História Our little wolf baby ○ Sterek - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Derek Hale, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Personagens Originais
Tags Cotidiano, Derek, Família, Family!sterek, Filho, Oneshot, Pack, Sterek, Stiles
Exibições 696
Palavras 2.415
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Famí­lia, Fluffy, Sobrenatural
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Bom gente, @LeeSterek me pediu uma fic mais doméstica entre a família Sterek.
Tentei fazer o mais cotidiano possível e sem intrigas (deixa isso para as outras)
Eu me inspirei numa fanart que eu vi uma vez, mas não consegui achar ela para por aqui, PORÉM eu achei uma que combina maaaaais ainda ~morta
Espero que gostem.

Se quiserem pedir alguma, estou aberta a novas propostas.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Eu acordo com a claridade das janelas invadindo meus sonhos, graças a todos os meus sentidos apurados, eu normalmente acordo primeiro que todos, ao primeiro som dos pássaros cantando. Eu suspiro e olho para o amor da minha vida dormindo ao meu lado. Stiles estava dormindo com seus membros entrelaçados e dobrados em ângulos estranhos, do qual antes de Stiles entrar na minha vida, eu achava que fossem impossíveis para qualquer ser vertebrado, mas aparentemente para ele isso era totalmente normal. E ainda por cima, sua boca estava entre aberta, respirando profundamente.

Eu rio baixinho dele e meu coração se enche. Stiles é único e sempre será.

Vagarosamente, eu tento desenroscar seus braços e pernas para ele não acordar dolorido. Se eu deixar ele assim, ele vai acordar dolorido em lugares que eu nem sabia que existiam e ele vai passar o resto do dia choramingando e reclamando.

“Hm, Der, eu ‘to dormindo.” Ele resmunga sonolento.

“Eu sei, babe, mas você está todo errado e vai ficar resmungão depois.”

Ele sussurra algo que ninguém conseguiria desvendar e deixa eu cumprir a minha missão. Quando eu finalmente o deixo em uma posição confortável, eu volto a me deitar ao seu lado para meu corpo se despertar sozinho lentamente, mas então Stiles coloca um de seus braços por cima do meu abdômen e seu rosto contra o meu pescoço e volta a dormir. O seu cheiro e sua respiração ritmada me deixa tão tranquilo que me faz querer dormir de volta. Uns minutinhos a mais não pode fazer mal a ninguém. Eu enfio o meu nariz no seu cabelo com cheiro de shampoo e fecho os olhos.

Quando estou entrando no sono novamente, eu escuto passos. Os sons são mínimos, devido ao pouco peso que seu corpo carrega e fora de ritmo, como se estivesse tropeçando nos próprios pés. Eu não preciso nem usar meu faro para saber quem é.

O pequeno ser abre a porta o mais silenciosamente que ele pode, eu finjo que estou dormindo, tentando segurar meu riso o máximo possível. Ele arrasta seus pesinhos até a cama e com muito esforço e muitos suspiros, ele consegue escalar a cama com suas garrinhas.

Mas ao contrário do que eu esperava, ele apenas se senta silenciosamente perto de Stiles e brinca com seu filhote de lobo de pelúcia, fingindo que o pequeno lobo estava voando, o que não faz o menor sentido. Tinha que ser filho de Stiles.

Eu não aguento e acabo deixando uma pequena risada escapar. Sua cabecinha estala na minha direção com um sorriso enorme espalhado pelo seu rosto e seus olhos verdes brilhando.

“Papai!” Ele diz um pouco alto e Stiles resmunga.

“Shhhh, Tyler.” Eu saio dos braços de Stiles lentamente e ando até ficar de frente para Tyler, que ficou em pé na cama para me receber. “Dada está dormindo, tem que ficar quietinho. Você está com fome?”

“Ãaaaham.” Ele diz confirmando e ergue as mãozinhas para eu o pegar.

Eu o pego e beijo seu bochecha.

“Bom dia, bebê.”

“Dia... Nelo.” Ele balança seus pesinhos.

“Oh, verdade. Tem que pôr o chinelo. Papai já tinha esquecido.” Eu paro em seu quarto e pego seus chinelos do Batman e coloco em seus pesinhos gorduchos. Se dependesse apenas de Stiles, Tyler provavelmente teria seu cabelo cortado em formato de morcego. “Você dormiu bem?”

“Ãaaham. Binho não choro.”

“Ah que bom, né?! Binho não chorou porque ele é bonzinho.” Eu digo enquanto desço a escada e vou para a cozinha. Seu lobo era para se chamar Lobinho, mas ele tem dificuldades com as palavras ainda, porque ainda nem completou 2 anos, então ficou só Binho mesmo. “O que você quer comer?”

“Suco!” Eu o coloco no chão para poder me mover na cozinha.

“Você quer comer suco?” Eu rio. “Então tá bom. E o que mais?”

“Bu.” E ele também tem sua linguagem própria e de alguma forma que ainda não sei como, Stiles e eu descobrimos que “bu” na verdade é “pão”. 100% filho do Stiles.

“O doce ou o outro?”

“O ‘oce.”

Ele ama os pães doce que Stiles faz. Ele tenta usar ingredientes integrais e os mais saudáveis possíveis e ainda coloca coco fresco ralado por cima, ao invés do desidratado.

“Então eu vou te pôr na sua cadeira, porque você faz uma sujeira só com aquele pão.”

Ele solta uma risadinha e eu o encaixo na cadeira alta e coloco seu pão e seu copinho de super-heróis com suco na bandeja da cadeira.

“Vou levar o Binho para a cozinha comigo, ta bom? Ele ainda não escolheu o vai comer.” Ele balança a cabeça em concordância e toma seu suco segurando seu copinho com as duas mãos. Da última vez que eu deixei ele comer com o Binho ao seu lado, o pobrezinho parecia que tinha caspa e seus pelos ficaram duros.

Eu coloco o lobo perto da pia, bem longe do alcance de Tyler que está perto do balcão e vou fazer panquecas com gotas de chocolate. Hoje é domingo e Stiles não tem que trabalhar, então quero fazer algo diferente para ele comer.

Quando estou na última panqueca, sinto braços entrelaçarem minha cintura.

“Dada!”

“Ah, seu estraga surpresa. Mas o estraga surpresa mais lindo desse mundo.”

Ele me dá um beijo nas costas e vai encher o rosto de Tyler com beijos, que solta gritinhos felizes e eu rio.

Há um ano e oito meses atrás, nunca pensaria que poderíamos ser felizes assim em família. Quando o adotamos, Stiles estava quase quebrando minha mão de nervoso e segurando nas paredes para não desmaiar, eu não estava muito longe, eu sentia que eu poderia vomitar a qualquer momento. A insegurança nos rodeava, ainda mais por ele ser um bebê lobisomem que Deaton conseguiu a adoção a partir dos seus outros pacientes supernaturais que não poderiam/queriam ficar com seus filhos por N diferentes motivos, no caso de Tyler, sua mãe biológica estava sendo caçada por outras criaturas, porém no fim não poderia ter dado mais certo.

Termino a panqueca e vou dar Stiles um bom dia mais apropriado. Eu o puxo contra mim e o dou um selinho demorado.

“Bom dia, Sti.”

“Bom dia, Sourwolf.”

Eu balanço minha cabeça e vou buscar o prato de panquecas e o coloco na mesa.

“Gotas de chocolate? Deus, o que eu fiz para merecer isso?” Ele geme e se senta na mesa, agora com Tyler ao seu colo ainda cavando no seu pãozinho doce.

“Espera eu pôr os talheres pelo menos, Sti.” Eu arrumo a mesa apropriadamente e me sento a sua frente.

Nós tomamos o café da manhã mantendo uma conversa casual, falando sobre o dia-a-dia, sobre Tyler, seu trabalho de detetive, assuntos do pack, entre outras coisas.

Depois de Stiles lavar a louça e eu ter dado um quase banho na pia para limpar Tyler e pegar Binho, nós vamos para a sala, que mais parece um playground. Na verdade, toda a casa parece um playground depois de Tyler.

Tyler mantém Binho ao seu lado enquanto brinca com suas peças coloridas de montar e Stiles montando um Batmóvel ao seu outro lado. Eu balanço a cabeça e volto a ler o livro que estava lendo ontem.

“Queria fazer uma coisa diferente hoje!” Stiles solta de repente depois de uma brincadeira de esconde-esconde, uma de pega-pega, outra de caça ao Binho e pintar tudo o que vê pela frente, fazendo eu e Ty, que estávamos moldando peixinhos em massa de modelar, olhar para ele que estava moldando patinhos. “Vamos sair para almoçar. Que tal um restaurante? Talvez, hmm, um piquenique, ou sei lá... Não! Oh, oh. Melhor ideia ever. Vamos apresentar a batata frita encaracolada para o Ty.”

“Fritura, Stiles?” Eu levanto uma sobrancelha.

“Oh, por favor. Ele é um lobisomem. Toda essa gordura vai sair bem na fralda dele.” Stiles balança sua mão em desdém.

Eu dou de ombros.

“Tudo bem então.”

“Você ouviu, Tyty? Hoje você vai comer a coisa mais gostosa da seu jovem vida.”

Eu posso dizer que Tyler não faz a mínima ideia que Stiles disse, mas mesmo assim algo o faz dar risadinhas.

“Vem, vamos tomar banho, Tyty. Você ainda está cheirando coco ralado. Você não quer que a sua futura namorada te veja assim, não é? Ou namorado. Ou sei lá. Você tem está cheirando pelo menos um delicioso aroma de... bebê. Isso, bebê tem que cheirar bebê.” Ele pega Tyler no colo.

“Namoro? Só depois dos 30.” Eu bufo.

“Não escuta isso, meu amor. Papai é bobo. Eu te ajudo a pular a janela escondido.”

Eu e Tyler bufamos ao mesmo tempo.

“Sourwolf Jr. ingrato. É filho do seu pai mesmo. Tem que ser azedo.”

Stiles continua reclamando até ele entrar no banheiro, fazendo um sorriso brilhar nos meus lábios. Enquanto os dois tomam banho, eu vou me trocar. Jeans, camiseta verde musgo, botas pretas e jaqueta de couro, como sempre.

Até Stiles e Tyler estarem arrumados e cheirosos, já está mais que na hora do almoço. Quando olho para Tyler mais de perto, eu balanço a cabeça.

“Sério, Stiles? Onde estava escondida essa?” Tyler estava usando uma blusa do Batman por debaixo de sua pequena jaqueta jeans.

“Pfff. Estava por aí. Na gaveta dele. Não escondido. É velha já. Pfff.”

“Nem sei dizer quantas batidas o seu coração pulou.”

Stiles passa por mim e vai em direção a porta murmurando algo sobre ‘malditos lobisomens enxeridos’.

♢♢♢♢♢

“Parece que o Ty tem a mesma opinião sobre as batatas que você.” Eu olho para Tyler que está no meu colo, com as bochechas cheias e segurando com as duas mãos outras batatas. Então olho para Stiles que está exatamente da mesma forma.

“Dada sabe as coisas boas da vida.” Ele diz com boca cheia e me manda uma piscada.

Depois de quase duas toneladas de batatas, uma bagunça com ketchup e três hambúrgueres depois, Stiles e Tyler estão quase dormindo sobre a mesa e de barriga estufada.

“Quero sobremesa!”

“Deus Stiles, você vai explodir.” Eu rio.

“Provavelmente. Mas é uma boa causa. Divide comigo. Por favoooor.” Ele faz beicinho e eu concordo com a cabeça, então ele levanta o punho em vitória.

Depois de um pedaço enorme de torta de chocolate depois, até eu estou quase estourando. Eu rapidamente pago a conta e vamos em direção ao Jeep.

Quando abro a porta traseira para colocar Tyler em sua cadeira, ele aproveita essa oportunidade de soltar a minha mão e correr pela calçada.

“Tyler!” Minha espinha gela de pensar nas inúmeras possibilidades de como isso pode acabar mal, mas então ele para para acariciar um cachorro que está passeando com uma mulher de meia idade na coleira. E então, eu só consigo pensar como isso pode acabar mal para o pobre cachorro.

A mulher para com um sorriso no rosto para deixar Tyler brincar com seu grande cachorro negro.

“Papai!” Ele grita e abraça o pescoço do cachorro que pelo visto é bem manso.

Oh, céus. Ele está pensando que sou eu na minha forma de lobo.

E então ele começa a fazer carinho no cachorro, que mais parece tapas e puxões, fazendo o cachorro até fechar os olhos. Eu o pego no colo, ele se aninha no meu pescoço confortavelmente ainda olhando para o cão, e eu juro que se o cachorro pudesse, agora ele estaria suspirando de alívio.

“Desculpa. Ele ainda não sabe medir a força dele.” Eu digo a mulher.

“Não tem problema.” Ela sorri e desliza a mão sobre meu braço de uma maneira... sedutora? É isso que ela está fazendo? Meu filho está bem aqui! “Sua esposa deve estar bem orgulhosa de ter dois meninos lindos como esses, não é?”

Eu suo frio. Antes que eu responder, uma mão envolve meus ombros e lábios beijam meu pescoço.

“Pode ter certeza que o marido dele está muito feliz com a família que tem, não é meu amorzão?” Stiles me diz e a mulher fica da cor de um semáforo fechado.

“Uhum. I-Isso mesmo. Melhor irmos embora e desculpa novamente.” Eu praticamente corro para o carro, prendo Ty numa velocidade inimaginável e sento no meu lugar, ao lado do motorista. A regra é clara: Jeep de Stiles, Stiles dirige.

“Não posso te levar a lugar nenhum mesmo, huh Sourwolf?” Stiles diz com um sorriso no rosto, ligando o carro.

Eu bufo.

“Eu não fiz nada. Urgh. Nada o meu tipo. Nem de longe.” Stiles gargalha. “E sério, Stiles? “Meu amorzão”?”

Ele dá de ombros sorrindo.

“E você não é?” Ele entrelaça sua mão que não está usando no momento com a minha.

Eu não respondo, ele sabe muito bem a resposta.

♢♢♢♢♢

Eu carrego Ty até seu o seu berço, que tinha marca de garras por toda a madeira de tanto ele escalar e o coloco deitado. Não tinha dúvidas que ele iria dormir no carro, ainda mais com sua barriguinha cheira. Barriguinha é um eufemismo, ele é tão saco sem fundo quanto o Stiles. Meus dois meninos me dão um sério prejuízo nessa parte. Sem reclamações.

Eu toco a madeira com meus dedos, sentindo seus machucados. Eu não me lembro do meu berço, mas me lembro do de Cora. Era exatamente a mesma coisa. Parece que é coisa de lobisomens não gostar de barras os rodeando.

Uma onda de nostalgia me bate. Por parte fico triste por não poder mostrar para toda a minha família quão longe eu cheguei. Por outro lado, nunca poderia estar mais feliz. Quem diria que um dia eu ia ter tudo isso? Que alguém iria me chamar de papai?

Braços entrelaçam minha cintura e Stiles descansa seu queixo no meu ombro.

“Ele é lindo, não é?” Stiles sussurra no meu ouvido, olhando com amor para Tyler.

“Ele é.” E realmente ele é.

“Eu só espero que algum dia, ele possa ter o que temos. Uma vida feliz.”

Eu me viro para ele e o beijo.

“Eu espero o mesmo, Sti. Realmente espero.” Eu suspiro, pensando em tudo que passamos até aqui. “Eu amo vocês.”

“Eu amo vocês também. Vem.” Ele entrelaça seus dedos com os meus e me puxa para a porta. “Vamos deixar ele dormir. A gente pode ter um tempo só para nós.”

“Hm. Eu gosto das suas ideias.” Eu rosno para ele.

Ele me puxa para nossa cama e me dá um beijo.

“O que vamos fazer?” Ele me pergunta sorrindo provocativamente.

E em menos de dois minutos depois, nós dois estamos dormindo profundamente.

Ser pai de um lobisomem pode ser cansativo. 


Notas Finais


Essa OneShot não tem nada de especiaaaal e tal, mas mesmo assim eu gosto dela. Gosto de ver eles desse jeito demaaais.
Será que eu enganei alguém com esse final quase lemon????

Byee gente, até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...