História Our Inexplicable Love - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alix Kubdel, Alya, André Bourgeois, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mylène Haprèle, Nathanaël, Nino, Personagens Originais, Sabine Cheng, Sabrina, Tikki, Tom Dupain
Exibições 96
Palavras 1.313
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oin Chocowamis Purrrfectos! *--*
Então...sabe aquele ultimo capitulo que eu fiz? Eu dei uma melhoradinha e o deixei com mais conteúdo.
Desculpe o incomodo ;-;
E me desculpem os erros também

Capítulo 16 - Quem é ele?


Fanfic / Fanfiction Our Inexplicable Love - Capítulo 16 - Quem é ele?

Adrien On

Todos estavam nos olhando, é um pouco estranho. Mesmo que eu seja o Centro das atenções, sempre.

―Onde estava Sr.Agreste? -  A professora perguntou

―Ér... o pneu do carro furou

―E o outro garoto novo? Vocês o viram?

―Quem? -  perguntei           

―Eu! -   olhamos para trás e pude ver ―Nick?

―Olá, desculpe o atraso. Eu tinha esquecido que iria á uma escola.

―Ok...Adrien e Marinette, podem se sentar -  assim fizemos -  ―Qual é seu nome? -  A professora perguntou

―Me chamo Nicholas Parker. Mas pode me chamar de Nick, vim da mesma escola que a Mari. E já conheço maioria dessas pessoas aqui presente. -   sorriu

Prof ―Bem vindo Nick, sente-se ao lado de Lila.

Nick ―Desculpe...mas posso sentar em outro lugar?

Prof-  ― E por que?

Nick ― Não me misturo com seres indesejáveis. Tivemos alguns desentendimentos sabe?

Prof ― Ok. Então sente-se ao lado de Nathanël.

Uns 7 minutos depois, alguém bate a porta.

???- Licença, posso entrar? -  era um garoto de cabelos pretos, pele bronzeada. Acho que só.

―O que você está fazendo aqui?! -  Mari e Nick falaram juntos. Por que será que ficaram assim?

Prof- Pode. Qual seu nome?

???-―Jack Smith . Pelo que vejo, meus queridos amiguinhos estudam aqui. Como vai  senhor Raposa?

Nick ―Estaria melhor se você fosse lá pra Nárnia. -  disse com desgosto.

Jack ― E você, esta bem joaninha fofa? -  Joaninha fofa? JOANINHA FOFA?! QUEM É ESSE IDIOTA?!

My Lady bufa, se levanta e dá um soco na mesa.

―Vai pro inferno. -  Ela o empurra pra longe da porta e saí da sala.

Jack-  ―Que agressividade. -  ri

―Professora, posso ir ao banheiro? -  pergunto.

Prof ― Pode. -  saio da sala e procuro Marinette. Ela estava no Jardim, sentada no chão e, conversando com Tikki e...Noir? Onde ele estava que eu não vi antes? Sento ao seu lado e ficamos em silêncio por alguns minutos.

―Quem é ele? -  Ela fica em silêncio por poucos segundos.

Marinette On

Depois de uns minutos na sala, Nick chega, se apresenta e faz birra por causa de Lila.

Logo após, um ser que brotou do útero do capeta, entra na sala. Como aquele filhote de uma cruza de demônios, veio parar nessa escola?! É muito azar!

Vou para o Jardim e enquanto sou comida para No ir e Tikki, conversamos.

-―Tikki, eu tenho alguma maldição, não é? É muito azar para uma Marinette só!

―Nem eu sei como te responder Mari. Só, que parece ter alguma coisa estranha nesse garoto.

―Ele já terminou o curso de endemoniado?

―Ai credo Marinette. Eu senti que tinha mais um ser lá. Tipo um Kwami, só que diferente.

―Diferente como?

―O problema é que ele não pode existir.

―Quem? O Kwami?

―Sim...ele e talvez, até Jack!

―Como?

―Depois te explico. Seu loiro de olhos verdes está vindo. -  reviro os olhos

Ele se senta ao meu lado, ficamos nos encarando durante um tempo.

―Quem é ele?

Esse é o X da questão, ele é uma pessoa que se finge de louco, ou ele é um?

―Adrien, nem eu sei mais. 

―Como assim?  -  perguntou confuso.

―É tipo assim, ele foi a pessoa que acabou com a minha vida, há alguns meses.

―O que ele fez?

―Tenho mesmo que contar? Não estou com muita vontade.

―Ele fez coisas ruins?

―Sim.

―E isso te incomoda?

―É claro!

-―Então conte. Assim vou ter motivos para matar ele. -Sorriu vitorioso.

―Tudo bem... -  Me deitei no gramado olhando o céu e ele fez o mesmo-  ―Na minha antiga escola, o Jack era novato, tinha dificuldades para se enturmar e etc. Então ele começou a se aproximar de mim, desde o dia que estávamos na casa de uma amiga. E lá tinha piscina, do nada ele começou a me olhar de uma forma diferente...

―Ih, já não gostei. -  Adrien fechou a cara.

―Xiu. Deixa eu terminar de contar.  Então, depois de um tempo, começamos a namorar. No começo ele era até fofinho, passou uns 3 meses e ele ficou possessivo e exigente. Até se eu estivesse conversando com Nick, ou até mesmo a Aisha, ele me puxava para outro lugar.

―Quem é Aisha? Essa raposa está em tudo que é canto.

―Minha segunda melhor amiga.  Conheço o Nick desde os meus 2 anos de idade.  Não é atoa que é meu melhor amigo.

―A cada dia, ele ficava mais parecido com um segurança louco. Ele começou a dizer que só beijos não estavam bom o suficiente. Eu sempre deixei claro para ele, que não teria nada a mais.  Pois eu não confiava totalmente nele... o aniversário dele,  seria comemorado na casa de campo. Fomos para a festa,  nos divertimos e tals, fui ao banheiro e quando voltei, maioria das pessoas já iam embora. Ele tentou me oferecer algumas bebidas, mas não deu muito certo. No final, ele estava totalmente alcoolizado;

―Vai da merda. -  Adrien fechou ainda mais a cara.

―Eu já estava indo embora,  quando simplesmente me puxa para um quarto e tenta trancar a porta. No momento eu não estava entendendo nada, depois, tudo ficou claro. Na hora que a chave caiu, eu rapidamente a peguei, e a escondi. Jack veio para cima de mim e no meio do desespero, chutei algumas partes dele...e o mesmo caiu no chão. Abri a porta e sai dali correndo Daquele dia, eu nunca mais quis me apaixonar.

Adrien olhou para mim espantado

―Que filho da puta! Agora entendo o por quê de você se sentir incomodada. Desculpe te fazer lembrar disso.

―Tudo bem. -  o fitei  ― Depois, nós dois podemos quebrar ele. Deixando Jack de lado, por que você está me olhando tanto?

―É que eu tava te admirando. Você...sua boca... é tão atraente...

―Eu sei, sou irresistível! -  ri

―Nada convencida não é? -   Riu

―Aprendi a ser convencida com você,a culpa é toda sua.

―Minha? Olha só quem fala.

―Nossa! Eu saí sem falar nada para a professora. E você? O que ainda faz aqui?

―Disse que fui ao banheiro.

―Desse jeito, parece que morreu lá dentro. Bem...-    digo me levantando  -  ―Temos que ir, se não, vamos ganhar uma bela advertência.

―Ah, não. Eu tenho coisas mais importantes para fazer. -   Adrien me puxa e com o desequilíbrio, caio em cima dele. - 

―Ah é? Tipo o que? -  fico sentada em seu colo - 

―Deixa eu pensar...   -   Ele me segura e viramos para o lado.  Agora ele por cima.  -    ―Hum... -  finge estar pensativo -  ―Que tal isso?  -  Ele começa a me beijar, agarro seus cabelos loiros e cedo passagem. A cada instante ficava mais intenso. Ficamos assim por um tempo, e o ar começa a faltar. Nos separamos,  ele se aproxima da minha orelha e sussurra ―Essas são as coisas importantes...-  Faz uma trilha de beijos até meu pescoço e me deixa uma marca.

―Adrien! Por que fez isso?!

―Para saberem que você é minha. -   sorriu convencido

―Como eu vou esconder isso agora? -  Ele nada diz, apenas faz mais uma  -   ―Ótimo, agora são duas.

―Você fica linda brava, sabia?

―E você fica lindo bem quietinho.

-   Ouvimos um barulho de explosão, um akuma. - 

―Bem, hora de ir gatinho. -   o empurro de leve  -

―Ahh, Akumas chatos. Logo agora? -  cruzou os braços  -

―Vamos logo! Tikki, transformar!

―Plagg mostrar as garras!

Miau.

―Ai! Eu esqueci que o Noir estava aqui. Vou levar ele pra Alya e já volto. -   pego Noir  -

―Vou junto.

―Ok.

Fomos até a sala. E a professora abriu a porta.

―Marinette, por que saio correndo do nada?

―Problemas com Akumas. Posso entrar rapidinho?

―Sim.

Vou até Alya.

―Cuida dele pra mim?

―Pra nós. -  Chat corrigiu. Revirei os olhos -

―Tá bom. Tem um akuma na cidade, certo?

―Uhum. Temos que ir, tchau.

Saímos e fomos até o akuma.


Notas Finais


Até algum tempinho :v


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...