História Os Muros do Tempo - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 13
Palavras 706
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Aceito críticas construtivas ^-^

Capítulo 3 - O outro lado da história...Koji


{°°°}

Oi! Estou aqui para contar-lhes minha história, a história de quem sempre foi popular, mas só foi realmente feliz quando conheceu alguém... A história que resolvi chamar "os muros do tempo"

"Koji Lenis, um garoto, bonito e popular, sempre sorridente, mas nunca como quando a conheceu, Ryoru Nakanak, o que tem de especial nela? Nem eu sei, tudo que sei é que algo a difere dos outros. Vivi muito tempo ao lado desta, sempre senti algo mais além de amizade, mas nunca tive coragem de tocar no assunto... Que erro, que erro Koji...

Nós tínhamos 17 anos, tínhamos 17 quando meus pais me puxaram já com as malas prontas, 'Vamos Koji, hoje partiremos para a América, iremos morar com seus avós, seu pai tem que cuidar dos negócios da família', eles me levaram sem direito de discórdia, me levaram a um avião, a outro país, me levaram no dia em que eu tinha dito a mim mesmo 'eu vou contar'. Assim, por obra do que muitos chamam de destino, por obra do que eu chamo de tempo, assim o mundo nos separou. Por diversas vezes ainda no caminho para nosso 'novo lar' perguntei aqueles que me levavam, perguntei quando voltaríamos, mas a resposta era sempre a mesma 'você está louco, não ouviu, não voltaremos para o Japão, nunca mais', por muito eu insisti, até um ponto que fui convencido, não voltaríamos mais, eu não poderia revelar o que sentia a ela...

Desta maneira, meu único desejo era faze-la esquecer-se de mim, se nunca mais poderia-mos nos ver, então ela deveria me deixar no passado, mesmo sabendo que eu jamais seria capaz de tal feito, ao menos aquela minha pequena paixão deveria se esquecer de mim.... Recebi inúmeras ligações de Ryo, mas nunca tive coragem de falar, falar que nunca mais iríamos nos ver, assim, nunca atendi uma se quer...

Com a chegada a América fomos direto a casa de meus avós, era como uma mansão, o lugar era realmente enorme... Mas isso não era de me surpreender, diferente da família pobre e japonesa de minha mãe, meu pai era membro da alta classe americana, meus avós, donos de uma grande empresa, porém com o câncer que naquele momento descobrira que havia atingido minha avó, resolveram passar is negócios adiante.

Meu pai logo após chegar foi com meu avô falar de negócios, já eu, fui avisado pelo enfermeira que cuidava de minha avó que está queria ver-me, ela estava muito mal, esperaram até o último momento para me avisar daquilo, antes fiquei sabendo que ambos meus pais já estavam cientes do que ocorria a quase dois ano, nesse momento ela mal era capaz de falar sem gaguejar diversas vezes, com longas pausas e extremamente baixo...'K-koji... Meu neto...A q-quanto tempo' ela levantou lentamente o braço e passou a mão sobre meu rosto 'Acho que... V-você tinha uns seis a-anos quando.... Quando se mudaram' Ela estava certa, desde quando fomos ao Japão eu nunca mais vi o rosto ou falei com meus avós, isso aconteceu porque naquela época meu pai tinha tido uma grande discussão com meu avô, este queria que fosse cedido a ele todos os direitos sobre a empresa... Como hoje... Naquela época eu ou minha mãe não tivemos direito algum de reatância...

'K-koji... M-me conte... Como f-foi no Japão?' Ela sempre falava sorrindo mesmo estando na situação que estava, no momento meus olhos deram leves lacrimejadas, com todo o orgulho que possuía tentei esconde-las, mas essas desceram de meus olhos a pele dela 'N-não chore... N-não por mim' Ela voltou a sorrir 'Ou você achou a-alguem importante...I-importante a que deve c-chorar...Eu quero s-saber do que o seu c-coração...Sentiu a-ao vir para cá...' O lacrimejo se tornou lágrimas, por ela e por aquela a qual contará a minha vó naquele momento.

Antes que fosse capaz de contar sobre Ryo, minha mãe entrou ao quarto, apoiou a mão sobre meu ombro e avisou-me que deveria encontrar meu pai, 'd-depois... Você t-termina de me contar...M-meu neto' Eu limpei o rosto apoie minha mão sobre a de minha mãe me levantei e acenei com a cabeça confirmando que iria até meu pai, ela me abraçou por alguns estantes... Provavelmente percebeu que não estava feliz, em seguida levou-me ao escritório"

Por hoje é isso, eu tenho que ir, até

{°°°}


Notas Finais


Obrigada por lerem, espero que tenham gostado


Xau


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...