História Our Love - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Drama, Ficção, Novela, Revelaçoes, Romance, Universo Alternativo
Exibições 12
Palavras 2.625
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Festa, Ficção, Ficção Científica, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HEY GUYS I'M BACK.
NOTAS FINAIS

Capítulo 4 - What happen is here?


  

Alisson Potber

Acordei e senti um desconforto, senti alguém jogando seu peso em cima de mim não conseguia nem me mexer, olhei para o lado Justin deitado do meu lado, não achei estranho pois noite passada estava totalmente sóbria, mas esse garoto é pesado caralho!! MEU DEUS MEU PAI DEVE ESTAR LOUCO COMIGO. E ainda para ajudar meu celular estava com a Carrie, que raiva, sempre aviso meu pai aonde vou dormir, mas tinha dito a ele que voltaria ainda para casa ontem! EU TÔ FODIDA!!

— Justin, Justin — disse chacoalhando o.

— Que foi Magg, me deixa dormir mais um pouquinho! — Disse se virando por outro lado.

— Justin aqui não é a sua namorada! — Disse o empurrando mais uma vez, dessa vez ele tinha acordado.

— OI? O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO AQUI? — Ele disse exasperado.

— Ei, ei, eu deveria estar falando isso, mas como eu não bebi noite passada não estou assim!! Então relaxa aí.

— Me diz que não aconteceu nada! Por favor, não vou me perdoar se eu trair a Maggie. — Ok, isso foi fofinho, porém isso não combina com ele! — Estou com uma ressaca do caralho, que dor infernal — apoiou a mão na cabeça referindo a dor.

— ÓBVIO QUE NÃO!

— Não grita porra, eu estou com dor!

— Está bom, senhor stress, muito bom você não lembrar que eu te tratei super bem ontem, então chega de papo, estou indo. — Levantei apressada, já tinha gastado tempo demais.

— Você me tratou bem ontem? — Ele disse sorrindo de lado.

— Por que eu fui falar! — Disse indo ao banheiro ver meu estado, eu estou um caco maquiagem toda borrada, cara amassada, preciso de um banho urgente!

— Quero que continue assim, mesmo eu não lembrando de nada sobre ontem. — Ele disse do outro lado.

— Se você parar de agir como um babaca, e um cara patético quem sabe. — Disse saindo do banheiro.

— Agora me diz, como nós ficamos aqui no quarto? — Seu tom parecia de confusão.

— Trancaram nós aqui, e... — Fui checar a porta ainda estava trancada, mas que caralho! — Justin você não disse que eles iam destrancar a gente rápido?

— Disse? Não estou lembrando de dizer algo. — Disse parecendo tentar lembrar de algo, e logo mexendo em seu bolso suponho estar procurando seu celular, e logo tirando o mesmo junto com a chave.

— Por que não esperar que isso vinha isso de você? Eu sou muito idiota mesmo — Peguei a chave de sua mão e logo abrindo a porta, e deixando ele ali.

— Ei, espera aí eu não me lembro de ter feito nada disso. — Ele veio atrás de mim, notei que a casa estava uma bagunça e quem tivesse que limpar aquilo ali iria ficar uns cinco dias, estou com muito dó.

— Por que lembraria não é mesmo? — Forcei um sorriso, sai daquela casa e ele sempre atrás de mim — Perfeito, não sei nem aonde eu estou que droga mesmo.

— Eu te levo meu carro está logo ali. — Ele disse indo em direção ao carro.

— Não precisa... — Ele me interrompeu.

— Pelo menos deixa eu te levar em casa? E pelo menos uma vez na vida para de ser marrenta e chata?

— Vou deixar por que não tem outra pessoa para me levar, e ninguém te perguntou o que você acha ou não de mim, então fica na sua que eu fico na minha. — Disse seguindo ele até o carro, e em seguida entrou.

— Como quiser para você não ficar estupida como. — E arrancando com o carro dali.

— Onde você mora?

— Sant Marys, sabe onde é? — Disse olhando de canto para ele, e ele começou a rir. —Não vejo graça na minha resposta.

— Moro no mesmo bairro, coincidência? — Me fitou.

— Pode ser, mas é uma coincidência muito triste, mas não vi graça alguma. — Olhei para ele, e ele umedeceu os lábios, ok isso foi sexy pra caralho, comecei notar o porquê que as meninas do colégio eram apaixonadas nele, sua boca era bem desenhada, cada traço seu caia super bem, não tinha uma defeito em seu rosto, mas sim nas suas atitudes e isso eu não suportava!

— Só não baba demais, shawty. — Ele disse soltando um sorriso mostrando seus dentes em linha perfeita, arght, bufei.

— Só estou olhando o quanto você é ridiculamente... — Não consegui terminar, pois as palavras se foram como minha voz, ele tinha me deixado sem jeito. — Idiota.

— Okay, não faço mais isso, nós podíamos ser ao menos amigos? — Ele me olhou, mas logo voltou sua atenção para a avenida.

— Se você parar de agir como um idiota, quem sabe.

— Não estou mal pelo jeito. É.. Estamos chegando qual casa é a sua? — Estava tão concentrada no assunto com, que acabei nem percebendo que estava perto de casa. — Você não quer sair mais tarde? Não como encontro, mas sim como... Você mudar de opinião sobre mim.

Pensando bem não seria uma má ideia, eu teria de conviver com ele por que não?

— Pode ser, me paga as quatro! Para aqui perto... — Ele fez uma cara de surpresa, e assim ele fez o que eu pedi — Obrigada!

— Pensei que não ia aceitar, fiquei surpreso. — E ele sorriu, e logo sai do carro.

— Não sou tão chata quanto você pensa, eu terei de conviver com você.

— E, você não é tão chata assim, mas é só um pouquinho, ás quatro estarei aqui. — E saiu correndo, falando nisso ele corre demais!!

Fui em direção a minha casa, okay agora eu estarei fodida meu pai vai querer me matar! Entrei cautelosamente para não ser percebida....

— Custava avisar que não ia dormir em casa, Alisson? — Fodeu, o que eu falo? Virei me para ele fazendo a cara mais de cachorra sem dono.

– Desculpa papai, eu estava tão cansada, e passando mal que nem me lembrei em te ligar....

— Não vou brigar com você, por que eu sei que você não é de fazer isso, mas da próxima não passa você vai ficar de castigo! — Ele disse, ele não parecia estar bravo,

— Okay papai, isso não irá se repetir. — Isso parecia ser coisa de criança ficar de castigo, porém eu respeito o meu pai e suas decisões, e eu estava errada, mesmo eu não ser a culpada.

Subi as escadas e entrei no meu quarto, preciso urgente de um banho e descansar meu corpo, estou toda dolorida.

Tomei meu banho, e fui deitar.... E coloquei meu despertador para despertar duas horas, pois ia sair com o Bieber, não que eu estivesse ansiosa, mas como eu demoro para me arrumar, fiz isso e logo meus olhos pesaram e adormeci.

 

Justin Bieber

 

Cheguei em casa e vi que minha mãe não estava, suponho que tenha ido ao mercado como ela sempre faz num sábado de manhã, estava com uma dor de cabeça do caralho, preciso de um dipirona negócio ruim do caralho. Procurei e logo em seguida tomei, fui em direção ao meu quarto precisava de um banho logo! Mas fui impedido pelo meu celular.... Maggie.

— Bom dia honey. — Disse

— Bom dia neném, como está?

— Com uma ressaca nada boa, e você gata?

— Imagino, eu estou bem.. Er... Justin o que acha de sairmos hoje a tarde? — Fodeu.

— Amor, hoje não vai dar eu vou fazer meu trabalho com a Potber, que tal amanhã?

— Você que sabe Justin, não vou ficar correndo atrás e você, se você não quer mais continuar eu entendo, se você está gostando dela...

— Ei, ei, não coloque os pés pela cabeça, e só um trabalho okay? Fica tranquila e confia em mim!

— Justin, amanhã! E sem compromissos vou ter que desligar agora beijos, te amo. — Nem esperou eu responder e desligou, tudo bem né.

Fui para o banheiro me despi e entrei no box, e logo ligando água e sentindo ela contra a minha pele, e Alisson veio em minha mente, loira de olhos claros com um sorriso fodido de lindo, e eu até agora não acredito que ela aceitou sair comigo, mesmo sendo só para me conhecer e para sermos amigos, sério aquela menina era linda, é como se Deus tivesse feito à beleza somente para ela, JUSTIN FOCO! MAGGIE é SUA NAMORADA. Repreendi meu pensamento, tomei meu banho e sai e a porra do celular voltou a tocar! Vi que era número privado, mas já sabia quem era.

— Já disse para você não me ligar quando eu estiver em casa, que é? — Disse perdendo a paciência que eu não tinha com aquele povo!

— Relaxa chefe, é coisa rápida só liguei para te avisar que o nosso combinado está em pé e está chegando.

— Que ótimo agora só me liga quando tiver aqui, que eu vou ver, e não me liga quando eu estiver em casa — Desliguei e fui me trocar.

Se minha mãe saber que eu estou ganhando um dinheiro por fora, não sei o que aconteceria.

Vou tirar um sono, e depois ir encontrar a Alisson.

 

Alisson Potber

Acordei com o despertador fazendo aquele barulho chato, e me arrastando até desligar, e logo veio na minha mente meu celular, precisava ligar para Carrie para pegar com ela, se não iria morrer sem ele.

Levantei, fui escovar meus dentes, e logo em seguida me arrumando, me olhei no espelho, até que estava bonita! Tinha colocado uma calça jeans rasgada no joelho e uma blusinha estilo cropped e um superstar. Desci as escadas e não vi ninguém, papai deve ter saído, fui em direção ao telefone residencial, iria pegar o meu celular se possível ainda hoje!  Disquei o número de Carrie e logo ela atendeu

— Oi?

— Fala sua puta!

— Quem é que está falando?

— Não reconhece minha voz mais sua puta!

— Ahhh, oi vagaba, você sumiu a festa ontem o que aconteceu?! — Graças à deus tinha reconhecido a minha voz!

— Fiquei trancada no quarto junto com o Bieber, acredita?

— WHAT THE FUCK BITCH? ME CONTA ISSO! — Gritou do outro lado da linha.

— Muita coisa, para resumir tudo ele me convidou para sair... ANTES DE TUDO, COMO AMIGO! Mas não liguei para falar sobre isso, consegue trazer meu celular ainda hoje? E aí te conto certinho.

O QUE? Para saber de um babado desse vou qualquer hora! Me liga depois que chegar do encontro com o Bieber, Sra Bieber.

— Ah vai te foder, nunca que isso irá acontecer, mas te ligo sim, agora vou desligar, beijos amiga.

— Beijos amiga. — E logo em seguida desliguei.

Olhei o relógio e ainda marcava três horas, fui comer algo estava morrendo de fome, não tinha visto meu pai supus que estava em seu quarto ou saiu. É ele saiu, olhei pela porta dos fundos ela sendo aberta por ele cheios de sacola, fui o ajudar.

— Por que não me chamou para ir junto com você? — Peguei algumas sacolas e coloquei em cima da mesa.

— Você estava dormindo não queria te incomodar.

— Claro que não pai, aliás precisava ir no mercado mesmo comprar algumas coisas para mim. — Torci o lábio. — Mas tudo bem, deixa para próxima, estou morrendo de fome.

Fui a geladeira ver o que tinha, peguei meu suco e uns biscoitos.

— O que ficou fazendo ontem à noite?

— Fiquei assistindo e esperando a senhorita. — Ele disse dando uma ênfase a senhorita.

— Desculpa pai, não foi minha intenção deixa-lo preocupado, não vai acontecer de novo.

— Eu sei minha filha, mas é instinto de pai! Mas tudo bem já passou, você já está avisada. — Assenti e não falei, mas nada. — É filha.... Não se importaria de ficar sozinha durante semana que vem? Vou viajar a trabalho.

— Claro que não papai, ficarei bem, vou chamar a Carrie e a Lindy para ficar aqui comigo.

— Tudo bem, como está Katheryne? — Se referiu a mãe de Lindy.

— É... Ela está bem! Disse para você ir fazer uma visita a ela qualquer dia. — Deus se me dê uma luz, por favorzinho.

— Diga a ela que depois dessa avalanche de trabalho vou fazer uma visita a ela, e diga também que estou com saudades! — Ele sorriu.

— Direi, á ela sim. — Ele assentiu.

— Aonde vai, está toda arrumada.

— Vou sair com um amigo, MAS É UM AMIGO PAI.

— Então está tudo bem, se for um amigo. — E saiu.

— Obrigado papaizinho do céu. — Sussurrei logo que ele saiu.

Olhei no relógio e estava quase na hora, subi e escovei meus dentes e fui aonde ele tinha me deixado essa manhã. Não deu muito tempo ele apareceu.

— Hey. — Entrei, e logo deu partida.

— E aí, aonde vai querer ir? — Disse desviando o olhar da estrada e olhando para mim, malditos olhos caramelados!

— Não sei, pensei que tinha algo preparado. — Disse dando de ombros.

— Mas eu sempre tenho algo preparado, mas você é a preferência. — Deu uma piscadinha.

— Está bem, onde vai me levar? — Não vou mentir estava super curiosa.

— Espere e verá.

— Tudo bem, senhor misterioso. — Disse num tom irônica.

— Não me venha com suas gracinhas. — Disse.

— Não fiz gracinha alguma. — Me fiz de desentendida.

— Hahaha!

— Espero que sua namorada não me mate.

— Ah, pode saber que ela está querendo. — Ele disse rindo.

— Não quero que ela fique falando de mim, pois me disseram que ela tem muito ciúme de você! E quando ela fica com ciúme ela já sai atacando.

— Vou te falar que ela só tem ciúme de você. E ela deve ter e muito, mas não sei se ela ficaria falando de você, ela só parece aquelas meninas mimadinha, chata, e o caralho a quatro, mas não. Por isso eu gosto dela, seu conceito sobre nós é tão fútil, se ela quiser te conhecer depois de hoje, vocês vão se dar super bem, eu garanto! — E desviou seu olhar para mim, mas logo voltando.

— Por que ela deveria sentir ciúme de mim? — Eu já sabia o porquê mas queria ouvir da boca dele.

— Sério? Você deve saber muito bem. Você é linda, tem um corpo do caralho, que namorada não teria ciúme de você? — E umedeceu os lábios, e queria conter o sorriso, mas não consegui.

— Obrigada, eu acho, mas você não deveria ficar me elogiando você tem namorada!

— Eu tenho, e é por isso que ela sente ciúme de você, estamos quase chegando. — Nós estávamos entrando no estacionamento e eu conheço muito bem aquele lugar.

— Riverside Park? — Abri um sorriso enorme, eu amava aquele lugar.

— Bingo! Você conhece? — Saímos do carro.

— Sim, eu amo esse lugar, me traz boas lembranças da minha infância. — Sério, não conseguia desmanchar meu sorriso.

— Eu sei muito em o que é isso, é um lugar que você queira ficar para sempre, eu sempre venho aqui, me traz uma paz! — Era assim que me sentia, um lugar que eu nunca queria ir embora, por que ali eu sempre iria me sentir bem, me faz ficar mais próxima a minha mãe.

— É assim que eu sinto, me faz ficar mais próxima a minha mãe.

— Minha infância foi praticamente aqui. Vinha aqui com o meu pai, e aí jogávamos bola, tomávamos sorvete.

— Essa é a parte mais pura de Stratford. Sempre vamos ter ela em nossos corações!

— Sim, esse lugar vai sempre ser lembrado. – Ele abriu um sorriso. — E você, por que traz lembranças de sua mãe?

— Meu pai E minha mãe me traziam aqui e todd também, meu cachorro, nós brincávamos, corríamos, fazíamos piquenique, várias coisas. E depois de um tempo não pudemos mais fazer isso, pois minha mãe ficou doente e tivemos que se mudar para Atlanta e por lá tivemos que ficar, para minha mãe fazer seu tratamento, e aí voltamos, mas ela não resistiu e faleceu. — Meu olhar estava fixo no lago, e logo senti ele me abraçando, mas foi bom, foi reconfortante.

— Eu sinto muito, eu não queria...

— Está tudo bem, eu superei, Deus quis assim não tem o por que sofrer né?  Ela está em um lugar melhor e não sofre mais, e isso me deixa bem. — Interrompi ele, mas continuava em seus braços.

— O que está acontecendo aqui?

 


Notas Finais


SOOOOO?
ficou mais que o esperado, mas tem part two! ficou super grande e então dividi em duas partes esse passeio, essa semana ainda posto!!! please honeys, comentem e fav a fic. DE QUEM VOCÊS ACHAM QUE É AQUELE LIGAÇÃO DO JUSTIN DIZENDO "CHEFE?" ACOMPANHEM PLEASE. se tiver erros ortográficos peço que me perdoem. Bye honeysss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...