História First Love - Imagine Suga - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Red Velvet
Personagens Suga, Wendy
Tags K-pop, Red Velvet, Suga, Wendy
Exibições 188
Palavras 1.635
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 20 - Three


Fanfic / Fanfiction First Love - Imagine Suga - Capítulo 20 - Three

Han Ye-seul deixou o carro no estacionamento da escola e acompanhou-nos. Desde que saímos de casa, Krystal está aborrecida com a mãe, pois mal conseguira se arrumar, o que todos discordam, pois não vêem necessidade nela se maquiar.

Impressionei-me com o tamanho da escola. Com muito verde, o terreno é imenso. O prédio possui um designe moderno e bastante diferente de tudo que já vi.

― Com certeza não será possível conhecer tudo hoje ― disse Han Ye-seul enquanto passávamos pela entrada do prédio. ― Mas tenho certeza que Krystal e Baekhyun irão lhe ajudar com tudo o que precisar. Estou certa, crianças?

― Sim, mamãe... ― Baekhyun saiu do lado de sua mãe e foi ao meu encontro. Aproximando seu rosto do meu, ele cochichou: ― Se me ajudar em química, lhe mostro a escola inteira e até te apresento aos meus amigos. O que acha?

― Hm, acho justo ― respondi, abrindo um sorriso bobo e alegre nos lábios. É a primeira vez em dias que me sinto realmente bem.

Continuamos caminhando pela escola, até finalmente chegarmos à diretoria, já sem Baekhyun e Krystal, que ficaram com seus amigos. Esperamos alguns minutos até que o diretor pudesse nos atender.

― Olá, senhora Han Ye-seul ― cumprimentou-a o homem, que lançou-me um sorriso educando em seguida. ― Está deve ser a senhorita Wendy. Estou certo? ― assenti, baixando os olhos timidamente. ― Fico feliz em conhecê-la. Seu pai contou-me de você, já que somos grandes amigos. Ele já deixou tudo pronto, por isso não precisa se preocupar com nada.

― Muito obrigada, Dustin ― agradeceu Han Ye-seul, pegando em minha mão. Surpreendi-me com seu ato, mas percebi que isto deve ser um algo normal para ela. Um ato de tentar confortar-me. ― O senhor está muito ocupado? Gostaria que mostrasse a escola à Wendy...

― Lamento, mas não será possível. Preciso resolver algumas coisas importantes da escola... ― Dustin desviou seus olhos, mas logo voltou-os a nós, sorrindo. ― Me encontre na hora do intervalo e marcaremos um dia, o que acha?

― Sendo assim, acho que já posso voltar... ― Han Ye-seul levantou-se e me encarou. ― Você ficará bem, querida?

― Ne...,digo, sim ― respondi.

Continuei na sala do diretor até o sinal tocar. Ao sair do local, vi Baekhyun encostado na parede me esperando para irmos às primeiras aulas. Adentramos a sala de artes e nos sentamos à mesa de quatro lugares, onde mais dois alunos se juntaram a nós.

― Está é sua irmã, Baekhyun? ― perguntou um dos garotos, que desenhava algumas coisas estranhas em seu caderno. Seus cabelos lisos e castanhos caiam sobre seu rosto o tempo inteiro, o que lhe deixava irritado. ― Ela se parece um pouco com você.

― O que?! Não ofenda a garota, Mitchel! ― exclamou o outro garoto, que possuí cabelos loiros. Seus olhos verdes claros passam um ar divertido, o que faz eu me sentir mais a vontade. ― Ela é muito bonita para se parecer com ele!

― Ei, Cole! ― Baekhyun puxou a orelha do amigo, que deu-lhe um soco no braço devido a dor. ― Nós somos filhos do mesmo pai. É claro que somos um pouco parecidos, para a sorte dela.

Não fizemos muitas coisas na aula, apenas desenhamos e copiamos algumas coisas enquanto conversávamos. A aula seguinte foi de biologia. Mitchel sentou-se comigo e ajudou-me com o que precisava ser feito. Diferente de Cole, ele é bastante calmo.

― O diretor irá lhe mostrar a escola? ― perguntou Baekhyun enquanto caminhávamos pelos corredores. ― Porque soube que ele mal saiu de sua sala hoje.

― Oh, você acabou de me lembrar! ― corri para a direção oposta de onde caminhávamos. ― Preciso ir à diretoria! ― falei por cima dos ombros.

Ao sair do corredor dos armários, percebi que havia seguido o caminho errado, pois realmente não sabia onde estava. Não havia muitos alunos naquele local. Fiquei com receio de perguntar a alguém, pois não sou muito confiante com meu inglês. Decidi continuar por ali procurando algum lugar familiar. Mas, ao passar por uma enorme porta de madeira, senti alguém tocar meu ombro.

— Olá — falou o rapaz assim que virei para vê-lo. Encarei-o, assustada, percebendo sua expressão alegre e confusa por me vez ali. — O que está fazendo aqui?

— Oh, me desculpe... — olhei para os lados procurando por algo que me indicasse onde estou. — É meu primeiro dia na escola, então realmente não sei...

— Ah! — assustei-me com seu berro. Seus olhos se abriram mais e ele aproximou seu rosto, analisando-me. — Você deve ser a aluna nova coreana! Prazer, sou Ten, jogador no time de basquete.

— Como sabe que sou aluna nova?

— As noticias correm rápido nesta escola...

— Hm, sei... — observei seu uniforme azul escuro com detalhes laranja, que obtém o nome da escola no peito. Olhei o relógio em meu pulso e percebi que já haviam se passado dez minutos desde que o intervalo começou. — Você poderia me mostrar onde fica a diretoria. É que nem ao menos sei por onde sair daqui...

— Não se preocupe. Ten, o center, irá te ajudar!

Ten pegou em meu pulso e puxou-me rapidamente pelos corredores. Tentei pará-lo, mas ele parecia tão alegre que acabei por me divertir junto.

Depois de muito andarmos pelos enormes corredores da escola, chegamos, ofegantes. Arrumei minha saia enquanto Ten bebia água. Olhei para a mão que ele segurara e limpei-a, pois havia suado durante a “corrida”.

— Aqui estamos, senhorita perdida — falou ele, aproximando-se enquanto limpava o canto da boca. — Está na hora do meu treino.

— Obrigada pela ajuda — respondi observando-o afastar-se sorrindo. — Qualquer coisa, sei onde lhe encontrar.

— Sim, mas não se perca longe de lá, pois não ficarei lhe procurando! — falou, já seguindo para longe.

(...)

Após a aula, encontrei Baekhyun e Krystal em frente e à escola e logo nosso motorista chegou. Durante o caminho para casa ficamos quietos, apenas apreciando a boa música tocar no rádio. Enquanto está tocava, relembrei como fora meu primeiro dia nesta escola completamente diferente.

Mesmo com meu inglês simples, entendi perfeitamente tudo o que nossos professores disseram, e, causo tivesse alguma duvidas, os amigos de Baekhyun me ajudavam; me perdi nos enormes corredores da escola, o que me ajudou a conhecer um rapaz divertido e...muito extrovertido. Espero encontrá-lo novamente amanhã, pois os assuntos que Cole e Mitchel conversam são exatamente os mesmos de Jimin e Namjoon: garotas.

Ao adentrar a mansão, um delicioso cheiro adentrou minhas narinas. Não reconheço a comida que possui este aroma, mas, com certeza, deve ser ótima. Deixei minha mochila no quarto e desci para ajudar em algo, mas não havia nada que pudesse ser feito, afinal há tantos empregados. A única coisa que posso fazer é ficar sentada olhando.

― Como foi a aula? ― perguntou Han Ye-seul quando nos sentamos para comer.

― Normal, como sempre. ― Krystal nem olhara para a mãe ao responder a pergunta. Estava ocupada demais mexendo em seu celular.

― Foi ótima, mamãe. Wendy se deu muito bem com Cole e Mitchel! ― a felicidade com que Baekhyun disse estas palavras me fez sorrir para o mesmo, que retribuiu o sorriso com outro ainda maior, o que faz-me lembrar de Tae, que também possui um sorriso quadrado. ― Ei, Krystal, largue este celular. Nossa mãe quer conversar!

― Desde quando se importam com o que estou fazendo à mesa? ― perguntou rispidamente a garota, que ainda mantinha sua atenção no aparelho.

― Seu irmão está certo. Largue isto e proseie conosco ― completou a mãe.

Krystal apenas olhou-lhes com desdém e levantou-se, seguindo para as escadas e subindo-as, batendo forte os pés nos degraus. Não consegui entender o que se passou aqui, mas com certeza acontece freqüentemente, pois tanto Han Ye-seul quanto Baekhyun parecem não ter se abalado.

― Onde está Nam Goong Min..., digo, onde está o papai? ― perguntei na tentativa de acabar com o silencio que se instalou entre nós. ― Ele não está em casa, não é?

― Oh, que cabeça minha. O pai de vocês precisou ir à empresa para resolver alguns pequenos problemas, mas logo voltará. ― esclareceu Han Ye-seul, levantando-se em seguida. ― Irei sair com algumas amigas. Qualquer coisa, me avisem. Bye!

Esperei Baekhyun terminar sua refeição e fomos à sala procurar algo para assistir na televisão. Não estávamos muito afim, mas não tínhamos ideia do que fazer. Depois de passados dez minutos, decidimos passear pela cidade.

O clima está quente, mas agradável. Um dia em que ficamos fazendo nada em nossos quartos, apenas desejando estar em outro lugar, com aquele alguém, enquanto olhamos pela janela o dia passar.

Baekhyun mostrou-me a lan house próxima à casa; uma praça de casais, que, mesmo estando cedo, já estava repleta de pessoas; uma enorme loja de bandas, cantores e grupos musicais e sua lanchonete favorita.

― Eu e meus amigos amamos este lugar. Lá dentro há um pequeno karaokê, algo que sempre nos provoca muitas risadas.

Enquanto passeávamos e ele me contava diversas coisas, lembrei do ocorrido durante o almoço. Será que devo lhe perguntar sobre Krystal? Baekhyun está tão alegre me contando sobre seus amigos que fico receosa em perguntar.

― Hm..., Baek... ― chamei-o, fazendo-o parar de falar. Ele me olhou curioso enquanto caminhávamos rumo à praia. ― Por que você e sua mãe pareceram não se importar com a atitude de Krystal durante o almoço?

― Ainda está pensando nisto? ― encarei-o, confusa. Está tão na cara? ― Minha irmã sempre foi uma pessoa...hm...difícil de se lidar. Desde que somos muito novos ela implica com seus colegas e amigos.

― Mas por quê?

― Katterine, a governanta, contou-me que desde o meu nascimento Krystal tornou-se birrenta e mal educada com todos. Ao que parece, a atenção que passou a receber não era suficiente. Ela queria mais.

 


Notas Finais


*Quer que seu bias/utt entre na fanfic? Comente! E diga também que tipo de personalidade quer que ele/ela tenha!*
Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...