História Os Ursos Negros - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Twenty One Pilots
Personagens Josh Dun, Personagens Originais, Tyler Joseph
Exibições 46
Palavras 1.503
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Festa, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Pansexualidade, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Esse capítulo veio mais rápido porque eu consegui adiantar mais a história, agora eu tenho até o capítulo 16 xD.

Capítulo 8 - A Primeira Apresentação.


O coração palpitava e os músculos estavam tensos. Uma notícia foi o suficiente para deixá-lo assim. E a notícia era boa, mas todas as possibilidades possíveis – e não tão possíveis assim – passavam sem parar em sua cabeça. Tyler não se lembrava do que era ter uma cabeça tranquila fazia tempo.

A notícia saiu da boca de Josh, que estava muito excitado. Tyler no momento também ficou. Pularam juntos sem parar por uns cinco minutos. No momento esqueceram seus medos. A felicidade prevaleceu mesmo que o momento não fosse propício... Pelo menos, não tanto assim.

— Nós conseguimos o nosso primeiro lugar para tocar. – Josh disse. Foi essa frase que fez aquilo tudo acontecer.

E Tyler ficar tão atacado daquela forma.

Era um bar frequentado por emos e alternativos na cidade. Eles podiam tocar músicas autorais se também se comprometessem a tocar covers de bandas famosas nesse estilo. Josh e Tyler aceitaram na hora mesmo que o cachê não fosse um dos melhores porque eles queriam ser conhecidos.

— Se queremos ser conhecidos... – Tyler andava de um lado para o outro. — Preciso de um nome.

— Verdade. – Josh estava pensativo.

— Nós já temos um nome. – deu um sorrisinho. — Eu o guardei para a hora que minha banda saísse só dos meus sonhos. E a hora é agora.

— Por que você não disse antes?

— Porque eu não sabia que iriamos chegar tão longe.

— Nós ainda temos um longo caminho. – sorriu. — É só o inicio.

— Eu tenho medo do que vem a seguir.

Josh pegou a mão de Tyler e a segurou firmemente.

— Nós vamos estar nessa juntos, garoto.

E aquele pensamento encheu Tyler com alguma coisa indefinida. Talvez, só talvez, fosse esperança. Tyler confiava que Josh estaria com ele nos medos, nas coisas boas e nas coisas ruins de ter uma banda e ser o seu melhor amigo.

— Acho que o Jason pode fazer nossa logo. – Tyler quebrou o silêncio que estava entre eles. — Vou ver com ele.

 

Tudo estava bem, Tyler concordava, porque Jason tinha aceitado fazer a logo e Josh tinha concordado sobre o nome da banda. Mas, agora, a poucos minutos de entrar no palco pela primeira vez, nada parecia tão bem assim.

Josh tocou seu ombro e Tyler acordou daquele transe. Ver Josh não o fazia melhorar por completo, mas lhe fazia conseguir dar um passo a frente. E Josh o empurrava e sorria na expectativa que Tyler entendesse que estava tudo bem.

Agora era a hora e tudo parecia estar fora do controle dentro de Tyler.

E dentro de Josh.

O bar não estava muito cheio, o que não acalmou Tyler em nada. As pessoas ali conversavam bastante e pareciam não querer olhar para o palco exatamente naquele momento. Tyler demorava a começar por estar nervoso demais.

E quando começou...

Tudo bem, não havia palavras.

Tyler cantava tudo como se sua mente houvesse se desligado e Josh tocava da mesma forma. Na visão dos dois só havia eles no mundo. Era um palco pequeno, o público ainda nem era deles, nem as músicas, mas o sentimento já estava lá. Era a forma de eles dizerem que quando estavam juntos eles estavam juntos mesmo.

Apenas uma música autoral foi tocada e Josh se encantava por como Tyler cantava. A música tinha saído das mãos, cabeça e vida de Tyler então Josh o admirava por isso. Mesmo que as pessoas não prestassem tanta atenção quanto deveriam, Josh amava o que quase não podia prestar atenção e ouvir também.

A cada música acabada era uma galera diferente batendo palmas e o orgulho os invadia. Não demorava muito para desaparecer porque o medo e o nervosismo os invadiam de novo. Tyler comemorava, sim, porque pensava que nem sequer seria capaz de subir no palco, mas agora estava lá... Estava lá com Josh.

Ele sabia que não tinha passado só porque Josh estava lá. Tyler cogitou fugir uma porrada de vezes, desistir e chorar. Tyler cogitou desaparecer, só que ver que não era o único sozinho o deu certa força. Não tinha passado, mas agora era uma batalha.

E quem vencia era a música.

No final, Tyler sentia que ia cair no choro.

Josh o abraçou quando saíram do palco e deixou que Tyler chorasse em seus braços. Era a cena mais pura de dor e amor entre músicos – e melhores amigos – que alguém poderia ver. Josh também caiu no choro e de repente parecia que eles estavam presos no mundo deles de novo. Um mundo próprio que mostrava o quanto eles estavam sendo mais do que pensaram.

E era só o primeiro passo.

O primeiro show em um bar, uma coisa qualquer.

 

— Vocês foram incríveis! – Brian tentava contagiar os garotos.

Ele e o resto da The Black Bears estavam no bar – quem bebia estava bebendo – e dando força aos seus garotos. Bear foi contra sua vontade, puxado por Ben e Amber. Tyler achava que Amber estava se tornando um anjo na sua vida porque fora a vigésima fez, hiperbolicamente falando, que ela quebrava seu galho.

— Obrigado, amor! – Josh disse a Brian. Beijava o rosto do namorado.

— Obrigado, cara! – Tyler dizia timidamente para Brian.

E então aquele assunto se tornou sobre o como eles estavam bem com covers e essas coisas. Era só o primeiro e Brian podia gritar que eles eram incríveis e teriam muito futuro para frente. Tyler ainda estava nervoso, só que agora as coisas podiam seguir por um caminho que ele queria e isso o deixava um pouco esperançoso.

No final, todos eles estavam dando força um para os outros. Era como se fossem pequenos sinalizadores dizendo que estava tudo bem ir em frente. Agora Josh e Tyler estavam sozinhos e tudo parecia menos pior do que era na cabeça dos dois.

— Se você pudesse se ver tocando... – Josh dizia a Tyler. — Você entenderia o porquê de eu te achar incrível.

— Eu ainda não tenho palavras para expressar o quanto eu também te acho incrível.

— Isso é só o começo, Tyler, algum dia você vai abrir seus olhos e perceber que o mundo te ama.

Nos ama.

Josh sorriu pela forma como Tyler estava o incluindo. No fundo, ele sabia que queria ser parte disso tudo, mas não se seria capaz. Porque Josh via em Tyler um futuro incrível, mas não nele. Era como se sua mente excluísse dela própria a capacidade de fazer Josh se ver em algum lugar diferente daquele.

Desamarrados dos seus medos, os mesmos que também prendiam Tyler.

— Twenty One Pilots e The Black Bears. – Josh disse para o ar. – Seremos grandes então, Tyler.

Tyler sorriu para Josh, um sorriso enorme estava em seu rosto, mesmo que não fosse de total veracidade. Tyler amava o quanto Josh o contagiava direta e indiretamente, se pudesse escolher duas pessoas para que ficassem para sempre ao lado dele elas seriam exatamente Bear e Josh.
 

Amber tinha um apartamento confortável, Tyler achava. Ela havia o convidado para passar o dia livre dele lá e ele se assustou ao ver que Ben estava lá. Ben havia passado a noite e Tyler concordava que era normal namorados fazerem isso.

— Eu não estou incomodando nada? – Tyler levantou uma sobrancelha.

— De modo algum, irmão. – Ben respondeu com um sorriso. — A casa também é sua.

Amber havia preparado alguns biscoitos e Ben uma comida que tinha cheiro estranho, mas gosto bom. Tyler não havia ido lá para comer, contudo havia comida para ele e então ele comeria sim sem problema.

E o celular de Ben tremeu.

Ben se despediu de Amber com um beijo e de Tyler com um aperto de mãos porque a The Black Bears o chamava. Acenaram para ele quando ele saiu e de repente o clima parecia ser só de bons amigos tendo que conviver um com o outro.

— Quando é o próximo show de vocês? – Amber puxava um assunto.

— A gente está procurando um novo bar ou vendo se aquele quer mais uma apresentação.

— Boa sorte para vocês. – sorriu.

— Obrigado. – sorriu de forma fofa. Os olhinhos fechavam da maneira mais adorável possível.

— Vocês foram fora do normal, sério, foi demais!

— O Josh me ajudou nisso tudo. Essa banda não seria nada sem ele.

— Ele é incrível também.

— Ele é muito mais do que isso. – sorria ao pensar em Josh. Sorria de forma verdadeira. — Josh me deixa sem palavras, eu nunca encontrei ninguém como ele.

Amber concordou com a cabeça e deu passagem para Tyler falar mais.

— Ele faz com que eu acredite em mim de uma forma que nem Bear foi capaz. Eu não culpo o Bear, é só que Josh... Sei lá, ele emana algo que eu posso sentir de longe.

Tyler fez uma pequena pausa e Amber o observava.

— Ele emana luz. – Tyler se completou.

— É linda a maneira como você fala dele, Tyler.

— Eu sinto como se não pudesse expressar o que ele faz comigo o suficiente.

— Mas é linda, mesmo, Tyler, eu nunca vi igual.

Tyler estava envergonhado até demais.

— Soa como se... – Amber escolhia as palavras. — Como se...

— Como se o quê?

— Como se você estivesse apaixonado por ele.


Notas Finais


Se chegou até aqui, obrigado. E perdão por qualquer erro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...