História Os Ursos Negros - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Twenty One Pilots
Personagens Josh Dun, Personagens Originais, Tyler Joseph
Exibições 22
Palavras 2.059
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Festa, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Pansexualidade, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


:D

Capítulo 15 - Um mês.


Um mês! Era isso que faltava para o festival e era isso que estavam gritando. Josh entrou gritando essa exata coisa no quarto de Tyler e esperando ver a animação no rosto do amigo. Encontrou sim, mas junto estava um medo que Tyler não podia explicar. Josh achava que era com relação a Bear, mas o melhor amigo não respondia.

O computador estava ligado e era a hora de fazer a inscrição. O dia tinha chegado e dias piores viriam: os dias da seleção. Eles tinham que enviar um vídeo deles tocando para que os jurados selecionassem dezesseis bandas que iriam para as batalhas nos palcos. Eram poucas bandas, realmente, mas era o que tornava o Festival muito chamativo.

Tyler tinha medo de sequer ser selecionado, mas qualquer coisa que ele entrasse teria que passar por isso. Josh estava segurando sua mão enquanto o vídeo estava em processo de upload. Parecia que o site cairia a qualquer minuto. Eles estavam nervosos, ok, e só aumentava a cada por cento subido na barrinha.

— Será que nós vamos passar pelos jurados? – Tyler perguntou a Josh, mas sua voz quase não saía.

— Se conseguirmos passar do site, passamos de tudo. – Josh respondeu com os olhos fixos na tela.

Não que o servidor do site fosse lento, eles pensavam, o problema é que havia muitas bandas tentando entrar em um único festival. Tudo isso estava pesando e tornando lerdo um site que funcionava normalmente. Ninguém, ninguém mesmo, queria deixar para última hora sua inscrição. A mão de Tyler apertava a de Josh e o nervosismo não acabava.

— Foi! – Josh gritou se levantando alguns minutos depois. — O vídeo foi!

Tyler foi levantado quando Josh se levantou e teve que se recuperar e se sentar de novo. Josh preenchia todas as outras informações da Twenty One Pilots. Não demorou para a inscrição ser totalmente feita e enviada, levando os dois a respirarem de alívio.

Dali para frente, seus corpos conheceriam ainda mais o nervosismo.

 

Do lado da The Black Bears, as coisas não estavam melhores. A lerdeza do site também atacava o nervosismo de Bear, Brian, Ben, Jason e Dan. Bear era quem comandava o computador e cada vez que ele digitava uma letra errada alguém gritava para ele prestar atenção. Cada minuto naquele site contava, com medo que ele parasse de funcionar.

— Presta atenção, porra! – Dan gritou.

— Cala a boca, Daniel, ou faço você vir digitar! – Bear gritou de volta.

Dan emburrou a cara e Bear apertou, finalmente, o botão para enviar a inscrição totalmente feita. Quando a mensagem que havia tudo sido concluído apareceu, os cinco gritaram e fizeram barulhos estranhos. Parecia que comemoravam o Ano Novo ou coisa parecida tamanha tinha sido a gritaria. Pudera, era o primeiro passo para a coisa que podia mudar a vida deles.

Mais do que ela já estava mudada.

— Pronto, caralho! – Bear gritou. — Agora é só a esperar a resposta mês que vem.

— Se a gente não passar eu vou jogar o Dan da ponte. – Jason ria. — Agora falo sério, a gente vai longe nessa porra!

— Claro que vamos! – Bear continuava gritando. — Porque nós somos fodas para caralho!

Brian ria da cena que Bear e Jason faziam até que seu celular vibrou. Olhou o visor e viu o apelido do namorado, ou seja, uma ligação que não podia ignorar. Saiu do quarto de Bear e de longe da barulheira e atendeu Josh rapidamente.

— Nós conseguimos! – Josh gritava do outro lado da linha. — O site estava um pouco lento, mas a inscrição está feita!

— Nós também! – Brian dizia em tom normal e feliz. — Agora é só esperar até o mês que vem.

— Eu estou ansioso, Brian.

— Nós vamos conseguir. Vamos nos encontrar na final.

— E você vai torcer para quem? – Josh ria.

— Não me faça pergunta difícil, Josh.

Josh gargalhou e Brian soltou um riso anasalado.

— Eu vou voltar para a festa dos garotos, Josh, mais tarde a gente se vê.

— Tudo bem.

— Se cuida, querido.

 

Josh olhava para a ligação finalizada e se perguntava desde quando as coisas começaram a parecer mais como algo sólido do que como líquido. Não que seu amor por Brian fosse líquido ou coisa assim, era apenas a diferença de que agora tudo parecia mais concreto e chato do que costumava ser antes. Josh se odiava por se sentir assim, mas era a verdade e ele tinha que admitir a verdade para ele mesmo.

Josh ainda sentia que amava Brian e isso era óbvio, mas odiava a sensação de que tudo estava se tornando morno. E morno era um sentimento tão ruim que Josh poderia dizer que o quebraria se continuasse daquela forma. Amar Brian exigia que Brian o amasse tanto quanto, mas ele estava ocupado demais assim como Josh estava.

Mundos tinham se aberto para ambos.

E agora os mundos diziam que eles não podiam estar tanto tempo juntos e isso implicava que eles descobriam como era se sentir um sem o outro por perto. Josh tinha muito medo, de verdade, que Brian descobrisse que estar sem ele era melhor de alguma forma que não quisesse voltar para a casa. E Josh também tinha medo que descobrisse essa mesma coisa com relação a Brian.

Tão perdido em seus pensamentos, Josh nem percebia que Tyler estava tocando seu ukelele completamente ignorado. Ele parecia tão pequeno da forma como Josh o via e também tão desprotegido. Josh sorria ao ver aquela coisa que muito precisava de proteção porque Tyler realmente o levava paz. E, agora, Josh queria aproveitar um pouco daquela paz.

Tyler olhou para ele alguns minutos depois e sentiu surpreso de ver que era olhado. Talvez, em outro momento, ele não se sentisse tão envergonhado afinal Josh era o seu melhor amigo. Mas agora Tyler estava envergonhado e não conseguia não mostrar isso.

— Você é incrível, Tyler. – Josh se sentiu a vontade de dizer.

Tyler estava envergonhado demais para dizer alguma coisa.

— Tudo o que você faz fica maravilhoso. – Josh ria envergonhadamente enquanto dizia. — Você é uma pessoa que merece as melhoras coisas.

Josh dizia apenas porque queria dizer. Talvez apreciar Tyler estivesse longe de ser um trabalho difícil e isso fazia com que Josh estivesse ok em fazê-lo. Era sincero em suas palavras e tudo isso por um motivo de fazer Tyler perceber que havia pessoas ali que queriam mostrar que ele valia a pena.

— Por que você está sendo tão fofo com o seu melhor amigo? – Tyler ria envergonhadamente como Josh.

— Eu não sei exatamente, talvez você possa ter esquecido essas coisas.

Tyler concordou com a cabeça, mas pensava, não podia esquecer algo que pensava nunca ter sido.

— Eu estou aqui para te lembrar.

— Obrigado, Josh. – apertava os olhos. — O incrível aqui é você.

— Somos nós, Tyler, nós.

Josh estava sentindo falta de uma relação que não fosse morna e olhar para Tyler o fazia encontrar uma. Sua amizade com Tyler não era morna, eles eram melhores amigos que não deixavam aquela coisa se esgotar de alguma forma. Josh sentia a necessidade de Tyler estar sempre presente e isso era cumprido.

E agora Tyler olhava para ele de novo. Tyler queria mesmo que seus sentimentos tivessem parado só na amizade, mas ele não tinha como os parar, ele não tinha o que os parar. Naquele momento, Tyler estava odiando ver o Josh que ele amava e saber que tudo isso não sairia da forma que tinha tomado. Parecia que, naquele momento, ambos tinham que absorver de forma cruel e real demais sobre sentimentos que eles não queriam.

E um nem sequer podia ajudar o outro.

 

Estar jantando na casa dos amigos era bom, mas estar jantando na casa dos amigos com medo de um possível resultado de um festival não. Eles não podiam controlar o nervosismo apesar de não quererem pensar nisso. A cabeça ia por conta própria e às vezes o assunto era apenas esse. Eles queriam estar pensando que tudo daria certo, mas não dava, muitas vezes não dava.

Eram muitas bandas boas para poucas vagas.

Agora o assunto era exatamente esse. E, por isso, era possível ver caras frustradas e caras com medo, bem dividido entre aquele bolinho de gente. A casa de Dan nunca parece tão pequena para tantas expressões assim.

— Aquela banda está lá de novo. – Bear comentava. — Eles não desistem.

— Qual banda? – Brian tentava se achar no assunto.

— Uma que ficou em segundo lugar no ano passado. Qual o nome deles, Jason?

— Quem sabe é o Ben. – Jason respondeu sem olhar para o amigo.

Ben comia alguma coisa e se viu forçado a engolir.

— Não sei de nada.

Bear fez uma careta para Ben, parecia que ninguém queria saber de nada naquele momento.

— Como descobriu que eles iam de novo, Bear? – Brian voltou a tentar se achar.

— Eles postaram aqui no Facebook.

— E não tem o nome deles? – uniu as sobrancelhas.

— Sei lá.

Brian deu uma gargalhada e voltou a olhar para os outros amigos. Todos estavam nervosos demais para parecerem bem e ele não cobrava mesmo que parecessem. Brian queria ficar calmo, mas estava nervoso em dobro: por ele e por Josh.

E, falando em Josh, esse parecia achar que era uma boa ideia largar o namorado de lado para ficar conversando com Tyler. No fundo, Brian não estava se importando com isso porque ele não tinha muito o que falar com Josh naquela ocasião. Além do mais, Josh e Tyler eram uma banda e uma banda tinha muito o que discutir entre si.

Apesar deles estarem falando sobre gatinhos.

Quem resolveu incomodar as criaturinhas foi Jason, mas ele tinha motivo. Ninguém da The Black Bears além de Brian sabia se a Twenty One Pilots havia conseguido ou não se inscrever no Festival. E foi essa a sua pergunta para os dois.

— Conseguimos sim. – Tyler respondeu e depois deu um pequeno sorriso.

— Ainda bem! – Jason respirou aliviado. — Se vocês não conseguissem eu ia ficar muito triste.

Todos os outros que estavam ali – isso era, as duas bandas e Amber – estavam felizes com a notícia dada por Tyler, inclusive Bear. Mas esse era o único que não queria, de forma alguma, demonstrar isso. Não era só o seu orgulho como também o fato de aquilo ainda o machucar. O seu garoto seria o seu rival, ele tinha medo que se a Twenty One Pilots perdesse – ainda mais para a The Black Bears – e Tyler ficasse arrasado de forma que nunca mais voltasse a ser como antes.

E Tyler olhou diretamente para Bear e em seguida abaixou a cabeça. Ele não queria perceber o quanto Bear olhava para eles apesar de já ter feito isso. Queria estar quieto no seu canto sem pensar demais no que já estava pensando.

Foi assim que eles terminaram a noite. Tyler fingia que Bear não estava ali e Bear fingia que não percebia isso, e todos fingiam que estava tudo bem. Era a hora de ir embora e apenas um tinha decidido ficar, Jason. Enquanto eles se despediam com piadas para disfarçar o nervosismo, Bear chamou Tyler e Josh em um canto, o que assustou aos dois.

— Não é nenhuma notícia ruim, caras, não precisa me olhar com essa cara! – Bear dizia, rindo um pouco.

— Desculpa, Bear, eu só estou… – Tyler começou.

— Com medo? Tudo bem.

Tyler confirmou com a cabeça.

— Eu queria dizer, caras, que eu posso ter sido um idiota. Mas eu tive meus motivos, tudo bem? Eu tenho muito medo do que vai acontecer daqui pra frente e eu sei que vocês também. Só que eu tenho uma coisa para dizer: vocês têm o meu apoio.

Tyler e Josh arregalaram os olhos, culpa da surpresa que os pegou por causa das palavras de Bear.

— Eu vou apoiar a Twenty One Pilots como espero que vocês apoiem a The Black Bears. Eu sei que só pode haver um ganhador, mas as duas bandas, só de pisar naquele palco e mandar a sua mensagem, já são vencedoras. – respirou fundo, era sua pausa. — Eu não queria admitir isso, mas eu achei vocês maravilhosos desde o primeiro momento que vi vocês tocarem. Vocês me dão muito orgulho.

Tyler queria esconder, mas lágrimas já brotavam dos seus olhos. Josh também, só que esse não escondia. Ambos pularam em Bear, lhe dando um abraço que esse retribuiu. Não choraram emocionados, mas a umidade dos olhos continuava lá para mostrar que, sim, tinha sido uma coisa muito boa de terem ouvido.


Notas Finais


Se chegou até aqui, obrigado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...