História Otras vidas - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Feia Mais Bela
Tags A Feia Mais Bela, Fernando Mendiola, Letícia Padilla, Romance
Exibições 115
Palavras 1.935
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Capítulo 05


Passei o restante da noite, virando de um lado para o outro, a imagem de Fernando me tirava o sono e por horas eu parecia sentir seu toque em meu corpo, seu cheiro. 

Eu queria beijar ele, abraçar, tocar nele, estava atraída por ele como nunca fui por alguém, aquele ar de mistério, aquela força que ele tinha sem mesmo falar, aquela voz com um toque de rouquidão, era um verdadeiro convite ao pecado, talvez eu tivesse apenas encantada com ele. 

 Me assustei com o toque do meu celular, um alerta de mensagem. 

 " Foi um enorme prazer te conhecer Letícia, Beijos. FERNANDO " 

 Escrevi e apaguei inúmeras vezes uma resposta, mas não sabia o que dizer. Preferi ficar em silêncio, suspirando pelos quatros cantos pelo o homem mais bonito, e poderoso que eu conheci, e o mais impossível também. 

 ...


 - Foi bom mamãe.

- Não arrumou nenhum namoradinho? - Disse sorridente, enquanto ela me servia café. E novamente me veio a imagem a de Fernando.

 - Não, mamãe. 

 - Já está na hora de arrumar um namorado menina

 - Está na hora da minha caminhada, isso sim mamãe.  

Terminei meu café e sai.


 Eu gostava de caminhar nas manhãs de Domingo, aliás eu caminhava todos os dias. Mas com o trabalho, apenas nos domingos tive essa certa liberdade. Nova York era uma cidade encantadora, os parques, os bosques o ar puro da natureza era algo maravilhoso. Era a melhor forma de começar o dia, era a forma de recuperar as energias para mais uma semana. Após quase 30 minutos de caminhada parei próximo a um lago, sentei na grama pra olhar minhas mensagens, emails e outras coisas no celular. Tentei me distrair de todas as formas, mas a todo momento Fernando me vinha a cabeça, e isso chegava a ser perturbador, além dele ser meu chefe, ele é noivo, e diga-se de passagem um galinha segundo o que dizem na empresa. Talvez ele tenha até esquecido de tudo, enquanto eu estou aqui como uma idiota pensando nele a todo instante. 

Ouvi o toque do meu celular assim que coloquei ele ao meu lado, na tela o nome de Thiago. 

 - Lety? 

 - Thiago. - Respondi surpresa. Thiago é ou foi, um amigo muito próximo, próximo até demais eu diria. A gente teve uma linda amizade, aliás eu era apaixonada por ele, não só eu, toda faculdade era. Thiago era bonito, educado extremamente bonito e isso me encantou desde o início. Nossa amizade era bonita, de cumplicidade mesmo, Até o dia em que cometi a burrice de dizer que gostava dele, e até beija-lo no baile de formatura. Obviamente com ajuda de bebida. Bom, após esse episódio ele foi embora e nunca mais nos falamos,  até o dia de hoje. 

 - Pelo menos não excluiu meu número. - Falei sem pensar. 

 - É...eu estou até com vergonha de falar com você. Fiquei tanto tempo distante. 

 - Nem um email Thiago...Mas me diga há que devo a honra? - Ouvi seu riso do outro lado da linha. 

 - Estou voltando pra Nova York, consegui um emprego por aí e enfim vou voltar pra casa. - Disse entusiasmado, enquanto eu me perguntava o que eu tinha haver com isso.

 - Que legal Thiago, fico muito feliz por você. 

 - E o melhor você não sabe...Vou trabalhar com você, como arquiteto na maior construtora de Nova York, Conceitos. - Não sei se eu deveria ficar feliz com isso, o sentimento de vergonha tomava conta de mim.

- Vamos nos ver todos os dias.

  Fiquei em silêncio 

 - Lety? Parece que não ficou feliz. - Claro que... fiquei feliz. É que fui pega de surpresa. 

 - Depois te ligo pra gente marcar de sair pra comemorar. 

 - Nem vem com convites pra essas baladas barulhentas você sabe que eu não curto. - Novamente ouço o seu riso. 

 - Lety, não acredito que você ainda prefere chá e livro, meu deus você está parecendo minha vó. - Coloquei a mão na boca pra prender o riso. Enquanto falava eu só conseguia pensar como seria trabalhar com ele todos os dias. E meu maior medo era que ele uma hora ou outra entrasse no assunto, eu era imatura, uma boba e acabei ouvindo algumas "amigas". A Única coisa boa é que eu teria alguém com quem me distrair naquela empresa, alguém que eu realmente connhcia. A Ligação pelo menos me mostrou que ele e eu podemos ser amigos novamente. 

Ele finalizou a ligação, e eu voltei a caminhar, já estava na hora de ir pra casa, e ajudar minha mãe com o almoço de domingo. 

 ....

 - Papai o Thiago está de volta. - Disse enquanto retirava a mesa. 

 - Que notícia boa. 

 - E a Mariza vem? - Perguntou minha mãe. Minha mãe e a mãe dele sempre se deram super bem. 

 - Não sei mamãe, ele não me falou nada sobre ela... Só me disse que ia trabalhar na Conceitos. 

 - Pelo menos terei alguém pra cuidar de você. - Disse papai, ele gostava muito do Thiago e por um tempo torceu para que a gente namorasse. 

 - Eu não preciso de cuidados papai.

- Erasmo a menina, já sabe se cuidar. - Continuou minha mãe. 

..... 

 Como todas as noites de domingo, meus pais iam a missa, e dessa vez eu não fui. Estava um pouco indisposta e queria apenas descansar, o corpo, e a mente.

Ouvi barulho de carro, e fui até a janela olhar quem seria. 

Era carro preto estilo Wright preto, carro que não se ver muito por esses bairros. O Carro parou em frente à minha casa e eu gelei só em pensar que poderia ser Fernando. Depois de um tempo o homem resolveu descer, de suéter e uma calça jeans preta, olhei inúmeras vezes pra ver se reconhecia mas a pouca luz não me deixava ver com clareza. Ele caminhou até a porta e tocou a campainha.

 Atendi. Ao olhar tão próximo reconheci.

 Thiago estava na minha frente, completamente diferente, não usava mais aparelho, estava com uma barba, e seus cabelos estavam tão bem alinhados que nem um fio ousava sair do lugar, estava mais bonito que nunca. 

 - Letícia. - Disse com um sorriso no rosto. 

 - Thiago. - Ele não esperou muito e me abraçou, me tirando do chão dando passos pra dentro de casa. 

 - Que saudades. - Eu ainda estava sem graça e sem saber o que dizer. 

- Meu Deus como você mudou Lety. - Disse me colocando no chão. 

 - Eu não mudei, já você...Olha seu tamanho está parecendo um armário, e esse cabelo? 

 - Estive me modernizando durante esses anos. 

 - Você devia ter me avisado que viria.

 - Era pra ser uma surpresa. 

 - E foi...- Me sentei abismada, não só com a visita dele, mas também com a sua mudança, estava mais bonito que o normal. 

- Meu pai vai adorar te ver.- Ele sentou-se do meu lado.

 - Eu não vou demorar muito, e provavelmente a esse horário ele esteja na missa... Queria muito te ver, te pedir desculpas pelo abandono. A gente nem se quer conversou sobre...- Antes que ele terminasse interrompe, eu não estava pronta pra falar disso. 

 - E esse carrão? Desde quando você ficou milionário? 

 - Não fiquei milionário. Estou devendo ele ainda, eu estou bem financeiramente tinha um ótimo emprego, mas recebi essa proposta da Conceitos e não resisti. Eu queria muito voltar pra casa, a vida la fora não é fácil. 

 - Nossa que sentimental. - Apoiei a mão em seu ombro. - Você está diferente Letícia, está mais bonita.... Não usa mais aquelas trancinhas, tirou o aparelho. - Ele pegou na ponta dos meus cabelos. 

 - Como diz você estive me modernizando. 

 - Como é o clima na empresa? 

-Eu ainda não tenho muito o que falar estou conhecendo ainda. 

- Muita mulher bonita? - Bati em ombro. 


- Bom eu tenho que ir, nos vemos amanhã na empresa? 

 - Sim, Bem cedinho! - Eu e ele nos levantamos praticamente no mesmo tempo ele me deu um abraço seguido por um beijo no rosto e saiu. 

 Fiquei parada na porta enquanto ele entrava no seu carro, fiquei bem impressionada com ele, com sua mudança, com seu jeito. Ele havia amadurecido muito, não aparentava ser o mesmo meninão de antes. Fechei a porta e fiquei encostado nela. 

 - Ele continua um gato! - Suspirei.


 .  . . . . 

 Cheguei na minha sala quase preparada pra enfrentar aquele dia, a segunda feira era sempre o meu tormento não importa o que aconteça. Seu Fernando não havia chegado ainda e nem o Thiago também, estava tudo um completo silêncio, tirando a Alice que se reclamava da ressaca. 

No fundo eu agradeço não dar de cara com Seu Fernando nas primeiras horas da manhã, depois do que aconteceu então. Eu queria esquecer mesmo que fosse difícil, queria apenas fingir que nada aconteceu. 

   - Pensativa Lety. - Thiago disse parado na porta da minha sala. 

 - O dia mal começou e já estou muito cansada. - Sentou-se no cantinho da mesa.

 - Acho que vou te pedir como secretária. 

- Pelo menos com você eu Me daria melhor.

- Problemas com o chefe?

- Alguns. - Me levantei e tentei colocar uma pasta sobre o armário, era alto e quase não alcançava. Thiago parou quase atrás de mim segurando minha mão e a pasta. 

 - Atrapalho. - Soltei a pasta quando ouvi sua voz. Fernando estava parado próximo a porta, com os braços cruzados, e uma das sombrancelhas arqueadas. 

 - Seu Fernando.

Me afastei ficando entre os dois, Fernando me olhava sério como se eu tivesse fazendo algo de errado. Ficamos em silêncio os três, um olhando para o outro.

 - Fernando Mendiola... É um prazer conhece-lo. - Thiago estendeu a mão mas ele não retribuiu no mesmo instante. 

 - Você é o novo arquiteto? 

 - Sim. 

 - Então acho que você errou de sala...

 - Não, é que Letícia é minha amiga, e eu vim vê-la.

- Amiga? - Me encarou. 

- Mas, ele já estava de saída né Thiago? - O olhei séria pra que ele entendesse que devia sair.

 Assim que Thiago saiu seu Fernando entrou e fechou a porta logo em seguida, estava sério, irritado eu diria. 

- Mal conheço esse rapaz mas já vi terei problemas com ele.

- O Que disse? - Ele não respondeu. 

- Revisa esse contrato pra mim...- Jogou sobre a mesa.

- Deveríamos sair mais vezes. Me diverti muito como você. - Me sentei pegando o contato. 

- Sua noiva, está de acordo seu Fernando? - Eu fui grosseira precisava ser.

- Totalmente. 

- Não brinca com coisa séria Seu Fernando...- Sorriu.- Eu não quero ter problemas com sua noiva. Deus me livre. 

- Você não vai ter problemas, iremos sair como amigos. 

- Então você leva ela, e eu levo o Thiago.

- Thiago? Não gosto de dividir atenções Letícia. 

 Ele ficou em silêncio, parado como estátua, Encostou-se na porta e mantinha seu olhar sobre mim. Era um incômodo enorme aquilo, e não sabia se quer o que falar. Aliás, as vezes parecia que não sabia se quer me mexer. 

Depois de alguns minutos revisando o entreguei. 

 - Está tudo certo, Seu Fernando.

Levantei para entrega-lo, ele segurou meu braço e me trouxe mais perto, tão perto que eu podia sentir seu cheiro, sua respiração. Dei um passo pra trás, pra me  distanciar dele, mas ele insistiu em puxar pra perto. Eu fiquei em silêncio, ele ficou em silêncio. Até sermos interrompidos pelo telefone. Eu fui atender o telefone, e ele saiu da sala, deixando apenas seu cheiro perturbador.    


Notas Finais


Vamos esquentar no próximo capítulo? Me digam o que vcs acham?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...