História Os opostos se atraem. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 8
Palavras 1.044
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Voltei galero
Não sei se o cap vai ser grande porque to na casa de uma tia então complica.... (Isso foi da primeira vez que eu escrevi)

Capítulo 2 - Nem tudo na vida são flores.


Cleo.

Acordar, seria uma das coisas mais chatas que faço nessa vida? E a mais desnecessária também...

Okay, okay! Estou sendo muito depressiva

Vamos por um pouco de alegria nessa vida.

Respira Cleo, respira.

Levanto faço minhas higienes matinais, pego o uniforme da uni e desço

-Não vai tomar café? - Viro minha atenção pra ela, Lucy, minha amiga mais próxima, ela trabalha aqui em casa, ela me entende, ela procura me entender, coisa que minha mãe não não faz...

-Vou sim! Só vou terminar de me arrumar, okay? - Ela assentiu e eu sai

verdasemeu uniforme e prendo meu cabelo 

O loiro sempre destacou.

Pelo jeito minha mãe não acordou ainda, isso de certa forma é bom!

Assim que chego no último degrau da escada, Lucy passa e fala

-Sente-se, vou terminar de servir o café - eu apenas assenti e sentei

Minha mãe está dormindo ainda? Que estranho

Ah eu estava errada!

-Ah você - Ela diz com expressão de nojo - oque faz aqui ainda? - Diz ela, quem é? Minha mãe! A própria.

Quando isso vai acabar? Não sei..

Nunca é uma bela resposta!

-E-esta cedo...- Digo, tentando me mostrar muito calma

-que seja! Ter que acordar e ver sua cara? Não quero mais, ouviu? - Diz ela demonstrando... Raiva?

apenas assenti

 e sai em seguida, fui até o motorista

-Bom dia - Digo 

-Bom dia Sra.Walker - Diz o homem

-Sem formalidades, apenas "Cleo" -Ele assenti - direto pra escola por favor...- digo

-Okay - Ele diz e logo da partida no carro.

Devem estar se perguntando "motorista?" sim, digamos que nós temos uma boa condição,minha mãe trabalha em uma empresa bem sucedida, ela é tipo vice de lá

Dylan.

Abro os olhos com um pouco de dificuldade

Aliás tem sol na minha cara

Quem abriu a droga da cortina?

Ai que ódio desses empregados

Levanto faço minhas higienes matinais e vou tomar café 

-Bom dia Sr.Parker - Diz uma das empregadas

- Oi, cadê o café? - Digo frio.

-Já estão servindo - diz ela

- Sempre se atrasando, esse Povinho não serve nem pra ser empregado, vê se pode! - Digo indignado

- Éer...desculpe ! - Diz ela e sai

Depois de uns minutos eles serviram

Comi sozinho

Alias meus pais não ficam em casa

Estão sempre trabalhando, se eu me importo? Não mesmo.

(Autora: alerta orgulhoso cof cof)

Fui pro meu quarto me vesti e fui em direção ao motorista

-Bom dia Sr.Parker - Diz o motorista

-Bom dia - Com ele não costumo ser frio, ele é legal as vezes

Entro no carro e ele se prepara pra partir

-Direto a escola? - Apenas assenti e ele foi 

Eu até tenho meus "amigos" lá

Apesar da maior parte ser por interesse, e eu tenho total noção disso

Se eu sinto falta? Talvez...

Pais presentes? Não.

Amigos de verdade? Não.

Boa condição? Sim.

Mas do que adianta?

-Dylan? Dylan, está bem? Ou! - sou despertado dos meus pensamentos pelo motorista, e logo percebo que chegamos.

-Sim, Estou ótimo - será mesmo que estou? - vou indo! - digo.

Ele acena e eu saio

Cleo.

Chego na escola e logo vejo minhas amigas conversando, poucas alí são verdadeiras, mas a minoria é fiel...

-Hi meninas! - Digo sorrindo

-Oi Cleo - falam em coro

-Cleo, eu preciso te contar uma coisa, podemos ir alí?  - Diz uma figura de cabelos ruivos, Maya.

-Ah okay, já volto meninas! - todas assentiram e eu fui pra um canto mais reservado com a Maya

Maya é uma das minhas melhores amigas, é do tipo que eu sei que posso confiar, e além de tudo ela sabe valorizar uma amizade

-Hm, oque quer falar? - Digo.

-Então...- ela abre a boca pra falar mas não sai nada

-Maya, você ta bem? Oque está acontecendo contigo? Por que ta assim?  - seria muitas perguntas pra uma só pessoa? Talvez.

-E-eu não sei, na verdade sei mas...- ela trava

-Mas...? - faço sinais pra ela prosseguir.

-Pode parecer bobeira esse drama todo pra isso, é que é coisa minha e eu precisava me abrir com alguém sabe? - assenti, se eu estou com medo do que vem por aí? Muito, independente do que seja quero ajuda-la, ela está em choque, porque isso? Oque poderia faze-la ter tais atitudes? -você deve estar pensando mil coisas agora, várias teorias ou fantasias, te conheço Cleo - sim é verdade! Ela realmente me conhece...- enfim, ontem quando eu cheguei em casa, fui procurar meus pais nos quartos, como você sabe minha casa tem muitos quartos e corredores, e eu procurei de quarto em quarto, vai que né, sei lá, mas enfim...quando eu fui passar no ultimo corredor, ouvi alguns barulhos e...- novamente ela travou, ela está em choque, oque poderia ter deixado ela assim? Eu sinceramente estou começando a ficar preocupada - ah perdão, eu ouvi alguns barulhos e eu logo consegui reconhece-los, Cleo, vinte e nove-fiz uma expressão confusa - VINTE E NOVE ANOS DE CASADOS CLEO! - ela grita, e logo vejo a primeira lagrima rolar - Vinte e nove anos de casados, pra eu abrir aquela porta e ver ele, meu pai, o meu pai, com outra mulher naquele quarto, pra que serve os vinte nove anos? Pra nada! Pra ele ter amantes? Ele não tinha o suficiente em casa? Uau pobre coitado! Mas o pior, ele me viu...- ela começou a chorar muito, muito mesmo. - e-ele fez questão d-de deixar marcas, nela? Não! Em mim - ela levanta um pouco sua blusa mostrando suas costas totalmente roxas, eu arregalei os olhos - ele era um homem carinhoso, alguem no qual eu depositava afeto, mas e agora? E ele estava bebado, o cheiro de alcool estava forte, muito forte,ainda fez questão de falar nem tudo na vida são flores. - ela se desaba a chorar, como ele pode? Eu sinceramente sinto nojo! Apenas abracei ela, deixei ela soltar tudo oque estava sentindo, e assim foi.

-Não o dou razão, obviamente não! Mas uma frase dele foi certa, nem tudo na vida são flores. - Ela me olha - se tudo isso acontesseu foi porque era pra acontecer! Não seria pior se ele continuasse com vocês com toda falsidade? Dizendo que amava tua mãe mas foi buscar por fora? Eu não suportaria! Ele não merece uma lágrima tua,  desculpa mas eu sinto nojo dele. - ela abriu a boca pra falar algo mas logo a interrompo - você não deve correr atrás, pelo menos não se o seu coração mandar, siga seu coração, se quiser perdoa-lo você perdoa, força de vontade! E repetindo nem tudo na vida são flores. -





Notas Finais


Gente me perdoem pela demora, é que assim esses dias foram hiper corridos
E o spirit apagou o capítulo umas 4 vezes
Então eu nem me esforcei pra ser grande agora
Deu até medo de apagar esse sério!
Mas enfim
Espero que gostem
Avaliem e deixem suas opiniões
Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...