História First Love - Imagine Suga - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Red Velvet
Personagens Suga, Wendy
Tags K-pop, Red Velvet, Suga, Wendy
Exibições 196
Palavras 1.557
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 19 - Two


Fanfic / Fanfiction First Love - Imagine Suga - Capítulo 19 - Two

Faltam vinte minutos para a viagem. Tentei dormi o máximo que pude noite passada, mas não consegui. As imagens da simples despedida que dei aos meus amigos e conhecidos me dói, pois sinto que não aproveitei ao máximo a presença destes.

Logo que cheguei ao aeroporto, vi diversas pessoas se despedindo de suas famílias com olhares tristes e rostos repletos de lágrimas. Evitei uma despedida triste, com ar de adeus, mas fora quase impossível. Mantive-me calma e tentei me controlar para não chorar, algo que pareceu inútil.

— Sei que é uma garota sensata e inteligente, e sei também que jamais fará mal a sua nova família... — mamãe suspirou, apertando forte minhas mãos junto as suas. — Mas peço que seja paciente com todos, que nada sabem sobre você, e tenha uma convivência boa, tanto com seu pai quanto com sua esposa e filhos. Certo?

— Sim, omma — respondi desviando os olhos para a enorme fila que se formava em frente a nós. — Eu farei. Por você e por mim.

Após as lagrimas, os abraços e os beijos, nos despedimos finalmente e pude seguir para a fila do check-in. Havia tantas pessoas que pensei que perderia o vôo, mas um rapaz educado me ajudou, para que pudesse fazer tudo de forma rápida e não me atrasar.

— Para onde está indo? — perguntou enquanto retirava minhas malas do chão e as colocava na esteira. — Pelo visto ficará bastante tempo. Suas malas são realmente grandes!

— Estou indo para a Califórnia — respondi, sentindo meu coração pesar com estas palavras. — E, pelo que parece, ficarei por um longo tempo...

— Sendo assim, tenha uma boa viagem e aproveite ao máximo!

Segui rapidamente para o portão de embarque e logo já estava no avião, que decolou em poucos minutos. Olhei pela pequena janela e vi, entre as enormes nuvens acinzentadas, toda cidade pequena repleta de luxuosos prédios, pequenas e grandes casas, lojas e restaurantes, entre praças e parques. Sentirei saudades de passar tardes apreciando a vizinhança da janela do meu quarto.

Penso em como será minha vida aqui para frente. Tudo mudou tanto desde que Yoongi morreu. Os rapazes não possuem mais a alegria de sempre; meus dias parecem cada vez mais longos sem sua presença e amor; estou indo embora da Coréia, talvez para sempre, viver com outra família. Oh, Suga, se ao menos você estivesse aqui para me dar uma luz...

— Com licença... — fitei um rapaz parado ao lado das poltronas pedindo para se sentar ao meu lado. Dei-lhe permissão e o mesmo acomodou-se ao meu lado. — Desculpe lhe incomodar. Mas o homem sentado ao meu lado estava roncando demais.

— Oh, tudo bem. Essas coisas acontecem.

Assim que consegui adormecer a viagem passou rapidamente. Acordei ouvindo a voz do piloto nos avisando que a aeronave havia pousado e já estávamos autorizados a descer. Esperei até que todos estivessem fora do avião para desembarcar, pois queria criar coragem para encarar tudo o que me aguardava.

Adentrei o aeroporto e procurei por minha mala, que fora uma das ultimas a entrar na esteira. Segui para a saída e observei as muitas pessoas lá presentes. Via, sobre as cabeças, diversos cartazes de boas vindas.

— Wendy... — virei para trás e vi um homem alto, de pele clara e olhos vívidos a me encarar. Recuei, mas ele se aproximou mais, fazendo meu coração bater mais rápido no peito. — Não tenha medo...sou eu, o seu pai.

— Pai... — sussurrei, aproximando-me devagar. Seus braços me envolveram em um confortável abraço. Fechei os olhos para senti-lo junto a mim.

Assim que nos afastamos, olhei seu rosto. Ele é bastante alto e, na primeira impressão que tive, parece ser um homem bem descontraído e alegre com a vida, além de ter um rosto demasiado jovial, algo que chamou-me a atenção para um homem de 39 anos.

Saímos do aeroporto e entramos em um carro que estava parado em frente. A cidade de San Diego é bastante populosa, o que me assustou. Acredito que demorará um pouco até que me acostume com este novo ambiente.

Não demorou muito para que o carro fosse estacionado. Olhei para a janela ao meu lado e vi uma enorme e luxuosa casa de dois andares. Sua frente é repleta de arbustos e plantas bem cuidadas. Havia também uma fonte, onde vários passarinhos lá pousavam para se hidratar.

— Filha... — observei a porta se abrir e meu pai surgir, estendendo sua mão para que o acompanhasse. — Venha. Eles gostarão de você.

Segurei firme em sua mão, saindo calmamente do carro. Havia dois mordomos parados ao lado do carro, para que nossas malas fossem levadas à casa, ou melhor dizendo, mansão.

Assim que passamos pela porta, um grupo de pessoas nos aguardava com sorrisos no rosto. Uma bela mulher de cabelos longos e claros se aproxima e pega em minha mãe, acariciando-a com o polegar. Analisei seu rosto belo e sereno. Jamais havia visto tamanha beleza, sem ser em televisões. Seus enormes olhos me confortavam de uma maneira incrível. Ela me passa uma boa energia.

— Seja bem vinda, querida. Eu sou Han Ye-seul — falou, virando-se para os dois jovens parados atrás de nós. — Estes são Krystal e Baekhyun. Tenho certeza de que se darão super bem, certo, crinças?

— Oh, mamãe — Baekhyun se aproximou da mãe com um sorriso bobo no rosto. — Não somos mais crianças!

Fui levada ao segundo andar da casa, onde pude deixar minha mala e conhecer meu novo quarto. Diferente do que eu tinha em Busan, este é bastante espaçoso e iluminado. Há uma enorme janela que, além de iluminar todo o cômodo, mostra-me a vista de toda a vizinhança, pois fica em frente à casa. A cama é muito confortável e macia.

— Bom, irei deixá-la a vontade para conhecer a casa e acomodar-se em seu quarto — Han Ye-seul virou-se e seguiu para a porta. — Qualquer coisa que precisar, saiba que estarei na biblioteca.           

(...)

 Após tomar um banho quente e colocar uma roupa confortável, desci ao andar de baixo e encontrei meu pai na sala de estar. Combinamos de ele me mostrar todos os cantos da casa, já que hoje está sem trabalhos para fazer.

De todos os cômodos da casa, o que mais me encantou foi a biblioteca. Há centenas de livros, talvez milhares! Todos organizados perfeitamente. A cada titulo que meu pai falava, seus dedos passavam delicadamente pela lombada dos livros até um deles ser retirado.

— E, por fim — a enorme porta do fim do corredor se abre, liberando a vista do belo escritório. — Este é o lugar onde você sempre me encontrará.

Há uma extensa mesa de madeira, uma alta janela atrás e algumas estantes e quadros. A decoração é simples, mas muito elegante. Aproximei-me da mesa e avistei uma porta retrato sobre a mesma. A foto parecia ser bem antiga devido a sua qualidade. Havia diversas crianças com chapéus de festa. Era o aniversario de alguma delas.

— Quem são? — perguntei, apontando para a foto.

— Este é o seu quinto aniversario. Seus pais adotivos me enviaram está foto e, como é a única que tenho sua, quis colocá-la aqui.

— E está criança — ao meu lado havia um garotinho. Me chamou atenção, pois, além da sua pele extremamente clara, ele olhava para mim com um olhar maldoso. — Eu ainda o conheço?

— Não sei muito sobre a foto — ele suspirou, esfregando o indicador no queixo. — A única coisa que sei é que estas crianças eram suas vizinhas na época. Talvez seus pais adotivos saibam quem é.

(...)

 Abri devagar os olhos, fitando, em seguida, a enorme janela em meu quarto, e inspirei o ar puro que adentrava o cômodo. O piar dos pássaros é como música para os meus ouvidos ao acordar.

Sai da cama e segui para o banheiro para fazer minha higiene matinal. Assim que sai do mesmo, avistei sobre a poltrona magenta no quarto o uniforme da escola. Peguei o mesmo e analisei-o e vesti. Seu tecido é macio como um algodão e, mesmo com suas cores belas, o brasão da escola tem um grande destaque na frente. A saia fica um pouco acima dos joelhos e possuí diversas corres em sua estampa xadrez.

Desci ao primeiro andar para tomar meu café da manhã. Mas assim que adentrei a cozinha percebi que ninguém havia acordado ainda. Acendi a luz do cômodo, preparei um café forte e, ao me virar para sair do local, assustei-me ao ver Han Ye-seul parada, me encarando.

— Oh, bom dia, Wendy... — Han Ye-seul serviu-se uma xícara de café e sentou-se à pequena mesa na cozinha, usada apenas nas manhãs. — O que lhe fez acordar tão cedo?

— Devido ao fuso horário não sinto muito sono — bebi um grande gole de café, fitando a paisagem da janela. — E também queria poder chegar cedo à escola, se não for incomodo...

— Claro que não será! Pedirei para a governanta acordar Krystal e Baekhyun mais cedo, assim poderão ir juntos.

Continuamos conversando enquanto tomávamos nosso café. Logo após Baekhyun chegar à cozinha e sentar-se para comer algo, Krystal adentra o local, enfurecida. Han Ye-seul ri baixo junto com o filho.     

— Quem aquela mulher pensa que... — a garota parou seu esparramo e encarou todos, calando-se e fitando-me nos olhos, com raiva. — Foi você, não foi?!

— Pare, querida — Han Ye-seul falou, controlando-se para não rir novamente. — Wendy precisa chegar cedo à escola para conhecê-la. Deixe de pirraça e vá se arrumar, ou não a levarei para a escola!


Notas Finais


Vamos concordar que esse pai da Wendy é um pitel!
*Quer que seu utt/bias entre na fanfic? Comente! E nos diga que tipo de personalidade quer que ele/ela tenha!*
Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...