História Our history - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson, Christian Beadles, Ian Somerhalder, Justin Bieber, Lucy Hale, Ryan Butler, Shawn Mendes
Personagens Ashley Benson, Christian Beadles, Ian Somerhalder, Justin Bieber, Lucy Hale, Ryan Butler
Tags Justin Bieber
Exibições 140
Palavras 4.038
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


RELOOOOOOU, então..para os que prestaram atenção no decorrer da história, uma certa personagem sumiu.

EU APRESENTO A VOCÊS A PIOR DAS VADIAS <3


Ps: LEIAM AS NOTAS FINAIS É IMPORTANTE

Capítulo 18 - Amor princesas morrem, vadias não


Fanfic / Fanfiction Our history - Capítulo 18 - Amor princesas morrem, vadias não

                                          E não se pode voltar atrás

                                          Quando o seu coração esta sob ataque

                                         Vou dar tudo o que eu tenho

                                          É o meu destino

      

                                            - Justin Bieber ft Jaden Smith } Never sau never

  

P. O. V JUSTIN BIEBER

Acordei com um pouco de dor de cabeça, resmunguei baixo, e me mexi um pouco mas senti algo em cima de mim, abri os olhos piscando algumas vezes por causa da luz que vinha da janela, olhei para o meu peito e pude ver ela dormindo tranquila, as vezes ela dava sorriso curtos, o que me fez sorrir instantaneamente, é bom saber que pelo menos alguém aqui tem bons sonhos, ou o direito de sonhar. Me dei o privilégio de por meus pensamentos em dia, pois minha cabeça estava a um milhão por hora, se passavam tantos pensamentos de uma só vez, que eu não conseguia raciocinar direito, os dias se passaram tão rápidos que eu mal contei, em um pouco mais que um mês, eu consegui meu maior problemas, e a minha melhor solução, eu estou totalmente perdido pela pessoas que eu deveria odiar e que prometi a mim mesmo matar, eu não sei o que aconteceu mas com certeza não conseguiria mata-la, eu achei que seria tudo tão fácil e tão diferente, mas a única coisa que parecia, era que Deus estava querendo me pregar peças e que ele tinha conseguido, eu não sei o que vou fazer enquanto a isso, ou enquanto a ela, eu com certeza gosto muito dessa garota mas eu não posso confiar em ninguém, eu sei que posso confiar nela, mas não posso fazer o mesmo com as pessoas que estão ao seu redor, eu sei que a maioria das pessoas do mundo, adorariam a cabeça de Justin Bieber.

Em meio aos meus pensamentos me surgiu uma ideia maravilhosa, eu não quero ela no meio disso tudo, eu me sentiria um lixo se não pudesse ajuda-la, eu quero ela fora disso tudo, se não eu não teria nenhuma escolha, eu teria que ser seu rival e teria que mata-la sem pena e sem dó, e isso está fora de cogitação, ela vai ter castigos claro, mas eu não a mataria, talvez eu a torturasse ou coisa do tipo, mas nada a esse ponto~, ela foi a melhor coisa que me aconteceu nesses dias, ela tem o dom de fazer meu sangue esfriar, minha cabeça rodar, e meu estômago embrulhar. 

Eu só preciso que ela me dê tudo, eu seria o rei de Atlanta e do Canadá, e nada e nem ninguém iria me destruir.

Mas eu não sei como iria convence-la, ela sempre fica comigo mas com um pé atrás, ela não consegue confiar em mim cem porcento, e sinceramente ela está certa, mas eu não iria força-la a nada, eu só preciso mostrar para ela que esse mundo não é para qualquer um, e que ninguém melhor do que o seu dono para tomar conta das suas coisas e dos seus negócios, eu ainda estou em fase de 'teste' mas isso não vai durar muito, nós vamos ficar bem, mas antes eu preciso resolver as minhas coisas, estou muito tempo longe do meu amor maior, meu império.

Com muito esforço e cuidado eu me levantei da cama sem acorda-la, eu não queria dar satisfações, e não queria ouvir suas perguntas, as vezes ela é bem irritante, andei em direção ao closet rezando para ter roupas descentes, por sorte realmente tinha, peguei uma calça preta jeans um pouco rasgada, uma regata branca e um par de supras brancos, xinguei baixo por não ter nenhum boné e nem acessórios mas isso era melhor que nada, saí do closet indo em direção ao banheiro, escovei meus dentes com uma escova branca reserva que tinha em um pequeno armário ali, arrumei meu cabelo da melhor forma que pude, saí do banheiro com passos leves e andei até o criado mudo, peguei um bloco de notas e uma caneta que tinha ali, deixei um bilhete simples e peguei seu celular que também estava ali, deixei meu número e andei pelo chão limpo até a varanda do seu quarto, olhei para baixo vendo alguns seguranças, bufei irritado por ter que receber olhares tortos por idiotas.

Depois de passar pelos seguranças, e matar alguns para conseguir um carro na garagem e duas armas, quando saí pude ouvir o capacho ambulante gritando dizendo que eu fugi, tão tolo, dei o meu melhor sorriso pelo retrovisor, e acelerei um pouco mais pela estrada de terra, logo eu estava na estrada principal indo em direção ao meu humilde lar, enquanto eu dirigia em alta velocidade pela estrada fiquei pensando sobre qual castigo eu iria dar ao meninos, tudo bem que Lucy é a minha garota, mas pelo amor de Deus marcas de machucados não somem do nada, e fora que um merdinha me bateu até cansar, eu vou me vingar dele também mas vamos começar por baixo pelos 'amigos'.

Cheguei na mansão minutos depois, pude ver a cara de surpresa dos seguranças, ele acenarão com a cabeça e liberaram minha entrada imediatamente, quando cheguei na porta eu fiquei com o triplo da raiva, eles estavam fazendo uma festa, eu fui sequestrado, torturado, magoado e eles estavam aqui dando festas e comendo várias vadias, mas não iria durar muito, não mesmo, ninguém da festa na minha casa sem minha autorização, mesmo que sejam eles.

Quando entrei pude ver as vadias me comendo com os olhos, e alguns homens que vieram falar comigo, a casa tinha bolas no chão, e isso estava começando a soar estranho, acho que ue estava me esquecendo de alguma coisa, meus pensamentos foram interrompidos quando vi Chaz, Chris e Ryan em uma ponta com algumas vadias praticamente semi nuas, e admito que eram bem gostosas, pelo menos os babacas tem um pingo de bom gosto, andei até eles que levantaram quando me virão, com um grande sorriso no rosto, eu revirei meus olhos pela felicidade repentina dos meus queridos amigos, as vadias saíram em direção a cozinha provavelmente para pegar alguma bebida.

Eu exijo uma explicação muito boa, para essa porra toda  - eu disse curto e grosso, eles olharam para Ryan e depois para mim -

- Calma aí irmão  - Chaz disse tentando me acalmar mas eu revirei os olhos-

- É por uma boa causa  - Chris disse sério e me olhava igual eu fosse um E.T-

Nenhum motivo é bom o suficiente, enquanto eu estava passando o pão que o Diabo amassou, vocês estavam aqui comendo vadias e dando festinhas  - eu praticamente gritei mas apenas eles ouviram, graças a música alta-

- Pera aí você não sabe que dia é hoje ? A.. então deixa eu te lembrar seu merda, hoje é o MEU aniversário, e eu vou me divertir pra cacete, com ou sem você, você deve estar com raivinha por que passou por algumas coisas, PARA DE AGIR QUE NEM IDIOTA, já passamos por coisa pior por sua causa e nunca reclamamos, eu que pedi a ela para te soltar hoje, mas sinceramente era para você ter continuado lá.

Ryan simplesmente estourou jogando do jeito que podia isso na minha cara, mas como eu iria saber, eu fiquei dias naquele maldito lugar, eu nem sei que dia é hoje, ele não tem nenhum direito de querer me fazer sentir culpado por isso, ele saiu andando com Chaz atrás dele, Chris me olhou de elance e se afastou indo pegar uma vadia qualquer. Eu não acredito que no meio dessa mini conversa idiota, eles ficaram com raiva de mim, mas que merda, já sei que hoje não vai ser um dos melhores dias, mas acho que supero, afinal eu já passei por coisa pior.

Subi para o meu quarto, ouvindo gemidos pelo corredor, eu poderia voltar, ficar na festa e comer muita mulher, mas infelizmente eu tenho outras coisas mais importantes, preciso saber o que houve com a última carga que nós estávamos roubando quando eles me pegaram, mas antes eu precisa de uma coisa muito mais necessária, adentrei o quarto deixando a porta entre aberta e fui em direção ao closet tirei um pequeno saco preto, e voltei até o quarto novamente, andei até uma pequena mesa de madeira que tinha na parede aposta a da janela, e me sentei na cadeira giratória, joguei as drogas que eu queria em cima da mesa e dei um largo sorriso, eu não queria me drogar muito então escolhi apenas um pouco de cocaína e um pouco de maconha, ajeitei a cocaína em uma fileira grande, que a festa do Ryan realmente comece.

 

P. O. V  SHAWN MENDES

Esses dias que se passaram me fizeram acreditar que não tinha mas jeito, eu não poderia contar para ela minha verdadeira história, muito menos quem eu sou, ela é totalmente difícil de lidar, ela não me escuta e nunca confia em mim, ela acha que eu sou um aproveitador ou um qualquer, mas eu nunca passaria a perna na única pessoa que eu quero proteger, ela está melhor admito, ela está mais fria, calculista e gostosa, mas parece que toda vez que aquele idiota chega perto dela, ela volta a ser a mesma de antes, algo naquele imbecil desfaz tudo o que eu fiz nela, as vezes eu fico observando ela, e meu Deus como essa garota parece com aquele filho da puta do nosso pai, o mesmo jeito de olhar quando quer mandar em alguém, a frieza quando a desobedecem ou o sorriso quando quer algo e consegue.

Mas eu não posso pensar apenas nela, eu também existo certo ?, eu estou planejando minha vingança com o Bieber a dias, minha irmã quase não deixou eu tortura-lo, mas eu já sei como vou fazer isso, vou pedir ajuda a louca da minha ex namorada, o mais engraçado disso tudo é que ela era amiga da Sabrina e das outras, e elas nunca desconfiaram de nada, no início eu admito que eu apenas brincava com a Sabrina, mas quando pude ver como ela era, como ela me fazia ficar nas nuvens com apenas um sorriso, eu terminei com a minha ex e disse para ela nunca mas me procurar e prometer que não contaria isso a ninguém a menos que quisesse ficar sem língua, ela concordou e seguiu em frente.

Porém agora eu preciso da sua ajuda, afinal ela pode ter acesso a casa do Bieber facilmente e eu não, eu preciso que ela traga eles amanhã para a minha armadilha principal, e infelizmente minha querida irmã vai ser a isca mas eu não vou machuca-la, não muito, eu só preciso que ele venha correndo salva-la, como um verdadeiro idiota que ele é, eu preciso mata-lo mas antes Lucy terá que ter seu coração partido pelo seu amor, eu preciso que ela fique com muito mais raiva dele do que da outra vez, mas agora que eu sei que ela gosta dele, tudo será mais fácil.

A noite já tinha caído e nos estávamos voltando para casa na Ferrari vermelha da Ash, nós fomos verificar uma carga para um dos nossos principais fornecedores, nós não confiamos muito em alguns dos homens, então fomos ver se tudo sairia bem, a estrada era longa e estava muito escura, no rádio tocava alguma música lenta e chata que eu não fazia muita questão de saber qual, o vento estava gelado e só havia o som dos pneus na estrada, se não fosse por ser a Ashley no carro, eu estaria em um tédio absurdo, ela olhava para frente mas parecia estar pensando em outra coisa, quando eu achei ela a pedido da minha irmã, ela estava chorando e parecia um pouco desesperada, eu a abracei e prometi que tudo ficaria bem, afinal nós eramos amigos, mas nesses dias eu tenho a observado e ela é o sonho de qualquer garoto.

Saí dos devaneios quando ouvi ela chamando o meu nome e dando uma risada que fazia qualquer um rir junto, quando me dei conta entendi por que ela estava rindo, estava tocando uma música que as meninas, eu e mais alguns garotos cantávamos na escola por diversão, a música era engraçada por que era de uma cantora desconhecida que só tinha apenas essa música, eu a olhei cantar e fazer caretas, mas quando dei por mim eu estava com um sorriso idiota no rosto, ela era divertida e no  geral me fazia esquecer o monstro que eu era, igual a S.

 - Parece uma doida varrida, cruses  - eu falei com uma voz de viado, fazendo ela rir novamente-

- Para que eu sei que você sabe cantar essa música mona  - ela disse fazendo gestos com uma das mãos e com um sorriso divertido-

Claro que eu sei, eu que fiz a letra  - falei com a mesma voz e comecei a cantar com ela me acompanhando logo depois-

- Eu sabia que você iria cantar  - ela disse tirando o cabelo da bochecha  depois que a música acabou-

Eu gosto dessa música me trás boas lembranças  - eu sorri, e ela sorriu de volta-

Longos minutos depois chegamos a mansão, tudo estava bastante quieto o que era estranho, afinal Lucy gostava de ouvir música alta enquanto lia, e geralmente ela fazia isso todos os dias, eu não sei como uma pessoa pode fazer os dois ao mesmo tempo, mas ela tinha esse dom, entramos na sala e ela estava impecável, não tinha nenhuma sujeira, nem parecia que morava alguém aqui, Ashley subiu chamando pela Lucy e cinco minutos depois voltou um pouco pálida com as mãos na cintura.

- Ela não está aqui 

 

P. O. V  LUCY HALE

Quando acordei já estava anoitecendo e meu corpo estava finalmente relaxado, eu abri os olhos com muito esforço e reparei que ele não estava mas ali e eu estava sozinha, soltei um suspiro por já esperar por isso, então me sentei na cama macia passando as mãos pelo meu rosto amassado, vi um pequeno bilhete amarelo no criado mudo, franzi o cenho pois não tinha nada ali antes, me aproximei pegando o mesmo.

" Desculpa por não poder ficar e ser torturado mais um pouco, e brigada pela ótima foda baby "

Revirei os olhos, eu estava prestes a amassar o papel quando vi um número de celular logo em baixo, deixei o papel em cima da cama e andei em direção ao banheiro xingando ele de todos os palavrões que ele merecia, fiz minhas higienes, escovei meus dentes e tomei um banho longo, e as vezes eu me xingava por não conseguir tirar a noite anterior da cabeça e por ser logo no meu banheiro, depois de um tempo eu sai do banho e peguei a toalha branca que estava pendurada, me sequei e saí do banheiro indo em direção ao closet.

Fiquei pensando na bosta do bilhete e decidi que ele merecia uma resposta mas não por telefone, eu não sou do tipo de pessoa que engole esse tipo de coisa, ele não pode simplesmente achar que pode me usar em uma noite e na outra achar que eu vou ficar quieta, ele está muito enganado, saí dos meu péssimos pensamentos quando escutei meu celular tocar, era alguma mensagem, andei até o meu quarto novamente e peguei meu celular no criado mudo, era uma mensagem do Ryan, e olha.. parece que eu fui convidada para uma festa.

Ryan -   " Hey gatinha, provavelmente o Justin vai me matar, mas você está convidada para a melhor festa de Atlanta, topa ?"

Eu estarei aí, mas qual o motivo da festa ?" 

Ryan-    "É o aniversário da pessoa mas gostosa que você conhece, te espero aqui"

Ri da sua última mensagem, e raciocinei que ele estaria bêbado demais, mas séria uma ótima surpresa para o Bieber e eu não perderia por nada, andei de volta ao closet com o celular na mão, pus o celular em cima de uma caixa de sapato, vesti um conjunto de lingerie azul e preto e peguei um vestido preto que eu disse para mim mesma que nunca iria vesti-lo, mas ele cairia muito bem hoje, ele tinha um pequeno decote fazendo meus peitos serem destacados, e atrás fazia minha bunda ficar maior, procurei por um sapato da mesma cor um pouco alto e o calcei, pus o celular no sutiã agradecendo por ele não ser percebido, e saí do closet indo em direção a penteadeira, fiz uma make descente mas que realça-se meu rosto, e passei um batom vermelho vinho, sequei meu cabelo no secador e penteei, por fim me levantei e andei até a outra parede do quarto que tinha um espelho enorme, sorri largo com o resultado, se meu querido amado estivesse sóbrio, ele iria infartar.

Deixei um bilhete na cama para Ash me encontrar lá, pois tenho certeza que eu não estaria sóbria, saí do quarto cantarolando uma música qualquer e entrei no elevador, depois de passar por todos os andares e descer as escadas, eu pedi ao segurança para reforçar a segurança da casa já que eu não estaria ali, andei até o meu carro que sempre estava a minha disposição em frente a minha casa e entrei ligando o mesmo e saindo dali o mais rápido que eu podia, os homens abriram os portões e tudo que eu sentia era um sorriso e uma brisa.

Depois de quase meia hora, eu cheguei aos portões daquela mansão, eu xinguei mentalmente por nós dividirmos o mesmo lugar e termos que morar em lados opostos, assim que estacionei em frente a mansão e saí do carro todos olharam para mim, com uma espécie de medo e surpresa, se fosse antes eu ficaria confusa e voltaria para o carro, mas para falar a verdade eu amei essa sensação, olhei para o lado vendo um segurança vir até mim, eu me lembro dele era o chefe dos seguranças e era alto, forte, com o cabelo escuro e bem ignorante.

- Desculpa senhora, não sei se devo permitir a sua entrada, você virou...   - ele mantinha a voz, mas ainda sim estava perdido-

- Eu sei, seu pior pesadelo, mas não fica assim não juro que hoje vou ser uma boa menina  

Pisquei para ele, jogando a chave do meu carro e entrando, as pessoas estavam prestando atenção até demais, e abriam espaço quando eu andava, o lado bom disso tudo é que se eu for em uma boate aposto que viro vip em dois segundos, quase ri desse meu pensamento idiota, eu não vi nenhum dos garotos, eles provavelmente estariam fudendo, então decidi beber um pouco para esquentar, andei até a cozinha que estava impecavelmente limpa, aposto que Pattie deixou a festa rolar com algumas regras, peguei uma garrafa de conhaque e um poco longo, pus a bebida até a metade e virei a mesma bebendo tudo de uma vez, fiz uma careta engraçada e ri de mim mesma, enchi a segunda vez fazendo o mesmo, já podia sentir a bebida fazendo efeito, saí da cozinha voltando para festa recebendo olhares maliciosos.

Depois de um longo tempo bebendo e dançando com estranhos já que não vi os meninos, eu estava bêbada e tonta, então decidi ir algum lugar para eu me sentar, eu não aguentaria subir as escadas então decidi ir ao escritório do Jus, e assim eu fiz, andei até lá quase reto, mas com forme eu fui me aproximando pude ouvir vozes que sinceramente eu não queria ter ouvido, eram gemidos e estavam ficando mais altos com forme eu me aproximava da porta, e o pior é que que conhecia esses gemidos muito bem, aquele idiota me paga, e hoje.

Abri a porta pisando firme para não cair, e pude ver a cena mais nojenta da minha vida, ele estava com as calças arriadas, o cabelo bagunçado e seu nariz estava sujo, o que me fez perceber que ele tinha se drogado, a vadia loira estava sentada de costas para mim na mesa de pernas abertas e talvez sem calcinha, acho que ele aproveitou o fato de ela estar de vestido, mas assim que eu entrei ele parou, me olhou surpreso por alguns segundos mas por fim deu um sorriso de lado que me fez querer enfiar a faca no seu peito e girar até fazer um buraco.

- Hey Hale.. quer participar ?  - ele mordeu o lábio ajeitando as calças e se afastou da loira que não se mexeu-

A única coisa que eu quero é enfiar uma bala na sua cabeça  - sorri sarcástica mas ele travou o maxilar vindo na minha direção em passos lentos-

- A é ? Não foi o que pareceu ontem quando você estava gemendo meu nome igual uma vadia  -ele ainda estava sério, mas agora estava mas perto-

É que naquele momento eu não tinha opções melhores  - dei de ombros, agradeci por não estar tão bêbada e dei um passo para trás mas ele deu dois-

- Não seja mentirosa Hale, mas deixa eu te apresentar uma nova amiga minha, mas acho que vocês se conhecem  

Ele riu passando a mão no cabelo para trás, e olhou para a mesa, a loira se virou e pude ver bem seu rosto, eu quase vomitei dessa vez, era a Avril, eu achei que tinha acontecido alguma coisa com ela, por que ela simplesmente desapareceu, eu achei que ela tinha morrido assim como a Sabrina, já que Ash nunca tocou no nome dela, pude sentir o sangue faltar no meu rosto e ouvir a risada tosca daquela garota ridícula.

- Quando falaram que você tinha mudado eu não acreditei já que você sempre foi insuportável e sem sal, mas admito que você esta bem gostosa, mas me diz, soube que você tem a metade de Atlanta e quase todo o Canadá, e que ficou bem esperta 

Ela se aproximou em passos lentos do Justin, em quanto ele estava sorrindo de braços cruzados, eu fiquei em silêncio por alguns segundos  tudo que se podia ouvir era os saltos daquela vadia batendo no chão do escritório, ela envolveu seus braços no pescoço dele dando um beijo na sua bochecha e lambendo o local.

Eu queria poder dizer o mesmo, mas não soube nada de você, mas ops lembrei que você não é ninguém por isso não sabem da sua existência, mas não fica assim não baby, Ryan talvez lembre da foda de vocês, mas acho que agora ele fode alguém melhor 

Ela travou o maxilar, e pude ouvir uma risada baixa vindo de Justin, ela revirou os olhos e depois soltou um sorriso nojento de lado, eu juro que se um dia suportei essa garota foi por causa da Sabrina, por que eu estava a um passo de grudar na garganta daquela vaca loira.

-Eu sei mas enquanto o Ryan fode outras pessoas, alguém bem melhor me fode, já tinha ouvido falar que o Bieber era bem dotado, mas depois que a gente prova é que vemos a verdade, não é mesmo cara Lucy 

E essa foi a última gota, eu dei dois passos para frente agarrando o pescoço daquela vadia loia de farmácia, ela me jogou contra a parede segurando no meu cabelo, e pude ouvir a voz rouca do Justin pedindo para que a gente parasse, mas não adiantou em nada, eu dei socos seguidos em suas barrigas o que fez ela me soltar, pus as mãos no seu pescoço novamente empurrando ela para trás, suas costas ficaram contra a mesa e ela tentava se soltar sem ar, eu apertei com mais força e escutei um barulho de madeira e Justin gritar vindo em nossa direção mas não adiantou muita coisa, cinco segundos depois eu senti uma dor insuportável na barriga, aquela vadia tinha enfiado uma faca em mim, eu a larguei e pus as mãos na barriga sentindo meu próprio sangue em minhas mãos, eu ia cair para trás mas Justin me segurou.

- Você achou que eu tinha morrido não é mesmo ? Por que era tudo que você queria que eu sumisse, mas agora eu vou estar mais perto do que você pensa, e não se esqueça, amor princesas morrerm, vadias não.

-


Notas Finais


RELOU RELOU

Amores eu preciso da opinião de vocês para duas coisas, a primeira é que eu estou pensando em um trailer para a fanfic e quero saber se vocês apoiam, e a segunda é O NOME DO CASAL, comentem o nome que vocês acham melhor, e eu vou escolher um.

Amo vocês baby's


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...