História Os Três Reis - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Jvwend
Exibições 1
Palavras 3.268
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Escolar, Ficção, Luta, Magia, Misticismo, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Segundo cap, lembrando que esse mês é dos Três Reis, mês que vêm é o outro.

Capítulo 2 - Quietos!


    Por mais que essa escola seja no meio do deserto, ainda existem muitas pessoas que conseguem chegar aqui, e elas não são muito amistosas, todos eles chegam aqui somente com um propósito, pegar a fonte de energia da cidade, essa cidade é abastecida com energia limpa, e também muito rara, um cristal de luz beta, esse cristal foi descoberto aqui no deserto a um ano atrás, e apenas 100 gramas desse cristal tem capacidade de fornecer energia a uma cidade inteira, porém para fazer o uso desse cristal, você precisa de um capacitador de energia, essa maquina é muito difícil de fazer e no menor erro de construção essa maquina pode virar uma arma nuclear, mas mesmo sabendo desse risco todos queriam uma parte do cristal para uso próprio, principalmente os Powders, um grupo terrorista que tem como intenção a dominação da terra, ou a destruição, para eles não tem nenhuma diferença, eles são apenas loucos por adrenalina, que querem ver o circo pegar fogo. Por esse motivo guardamos todo o cristal extraído em um cofre e usufruímos de sua energia, protegendo e usando, os Powders não gostavam disso, por isso todo mês eles atacavam a cidade, mas nem chegavam perto de tocar no cofre, graças as defesas da cidade e as tropas de MindUnion.
    Naquele mesmo dia eu estava mexendo na minha bolsa procurando meu cartão para entrar na escola quando eu escutei uma frase, quase um sussurro dizendo.
- Olha no bolso da calça, maninho
    Coloquei a mão na calça e senti meu cartão, passei o cartão, mas quando eu fui agradecer pela ajuda... Não havia ninguém ali, pensei que era por causa da minha fome, e então eu deixei passar e entrei na escola logo. Lá estava eu novamente pronto para mais um dia naquele inferno, eu só queria que por somente um dia ninguém me tratasse mal, queria não ser notado.
~ O que eu estou falando, eu nunca me importei, não vai ser agora que vou me importar com isso, humpf.
    Normalmente sou recepcionado com sarcasmo por um valentão chamado Thomas que é um dos integrantes da tropa de MindUnion, ele adora irritar os mais fracos que ele, e eu sou o alvo principal dele, mas naquele dia eu passei ao lado dele e ele nem sequer olhou para mim, gostei daquilo, porém foi muito estranho aquilo, mas mesmo assim eu fiquei um pouco mais contente, cheguei na sala de aula e não tinha ninguém ali então eu coloquei meu nome como presente no diário de sala, e me sentei no meu lugar, eu me sento no fundo da sala para não ser incomodado por ninguém. A sala foi começando a encher e quando deu 7h50 a aula começou e eu tirei minhas coisas da bolsa quando então eu escuto o garoto que se senta na minha frente falar para um outro garoto.
- Nossa, que milagre o Est faltou hoje, ele nunca falta – Falou ele enquanto foleava o caderno dele.
- Pois é, isso é uma coisa que eu nunca pensei que poderia acontecer na minha vida, mas fazer o que, agora o Thomas vai ter que irritar outro, só espero que não seja nenhum de nós dois.
- Do que vocês estão falando? Eu estou aqui.
    Quando eles olharam pra trás e me viram, parecia que eles tinham acabado de ver um fantasma, um deles até caiu da cadeira, e então eles falaram a mesma frase que a moça da loja falou.
- Como você chegou ai? Quando foi que vo... você chegou ai? Q... que susto.
    Ele estava com o medo estampado no rosto, não era uma surpresa já que aqui na MindUnion, quem não é da tropa costuma ser bem medroso, mas era um medo muito grande, foi bem estranho.
- Eu estou aqui desde o começo, mas por que você está com tanto medo? Até parece que viu um fantasma.
- Que nada eu estou bem... só não faça mais isso seu estranho! – Ele rapidamente voltou a ser aquele cara arrogante, que todos são comigo.
- Desculpa, não queria assustar vocês, desculpa mesmo.
    Então a aula começou e eles se arrumaram em seus lugares e começaram a fazer as lições. E eu como sempre me exclui do circulo social deles é só fiz a minha lição, e então deu a hora do teste de incêndio, eu guardei meu material e me arrumei para o exercício de incêndio, veio um dos guardas mais simpáticos da tropa na sala e falou.
- Bom dia turma, sou o Arthur Limonth sou um dos guardas da tropa, e agora eu serei responsável por encaminhar vocês em segurança para fora da MindUnion em caso de incêndio ou qualquer outra emergência – Arthur era loiro, tinha olhos castanhos, e acho que tinha cerca de 1.80 de altura, ele não era musculoso, era apenas bem definido, mas ele tinha um espírito bem forte, ele era bem confiável, ele estava usando o uniforme da tropa, uma roupa preta por baixo de um sobretudo marrom com o símbolo da escola. Quando vi aquele uniforme, me veio o nome do Jay e algumas imagens de uma arma na cabeça, foi muito estranho e rápido, diria que foi como uma visão, e então voltei ao normal.
    Arthur pegou o diário de presença e falou para que todos ouvissem.
- Vou falar um nome de cada vez, e se ouvirem seu nome quero que façam uma fila no corredor e esperem até eu terminar ok?
E então a sala inteira gritou em alto e bom som.
- Sim senhor!
- Não precisam me chamar de senhor, me chamem de Arth, vamos ser mais amigos, mas não confundam ser amigos com ser escravo ok? Não irei fazer favores pra nenhum de vocês! Então vamos lá!
    Ele falou o nome de todos, e então quando chegou minha vez ele falou.
- Rob Wintler! – comecei a ir até o corredor, mas quando eu passei na frente dele ele falou – Nossa Rob, que presença mais baixa, quase não vi você passar pela minha frente.
- O que você quer dizer com isso? – Eu estava meio confuso.
- Deixe-me terminar de fazer a chamada que no caminho eu te explico o que eu quero dizer ok?
- Tudo bem Arth – E então eu me toquei, ele não havia me chamado de Est, aquilo era muito estranho, foi quando percebi que ele estava apenas tentando ser uma boa pessoa comigo, isso nunca havia acontecido nenhuma vez na minha vida escolar, aquilo foi bom, mas me toquei e voltei ao meu lugar na fila.
    Ele tinha acabado de terminar a chamada, e então ele colocou a mão no bolso e pegou um relógio de bolso, virou pra gente é falou.
- São 10h48 vamos começar o teste as 10h50, alguma objeção?
- Não Arth! – Foi quando o relógio dele começou a tocar, ele pegou o relógio e apertou o botão de parar o cronômetro, e então eu me lembrei de tudo, do Lount, do Jay, do milkshake, e quando eu olhei novamente para o Arth ele colocou um dos ponteiros do relógio dele em 12 ele apertou o botão novamente, foi quando o relógio começou a brilhar roxo, e quando parou de brilhar o relógio se transformou em um uma espada esgrima com lâmina preta, a sala inteira ficou calada e surpresa, ninguém nunca viu aquilo acontecer, principalmente a parte do relógio, porém uma voz sussurrou pra mim
- Haha, Novato – Eu já havia me acostumado com aquela voz, então só ignorei ele e continuei ali firme.
- Pronto alunos! Em fila agora! Não quero ninguém conversando, e quero que todos me sigam, e não pensem em se separar, pode até ser um simples teste mas não levem na brincadeira – E depois de falar isso ele me olhou e falou – E você Rob, venha aqui, temos que conversar um pouco.
- Sim, Arth – Estava no fundo da fila, e então fui andando até o Arth, todos na fila começaram a sussurrar, e então o Arth falou.
- Eu falei pra ninguém conversar! Vocês não conseguem entender? Vou deixar passar dessa vez, mas na próxima todos irão fazer 10 flexões, então silêncio e andando! – Eu tinha acabado de chegar perto dele, quando ele me perguntou – Então Rob, você já fez teste pra entrar na tropa?
- Claro que não... E mesmo se eu fizesse, eu nunca passaria, eu não tenho o necessário para entrar, mas por que você me perguntou isso?
- Eu acho totalmente o contrário, pelo o que eu percebi você não se surpreendeu quando viu meu Lount... E até acho que você achou meu Lount simples.
- Nã.. não eu achei seu Lount muito legal, é só que eu conheço al... ~ O que eu estou falando? Tudo aquilo era um sonho, tenho que parar.
- Al? Alguém? Completa o que você iria falar Rob? – Ele estava curioso para saber o que eu estava falando, mas mesmo assim ele continuou andando, e firme.
- Nada Arth, é só que eu estava confundindo sonho com vida real – Eu comecei ficar tímido com tudo aquilo, e confuso comecei a pensar ~ Aquele sonho parecia muito real, melhor eu tomar cuidado com o que eu estou falando.
- Hahaha, não tem problema Rob, isso acontece as vezes comigo também, isso só prova que você tem realmente potencial para ser alguém da tropa.
- Eu ainda acho que não, mas se você diz eu não posso contradizer, mas me explica por que você acha que eu tenho potencial pra ser da tropa?
- Você já deve saber o que é o Lount não é? – Nesse momento eu lembrei do meu sonho e do Jay me explicando o que é um Lount.
- Sei, acho que já escutei alguém me dizendo o que é, mas eu não sabia que um Lount poderia ser um relógio de bolso, pensei que só poderiam ser armas – Pelo o que o Jay tinha me contado não precisava ser necessariamente uma arma, mas se eu demonstrasse saber demais ele acharia estranho, então fingi que eu não sabia de algumas coisas.
- Não Rob... o Lount pode ser qualquer coisa, e meu Lount não é um relógio de bolso... O meu Lount é a espada de esgrima, o relógio é o selo de Segurança que a escola disponibiliza para guardar o Lount, imagine se eu ficasse andando com uma espada de esgrima por ai, não daria muita segurança para as pessoas da escola, então fizeram isso para segurança de vocês e a até nossa segurança.
- Ahh... então se eu entrar na tropa eu ganho o relogio?
- Mais ou menos isso Rob... mas isso vale apenas para usuários de armas, os usuários de outro tipo Lounts, não precisam pois não demonstram perigo para a escola, mas é bem difícil encontrar alguém que não use uma arma como Lount, mas não existe só relógio como selo, os selos podem ser muitas outras coisas, como colar, pulseira, ou qualquer outro objeto, mas você sabe tanto sobre os Lounts, você deve conhecer alguém tem um, não é?
- Que? Nã...não, só você por enquanto, já que você me falou isso, tenho uma duvida, todos da tropa têm um Lount?
- Não, para ter um Lount é preciso ser muito Habilidoso para ter um Lount, e ainda tem a parte mais difícil que é achar um Lount que se adeque a sua habilidade.
- Ah... entendi, talvez eu tente entrar na tropa algum dia... vai que eu passe né – Ele deu um sorriso e então falou pra mim.
- Boa Rob, se tiver mais duvidas é só me chamar, na maior parte do tempo eu fico no quartel da tropa, é só ir e... – Quando ele ia terminar a frase ele foi interrompido por uma explosão na entrada do Colégio, e rapidamente o Arth gritou para todos - Todo mundo deita no chão! Isso não é mais uma simulação! Rob quero que você leve todos em segurança para a saída de trás do Colégio!
    Ele nem me deu tempo para falar alguma coisa e pulou pela janela, todo mundo estava confuso sem entender nada, e quando aconteceu outra explosão todo mundo começou a ficar apavorado, e a correr. Eu por algum motivo me senti confiante e gritei.
- Quietos! – Todos ficaram quietos e escutaram o que eu tinha pra dizer - O Arth mandou todos irem para saída de trás da escola, então vamos todos nos acalmar e ir calmamente até lá.
- Mas quem você acha que é para mandar em todos nós? – Foi o mesmo garoto que me chamou de estranho hoje e ficou com medo, ele estava bem cheio de si.
- Bem... É... que o Arth que mandou, eu não quero mandar em ninguém, só quero que todos cheguem na saída em segurança, desculpa se pareceu coisa diferente do que eu queria dizer...
- Então, se foi o que o Arth disse vamos logo, mas não quero que você fale mais nada seu estranho! – Ele esbarrou em mim e falou – E saía da minha frente Est!
- Desculpa, eu não queria te atrapalhar.
    E então ele mandou todos seguirem ele até a saída, todos foram e eu fiquei ali novamente excluído do grupo, como se eu não estivesse ali ~ Mas para mim não fazia nenhuma diferença, se eles me vissem ou não, eu não ligava nenhum pouco
- Agora que eu estou aqui você com certeza vai ligar nem que seja um pouquinho.
~ Acho que já entendi você só fala comigo se eu falar com o pensamento, não é mesmo? Jay...
- Hahaha, olha só você lembrou de tudo, isso foi ótimo, mas... não, eu até te responderia enquanto você fala, mas você ficaria mais estranho falando sozinho, e eu não quero contribuir com essa característica sua.
~ Bom... fica tranquilo que eu não vou ficar falando por ai, mas por que você não falou logo que eu tinha que pensar?
- Assim não teria graça, foi divertido ver você me procurando enquanto eu estava todo tempo aqui... mas Rob, acho que você devia ir junto com a sua sala não é mesmo?
~ Ah... é já estava indo, foi culpa sua por ficar me distraindo – Comecei a seguir eles enquanto conversava com o Jay ~ Mas então... você ouviu o que o Arth disse antes de sermos atacados?
- Ah sobre você tentar fazer o teste para a tropa?
~ Isso! Você acha que eu realmente posso ter alguma chance de entrar na tropa? Tipo eu nem sei qual é o meu Lount...
- Relaxa maninho, você não ouviu o que ele disse? Nem todos da tropa ativaram  a habilidade ou encontraram seu Lount.
~ Mas acho que esses que não conseguiram, são bem fortes fisicamente, e eu não sou nem um pouco forte, então acho que não daria certo...
- Ah... deve ser, mas você pode achar seu Lount, não é tão difícil se você for realmente um gênio, e pelo o que eu sei, você tem inteligência pra dar e vender.
~ Quanto tempo você demorou pra conseguir o Nixan?
- Foram 2 anos... mas isso não importa, você é um gênio e eu não! Rob, mande eles se abaixarem agora!
   Eu corri rapidamente para frente de todos e fiz o que o Jay mandou eu fazer gritei o mais alto possível.
- Todos no chão agora! Quer dizer, por favor! – Quando todos se deitaram no chão, um dos Powders entrou pela janela, ele estava usando um traje estranho, era totalmente cinza e cobria o corpo do pé a cabeça, ele tinha uns 2 metros, e também carregava um grande tacape, bom... ele nem parecia humano, só percebi que ele era humano quando ele tirou aquela coisa cinza do rosto dele é falou.
- Olha só quem esta aqui, se não é um bando merdinhas indefesas! Acho que é hora de todos morrerem! Ou será que algum de vocês sabe onde fica o cofre onde fica os cristais? Prometo que deixo vocês viverem se me contarem onde fica... amiguinhos – Ele ficou parado e com um sorriso maléfico no rosto, com toda certeza ele não deixaria nenhum de nós sobreviver.
- Ei, Rob... acho melhor você pensar em alguma coisa...
~ Eu estou tentando Jay! Você tem alguma ideia do que fazer?
- Me desculpa senhor terrorista, mas nenhum de nós sabe onde fica o cofre... mas será que você poderia nos deixar vivos? – Foi o mesmo pateta que estava guiando todos até a segunda saída, que falou isso.
- Hahahahaha, eu falei que iria matar, então eu vou matar, mas fiquem calmos, eu irei matar vocês rapidinho! Vocês nemm vão sentir – E novamente, ele ficou com aquele sorriso tenebroso...
    E pra piorar todos começaram a ficar aflitos, e a gritar tudo estava uma completa desordem, mas eu tive certeza que eu vi aquele idiota sair correndo e deixar todos para trás,
- Rob, agora você só tem duas opções, na primeira você corre e deixa esse pessoal morrer e depois morre, ou dois, você tem que usar a habilidade Espaço mental e trocar comigo...
~ Mas eu não sei como usar ela... não tem outra opção?
- Infelizmente não, mas vamos eu sei que você consegue, e acho que você tem meros 19 segundos agora – Nesse momento o Powder começou a vir pra cima dos alunos, ele fez com que eu ficasse mais apreensivo, e nervoso, e quando ele chegou perto dos alunos, eu sai correndo e fiquei bem na frente encarei ele nos olhos e disse.
- Ei seu merda por que você não assusta alguém melhor que você seu lixo? Vai dizer que está com medinho? – Ele ficou irado, e veio correndo na minha direção achei que estava bem ferrado, então eu pensei ~ Pelo menos salvei eles, então assim será meu fim? – E quando faltava apenas 3 segundos para minha morte, tudo parou, tudo ficou em silêncio, não tinha mais nenhum grito de medo, apenas o silêncio, exceto pela voz do Jay dizendo.
- Nossa, essa foi por pouco, hahaha, mas então parece que você conseguiu chegar aqui, mas você precisa se decidir logo pois 10 minutos aqui é 1 segundo lá, vai realmente querer trocar?
- Já que eu não tenho outra opção, mas tem algum sintoma? Tipo vou ficar com coceira ou coisa do tipo?
- Nada de coceira, mas tem uma coisinha de nada que vai acontecer se trocarmos...
- Qual seria essa coisinha de nada?
- Bem, se trocarmos você vai ter que ficar um tempinho por aqui, e com um tempinho eu quero dizer 1 dia inteiro.
- Mas esse tempo seria na mente ou na vida real?
- Bom... o lugar onde você vai ficar não tem o tempo diferente de lá, então seria um dia nos dois mundos, que tal?
- Ok, eu aceito, mas tem um porém, quero que depois disso você me ajude a achar meu Lount e a vir aqui toda vez que eu quiser.
- Ah, isso é fácil! Então vamos logo trocar! Toca aqui.
- Sério? Isso é realmente necessário para trocar?
- Não... eu só achei que seria legal... mas se você não quer não tem^ problema, até depois Rob! – Ele estalou o dedo e sumiu, quer dizer... e trocou de lugar comigo.


Notas Finais


Deixa seu comentário dizendo o que você acha ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...