Hennig, Teen Wolf, Tyler Posey
Personagens Adrian Harris, Alan Deaton, Allison Argent, Bobby Finstock, Chris Argent, Claudia Stilinski, Erica Reyes, Gerard Argent, Hayden Romero, Jackson Whittemore, Kate Argent, Kira Yukimura, Liam Dunbar, Malia Tate, Marin Morrell, Matt Daehler, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Peter Hale, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Vernon Boyd
Tags Amor De Irmão, Banshee, Beacon Hills, Criaturas Mitologicas, Dumbledear, Dylan O'brien, Lobisomem, Mitos, Sciles, Scira, Sobrenatural, Stalia, Stiles Stilinski, Stydia, Teen Wolf, Vampiro, Void Stiles
Visualizações 81
Palavras 2.421
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Será que agora vai?????

Agosto é o meu mês, juro pra vcs

Grande abraço!

Capítulo 83 - O Esquema


Fanfic / Fanfiction Os Laços Que Nos Unem - Capítulo 83 - O Esquema

As celebrações duraram a noite inteira. Espectadores, amigos, família e guardiões encheram os salões enquanto Chris chamava-lhes os nomes, um por um, e lia suas pontuações. A pontuação era importante; seria publicada e, junto com as notas escolares, influenciaria o nível de emprego que eles teriam. Os noviços recebiam seus diplomas e proclamavam o juramento que os ligaria definitivamente para com a liga de guardiões. 

Um dos noviços que vinham antes de Stiles conseguiu uma nota particularmente alta em proteção de meio-sangue em combate mano-a-mano. "Me pergunto o que ele fez para passar aquele meio-sangue pela ponte," Stiles murmurou em voz alta, pensando no que tinha passado. 

Ao lado de Stiles, outro noviço, Marcus, lhe lançou um olhar confuso. "Do que você está falando?"

"De quando tivemos que atravessar aquela ponte com o meio-sangue," ele explicou. Marcus continuou parecendo confuso, então Stiles elaborou. "Eles colocaram Vampiros dos dois lados. Lembra?"

"Eu atravessei a ponte, sim," disse Marcus. "Mas eu estava sozinho. Passei meu meio-sangue por um labirinto."

Stiles franziu o cenho, mas não por muito tempo. Seu nome foi chamado e ele ouviu distintas arfadas quando Chris leu sua pontuação. Ele recebeu a mais alta da turma inteira. Seu cérebro ainda tentava desvendar o mistério da ponte, mas agora foi tomado por uma sensação estranha. Suas pernas tremeram. Borboletas dançaram no seu estômago. Ele era um guardião. Um guardião de verdade, com votos e marcas e um diploma. E com essa revelação, vinham perguntas. O que aconteceria agora? Será que aquela pontuação tão alta seria o suficiente para apagar uma vida inteira de péssimo comportamento? Poderia ele ser o guardião de Scott? E Gerard Argent? E Malia?

Ele se moveu, incerto, sentindo o peso do que estaria por vir. O evento inteiro pareceu carregadíssimo. Isso aqui não era sobre Malia ou Scott. Isso aqui era sobre ele, sobre o resto de sua vida. A escola tinha acabado. Ele não teria mais professores tomando conta dele, lhe dizendo o que fazer, lhe corrigindo quando errasse. Todas suas decisões seria suas apenas e ele teria que enfrentar as consequências também sozinho. Teria que proteger alguém sozinho. As pessoas o olhariam como uma fonte de autoridade. Ele trabalharia o tempo inteiro. O pensamento era intimidador; a pressão quase que forte demais. 

Do outro lado do salão, ele encontrou o olhar de Scott por entre a multidão. Tire esse olhar da tua cara, Scott falou pelo laço. Você não deve parecer ansioso, hoje não. Você precisa comemorar. 

Stiles sabia que ele estava com a razão. Stiles podia lidar com o que viria. Suas preocupações — que eram muitas — podiam esperar mais um dia. Ele tocou o Nazar que usava no pescoço — acreditava-se que lhe traria proteção. 

Lydia o encurralou durante a festa. "Guardiãozinho," ela começou. "Tenho que dizer, você deu uma surra lá fora."

"Isso significa que você será mais legal comigo?"

"Eu, que já sou tão legal contigo?" ela disse com entusiasmo. "Você não faz ideia. Mas acredito que depois de ter te visto em ação, serei definitivamente mais cuidadosa perto de ti. E aquela sua mãe louca quase que me faz parecer sã. Bem, talvez não sã. Menos louca. Vamos deixar por aí."

Stiles gemeu. "Não a chame disso. E você tinha mesmo que andar com ela?"

"Ei, ela é legal," Lydia discutiu. "Um pouco instável, mas legal. Nos damos muito bem." Ela piscou pra ele. 

Todos os presentes também vieram pessoalmente parabenizá-lo com reverências e sorrisos orgulhosos. A festa foi quase tanto um borrão quanto o teste. Stiles jamais havia percebido quantas pessoas gostavam dele até que todos vieram lhe prestar homenagem. Fez com que ele se sentisse humilde e ele chegou perto de chorar mais de uma vez. Todo mundo queria uma palavrinha com ele, e Stiles ficava surpreso e alegre sempre que alguém novo aparecia na sua frente. 

"Finalmente com uma licença para matar. Já era tempo."

Stiles se virou e deu de cara com os olhos divertidos de Kira Yukimura, que há muito tinha passado de constante incomodação para uma grande amiga. Tão grande, de fato, que no seu estado aumentado de espírito, Stiles esticou os braços e a abraçou, algo que claramente a surpreendeu. 

"Ei, ei, ei," ela fez empurrando ele, corada. "Onde já se viu. Você é a única pessoa que fica emotiva por ser reverenciado como matador."

"Olha quem falando," ele disse. "Você está se coçando para se jogar no campo de batalha."

Ela deu de ombros para concordar. Olhando por cima do ombro dela, Stiles viu Isaac Lahey. 

"Oi, cara," ele disse, lhe dando um sorriso acolhedor. "Obrigado por vir."

Isaac sorriu também. "Tive que vir," ele disse. "Quero dizer, foi tão legal o que você fez. No teste. Todo mundo ficou chocado. Ouvi um dos guardiões dizendo que nunca viu nada igual. Ah! Eu nem te dei parabéns. Foi mal. Parabéns."

Ao lado dele, Kira se segurou para não rir. Stiles não se deu o mesmo trabalho e, rindo, apertou a mão de Isaac. "Valeu, cara. Estou feliz que esteja aqui. Fique por perto, Lahey. Tenho altos assuntos pra tratar contigo." Ele voltou a olhar para Kira. "E tu. O que vai fazer agora?"

Mais uma vez, ela deu de ombros. "Ir para a Corte com o resto dos perdedores. Incluindo tu. Meu tio Derek disse que vamos ter uma conversa sobre o meu futuro." Ela fez uma careta. "O que quer que isso signifique." Seguindo o olhar dela, Stiles viu Derek no outro lado do salão e, por Deus, ele conversava com Dia Genim. 

Na última vez que Stiles tinha visto Derek, havia muita animosidade e ciúme entre eles. Agora, Stiles o via com outra luz. Ele via alguém que acreditaria nele quando chegasse a hora de contar a verdade sobre os Vampiros. Ele via um possível aliado. Talvez Stiles ainda não fosse fã do cara, mas ele definitivamente o admirava. E, pela atitude caprichosa de sua mãe, era claro que ela sentia o mesmo. Dia serviu uma taça de champagne para Derek e disse algo que o fez rir. Ele inclinou-se na direção dela, como se contasse um segredo, e ela riu também. O queixo de Stiles caiu. Mesmo de longe, era óbvio que eles flertavam. 

"Meu Deus," ele disse com um arrepio, rapidamente voltando-se para Kira e Isaac. 

Kira parecia dividida entre presunção pelo desconforto de Stiles e sua própria inquietação ao assistir o homem que lhe havia criado cair nas garras de uma mulher da máfia. Ela balançou a cabeça e escolheu ignorar tudo. Sua expressão se aquietou e ela voltou-se para Isaac, puxando assunto com ele. 

Stiles logo encontrou-se sorrindo novamente, mas seus sentimentos foram disputados por uma onda de ciúmes. Não era dele, no entanto. Era o ciúme de Scott, vindo pelo laço psíquico. Surpreso, Stiles o procurou pelo salão e o encontrou lançando um olhar de morte para onde Kira e Isaac conversavam. Kira o notou também, e sua expressão tornou-se fria. Percebendo que tinha a atenção dela, Scott imediatamente virou-se para a primeira loira que encontrou e começou a dar em cima dela. Kira olhou para Stiles e revirou os olhos. 

"Será que dá pra você pararem com isso?" Stiles reclamou. "Vá falar com ele."

"Eu vou," ela disse amargamente. "Quando ele começar a agir como uma pessoa racional."

"Olha só, vocês vão me fazer arrancar meus cabelos."

"Seria um desperdício de cabelo bom," ela falou. "Além do mais, ele deixou sua atitude perfeitamente clara."

Stiles começou a protestar, a dizer que ela estava sendo estúpida, mas Kira não tinha intenção alguma de ficar ali pra ouvir aquilo. 

"Vamos, Lahey," ela disse. "Stiles tem muita gente com que falar." E ela saiu correndo de lá. 

Stiles estava considerando correr atrás dela e bater na sua cabeça até que ela mudasse de ideia quando uma voz interrompeu seus pensamentos. 

"Quando você vai consertar isso?" Derek perguntou, parando ao seu lado. "Aqueles dois precisam voltar."

"Eu sei disso. Tu sabe disso. Mas eles parecem incapazes de entender."

"Bem, você vai ter que dar um jeito," disse Derek. "Se a Kira for pra faculdade do outro lado do país, será tarde demais."

"Eu sei," Stiles disse, desesperado. "Mas por que eu tenho que consertar isso?"

Derek sorriu. "Porque tu é o único capaz de convencer os dois."

Stiles decidiu aceitar aquilo, mais porque tendo o Derek ali com ele significava que o cara não estava falando com Dia. Olhando ao seu redor, Stiles fez outra careta. Dia agora estava falando com o pai de Stiles. Partes da conversa dos dois chegava até ele. 

"Noah," Dia dizia, "você está especialmente desconfortável, posso ver. Deve pensar em coisas agradáveis. Lembra daquela noite em Cappadocia?" 

O Guardião Stilinski ficou vermelho como um pimentão. Stiles nunca tinha visto aquilo. E decidiu que não queria ver nunca mais. "É claro," o pai respondeu curtamente. "Você está bem, Claudia. Não envelheceu um dia."

Dia sorriu. "Um dos benefícios de ser Alquimista. Agora, querido, você se lembra de como queria me ajudar quando a alça do meu vestido arrebentou?"

"Jesus Cristo," Stiles soltou. "Ela é imparável!"

Derek pareceu não entender ao que Stiles se referia. Ele seguiu o olhar dele. "A Dia? Ela é muito interessante."

"Eca. Com licença."

Stiles foi até os seus... pais. Eles estavam relembrando algum passeio em alguma praia quando Stiles chegou neles. Stiles rapidamente puxou a manga de Dia pra longe. Ela estava perto demais do pai dele. 

"Ei. Posso falar contigo?" ele perguntou. 

Dia pareceu surpresa, mas concordou. "Certamente." Ela lançou um sorriso cheio de si para o pai dele. "Falaremos mais tarde, Noah."

"Nenhum homem está a salvo por aqui?" Stiles exigiu saber enquanto a puxava pra longe. 

"Do que você está falando?"

Eles pararam perto da mesa de bebidas. "Você está paquerando todos os presentes."

A reprimanda dele não pareceu incomodá-la. "Estou encantando eles. Há uma diferença. É sobre isso que você queria conversar?"

"Sim!"

Dia pareceu se alegrar com o desespero dele. "Stiles," ela disse, mudando de assunto, "estou orgulhosa de ti. Todos sabiam que você se sairia bem, mas ninguém imaginou o quanto. Eles certamente não esperavam que você destruísse propriedade deles."

"Que propriedade?"

"A ponte."

Stiles franziu o cenho. "Foi preciso. Era a maneira mais eficiente. O que os outros noviços fizeram? Eles não chegaram a lutar naquela ponte?"

Dia fez que não com a cabeça, se deliciando em cada segundo do seu conhecimento superior. "Mais ninguém foi posto naquela situação."

"Claro que foram. Todos encaramos os mesmos desafios." 

"Você não, é claro. Enquanto planejavam os testes, os guardiões decidiram que você precisava de algo... extra. Algo especial. Afinal, você tem lutado lá fora, no mundo real."

"O quê?" O volume da voz de Stiles chamou a atenção de algumas pessoas na volta. "Isso não é justo!"

Dia não pareceu preocupada. "Você é melhor que todos eles. Permitir que fizesse coisas fáceis teria sido injusto."

Stiles tinha encarado um monte de coisa idiota na vida, mas isso superou várias delas. "Eles me fizeram passar por aquela ponte então? Só eu? E se ficaram surpresos de eu tê-la cortado, o que esperavam que eu fizesse? Como eu deveria ter sobrevivido?"

"Hmm." Dia coçou o queixo, pensativa. "Honestamente? Acredito que não faziam ideia."

"Ah, mas pelo amor de Deus. Isso é inacreditável." Stiles lhe lançou um olhar cheio de suspeitas. "Como você sabe disso? É assunto de guardião."

"Tenho meus meios," ela disse. "Você acha que encanto homens porque não tenho nada melhor pra fazer?"

"Vou te parar bem aí," ele falou. "Quer dizer, estou feliz que tenha vindo me ver, mas você tá me perturbando."

Dia lhe deu uma olhadinha que lembrou Stiles que por debaixo daquela mulher bonita tinha alguém bem perigoso. "Você estava mais do que feliz em me ter te ajudando quando voltou da Turquia." 

Stiles se encolheu, lembrando que fora Dia quem tinha contatado Gerard Argent pra ele. "Tá bem," ele admitiu. "Foi bem incrível o que tu fez. E eu ainda não sei como conseguiu. Tu não chegou a ir até lá, né?"

Dia fez um barulho de desdém. "Claro que não. Eu não colocaria o pé naquele lugar."

Aí está, disse Bob. A grande oportunidade que você esperava, Stiles. Vá em frente. 

"Uh... Onde fica esse lugar?" ele perguntou, esperando conseguir soar desinteressado. 

Mas não era fácil enganar alguém como Dia. "Por que você quer saber?"

"Porque estou curioso! Criminosos condenados desaparecem sem nunca mais dar sinal de vida. Sou um guardião agora e não sei nada sobre o nosso sistema de prisão. Há só uma prisão? Há várias?"

Dia não respondeu prontamente. Ela estudava o rosto de Stiles com cuidado. No final, pareceu subestimar o potencial dele para insanidades porque disse: "Há mais de uma. Argent está na pior delas. Chama-se Blockierte."

Blockierte. Blockierte. Ele repetiu o nome várias vezes mentalmente para ter certeza de que não esqueceria. 

"E... Onde fica Blockierte?"

Dia abanou a mão no ar, como se a informação não fosse de real consequência. "Alaska." Então ela o perfurou com seus olhos dourados. "Fique avisado, Stiles, que qualquer prisioneiro tentando escapar terá uma tarefa impossível em frente. Ninguém é capaz de passar pelo nível de segurança que eles tem."

Stiles tentou ignorar o quanto aquilo soava como um presságio. Teria sorte, não teria? Se conseguisse convencer sua arma secreta? "O quão norte do Alaska?" ele perguntou. 

Dia sorriu. "Nem eu posso te dizer isso. É uma informação que os guardiões mantém pra si, enterrada no seu Quartel General."

Stiles congelou. Quartel General... Ele abanou sua mãe pra longe, querendo seguir esse novo plano que se formava em sua mente. Sozinho, ele deixou sua mente trabalhar naquilo, perguntando-se se o esquema que desenvolvia tinha alguma chance real de sucesso. As palavras de Dia havia despertado um novo plano. Não era mais louco que os outros planos que Stiles tinha.

Do outro lado do salão, seus olhos fizeram contato com os de Scott novamente. Com Kira fora do caminho, o humor dele tinha melhorado. Ele estava se divertindo e parecia feliz com as aventuras que viriam, agora que eles estariam livres da Academia de Beacon Hills. A mente de Stiles lembrou das ansiedades que sentira mais cedo. Talvez estivessem livres agora, mas a realidade os alcançariam não importa onde estivessem.  

O tempo está passando, Bob lhe disse. 

Sim. E Malia está esperando. 

Stiles sorriu para Scott, sentindo-se um tanto mal por estar prestes a arruinar a noite dele com o plano que formava: finalmente, tinham uma chance verdadeira de tirar Gerard Argent da prisão.

Era hora de recrutar Isaac. 


Notas Finais


Comentários???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...