História Os Novos Portadores dos Miraculous — ["Onopodmi"] - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mestre Fu, Nooroo, Personagens Originais, Plagg, Tikki, Wayzz
Tags Chat Noir, Fanfic, Ladybug, Mari, Miraculous, Onopodmi, Os Novos Portadores, Tikki
Visualizações 40
Palavras 1.106
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Escolar, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


[ desenho mostrando o vilão da fic Autistic Moth. Esse desenho fui eu que desenhei :3 ]

Oi gatenhos e joaninhas!!

Mais um capitulo inedito para vcs queridos leitores do Spirit!

Boa leitura! ^-^

Capítulo 11 - O misterioso novo vilão: Autistic Moth


Fanfic / Fanfiction Os Novos Portadores dos Miraculous — ["Onopodmi"] - Capítulo 11 - O misterioso novo vilão: Autistic Moth

 Longe dali, ainda naquela noite, em um armazem abandonado, havia alguem com raiva.

 — Grrr! Como eu pude falhar? Pensei que ia vencer esse jogo! Eu sou tão bom em jogos! Mas vamos esperar uma proxima vitima Nooroo, ou não me chamo Autistic Moth. — o vilão era jovem, tinha voz de um garoto qualquer, o que diferenciava dos demais era que falava um pouco rapido mas dava para entender-lo.

 — Não trate isso como um "jogo" pois não é! E eu disse para você que herois apareceriam para deter-lo se usasse o miraculous para afins malignos! Sempre é assim! Onde há mal,há bem. — rebateu Nooroo.

 — Tem que ter alguma coisa nesse livro dos miraculous. — o garoto, que estava nas sombras, folheava o livro que tinha "pegado". — Tem que ter alguma coisa dizendo sobre os pontos fracos dos herois. Só que não consigo decifrar esses malditos codigos!

 — Esquece esse livro, mestre. Pense no meu racioninio. Não seria incrivel usar esse poder para o bem? Ja imaginou Paris cheio de herois? Não seria muito melhor você espalhar "tenshis" em vez de "akumas"? Ia ser incrivel! 

— Não, não, e não. Eu... "achei" esse miraculous e decido se usarei para o bem ou para o mal. — retrucou o garoto.

 — Uma hora vão descobrir e achar você! O que irá fazer, hein? Não pode akumatiza-los se estiverem usando  seus miraculous!

 — Por isso quero que meus viloes arraquem deles. Para eu poder akumatizalos e assim tambem ter o 'poder absoluto' !!! Oh, sim!!! 

— Por que deseja tanto o 'poder absoluto' , mestre?

 — Vou transformar esse mundo em uma verdadeira 'utopia'! Somente com pessoas "capacitadas". Onde eu, claro, serei, o imperador do mundo! 

— Não existem "utopias", mestre. Não vivemos em um conto de fadas. E isso parece ser muito imaturo de sua parte. 

— Calado! Não posso nem desejar o que sonho? Onde está a sua lealdade?

 — Você ainda vai fazer uma besteira agindo desse jeito! — Nooroo disse jogando na cara do sujeito. 

— Silênciooo!!! Vamos para casa, AGORA! Vamos ver se amanhã terei uma nova vitima. Hahahahaha. — o garoto deu uma risada meio bosta.

 — Essa é sua risada maligna? Bem caidinha, hein? — o kwami começou a rir.

— Aff, Nooroo você sabe que eu ainda não sei fazer! 

— É, to vendo! — o kwami riu ainda mais.

 Nooroo sabia que seu mestre estava usando o miraculous para afins malignos mas ele tinha que admitir que ele, o mestre "maligno", estava confuso em como usar o miraculous. 

O kwami sentia que seu mestre não era tão mal assim.

 E tinha a suspeita que só estava agindo desse jeito como forma de admiração pelo antigo portador do miraculous Moth. 

 O kwami o tinha contado a historia. E ficou aliviado ao se livrar de seu antigo mestre. 

Mas ficou triste por saber que o novo mestre esta usando novamente o miraculous para afins malignos. 

Ele não suportava essa especie de karma.

 Ele queria conseguir de alguma forma quebrar essa especie de maldição do miraculous Moth: de sempre ser usado para o mal. 

"Sera que o miraculous esta almadiçoado de energias negativas? Que influenciam as pessoas agirem de modos malignos? Se estiver, como posso quebrar esta maldita maldição?" — o kwami pensava e refletia sobre esse assunto. — "Mas até que dar pra tirar sarro de meu novo mestre. O que já é um avanço. Hehehehe."

 — Nooroo, o que gostas mesmo de comer?  — disse  derepente o "mestre maligno" interrompendo os pensamentos do pequeno kwami.

 Nooroo pensou: "Por que o mestre 'maligno' , indeciso na vida, estava perguntando isso novamente?" — depois disse:

 — Bem... Panettone. Por quê? 

— Caso venha de deboche para cima de mim novamente não comerás mais nada. E quebrarei esse miraculous!

 — Há, Isso é impossivel! Larga de ser imaturo! Bebezão! — falou de olhos fechados o kwami. 

— Mas você me contou que uma vez conseguiram trincar um... — o garoto  que estava nas sombras lembrou-se desse detalhe.

 — Aguas passadas. Foi apenas uma pequena rachadura. Nada de mais. — Nooroo olhou, inseguro de se sua resposta, para baixo. 

Isso que ele tinha contado ao seu mestre era apenas uma historia boba contada por Wayzz.

 Num intuito de assustar os kwamis. 

O kwami verde dizia que: se um miraculous estiver trincado e o portador insistir em se transformar a pessoa e o kwami entram em coma. 

E ficam presos em outra dimensão.

Numa especie de 'dimensão dos sonhos'

 E que a unica maneira de sair dali é enfrentando uma especie de "Eu maligno". 

Enquanto o guardião do miraculous usa seus incriveis poderes de restauração no miraculous.

—Mas não tenho tanta certeza! - exclamou Nooroo. 

— Ora, historias não são contadas e repassadas a toa. De alguma forma, alguem experimentou os eventos e repassou de algum meio a outra pessoa. Num intuito de alertar ou ensinar alguma coisa. — o garoto , que estava ainda nas sombras, tinha razão. E com essa resposta colocou Nooroo em "cheque-mate". 

— Vamos para casa. — falou tristemente o kwami. — Estou cansado e você, mestre, tambem deve estar.

 — Lembre-se Nooroo, um bom jogador de xadrez pensa cinco movimentos a frente. Um otimo jogador de xadrez pensa um movimento a frente, mas sempre é o movimento certo. Meu proximo ataque akuma se leva a base nisso. Deve ser certeiro. Agora vamos. Vou apenas trancar o "armazem de akumas". Belo nome para esse local sujo não é? 

— Minha opnião por aqui não importa, pelo que eu vejo. — disse o kwami de braços cruzados e olhando para o lado. 

O garoto se apromixou de suas preciosas borboletas e mariposas que voavam em um lindo circulo perto da luz do armazem. 

— Durmam bem, minhas queridas amigas borboletas. E vocês tambem mariposas. 

O garoto fechou a grande porta de ferro e trancou o armazem. 

Depois saiu correndo na escuridão em direção a sua casa que não ficava tão longe dali. 

— Quando vou ser capaz de usar um poder que facilite meu meio de me locomover, Nooroo? — o jovem rapaz falou isso correndo noite adentro. 

— Assim que estiver mais experiente e manipular bem suas emoções, mestre. E tambem depois de muitos treinos mentais e fisicos. — Nooroo não facilitou na resposta o que deixou o garoto um pouco desanimado. 

— Tens razão. Treino é sempre bom. Sempre é bom testar os limites. "No Pain, No Gain". — disse o misterioso garoto já pensando em varias ideias mirabolantes. 

Nooroo se encolheu ainda mais na jaqueta roxa do mestre maligno receoso do que estar por vir.

To be continued


Notas Finais


Espero que tenham gostado!

O proximo capitulo se chama...

"Um novo dia, uma nova vitima"

Até logo! Bye <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...