História Os vizinhos - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekchan, Chanbaek, Hunhan, Kaisoo, Kray, Xiuchen
Exibições 137
Palavras 2.486
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura ❤️

Capítulo 3 - Conhecendo os vizinhos


Fanfic / Fanfiction Os vizinhos - Capítulo 3 - Conhecendo os vizinhos

 

    No dia seguinte.

   Sehun acordou mais tarde do que o seu costume, foi para o banheiro fazer sua higiene matinal e desceu para a cozinha logo após. Ainda nos últimos degraus da escada um cheiro gostoso invadiu suas narinas. 

   Kyung.

  Andou até a cozinha e parou no batente da mesma, viu o menor em frente ao fogão cozinhando animado enquanto balançando a raba para os lados com o ritmo da música Sorry sorry do Super Junior.

  -Bom dia.. - disse entre bocejos chamando a atenção do amigo.

  -Bom dia Sehun, acordou tarde hoje. - comentou desligando o fogo e limpando as mãozinhas sujas no avental.

  -Pois é, não consegui dormi direito. - contou sem dar os detalhes.

  Havia passado a noite fumando na varanda do quarto fitando a casa dos vizinhos, sua mente ainda vagava em volta daqueles olhinhos curiosos que tinha visto lhe espiando por detrás das cortinas quando foram para a rua e ver de onde vinha o tal grito. 

Contudo, no meio da noite viu um garoto baixinho saindo da casa de fininho e pegar um gatinho na rua e logo depois voltar para dentro, isso ficou perturbando sua mente. Mesmo estando escuro, em plena madrugada e longe, desconfiava que aquele não fosse o tal vizinho mudo que tinha. Era outra pessoa, e essa dúvida lhe deixou mais acordado do que previa quando fora fumar.

   -Boa tarde Hunnie. - saiu dos seus devaneios ao ouvir a voz rouca do Park.

  -Boa tarde. - desejou e se retirou indo até a sala, ficando todo largado no estofado.

  -Channy? - Soo chamou manhoso pelo o maior.

  -Vish, que foi? - perguntou cerrando os olhos, sabia que quando o baixinho falava assim era que queria alguma coisa.

  -Você pode devolver para o vizinho, para mim? - estendeu um facão.

 -Quem pede emprestado uma faca pro vizinho? Uma faca não! Uma espada, porque puta que pariu Kyung. - disse incrédulo pegando a mesma na mão e analisando.

  -Aigo! Para de reclamar e vai logo.

 -Tá bom, mas depois vai ficar me devendo um favor. - falou forma cruzando os braços e o viu assentir bufando.

  -Agora vai logo. - o expulsou da cozinha.

   Chanyeol mesmo contragosto saiu de casa, encostou a porta e virou o rosto na direção da casa ao lado. Sentiu um arrepio passear pelo seu corpo, seus pelinhos todos ficaram de pé, engoliu em seco e tomou coragem.

   Tocou a campainha e esperou, ficou cabisbaixo fitando o tapete em frente à porta até ouvir a fechadura sendo destrancada e em seguida o barulho da porta se abrindo. Levantou o rosto e encontrou um outro garoto, acabou por franzir o cenho com aquilo. Ele não tinha só um vizinho novo? Tinha mais pessoas morando ali? 

   -Hã, boa tarde.. - começou falando receoso coçando a nuca.

  -Boa tarde.. - sua voz saiu baixinha e o mesmo estava se escondendo um pouco detrás da porta.

  -Eu vim devolver isso. - estendeu a faca.

  O menor apenas arregalou os olhos e saiu gritando pela casa subindo as escadas. Park sem entender nada deixou a cabeça tombar para o lado. 

Que.Foi.Isso?

    -ELE QUER ME PEGAR! EU DISSE!! ELES IAM VIR ME PEGAR! - o escutou gritando no segundo andar.

   -Ué.

  Ainda fitando a escada, sentiu uma mãozinha em seu ombro, deu um pulinho por conta do susto e se virou dando de cara com aquele baixinho calado do dia anterior.

  -Hã.. Seu amigo está bem? - perguntou inseguro e o viu assentir sorrindo ladino.

  -Eu vim devolver isso. - entregou a faca e ele pegou, sorriu e encarou o maior.

  -Hã.. Hum.. - engoliu em seco antes de continuar. -Desculpa, eu não queria assustar ele.. 

  O outro apenas sorriu e assentiu, sem pronunciar nenhuma palavra sequer. Chanyeol acabou por ficar desentendido. Ele era tão tímido assim? 

   -Baek, o que tá fazendo na porta? - ouviu uma voz diferente vindo dos fundos logo surgindo em frente a porta.

  -Oh, me desculpe. Não queria incomodar, só vim devolver isso.. - explicou nervoso apontando para a faca na mão do menor.

  -Ah, você é o nosso vizinho? - perguntou sério e Park podia jurar que soava frio.

  -Uhum, prazer Park Chanyeol. - estendeu sua mão e outro apertou. 

  -Prazer, Byun Baekbeom. - sorriu doce e então só agora percebeu que ele era idêntico ao o outro.

  Observou o baixinho calado e desviou para o tal Beom também analisando, ficou revezando algumas vezes seu olhar entre os dois e não entendeu os motivos das gargalhadas que Beom deu.

   -Nós somos irmãos. - explicou. - Pelo visto já conhece meu irmãozinho. - afagou os cabelos loiros do irmão calado.

  -Ah sim, eu sempre via ele na rua quando passava. - contou e fitou o rosto do menor, este que se mantinha ainda calado.

  -Entendo, esse é o Baekhyun. - apresentou o irmão. -Quer entrar? - perguntou simpático.

  -Hum não obrigado, não quero incomodar vocês. - sorriu pequeno.

 -Não incomoda nada não, entra. - lhe puxou para dentro, Baekhyun fechou a porta e Beom o levou para a sala. 

  -Fica a vontade. - dito isso empurrou o corpo alto para se sentar no estofado preto.

  -Hum bonita a casa. - comentou observando em volta a decoração. Era meio macabra mas continuava bonita, e por um momento lembrou de Do, ele gostaria bastante dali.

  Virou o rosto para o lado esquerdo afim de observar mais a casa e viu um dos irmão sentado ao seu lado lhe encarando e mordendo o lábio inferior. Chutaria que era Baekhyun pelo cabelo, foi a única forma que achou para conseguir para diferencia-los. Beom tinha os cabelos pretos e Baek era loiro.
 

Ficaram se encarando por longos minutos, Chanyeol admirando os traços delicados do rosto alheio e Baekhyun ainda lhe fitando mordendo o lábio inferior. Porém parecia que este se encontrava em outra dimensão, só faltava babar e sorrir atoa.

  -Desculpe pelo Baek, ele é sempre um tagarela. - ouviu a voz de Beom se pronunciando.

  -Mas ele nem falou nada. - contou incrédulo vendo-o assentir.

 -Baek é mudo. - explicou calmo enquanto sorria triste para seu irmão, não passando despercebido pelo maior.

 -Oh, isso explica bastante coisa. - pensou em voz alta voltando a fitá-lo. O viu fazer alguns sinais estranhos e deduziu que era libras.

  -Wow. O seu amigo está bem? Ele meio que saiu gritando daqui desesperado. - lembrou ao ouvir passos vindo de cima de si, no segundo andar.

  -Está sim, às vezes isso acontece.. Na verdade sempre que recebemos visitas ele fica assim.. - comentou Beom lhe puxando firme pelo o pulso.

  -Ok.. 

 -Até depois vizinho. - falou e o empurrou para fora da casa, logo batendo a porta.

  -Bipolar..  - resmungou Chanyeol tirando a poeira de sua roupa enquanto fitava a porta.

  
     -> -> ->

   Duas semanas depois.

   

  Kyungsoo e Chanyeol estavam péssimos, com olheiras enormes e olhos pesados. Não conseguiam dormir mais de noite, os gritos pioraram e apenas Sehun dormia por conta do seu sono pesado. 
  

  -Caralho, o que aconteceu? - perguntou confuso arqueando uma sobrancelha ao ver os estados dos amigos.

  -Eu não aguento mais. - grunhiu Kyung puxando seus fios vermelhos. 

  -Aonde você vai? - perguntou ao vê-lo se levantar do sofá e calçar os sapatos.

  -Vou lá, porra, não durmo a dias. - explicou irritado e abriu a porta de forma brusca.

  Sehun e Chanyeol se entreolharam e num pulo correram atrás do menor, ambos querendo ver o que este iria fazer. O encontraram com o dedo enterrado na campainha do vizinho. Aproximaram-se e ficaram lado a lado do mesmo.

  -Sim? - Beom atendeu a porta com um semblante sério.

  -Yeol, eu disse que era feio tocar a campainha de tudo mundo toda hora. - resmungou Kyung cruzando os braços e sorrindo sapeca sem deixar que seu vizinho visse.

  -Filha da.. 

 -Ei, nada de xingar, Baek pode ouvir. - Byun o cortou.

  -Tá bom, agora dá pra parar de fazer barulho de noite, por favor. - pediu Do colocando as mãos na cintura.

  -Que barulhos exatamente? 

 -Não se faça de desentendido, ó bocó! Aqueles malditos gritos. - explicou firme fuzilando o outro na porta.

  -Certo, certo. Desculpe pelo o incômodo. - disse e já estava prestes a fechar a porta quando um baixinho saiu correndo por ela e pulou em cima de Sehun.

  -SOCORRO! - gritou o maior assustado tentando tirá-lo, mas o menor agarrou no seu pescoço e entrelaçou suas perninhas em volta de sua cintura.

  -Para! - gritou Beom saindo para fora de casa deixando Baekhyun à vista na porta. 

  Sehun no mesmo instante parou e percebeu a respiração pesada batendo contra seu pescoço, o corpo trêmulo e o aperto forte em si. Não sabia exatamente o que deveria fazer, por isso só se manteve parado enquanto seu vizinho tentava soltar ele de si.

  -Me desculpem por isso também. Ele nunca agiu assim antes.- explicou pegando-o no colo assim que conseguiu tirá-lo de cima do corpo de Sehun. 

  -Tudo bem.. - balbuciou Oh fitando a grama verde tentando digerir o que havia acabado de acontecer.

  Park se mantinha segurando o riso arregalou os olhos ao ver o rosto do tal macaquinho, como havia apelidado o garoto. Era o mesmo que havia corrido gritando pela casa.

  -Para de me olhar. - o ouviu reclamar e pode notar sua cara fechada.

   -Oh fica xiu aí. - disse e deu um peteleco em sua testa, porém antes de afastar sua mão, ele a pegou e mordeu com força seu indicador. - Filha da puta. - reclamou vendo linhas finas de sangue escorrendo.

  -Socorro.. - comentou Soo entre as gargalhas altas. - Melhor pessoa.. Eu devia ter filmado. - disse apoiando as mãos no joelho e recuperando seu fôlego.

  -Quê houve Beom? - Kyung no mesmo instante sobressaltou ao ouvir uma voz rouca atrás de si.

  -Caralho amigo, não faz isso. - pediu colocando a mão no peito.

  -E quem disse que sou seu amigo? Fica na tua baixinho. - disse ríspido desviando sua atenção para a porta. -Baek, meu amor vamos passear? - perguntou sorrindo amarelo.

  O menor apenas bufou e retirou o celular do bolso e começou a digitar algo. Assim que terminou, virou a tela e todos puderam ler e escutar uma vozinha falar, esta que tinha a voz da mulher do google tradutor.

  -Vai se ferrar Kris!

  -Não te compro mais algodão doce. - cruzou os braços.

  -Você nunca me comprou, viado. - digitou Byun e depois deixou a tal vozinha do celular falar por si.

  -Baek não fala assim. - Beom repreendeu enquanto estendia o garoto em seus braços na sua direção.

  Ele revirou os olhos e sorriu antes de pegar o macaquinho no colo, o mesmo deu a língua para Chanyeol que ainda choramingava pelo pedaço que arrancaram do seu dedo. Oh observava tudo e acabou deixando um sorriso de lado escapar em seus lábios, aquele garoto, o macaquinho até que era legal e bonito. Mas continuava estranho.

   

       <- <- <- 

   17:35


   Kyungsoo e Chanyeol estavam voltando para casa após terminarem de fazerem compras no mercado quando esbarraram com duas pessoas na rua, com o baque forte as sacolas de Soo foram parar no chão, todas amassadas e espalhadas.

  -Filha da puta. - xingou alto sem se dar contar que o garoto tinha parado e agora tava' atrás de si.

  -Me desculpa, eu não te vi baixinho. - explicou sorrindo debochado ao ver Kyung vermelho de raiva e fechar os punhos com força.

  -Baixinho? BAIXINHO? - berrou tentando manter o controle para não bater no desconhecido.

  -Uhum. - murmurou ficando agachado e pegando todas as sacolas.

  -Baek? - Chanyeol chamou ao vê-lo escondido atrás do corpo do moreno com um gatinho nos braços.

  Este sem pensar duas vezes se afastou do seu amigo e abraçou o Park de lado meio desajeitado, sorrindo largo ao desvencilhar do abraço.

  -É seu gatinho? - indagou curioso maravilhado com a pelagem do gatinho, era preto com várias pintinhas brancas, dava a impressão que ele tinha brincando com farinha. Levantou o rosto e viu ele negar com a cabeça.

  -Beom? - negou de novo. -Aquele que mordeu meu dedo? - assentiu.

  -Vamos Chany? - virou na direção de Kyung, o mesmo tinha suas bochechas apertadas pelo o moreno que gargalhava. 

 -Vamos.. - respondeu entre os risos, desviou sua atenção para o menor, colocou suas sacolas para uma só mão e com a livre afagou seus fios loiros antes de ir embora.

  -Hum, até amanhã baixinho. - gritou o moreno.

 Kyung grunhiu alto e largou suas compras no chão, respirou fundo e voltou de encontro ao desconhecido, depois de ficar próximo o bastante deu um chute no seu saco. 

  -EU NÃO SOU BAIXINHO! - gritou e correu de volta para perto do Park, pegou suas sacolas e saiu disparado para casa.

  -Er.. ele tá na tpm. - murmurou Chanyeol fazendo caretas ao ver o moreno se levantar e sorrir enquanto olhava Do correr.

Outro garoto estranho.


               <- <- <- 

  4 dias depois.

 

Os gritos continuavam com menos frequência porém o suficiente para deixar Kyung em sua forma demoníaca, como dizia Sehun.

   Chanyeol desceu as escadas durante a madrugada tentando não fazer barulho mas ao chegar na sala percebeu que não precisava pois todos estavam acordados. Inclusive Kyung estava em frente à porta com um taco de beisebol e cerrando os dentes, Sehun apenas assista televisão.

  -Quê que houve? - perguntou Park para o mais novo adentrando mais a sala.

  -Ele tá esperando o próximo grito para espancar os vizinhos. - explicou calmo passando os canais da televisão com o controle.

  -Entend- foi interrompido por um grito abafado, Kyungsoo no mesmo instante abriu a porta num rompe e saiu disparado para fora.

  Sehun se pôs de pé em um pulo e correu para fora sendo seguido pelo Chanyeol que vinha atrás apressado. Ambos pararam no meio da rua ao ver Soo estático olhando pra cima. 

  -Que houve? - perguntou Oh ficando ao lado do amigo seguindo seu olhar.

  -Que merda é aquela? - murmurou o menor vendo as janelas do segundo andar.

  Chanyeol ainda não entendendo nada começou a observar a casa e no mesmo instante compreendeu. 

  As cortinas brancas estavam fechadas porém dava para ver a sombras por causa das luzes acesas no quarto. Tinha 3 garotos no cômodo e pareciam gritar entre si, discutindo. Até que ouviram um rompe e um abajur voando para fora do quarto quebrando o vidro da janela. Não dava para entender nada por causa de tantos sons misturados e abafados dentro daquela confusão. Porém conseguiram ouvir alguns nomes como o de Baekhyun.

  Chanyeol logo conseguiu identificar sua sombra, o menor apenas puxava seus fios de cabelo demonstrando sua frustração diante da confusão. 

O coração dos três amigos congelou ao ouvirem um tiro vindo de dentro da casa e os gritos pararem, as luzes apagarem e a casa ficar em silêncio.

Park apenas teve a certeza de uma coisa : Seus vizinhos eram tudo, menos normais.


Notas Finais


Espero que tenha ficado bom.
Até o proximo, obrigad por lerem!

Bjus!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...