História Os Olhos Vermelhos - Capítulo 88


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Letícia, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Viktor Chavalier, Violette
Tags Amor Doce, Briga Entre Irmãs, Castiel, Drama, Família, Ficção, Lobos, Morte, Romance, Sangue, Serial Killer, Stalker, Tragedia, Trouxa, Vampira, Vampiro
Visualizações 58
Palavras 3.656
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Luta, Mistério, Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá!
Turo bom?
Como vcs viram, aqui está mais um (Fodendo) capítulo da fic.
Mano, graças a uma menina (Miss cacau) que encheu meu saco até o fim (sério) tive que mudar muita coisa no enredo da fic...
Espero que vocês não me odeiem após essa temporada, os acontecimentos podem serem meios clichés.. sinto muito, não desgostem da fic! Por favor! Eu amo vcs !

°•°•Créditos ao anime do gif•°•°

Capítulo 88 - Oportunidade única


Fanfic / Fanfiction Os Olhos Vermelhos - Capítulo 88 - Oportunidade única

=Elly=

Após a janta, vou para o quarto do Castiel, que estava deitado na cama com a mão sobre seu rosto já com seu "Pijama", Se é que podemos chamar uma bermuda de pijama. Entro no banheiro decidida a tomar um banho. Sento-me em cima do vazo que estava tampado e retiro minha blusa, e assim começo a tirar todas as faixas que cobriam meus ferimentos da briga de ontem. Com isso, tiro minha saia e ligo a torneira da banheira. Em pouco tempo ela já estava cheia e início meu banho. Apesar da água estar perfeita, meus machucados ardem com o passar do sabonete sobre meus braços, Isso é de alguma forma torturante, mas mesmo assim, me banho normalmente, tentando evitar as caras e bocas de dor e ardência.

Depois de uns dez minutos deitada na água, decido levantar e me secar. Enrolo meu corpo na grande e macia toalha branca. Abro a porta do banheiro e Castiel rapidamente vira a cabeça, caminho até o outro canto do quarto procurando minha bolsa, mas não acho.

Elly:- Cast.

Castiel:- Oi ?

Ele diz tirando o travesseiro que colocou em seu rosto a poucos segundos atrás.

Elly:- Onde você deixou minhas coisas?

Castiel:- Ah, eu coloquei bem a ali.

Ele diz apontando com a cabeça para um criado mudo. Assim que atravesso o quarto novamente, passo a observar tudo a minha volta com atenção. Há vários pôsteres pendurados na parede, uma televisão do mesmo tamanho que a minha, varias roupas espalhadas e alguns quadros do Dragon, e por falar nele..

Elly:- Castiel, Onde está o Dragon?

Castiel:- Minha mãe disse que ele está no Pet Shop.

Elly:- Hum.. Eu queria vê-lo .

Digo pegando a primeira peça de roupa que vejo em minha frente e vestindo-a.

Castiel:- Outro dia você verá-lo.

Elly:- Espero.

Visto minha camisola e caminho até ele, deitando ao seu lado e abraçando seu corpo quente. Após alguns segundos de silêncio, decido quebra-lo.

Elly:- Seus pais são tão legais..

Digo passando meu dedo indicador por seu abdômen nu. Ele apenas faz um "Uhum " e começa a acariciar meu cabelo.

Em meio desses meus pensamentos aleatórias, lembro das fotos que vi com os pais de Castiel, e uma dessas fotos me fez rir bastante. Foi impossível não conter o riso e começo a rir sozinha.

Castiel:- Do que está rindo ?

Ele diz curioso e se senta na cama, deixando eu deitada. Apoio meu queixo na palma de minha mão e coloco uma mecha de cabelo atrás da orelha.

Elly:- Lembrei de uma foto sua haha.

Castiel:- Aff..

Castiel faz isso e vira a cabeça para o lado, cruzando os braços.

Castiel:- Que cliché..

Elly:- Hahahaha!

Castiel:- … Como que era a foto?

Elly:- Haha, era você tomando banho quando mais novo. Era tãoo fofinho! Tão pequenininho!

Digo isso e ele fecha a cara.

Castiel:- Pequenininho..

Elly:- Haha, sim! Seus cabelos pretos eram tão lindos!

Falo imaginando como ele seria agora com essa cor nos cabelos. O mesmo revira os olhos.

Elly:- Você tinha umas bochechas enormes ! E acho que eu já disse.. mas você era tãoo fofo pequenininho !

Falo isso sentando em seu colo e apertando suas bochechas, o ruivo tenta retirar minhas mãos de seu rosto, mas foi um fracasso total.

Repito a palavra fofo cada vez que aperto e puxo sua bochecha para o lado.

Castiel:- Para !

Ele diz com dificuldade e eu rio da situação.

Elly:- Não!

Digo brincalhona e ele franze a testa parecendo estar com raiva. Continuo fazendo aquilo com a intenção de deixa-lo irritado, hihi, adoro ver ele bravo.

Castiel:- Eu disse para você parar !

Ele diz pondo as mãos em meu peito e me empurrando, assim, ficando sobre meu corpo caído na cama. Arregalo os olhos surpresa com seu ato.

Castiel:- Isso machuca.

Ele fala retirando uma de suas mãos de mim e passando em seu rosto.

Elly:- Eu sei.

Falo sorrindo maldosa.

Castiel:- Você acha que sou masoquista para ficar aguentando esses seus ataques ?

Ele diz sorrindo meia boca.

Elly:- Eu acho que você aguentaria bem mais do que simples apertos de bochechas.

Castiel:- É ?

Elly:- É.

Ficamos nos encarando com um sorriso bobo exposto em nossos rostos, quando abro a boca para dizer algo, ele me interrompe.

Castiel:- Fique quetinha.

Arqueio a sobrancelha sem entender nada.

Castiel:- Estou a algum tempo desejando sua boca. Você acha legal ficar sem nenhum Beijo seu por dois ou três dias ?

Hum.. acho que alguém não aguenta ficar sem eu. Confesso que isso é agonizante, não consigo me imaginar sem Castiel grudado em mim.

Castiel:- Não é legal né?

Balanço a cabeça negativamente.

Castiel:- Então, fique quetinha e não me chame mais de fofo ou de pequenininho Só deixe eu aproveitar esse seu silêncio.. Mesmo que for por míseros segundos..

Ele diz isso colocando uma mecha de cabelo atrás de sua orelha e se aproximando de mim. Sem que eu perceba, minha boca já estava selada junto a sua, nossas línguas não param quietas, travando uma guerra em nossas bocas. Seus lábios parecem dançarem nos meus, e meu coração acelera cada vez mais. Não vou mentir, esse pouco tempo que fiquei "Estranhando" ele, senti muita saudade desse seu jeito. Meus braços abraçam sua cintura, e minhas mãos sobem e descem por suas costas, já as suas, não param queitas em um lugar só, passam por minhas coxas, cintura e quadril. Minha cabeça entra em loucura, imaginando coisas além do que isso, mas aí, lembro que não estou em minha "casa", espero o fôlego acabar para falar algo, e com muito custo, separamos nossos lábios. Quando tento falar algo, tudo vai em vão, ele rapidamente entra com sua língua novamente em minha boca, impedindo que qualquer palavra passe por meus lábios.

Ele ao menos trancou a porta ?? Será que estou pensando demais ?. Assim que nosso fôlego acaba novamente, recupero meu ar e com isso, sinto minha garganta secar lentamente. Viro meu rosto para a janela tentando esquecer de minha sede, afinal, Castiel está tão próximo de mim, seu cheiro é tão enlouquecedor, isso me deixa louca e sádica.

Castiel:- O que foi?

Ele Diz segurando meu queixo e fazendo que eu olhasse diretamente ao seus olhos.. e que olhar é esse meu Deus?!.

Elly:- Nada.

Sorrio falsamente, não quero deixa-lo preocupado. O mesmo me olha pensativo, aproximo minha boca da sua, mas ele impede que eu lhe beija-se.

Castiel:- Você está com sede né?

Confirmo meio sem jeito. O ruivo se move em cima de mim e se senta, desgrudando de meu corpo.

Castiel:- Desculpe por quebrar o clima, mas... Você quer sair um pouco?

Elly:- Como assim ?

Castiel:- Ah.. Sabe.. Eu.. Eu também tenho vontade de sair com você de noite. Como fazíamos no começo do ano.

Sorrio com esse comentário. É impressão minha ou ele está com saudades de "jantar" comigo ?, por que se não for, ficarei tão feliz ! É tão legal sair nós dois pela escuridão dos becos, pelos cantos da cidade. É tão emocionante e ao mesmo tempo tão romântico!

Imagine a cena: O sangue como bebida, o chão como a mesa, os gritos agudos e escandalosos de humanos como uma serenata, e a lua e as estrelas como lustres. Que perfeição! Seria Maravilhoso! Esplêndido !

A única coisa que falta para expressar minha felicidade e empolgação são estrelas em minhas Íris.

Elly:- Ah, entendi.

Castiel:- Você Quer sair ?

Elly:- É claro!

Digo batendo palmas com um sorriso largo, que vem de orelha a orelha.

Castiel:- Certo !

Ele diz Feliz.

Castiel:- Depois aproveitamos mais esse seu silêncio.

Castiel diz isso piscando um olho para mim, e sorrio ainda mais.

Ah ! Não acredito ! Vou matar minha sede ! Finalmente! Estou com taaannttaaa sede, parece que não como nada a dias. Levanto animada e corro até minha mala, Onde pego um dos meus melhores trajes (uma calça jeans e uma regata preta escrita Mad hatter :3). Enquanto isso, Castiel se veste.

Castiel:- Já está pronta?

Ele diz quando coloco minha blusa.

Elly:- Sim!

Corro até sua frente e Abraço seu braço.

Elly:- Vamos!

Castiel:- Calma, eu vou avisar minha mãe, do jeito que ela é, quando perceber que saímos, ela liga até pra polícia se for preciso.

Elly:- Haha, okay então, vai lá.

Digo soltando seu braço e dando alguns passos para trás. O mesmo saí do quarto, enquanto eu vou fechar a porta. Quando estava prestes a encostar a porta, vejo pelo pequeno vão de espaço entre a porta e a parede, minha mala, e nesse momento lembro de algo importante, muito importante. Na hora, abro a porta novamente e vou até a bolsa, onde reviro tudo que estava lá dentro. Sinto meu dedo ser cortado e meu sangue quente começa a escorrer pelo pequeno corte, manchando algumas peças de roupa claras.

Elly:- Aí..

Falo isso enquanto tiro a mão de dentro da bolsa e enrolando o dedo na borda de minha blusa. Esse é um sinal, eu não me esqueci de trazer, que, creio por mim, a coisa mais importante da viagem. Com a outra mão, agarro o cabo de madeira grossa e retiro o grande e pesado machado. É óbvio que não vou sair sem ele ! Sendo na escola ou em outro lugar, nunca vou me separar do meu bebê!, que no caso é o meu lindo e brilhante machado.

Castiel:- Elly, minha mãe está dormindo, então eu deixei um bilhe.. mas.. que diabos é isso?

Castiel entra no quarto, fazendo eu me assustar.

Elly:- Aí que susto !

Castiel:- Por quê demônios você está com essa Coisa ?!

Ele diz bravo.

Castiel:- Você que trouxe?

Elly:- Sim..

Castiel:- Porque ?!

Elly:- Ah Cast, você sabe que me sinto insegura sem isso em mãos.

Castiel:- Ata, isso explica o de sua bolsa estar completamente pesada com apenas algumas peças de roupas.

Sorrio sem jeito.

Castiel:- Mas Elly.. Por que você trouxe isso para a casa dos meus pais ?! Você tem o que na cabeça?

Elly:- Ah… sei lá.. Me deu vontade.

Falo assoprando algumas mechas de cabelo que estavam tampando minha vista.

Castiel da um grande suspiro, que parecia pesado. Ele parece não gostar da minha razão. Mas, vendo por outro ângulo, eu devia ter lhe contado sobre o machado. Mas agora já foi.

Castiel:- Você é louca. Agora esconde essa coisa e vamos logo!

Ele diz cruzando os braços.

Elly:- Ah.. mas.. ah.. Vai! Deixa eu levar! Eu garanto para você, será extremamente divertido! Você vai ver! Você vai adorar !

Ele me olha sério, como se estivesse falando "Isso Sério mesmo?"

Castiel:- Só guarda logo e vamos sair.

O ruivo diz um pouco irritado e sai andando pelo corredor. Pff.. que chato, eu queria mesmo convence-lo que isso seria legal. Bem, hoje não é seu dia, meu machadinho…

O enfio dentro da bolsa e corro até a cozinha, onde Castiel me espera.

Castiel:- Já acabou ?

Elly:- … Você é um chato..

Ele apenas ri. O mesmo aponta para um bilhete pendurado na geladeira que avisava para os pais dele que saímos. Logo depois, saímos do apartamento, descendo pelo elevador e saindo pelas ruas.

=Ellen=

(De manhã, no dia que Lysandre foi para a cidade onde Castiel e Elly está)

Após aquela confusão toda entre eu e a Elly, Lysandre cuidou de mim com todo o cuidado do mundo, mesmo eu não precisando. Hoje um pouco mais cedo, o mesmo me avisou que visitaria um amigo que morava um pouco longe, eu apenas falei que tudo bem. Cabulei a segunda aula para poder esperar o unibus junto com ele. Antes dele ir para o ponto de ônibus, lhe dou uma despedida daquelas.. Bem calorosa e cheia de amor.

E agora, nesse exato momento, estou ouvindo a voz insuportável da professora Delanay explicando algo sobre ciências.

Delanay:- Sabemos que no exercício três fala sobre elementos de..

Diretora:- Licença.

A velha gorda entra na sala, fazendo que toda a atenção fosse voltada a ela. Legal, o que será dessa vez?

Delanay:- Oh diretora Shermansky, o que foi ?

Diretora:- Tenho que dar um anúncio antes da reunião de pais. Posso?

Delanay:- É claro.

Delanay se senta em sua cadeira. A velha fica bem na frente da lousa com um monte de papéis em mãos. Aí vai mais um daqueles discursos inúteis. Ela fala algumas coisas, mas não presto atenção. Fico olhando para a janela enquanto penso em Lysandre.. Ele mal saiu e já estou morrendo de saudades, de seu cheiro, do seu jeito, do gosto de seu beijo.. ah Lysandre…

Toco minha mão sobre o vidro, imaginando meu namorado ao meu lado, compartilhando sorrisos.

Diretora:- Resumindo, ano passado vocês foram para um acampamento. Mas, Felizmente, vocês poderão escolher um lugar para passar as férias nesse ano, isso ajudará muito em suas notas do próximo semestre. Hin, por favor querido, entregue esses papéis para os alunos.

Hin:- É claro.

O cachorrinho, digo, o garoto levanta e vai até a velha, onde sai entregando folha por folha a todos alunos. Hum.. férias.. Isso é interessante.

Assim, o mesmo entrega a folha para mim, a última a pegar o tal papel.

Diretora:- Nessas férias, vocês poderão escolher entre cerca de três lugares para ficarem. Entre eles está o mesmo acampamento do ano passado, um clube e um acampamento militar. E repetindo, se não quiserem ir, não vão, mas, isso mesmo sendo férias, ajudaram muito mesmo nas suas médias finais. Preencham o quadrado ao lado do lugar que vocês quiserem entrar. Depois de fazerem isso, façam o favor de entregar os papéis para um dos representantes. Grata, tenham uma boa aula. Até mais tarde professora Delanay.

Delanay:- Obrigado, até mais.

Seguro o papel curiosa. Ajudará em notas isso ? Pff, que perda de tempo. Amasso o papel e coloco atrás da cortina para não levantar e ir joga-lo no lixo (autora:- Eu faço isso :3). Volto minha atenção a janela enquanto a professora volta a explicar as coisas. Além de pensar em Lysandre, penso muito em Elly. Arg! Como eu odeio essa garota! Eu ainda não desisti da minha vingança, eu prometi e vou cumprir cada palavra dita de meu juramento. Não vejo a hora de ve-la distraída e mostrar do que eu sou capaz! Ela ira se arrepender até seu último suspiro por acabar com minha vida. Se bem que.. olha, vou ser sincera comigo mesma. Minha força perto de Elly ,é uma bosta, não aguento nem dez minutos de porrada com ela. Se eu tivesse uma oportunidade para melhorar minha força..

Espera.. Eu..

Olho para o papel atrás da cortina.

Eu tenho ! Uma portunidade única!

Desamasso o papel e pego uma caneta com mil pensamentos rodeando minha cabeça. Isso será perfeito, Espero que seja a escolha certa. Faço um "X" bem visível no quadrado ao lado do nome "Acampamento militar". Preencho todas as coisas que o papel ordenava, como idade, número de telefone, nome dos pais, que no caso não escrevi nada. Legal! Não tive muito tempo para pensar no assunto, mas creio por meus extintos que essa não foi a escolha errada.

[. . .]

O sinal da última aula bate. Pego meu material e o guardo em meu armário.

Bem, é agora nunca.

Ando calmamente até o grêmio. Por sorte, a maioria das pessoas entregaram os papéis durante o intervalo, então agora o grêmio está menos sobrecarregado. Bato na porta e logo aquele loirinho fumante aparece.

Nathaniel:- Posso ajudar ?

Ele diz sorrindo.

Ellen:- Bom, vim entregar a folha das férias.

Nathaniel:- Oh sim. Obrigado, já vou aproveitar e levar para a sala da diretora. Antes que eu faça algo, você está certa de sua decisão? Há várias pessoas que se arrependeram e não puderam trocar.

Ellen:- Não, não. Estou decidida.

Nathaniel:- Certo.

Ele diz pegando o papel que lhe entrego. Bem, agora não posso mais voltar atrás. Assim que despeço do loiro, passa a coisa mais óbvia por minha cabeça.

Ellen sua burra ! Enquanto ao Lysandre ? Eu nem falei com ele nem nada ! Vou passar as férias enteira longe dele ? Burra ! Burra !

Agora não tem volta! Droga! Por que eu não pensei nisso antes ! Eu sou tão imatura. Deveria ter pensado direito, aaah! Droga.

Subo as escadas batendo os pés. Mas, se for ver, Essa é a oportunidade única de minha vida. Não quero esperar mais ainda por minha vingança. Já irá fazer mais de dois meses que estou viva e ainda não fiz nada em relação a isso, só de pensar em desistir da calafrios. Mas bem.. Por um lado é bom, pelo outro.. É ao contrario.

=Elly=

(Continuando)

Como não conheço muito bem essa cidade, Castiel e eu fugimos um pouco de verdadeiro objetivo de sairmos. Andamos por parques, feiras noturnas e até por uma sorveteria que fica aberta até as três da madrugada. Está sendo muito divertido, não que seja raro que eu e Castiel passemos muito tempo assim. Porém, sei que a noite não será todo esse mar de rosas que está sendo agora.

Elly:- Castiel, eu estou com fome.

Digo manhosa encostando minha cabeça em seu ombro.

Castiel:- Hum..

Elly:- Vamos achar um lugar legal para matar minha vontade de comer algo. Não aguento mais.

Falo coçando meu pescoço.

Castiel:- Calma Elly, vamos achar logo logo.

Ele diz olhando para os lados.

Elly:- Tá..

Seguimos um caminho, atravessando um parque e entrando em um calçadão, onde há várias lojas fechadas e não tem nenhum pingo de iluminação, um lugar perfeito com vários becos sem saídas e bares recém fechados. Oh céus! Estou tão animada! A cada passo que dou, viro a cabeça procurando alguém. Não dá para aguentar ! Parece que não sugo uma gota de sangue a dias ! Nunca me senti assim antes !. Como me sinto nesse momento ?, vou explicar:- Eu sinto que meu ar vai acabar logo, que meu coração iria explodir e minha boca irá rachar de tanto que estou sorrindo.

Cantarolo um pedaço de uma música que escutei junto com Castiel no caminho da viagem enquanto começo a olhar tudo e captando os mínimo os detalhes do local. Parece deserto…

Elly:- Será que há alguém aqui ?

Digo me afastando de Castiel e sentando em um banco de concreto próximo do local. Mal percebi, mas já andamos tanto que Chegamos a uma praça bem no meio no calçadão.

Castiel:- Não tenho certeza, mas garanto que há alguns bêbados ou moradores de rua.

Elly:- Hum..

Respiro fundo desabrochando meu sorriso.? Desanimada. Poxa.. eu realmente queria algo a mais do que uns simples moradores de ruas e bêbados. Assim que inspiro todo o ar que posso, sinto o leve aroma de sangue, mas de um sangue estranho.. Um sangue meio.. ardente e forte. Nunca provei algo de tipo! Isso é novo!

Elly:- Ah.. humm..

Mordo meu lábio inferior. Esse cheiro... oh céus.. que perfeição. É um prazer imenso em cheira-lo. Castiel olha paraeu assustado por aquele som que fiz e arqueia a sobrancelha.

Castiel:- Ixe.. que foi ?

Elly:- Sente só Castiel..

Falo jogando minha cabeça para trás e respirando fundo novamente, sentindo aquele cheiro delicioso, minha boca começa a salivar e desejar cada vez mais ele descendo, rasgando toda a minha garganta de tão quente e forte. Castiel olha para os lados e respira fundo em sintonia comigo. Na hora, ele vira a cabeça rapidamente.

Castiel:- Uou! O que é isso ?

Elly:- Eu não sei, mas é delicioso.

Falo levantando a cabeça e tentando adivinhar de onde aquile cheiro estava se originando. Levanto rápido e olho para Castiel sorrindo, aponto para um lugar com a cabeça e ele confirma, me seguindo. Ando um pouco enquanto sinto o cheiro, o mesmo nos trouxe para um pequeno beco, onde encontramos uma pessoa dormindo em meio ao lixo. Ah não, não era um morador de rua, muito pelo contrario, o homem vestia um terno luxuoso, continha um relógio com o material idêntico ao ouro. Esfrego as mãos Feliz da vida. Esse será uma oportunidade única de experimentar algo tão novo e inovador para mim. Alias, novos tipos sanguíneos sempre são bem vindos.

Amalizado seu corpo, Noto que há algo em seu bolso. Me aproximo cuidadosamente.

Castiel:- *Sussurro* O que você vai fazer?

Elly:- *Sussurro* Shiuu! Eu achei algo.

Assim que chego perto do moço, estico minha mão e retiro o objeto guardado, e para minha surpresa, é uma carteira. Curiosa e animada, a abro, e arregalo os olhos com a quantia de dinheiro, sim! Várias notas de cinquenta reais ! Ah ! Hoje é me dia de sorte!

Elly:- *Sussurro* Olha só!

Digo cantarolando e virando para trás, balançando as notas no ar. Castiel arregala os olhos e fica boquiaberto.

Castiel:- Uou !

Ele diz abafado com as mãos tampando a boca.

Pego o dinheiro e guardo em meu sutiã, Feliz da vida.

Castiel:- Elly.. Isso é roubo..

Ele diz Ainda com as mãos na frente da boca.

Elly:- *Sussuro* Não será roubo se ele estiver morto.

Falo isso segurando na gravata da cor vermelha de marca e desabotoando duas vestes, assim que deixo seu pescoço nu, passo a língua entre meus dentes.

Elly:- *sussuro* Tenha as honras de saborea-lo antes de mim. Não será legal se eu morde-lo primeiro e o deixar vivo para que você beba também.

Castiel sorri largo e vem até o homem, onde não perde tempo e já crava suas presas no largo pescoço do homem.

Pobre moço, aqui vemos um homem "Rico", que deve ter gastado horrores com bebidas alcoólicas e acabou assim. Aí eu me pergunto, o que adianta ser rico e fazer isso de sua vida ?

Perda de tempo, não?

Assim, Castiel suga por um longo tempo sem parar. Aah.. Como eu amo ver Castiel desse jeito. Ele fica tão atraente com seus olhos vermelhos..

Logo ele joga o homem no chão, que se contorcia de dor e agonia. Castiel olha para mim, limpando sua boca suja de sangue. Sorrio para ele orgulhosa.

Castiel:- Ele é todo seu.

Elly:- Obrigada.

Aproximo-me do corpo e também não perco tempo, perfuro a pele grossa e firme do moço, onde um grande jato de sangue entra por minha boca. Oh Meu DEUS! Isso é maravilhoso! Um sangue quente, picante, doce e forte! Tudo que eu precisava!

Um sangue de tão bom estado! Perfeito! A textura, a cor, o gosto, tudo isso me satisfaz. Passo a adentrar mais meus dentes em seu pescoço e sugo cada vez mais forte, já que o sangue já estava acabando. Por fim, o sangue acaba, e levanto satisfeita. Apesar de ter sugado apenas uma pessoa, foi incrível e isso matou minha sede por completo. Passo a língua por volta de meus lábios, saboreando um pouco mais. O homem já está morto. Sem dúvidas, depois do sangue do Castiel, esse foi o melhor que já provei.


Notas Finais


CARAÍ BORRACHA !
191 FAVORITOS ! UAUU!
AÍ CARA ! QUE FELICIDADE VER QUE MINHA HISTÓRIA CRESCENDO ! OBRIGADO POR ME ACOMPANHAREM ATÉ AQUI, POR SUPORTAREM MEUS ERROS DE PORTUGUÊS E A ESCRITA RUIM (pq até então, os olhos vermelhos é minha primeira fic)
Sério, falta tão pouco para chegar os 200 favoritos.
Sério, vcs me ajudaram a sair de minha (mini) depressão. Eu estava muito má no começo, eu não tinha amigos na nova escola que me mudei, e essa fic me ajudava a passar o tempo despreocupada. Graças aos seus comentários e seus favoritos, tudo mudou!
Valeu :3 de coração :3
Amo vcs <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...