História Os Mandamentos - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~NaomiPrince

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Hermione Granger, Severo Snape
Tags Granger, Hermione, Romance, Sevemione, Severo, Sevmione, Snamione, Snanger, Snape, Snapemione
Visualizações 97
Palavras 2.400
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Mais um betado pela Naomi
Espero que gostem

Capítulo 2 - Dois



- Não seja grudenta. Homens detestam isso.- instruiu Snape a jovem mulher à sua frente.- Nós gostamos de estar no controle, pense em nós como machos alfas. Somos leais quando encontramos a pessoa certa, mas a necessidade de dominar é grande. Não estou dizendo para ser submissa porque detestamos isso, também. Seja forte e companheira.- a moça olhava-o com atenção, absorvendo todas aquelas dicas.- Por mais que você discorde de algo, apoie ele. Mostre que está ao seu lado para o que der e vier. 


- Certo.- suspirou nervosa.- E quanto ao sexo? Digo, não sou virgem, mas não tive tantas experiências... 


- Bom, diga isso a ele. Ele vai adorar te ensinar.- riu.- Sabe, na última consulta traga-o com você. Diga que sou um...terapeuta para noivos que vai aplicar uma sessão para vocês. Se ele se recusar, conte sobre essa sua inexperiência e que a terapia lhe ajudará. 


- Ok! – concordou. 


*** 


O clube daquela noite seria pequeno e mais simples. Seu cliente já estava com uma presa, tudo encaminhado. Ele mesmo já estava a procura de companhia. Achou que teria de ir pra casa sozinho, já que nada lhe agradara. Foi então que a viu, dançando entre as pessoas. Seus cabelos soltos, caindo em suas costas conforme se agitava em seus passos de dança. Os olhos levemente embriagados e a boca rosada sorrindo provocante. É essa! Pensou Severo ao se aproximar olhando fixamente a moça. 


Comece com a paquera. Olhe bem dentro dos olhos dela. Relembrou-se. A garota lhe sorriu piscando. Ousada, cantarolou sua mente. 


- Boa noite.- saudou quando enlaçou sua fina cintura embalando-a num movimento de dança sensual.- Seu nome?- indagou em seu ouvido, sem soltá-la. 


- Hermione.- gemeu, olhando para cima.- E você é...?- perguntou descendo o corpo rente ao do homem numa sedução. 


- Severo.- ofegou olhando para baixo onde os olhos dela fitavam-lhe próximo ao seu cinto. 


- Hum.- retornou e colocou seus braços no pescoço de Snape.- Gostei do seu perfume.- soltou depois de passar o arrebitado nariz em seu rosto.- Bem masculino. 


- Obrigado. O seu também me agradou.- aproveitou para apertá-la em seus braços, minando qualquer espaço. 


A moça falava suave e lhe facilitava o papo descontraído. Seu riso era contagioso e Snape fez algumas observações engraçadas somente para ouvi-la rir. 


Um papo para deixá-la presa. Suavemente pegue sua mão. 


- Você...- tentou formular uma sentença, mas notou que ela olhava para outro lugar. Mirou um sujeito que dançava sozinho e retribuía o olhar lascivo de Hermione.- Han...- Severo estava levemente atordoado pela situação. Chegou até se perder nas etapas.

 
- Me espere aqui. Vou ao banheiro.- informou olhando-o.- Não me demoro.- sussurrou perto de sua boca. 


Severo ficou ali vendo-a se afastar ainda dançando. Viu quando a moça se espremeu entre dois homens para passar. Demorou-se nesse ato, pois teve tempo de passar a mão no peito de um deles e roçar seu traseiro no outro. Snape sentiu-se desconfortável. O que estava acontecendo? As etapas empacaram e não sabia bem o que fazer com Hermione. 


Certo. Apenas respire e concentre-se. Exigiu quando ela sumiu de sua vista. Partir para o ataque e dar o fora daqui antes que a perca pra um ménage à trois. Tensionou o queixo pela sua perda de controle. Quase vinte anos no ramo de conselheiro e nenhuma vez ficara perdido numa caça. Sabia lidar com as mulheres, e com aquela maluca não seria diferente. Só precisava recuperar o fio perdido e prendê-la. 


Estupefato pela sua situação, fora rapidamente ao bar pegar algo forte para lhe aquecer e forçar sua mente a funcionar. Virou o uísque rapidamente e retornou para onde estava antes. Procurou-a ao redor, temendo que já tivesse aparecido e ido embora ao não vê-lo. 


Uma mão atrevida apertou-lhe uma de suas nádegas, fazendo-o engasgar. 


- Procurando por mim?- murmurou em seu ouvido, rindo.- Não me demorei, não é?- Hermione veio à sua frente com aqueles olhos castanhos e brilhantes. 


Sem perder tempo, a trouxe de volta para o aperto de seus braços encaixando seus corpos e sacudindo ao som daquela melodia lenta. Usou seu corpo para curvá-la, enquanto suas pernas estavam enroscadas, fazendo sua virilha colidir com a dela durante a dança. Remexeu os quadris e encostou seus narizes. É agora! Pensou fitando-a nos olhos. 


Não pôde beijá-la naquele momento, já que a própria Hermione avançara sedutora para ele, roçando seus lábios. E mais uma vez ficara perdido, suas tentativas estavam sendo vergonhosas. Toda vez que tentava um passo, a moça já estava ali fazendo-o. Pense rápido! Rugiu seu interior, enquanto sentia a língua dela passar levemente sobre sua boca, induzindo-o a se abri-la. O beijo dela era envolvente e o deixou de certa forma aturdido. Piscou algumas vezes quando ela se afastou. 


- Gostaria de estar num lugar mais reservado...- ela comentou, envolvendo seu pescoço.- Poderia te beijar mais livremente. Tocar você...- murmurou. 


Severo assentiu perplexo demais para falar. Era exatamente o que ele iria propor! Parecia que a moça tinha lido sua mente e verbalizado. 


Dirigiu para o "escritório" dando a mesma desculpa de sempre. A moça pareceu não se importar com o lugar, já que mal desperdiçara tempo olhando-o. Severo fora empurrado para a porta e preso pelo pequeno corpo dela quando o beijou. A paixão de sua língua lhe explorando, mandou sangue direto para sua virilha, esticando dentro das calças. Envolveu-a com seus braços impulsionando seu corpo pelo lugar para chegarem ao quarto. 


Hermione sentou-se na cama ao senti-la próxima de si. Não se demorou ao alcançar o zíper do homem e livrá-lo da roupa. A rigidez ficou mais que evidente sob a cueca. Afagou-lhe apenas para sentir sua resposta, o pulsar ansioso era o que esperava. O escolhera para aquela noite e vendo-o duro, não se arrependera. Teria um boa noite com ele. Talvez ele entrasse na lista dos cinco melhores do ano a julgar pela hábil velocidade com que a despiu depois. E a boca? Soube como deixá-la revirada do avesso, sem ao menos estar dentro dela. Sim, ele estaria na lista. Severo...belo nome para quem tem uma boca impiedosa. 


Snape dedicou, e com prazer, sua atenção ao clitóris da jovem em sua cama. Era rosado e pequeno, quase não conseguia sugá-lo sem ajuda dos dentes. Sua língua experimentou o interior leve e molhado contraindo, após ela gritar em orgasmo; pronta para que ele entrasse e se afundasse ali. 


Ao dizer palavras doces e românticas ao ouvido, recebia seu riso zombeteiro, o que deixava-o um tanto inseguro. As mulheres gostavam disso, não é? De ouvir coisas bonitas durante aqueles momentos. Mas aquela...Hermione parecia se divertir quando ele soltava algo. Como se dissesse: Não diga bobagens! Quem você quer enganar? Certo, as belas coisas poderiam ser mentiras, inverdades, porém, dissera-lhe algo verdadeiro quando enfim, se juntaram para dormirem: 


Não me recordo de que alguma vez tenha me sentido assim. Isso era totalmente verdade. Ele nunca se sentira perdido durante uma noite de caça, ou durante as etapas da conquista. Muito menos inseguro no que dizer a uma mulher para chegar em seu coração. 


Hermione suspirou contra o peito de Severo. O sexo tinha atingido o topo do seus parâmetros de satisfação. Ele garantira que ela estivesse satisfeita. Cuidara para que ela chegasse ao orgasmo antes dele, para que, somente assim se soltasse nos movimentos finais, gozando. As embalagens vazias de camisinha no criado-mudo lhe assegurava que eles faziam um belo par de sexualmente ativos. Certamente ficaria dolorida na manhã seguinte, entretanto não se importava, seu trabalho não exigia grandes esforços além de se sentar e ficar atendendo telefonemas e cuidando da agenda de seu chefe. As dores iriam lembrá-la da ótima noite que tivera com o homem de olhos obsidianas e voz de barítono. Recusou-se a pensar muito na forte impressão que lhe causara. Não vá por ai, Hermione! Gritara consigo mesma fechando os olhos e se entregando ao sono e aceitando que não se veriam mais. Apenas sexo casual. Sem sentimentos além do tesão! Adormeceu com a leve carícia que ele lhe fazia nos ombros e cabelos. 


Severo fitava o teto, perdido em pensamentos. A noite fora excepcional e acreditava que não tivera uma antes. Nunca usara mais que duas camisinhas com uma mulher. Se cansava rapidamente delas e dois orgasmos era o suficiente para não dormir frustrado sexualmente. No entanto, as quatro embalagens e o relógio marcando que faltavam três horas para o sol nascer, lhe disse muito sobre aquela noite. 


Obrigou-se a dormir, não mudaria nada ficar acordado velando o sono dela. E para que? Nada. Não eram nada, mal se conheciam. Nem sabia seu sobrenome, se é que Hermione era seu verdadeiro nome. Todos têm uma grande foda na vida. Convenceu-se, enfim se entregando ao sono. 


*** 


Severo acordou num pulo quando seu celular tocou o alarme para acorda-lo. Desligou, suspirando cansado, ainda tinha de fazer o café e levar Hermione até onde quer que ela morasse. Virou-se na cama para se levantar e notou o amplo espaço frio. A cama estava vazia.


- Hermione?- chamou alto para o caso de ela estar no banheiro. 


Andou até o comodo e bateu na porta. Silêncio. E empurrando a porta viu o porque, ela não estava ali. Após alguns momentos a confirmação de que ela não estava ali chocou-lhe. Ela tinha ido embora. Não sabia há quanto tempo, e não encontrara nem sequer um bilhete de despedida com seu telefone. 


Rangeu os dentes indo até sua cafeteira e começando a preparar seu café antes de retornar à sua casa. Não importava há quanto tempo ela se fora. Estava agradecido por isso. Poupava-lhe o trabalho de despacha-la com promessas. 


O café da manhã fora rápido e seco. Parecia que comia areia de tão difícil que estava para engolir. Desistiu na metade da segunda fatia de torrada e decidira arrumar o quarto. A cama desarrumada lhe esbofeteou com as lembranças das horas em que compartilhou com a moça. Fora a noite em que nada fez sentido, e tudo ficava bem quando sentia Hermione em seus braços. 


Está ficando biruta, cara! Sexo louco lhe marcou! Respire e aceite que foi bom e siga em frente! Resmungara, terminando de arrumar a cama e jogar os preservativos fora. 


Sua própria cama em sua casa nunca lhe parecera imensa. Chegara na casa e cumprira com sua rotina antes de ir cochilar um pouco. Se envergonhou ao abraçar um travesseiro aconchegante. Praguejou e cobriu a cabeça se recusando a pensar em nada mais daquela noite. 


*** 


Hermione bocejou mais uma vez, enquanto revisava a agenda de seu chefe para aquele dia. 


- Duas reuniões no escritório e um almoço importante.- leu lembrando-se de quando Sr. Zabini lhe ordenara a marcar aquilo e dissera apenas ser importante, quando ela questionou com quem era. Na certa devia ser mais uma modelo burra o suficiente para cair nas garras de Blásio Zabini, vulgo Canalha do século.- Coitada.- lamentou, pegando o telefone que tocara.- Sim, sr. Zabini?- saudou, reprimindo outro bocejo. 


- Venha até minha sala, Granger.- exigiu desligando. 


- Idiota.- sussurrou antes de pegar a agenda e seguir para a sala. Parou na porta e alisou a saia antes de bater e entrar. 


O homem estava concentrado no seu notebook e acenou para que ela se sentasse. Hermione aguardou em silêncio e se policiou para não bocejar na frente dele, o que era difícil, pois, era enfadonho vê-lo trabalhar. 


- Horários.- pediu, fechando o eletrônico.


- Reunião com Sr. Lestrange às onze. Almoço importante às treze e trinta. Reunião com os investidores às quinze.- informou de forma séria. 


- Certo.- resmungou, mexendo agora no seu moderno celular.- Já decidiu se aceita ir comigo àquela premiação, Granger?- soltou, olhando-a. 


- Não há o que decidir, senhor. Sabe de minha recusa.- falou, olhando-o como se ele fosse uma parede sem graça. 


- Qual é, Hermione?- disparou, apoiando-se na cadeira, sorrindo.- Sabe que só tem a ganhar.- afirmou, passando a língua pelos lábios cheios. 


- Sim, se eu o acusar de assédio, ganharei muito, Blás.- pontuou seu apelido.- Não é porque estudamos juntos e que trabalho pra você, que pode vir com essa merda para cima de mim! 


- Estou apenas lhe convidando para me acompanhar à premiação.- sorriu. 


- Como se u não soubesse o que tanto quer, não é?- sarcastiou.- O Sr. Lestrange deve estar pra chegar. Com sua licença, senhor.- rebateu com a ironia escorrendo de sua boca.- Filho da mãe.- murmurou ao chegar em sua mesa. 


Não era a primeira vez que o sujeito a abordava. Desde o colégio, ele a importunara. Antes por ser bolsista e um tanto desleixada com sua aparência, e agora que estava mais vaidosa por causa do trabalho, ele a cercava. Não pensava em abrir um processo contra ele, já que sempre deixou claro que não aceitaria as porcarias dele. Nunca aceitou de ninguém e não aceitaria dele, mesmo que o salário fosse ótimo. Poderia muito bem sair com ele, era bonito, forte e certamente tinha um corpo de suspirar. Mas sabia bem o que aconteceria depois que ele conseguisse o que queria. Não era segredo o por quê de despedir as ultimas secretárias depois de pouco tempo de trabalho. Certamente caíram nas graças dele e logo ele se livrou das mesmas, antes de lhe darem dor de cabeça. 


- Eu posso ser pior que uma dor de cabeça.- riu antes de se voltar para o telefone e confirmar com os investidores sobre a reunião àquela tarde. 


*** 


Severo olhava para seu novo cliente perguntando-se o por quê de ele precisar de ajuda na área da conquista. Blásio Zabini era do tipo bonitão, ainda por cima era rico, deveria chover mulher em cima dele. 


- Já tentei de tudo, Sr. Snape. Já fui devagar, sútil, direto...nada faz com que ela aceite, ao menos, sair para jantar comigo.- informou o homem. 


- Bom, de acordo com o senhor, ela é sua funcionária.- ponderou o consultor.- É um terreno perigoso, que pode resultar em processos por assédio. 


- Se a visse...saberia que vale a pena.- sorriu-lhe.- Preciso conseguir que aceite ir comigo a um evento. Se ela for, conseguirei convencê-la a me aceitar. 


- Certo. Primeiramente, comece parando de se insinuar e não convide-a mais para esse evento.- seu cliente olhou-o, confuso.- Ela pensará que desistiu e baixará a guarda e então seguiremos para a segunda parte.- instruiu.- Com a guarda baixa, teremos mais chances de evoluir. Eu garanto.- assegurou firme.
 

 


Notas Finais


Até o próximo
Comentem
Favoritem
Bjoks


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...