História Our heart is only one - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Pink, Got7
Personagens BamBam, Jackson, Lisa
Tags Bambam, Fluffy, Got7, Homossexualidade, Jackbam, Jackson, Lemon, Lisa, Romance, Sexo, Traição, Yaoi
Visualizações 8
Palavras 2.742
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Antes de qualquer coisa só quero que fique bem claro que não apoio nada do que vai acontecer no final do capítulo, só para deixar claro mesmo.

Oaoaiaiaiiaiaiiaia
Passados alguns dias eu resolvi aparecer de novo, que bom não é mesmo?
Ahhh então.... Eu só queria me desculpar já aqui por aquele projetinho de tentativa de "lemom" no inicio
Eu nunca escrevi nada do tipo por isso né?
Mas como o foco não era o lemon em si, eu pua aquilo só para complementar o capítulo um pouco mais, eu acho que deu pro gasto

Capítulo 3 - Why


Point of Vision °BamBam°

Cinco messes era o tempo que se tinha passado desde o dia do pedido, acho que não é necessário dizer qual foi a minha resposta já que a mesma é bem óbvia.

" - Bambam? Amor? -eu estava paralisado. Embora desde o momento em que ele tirou as alianças do bolso eu já soubesse o que aconteceria, quando ele disse aquelas palavras, a meu cerebro parou completamente. O que eu diria. Um sim talvez, mas eu estava muito nervoso para isso

- Jackson eu -desta vez quem me interrompeu fui eu próprio. Se ele não dissesse nada, muito provavelmente eu não conseguiria falar

- Só diz que sim -como estávamos perto, ele apenas teve que susurrar aquelas palavras para que eu as ouvisse

- Sim -eu apenas disse aquilo, não por não ter gostado, mas sim por a felicidade que eu sentia estar a nublar todo o meu raciocinio, não me deixando formular uma resposta que estivesse á altura da sua pergunta, mas, como eu imaginava ele entendeu isso e logo me puxou para um beijo. Não vou dizer que foi o nosso beijo com mais paixão pois todos os nossos beijos eram repletos de sentimentos, mas aquele era sem dúvidas um dos mais especiais, talvez pela situação em que nos encontrávamos.

Passado um tempo já estávamos os dois na toalha, comigo sentado no seu colo. Ambos já tínhamos tirado a camisa, a unica diferença era que ele ainda se encontrava com as calças, estávamos numa parte deserta da praia e já era de noite, o que aumentava a chance de ninguem aparecer ali, mas na altura eu já não ligava para nada disso, e creio que ele tambem não.

- Eu já te disse que és a coisa mais linda que eu já vi? - ele disse isso enquanto punha uma mecha minha atrás da orelha e me olhava no fundo dos olhos

- Já -iniciei um novo beijo com ele. Desde a primeira vez que provei os seus lábios nunca mais os consegui deixar. Era como uma droga, uma droga boa - Mas não me importo se disseres outra vez -realmente eu não importava. Ele poderia dizer aquilo quantas vezes quisesse, eu nunca me cansaria

- És a coisa mais linda que eu já vi na minha vida inteira -desta vez quem iniciou o beijo foi ele. Não foi um beijo calmo, mas sim apressado e exitante, mas mesmo asism não deixou de ter paixão

Rapidamente tirámos o resto das roupas que nos restavam e nos voltámos a deitar na toalha, desta vez com ele por cima de mim

- Eu te amo -eu tambem lhe amo muito mas não disse nada. Nem todas as palavras do mundo conseguiriam mostrar todo o amor que eu sinto por ele.

Logo a seguir á sua fala o senti entrar em mim. Era incrível, mesmo sem nenhum tipo de preparação eu não conseguia sentir dor nenhuma.

Passado algum tempo nós já estavamos completamente imersos no ato. O suor que escorria pelo nosso corpo indicava perfeitamente a intensidade do que faziamos, tal como os gemidos que soltávamos indicavam o prazer que ambos estávamos sentindo.

E foi assim que aquele dia terminou. Com nós dois a nos amar-mos numa praia para selar as promessas que tínhamos feito naquela noite. "




Daqui a dois messes nos casaríamos. Todos os detalhes já estavam praticamente prontos, a única coisa que faltava era comprar os fatos, o que seria uma tarefa difícil.

Neste momento encontrávamo-nos ná sétima loja de roupa e pelos vistos iriamos para a oitava já que não entrávamos em um acordo de jeito nenhum.

- Mas jackie, estes aqui são lindos. Vamos levar por favor. - Eram dois ternos, um era um laranja escuro e o outro um roxo meio metalizado. Um pouco chamativo demais? Eu vou admitir que sim, mas eu ia me casar e queria levar aquela roupa

- Mas tu nem penses que eu vou vestir isso. Se quiseres escolher um para ti escolhe, eu vou levar aquele preto. -preto. Que cor mais normal para um terno de casamento. Toda a gente já vestia preto, nós tínhamos que vestir outra coisa completamente diferente do comum para arrasarmos.

- Jackson, preto não. Isso é muito comum. - Tentava fazer a voz mais manhosa para o tentar convencer. Funcionava praticamente sempre, mas parece que aquele não era o meu dia de sorte

- Jackson, preto sim. Bambam por amor a deus, eu não quero me casar a parecer uma galinha depenada. -eu esatava tentar manter-me sério, mas depois daquilo não consegui. Oras, uma galinha depenada, ele não pareceria isso, tenho certeza que ficaria lindo como sempre.

Eu estava de um lado da loja a ver algumas coisas, enquanto ele estava do outro a ver o terno para si, mas algo me chamou a atenção. Ele estava econstado na parede da loja visivelmente afetado com algo.

- Amor? O que foi? -ele estando fraco demais para dizer alguma coisa, apenas susurrou um "vamos para casa".

Eu sabia que alguma coisa estava errada. Não era normaluma pessoa ficar no seu estado de um momento para o outro.



Chegámos em casa e no momento eu estava a tentat levá-lo ao hoapital, o que tinha certeza que seria uma tarefa difícil.


- Deixa de ser assim e vamos, eu não estou a pedir -era sempre a mesma coisa, sempre que ele ficava doente negavasse a ir ao médico. Eu até tentaria entender se por ele tivesse alguma fobia a hospitais mas não era o caso já que de todas as vezes eu eu dava um mero espirro ele se prontificava imediatamente para me levar ao establecimento.

- Entende que está tudo bem, é só cansaço. -eu não era nenhum médico, mas sabia perfeitamente que aquilo não era só cansaço. O trabalho dele nos últimos tempos tinha acalmado, logo, não havia motivo menhum para ele andar tão cansado assim

- Não, não é só isso e tu sabes perfeitamente disso. Só não te obrigo a ir ao hospital agora porque já è trade, senão podes ter a certeza que eu te arrastava até lá -por mais que eu estivesses preocupado com ele, não poderiamos ir ao hospital agora, eu ainda não tinha carta e ele não estava em condições de pegar num carro, alem de que aquela hora eram poucos os taxis que funcionavam

- Vê se metes na tua cabeça de uma vez por todas que eu estou bem, não preciso que me leves a merda de AI -a minha unica visão foi a de ele cair no sofá que estava ao lado dele, com a mão no peito e a começar a hiperventilar

- Jackson, olha para mim. -ele continuava de olhos fechados e com a mão no peito. Eu estava a começar a ficar em pânico, nunca tinha me informado do que fazer numa situação daquelas- Jackson, porra. Eu vou ligar para o jaebum sim? Aguenta só um pouco por favor -

- T-Tu não vais ligar p-para ninguem -ele finalmente abriu os olhos e falou mesmo que atrpopelasse as palavras, por um lado isso me deixou aliviado

- Para com isso caramba. Queres que eu faça o que, te deixa aí e vá dormir? -já estava a digitar o numero de jaebum quando ele tira o telemovel da minha mão

- Para, isto daquenda passa, confia em mim -confiar nele. Ele estava quase a morrer na minha frente e queria que eu ficasse quieto, muita ironia

- Então explica-me o se passa. Estás com tanta ceereza que não é nada, é porque deves saber de alguma coisa -ele esatava calmo demais para a situação em que estava, coisa que me estava a assustar. Ele não me respondeu nada, apenas se levantou, com algum esforço, e foi até á sua mochila de onde tirou uma caixa de comprimidos tomando dois de uma vez- Jackson o que é isso? -não obtive nenhuma resposta. Ele começou a andar para a cozinha e eu fui atrás dele e das minhas respostas- Por deus amor, o que se passa asério, estou a ficar assustado. Á alguma coisa que eu possa fazer, eu -

- Não kunpimook, não á nada que tu possas fazer -ele tinha-me chamado pelo nome. Ele nunca fazia isso, só quando estava muito chateado comigo mesmo, e desta vez eu não tinha feito nada, apenas estava a tentar zelar pela sua saúde - Não, afinal á uma coisa sim que podes fazer. Deixares-me em paz, não te peço mais nada -

- Jackson eu estou a ficar preocupado de verdade. Acalma-te e vamos sentar ali no -eu falava enquanto me aproximava dele na tentativa de o conseguir puxar para o sofá, mas parei imediatamente quando senti um forte empurrão que me fez andar para trás

- PORRA, mas que merda bambam. Não entendes que eu não quero merda nenhuma de ajuda. Eu to bem, eu to calmo, só quero a MERDA de um espaço e um tempo. Tens que andar constantemente atrás de mim. Isso começa a ser cansativo- apenas fiquei estático no lugar com os olhos arregalados. Ele nunca era bruto daquela forma e quase nunca falava palavrões

- Eu só estou preocupado contigo. Eu sou o teu namo -

- És sim o meu namorado, não a minha mãe para quereres saber de tudo da merda da minha vida. Agora deixa-me em paz -

- Jackson eu -

- CALA A MERDA DA BOCA. EU NÃO QUERO MAIS OUVIR A PORCARIA DA TUA VOZ HOJE, NÃO ENTENDESTE ISSO AINDA? -dito isso ele foi para o nosso quarto. Fiquei mais descansado pois ele não estava bem e assim descansaria, mas toda a minha calma foi embora quando o vi direcionar-se para a porta já com um casaco vestido e com a carteira na mão

- Vais aonde? Tu não podes sair assim, tens que ir descansar - levantei-me do sofá e agarrei-lhe no braço na tentativa de o fazer ficar, que como eu imajinava foi em vão. Ele apenas se soltou do meu aperto com um olhar que eu não consegui decifrar o que queria dizer. Parecia raiva e stress mas ao mesmo tempo tristeza e decepção.

No momento encontrava-me na nossa cama, e é escusado dizer que chorava. Estava triste, confuso e com medo.

Primeiro estava preocupado com a saúde dele, ele tinha saído de casa sem nem estar bem, poderia facilmente acontecer alguma coisa. Depois ele nunca tinha falado assim comigo, ele nunca tinha sido tão bruto, e querendo ou não aquilo magou-me. E a última coisa, ele muito provevelmente estava a esconder alguam coisa de mim. Ele ficou muito calmo em realção a toda a situação, ele tinha que saber alguma coisa. Eu não era a mãe dele, não, mas era o namorado, e embora ele quisesse ter o seu espaço, eu só esatava preocupado com ele. Não precisava que ele me dissesse tudo, apenas o suficiente para não ficar preocupado.

°∆°∆°∆°∆°∆°∆°∆°∆°

Já eram cinco da manhã e nada de ele chegar. Eu estava a ponto de arrancar os meus próprios cabelos, mas o que eu podia fazer? Ligar para a policia e dizer que o meu noivo, já adulto, tinha saído de casa sem me dizer para onde ia, chamariam me de louco.

Como eu tinha plena consciência de que não conseguiria dormir, perferi ir para a cozinha comer alguma coisa.

Já estava na sala, estava a passar alguma coisa na televisão que eu nem me dava ao trabalho de saber o que era, a preocupação era maior.

Estava perdido nos meus pensamentos péssimistas quando oiço uma chave a ser colocada na fechadura. Por momentos senti-me mais aliviado, mas quando ouvi a voz dele a chamar por mim percebi imediatamente que o mesmo estava bebado, isso nunca era bom sinal.

- Amorr? Tás aonde? -Depois do nosso desintendimento ele vir e me chamar de amor não era normal, algo estava muito errado

- Jackson por amor de deus, não voltes a fazer uma coisa dessas. Eu ia morrendo. Está tudo bem contigo? -Eu rapidamente fui até ele e o puxei para o sofá o sentando no mesmo

- Melhor agora bebé -sem eu nem me dar conta quem estava sentado no sófa agora era eu. Ele estava tambem sentado, só que em cima de mim, e tinha um dos seus joelhos a presionar as minhas partes intímas, em outra situação eu sentiria prazer mas naquela eu só sentia medo. Ele quando bebia virava outra pessoa completamente.

- Para com isso jackson, estás-me a assustar -ele pareceu não se importar com o que eu disse pois alem de continuar o que estava a fazer anteriormente, ainda se concentrava em marcar o meu pescoço.

- Sabes hoje lá na boate eu vi um rapaz igualzinho a ti. Tinha esses teus lábios, as tuas coxas, a tua bunda -ele enumerava todas aquelas partes do corpo, enquanto passava as mãos pelas mesmas, escusado era dizer que eu já chorava. Por pura agonia, tristeza e medo. Eu sentia medo do meu noivo, da pessoa que eu amava. - A unica coisa que me apetecia era por-lhe de quatro na minha frente e foder-lhe com toda a minha força. Mas agora eu tenho te aqui a ti, não preciso disso pois não? -ele dizia todas essas palavras com uma frieza que me espantava. Nunca pensei que ele se pudesse tranformar numa pessoa assim só com o efeito do alcool

- Jackson p-por favor vai dormir. Amanhã nós falamos com mais calma -eu tentava a todo o custo tirá lo de cima de mim, o que seria uma tarefa impossível já que ele era muito mais pesado que eu e tinha o dobro da minha força

- Parar? Porque bebe? Está tão bom agora, não vais deixar o teu noivo aproveitar do teu corpinho? -ele estava a falar de mim como se eu fosse um mero corpo para ele. Não me lembro de uma única vez que tenhamos nos envolvido de tal forma que não fosse com completa entrega e paixão da parte dos dois.

- P-para com i-isso por favor -os meus soluços já deveriam poder ser ouvidos no andar de baixo de tão altos que estavam

- Já que não vais colaborar comigo dá para pelo menos calares a boca, já não basta estar sempre a levar com a tua voz irritante, vou ter que levar com ela agora tambem? -eu só queria acordar e descobrir que tudo aquilo era um sonho mau. Como se já não bastasse o que fazia antes, agora ele tambem tentava tirar a minha roupa, com muita dificuldade obviamente, eu não me iria render a uma coisa daquelas. Ele podia ser o meu tudo. A pessoa a quem eu direcionava todo o emu amor, mas aquilo era uma coisa que eu não aceitava. Ser subjogado daquela forma, era humilhação demais.

- PARA -depois de muito esforço, finalmente consegui reunir o resto das forças que ainda tinha, e o empurrei para o chão. Eu sabia que ele podia ter se magoado, mas era a única forma de conseguir parar aquilo

- Isso foi o que? Passaste-te só pode. -eu não sei se ele estava a usar ironia ou a quantidade de alcool no seu corpo era tão grande que ele já nem raciocionar conseguia

- O que é que foi? Mas tu enlouqueces-te de vez? Quem és tu, eu não te reconheço mais. Tu tens noção do que ias fazer porra, tens? Eu não acredito que estavas a pensar fazer aquilo comigo, já nem confiança em ti posso ter. Nós somos noivos, jackson, NOIVOS. -eu acho que para ele já nada fazia sentido. Eu sei perfeitamente que ele náo está assim só por causa do alcool. Ele nunca ficaria assim por uma coisa dessas.

- Francamente. Eu sempre fiz tudo por ti, tudo, e agora quando eu preciso de uma ajuda tua tu começas com essa conversa. Que belo noivo que eu fui arranjar, já nem para puta serve -eu não ia mais chorar com aquilo, tenho plena consciência que estar a falar com ele naquele estado, não nos levaria a lugar nenhum. A melhor coisa que eu poderia fazer ir embora de casa por uns tempos e deixar os animos acalmar

 - Eu vou passar uns dias fora, amanhã passo aqui para vie buscar algumas coisas. Quando achares que devemos conversar liga-me, tens o meu numero -peguei apenas uma mala com coisas básicas e saí porta fora. Acho que nunca foi tão dificil deixar aquela casa


Notas Finais


Tão né?
Finalmente o circo começou a pegar fogo
Então né se alguem por acaso for adivinho e tiver interesse... O pequeno (pequenissimo) problema do menino da china tem a ver com o nome da fic
Quem acertar recebe, recebe nada ehhhhhhhh (sou muito iludida eu)
Então e se ouver algum erro me perdoem, eu revi ás quatro da manhã enquanto to no chão da casa de banho a morrer de sono pois uma barata me explusou do quarto
Vida maravolhosa
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...