História Os Muros do Tempo - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 8
Palavras 905
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oiee, espero muito que estejam gostando ^^

Capítulo 4 - Os dois lados lado a lado... A amizade, a briga, a saudade


Fanfic / Fanfiction Os Muros do Tempo - Capítulo 4 - Os dois lados lado a lado... A amizade, a briga, a saudade

{°°°}

Olá, estou aqui de volta... Sabe, a esse ponto eu já não me sentia mais sozinha, tinha entendido que o tempo levava tudo... Só não tinha certeza se isso era algo bom...

"Fazia um mês que as aulas na faculdade haviam começado, a algum tempo havia passado a fazer um trabalho com um garoto 'Matt Suzuki', ele era bem gentil, mas... Eu não conseguia ficar confortável com ele, muitas das vezes em que tive aulas nas qual fazíamos tal trabalho, após esses só me trancava em meu dormitório e chorava, sabe, todos, todos os garotos me lembravam ele... Mas não conseguia sentir o mesmo que senti por ele por mais nenhum...

-Ei! Você parece pensativa esses dias!

Certo dia Akame chegou até mim fazendo essa pergunta, ela parecia animada.

-Algum motivo especial?!

Eu só balançava minha cabeça negando e ela insistia, até um momento que desistiu e saltou a minha frente, ela ainda mais animada disse que formava um belo casal com o Matt, eu corei

-Você só pode estar brincando...

-Ué, porque estaria! Sabe, você nunca falou de garotos comigo, será que gosta de alguém?

Voltei a corar ainda mais, na época eu ficava nervosa só de pensar nele, assim sacudia extremamente rápido a cabeça negando... Mas isso deixava óbvio que estava mentindo, assim ela simplesmente sorria maliciosamente e continuou andando ao meu lado, eu pensava que o assunto havia morrido ali... Que havia conseguido engana-la... Como eu era inocente... Ao fim do dia em nosso quarto ela voltou a falar daquilo, ela sorria, dizia que queria ajudar, dizia se forma sincera, ela parecia muito feliz pela amiga apaixonada, mal sabia ela a dor que esse causava 'Você não pode ajudar, ninguém pode, até eu já desisti' no momento foi o que disse, mas só consegui preocupa-la mais, o sorriso dela naquela hora tinha sumido, ela levantava de sua cama e foi até mim, colou a mão em meu ombro e seguidamente me abraçou, realmente se preocupava... 'Sabe, nunca tive amigos, agora que tenho a você quero ajudar... Não precisa ter vergonha de mim' foi o que ela me disse, meus olhos lacrimejaram, eu devolvi o abraço e nos mantemos assim por vários instantes, então ela me soltou e sorriu, aquele pequeno gesto me fez bem e eu disse tudo a ela... Tudo sobre Koji, Ake parou de sorrir por um estante, olhou ao chão e simplesmente me disse 'Você vai superar, pode ter certeza que se ele fez isso foi porque não te merece, alguém assim não merce ninguém', eu não sabia se aquilo me confortava ou só piorava a situação, tudo que sei é que eu conhecia as intenções dela, então apenas sorri e concordei..."

Por hoje é só... Está curto mas estou sem tempo... Espero que tenham gostado...

{°°°}


{°°°}

Oie, estou de volta, quero continuar essa pequena história da minha vida, sonhando em vela novamente...

"Eu segui minha mãe até o escritório dr meu pai, ele parecia muito feliz, assim que entrei minha mãe saiu e meu pai veio até mim e me abraçou, coisa que não fazia a muito tempo... 'Olá meu filho, soube que estava com sua vó, e então como ela está?' Ao ouvir aquilo dos lábios dele percebi que o homem se quer havia ido visitar a mãe a beira da morte, aquilo me deixava nervoso, na hora não disse nada apenas continuei o encarando, mas meu corpo inteiro tremia de raiva, meu pai ao ver que eu não o respondia voltou a falar após um suspiro 'Então, meu filho, fique feliz, AGORA SOU DONO DA EMPRESA DA FAMÍLIA' ele falava com extrema alegria, já eu continuava sem reação, e ele voltava a suspirar 'E você será aquele que a receberá daqui a alguns anos, então o colocarei na faculdade de administração' a fala dele dessa vez me fazia perder a paciência e eu passei a rebater o que ele dizia... Eu não queria isso, não pra mim, sempre tive dúvidas do que ser, mas ao ver minha vó me decidi, eu queria ser médico e deixava cada vez isso mais claro para ele, mas o homem não me dava chance, dizia que a escolha não era minha, que o futuro era dele, que eu deveria me alegrar pois agora não precisaria mais voltar aquela 'merda' chamada Japão 'E se eu quiser voltar e se tiverem pessoas importantes para mim lá, o que você vai fazer?' Eu ficava cada vez mais nervoso e a esse ponto já falava gritando, então ele ainda com mais raiva virou um forte tapa em meu rosto a ponto de derrubar-me ao chão, eu o olhava com ódio e ele devolvia o mesmo a mim

Nesse momento, minha mãe entrou, disse que teríamos que ir almoçar, mas quando viu a situação em que nos encontramos ela simplesmente correu até mim e confrontou me pai, 'O que você pensa que está fazendo?!' 'Dando a ele a educação que você não deu!' Ele a empurrou e saiu do lugar, depois, muito nervosa ela tentou me ajudar a me levantar, mas com toda a arrogância que herdei dele, simplesmente a ignorei com a tentativa hipócrita de mostrar que era forte e fui até meu quarto, quando cheguei nesse fiquei sem saber o que pensar, corri, me taquei na cama e comecei a refletir... Refletir sobre minha vó, minha mãe, minha família... Em seguida o rosto de Ryo veio a minha mente, ela era quem costumava me consolar qua do tinha essas brigas..."

Acho que está bom... Até a próxima.....

{°°°}


Notas Finais


Xau, aceito críticas construtivas e idéias para capítulos futuros


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...