História Our Love - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, Andrew "Andy" Biersack, Elizabeth Gillies
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Elizabeth Gillies, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Tags 5 Seconds Of Summer, Colegial, Drama, Luke Hemmings
Visualizações 273
Palavras 1.253
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Heeeeey everybody 🎵

Capítulo 35 - Promise


Fanfic / Fanfiction Our Love - Capítulo 35 - Promise

Sophie Gillies.

Abri os olhos lentamente, sentindo minha cabeça doer fortemente.

Fortes raios de sol me tostavam como se eu fosse uma torrada. Fechei os olhos mais uma vez enquanto escutava o doce barulho das ondas se chocarem.

Me sentei e abri os olhos, percebendo não estar em casa.

-Bom dia. -Me virei para o lado e vi um Luke carregar uma bandeja de comidas em mãos.

Oque ele estava fazendo ali? Com aquela bandeja em mãos e sem camisa? Nós não tivemos relações... tivemos?

Rapidamente olhei para meu corpo e senti um alívio percorrer minhas veias. Eu graças a deus estava vestida.

-Oque é isso? -Apontei para a bandeja.

-Comida oras. -Ele colocou a bandeja próximo a mim. -Obrigada pelo bom dia.

Eu o encarei envergonhada.

-Oh, bom dia. -Sorri de canto. -Porque estamos aqui?

Luke se sentou ao meu lado e pegou um morango em mãos, o levando rapidamente na boca.

-Não lembra de ontem? -Eu neguei. -Luau, bebidas, discussões?

Parei por uns segundos e tentei me lembrar de ontem.

Flashbacks da noite anterior passaram em minha mente, eu me lembrei de ter beijado Luke na frente de todos, feito Marnie dar um pé na bunda dele. E depois eu me lembro de ter bebido todas as bebidas que tinham em um dos quiosque.

-Ah meu Deus, Luke me desculpa...Eu te beijei?

Ele assentiu mordendo o piercing. Aí merda.

-Na frente de todos. -Tapei o rosto com as mãos, sentindo minhas bochechas corarem.

Olhei para o loiro ao meu lado e tentei lhe dizer algo, mas, todas as minhas palavras pareciam ter tomado chás de sumiço. Desviei meu olhar para o mar e suspirei preocupada.

Eu sabia que Flora, Liza e Bea iriam ficar no meu pé depois do acontecido de ontem, e provavelmente iriam ficar fazendo piadinhas entre Luke e eu.

-Me desculpe. -Foi a única coisa que saiu dos meus lábios.

-Tudo bem.

Nós ficamos quietos por alguns segundos. Mas Luke logo tratou de quebrar o silêncio pedindo para comer oque ele tinha trago.

Olhei para a bandeja e vi várias frutas espalhadas pela mesma. Peguei um pote com uma salada e comecei a comer.

-Sophie, eu tenho que te contar uma coisa. -Ouvi a voz de Luke soar receosa.

-Oque?

-Olha, eu não sei como vou te falar isso mas...-Ele parecia tomar coragem para poder me dizer. -É verdade que...sua mãe faleceu?

E antes que eu pudesse levar a colher em minha boca, a soltei fortemente ao ouvir a pergunta de Luke.

Uma onda de arrepios percorreu por todo meu corpo, e eu pude sentir os meus olhos marejarem.

-Quem te disso isso? -Senti minha voz falhar. -Luke, quem te disso isso?

Vi seus olhos se arregalarem ao perceber que eu estava ficando nervosa. Eu podia sentir meu sangue ficar quente,  medo e preocupações começar a correr todo meu corpo.

-Você, ontem. Estávamos conversando e você me disse o quanto odiava sua vida. Odiava ter perdido sua mãe, odiava seu pai alcoólatra, odiava seu irmão e sua madrasta. -Ele falou me fazendo ficar perplexa. A cada palavra que o loiro dizia, era como se alguém tocasse em minhas feridas com unhas grandes.

Aquilo estava me destruindo por dentro. Luke não podia saber daquela história, ninguém podia.

-E-eu disse isso?

-Você dizia não ter família, dizia ser só. -Ele me encarou. -Eu percebi que tudo se encaixa Sophie. Você nunca levou seus pais na escola. Em nenhuma reunião, festa, apresentação. Em nada. -Luke voltou a falar fazendo minha respiração ficar fora do normal. -No dia em que fomos suspensos, você disse que seus pais estavam em Paris, oque era mentira.

Senti meu coração palpitar fortemente. Eu não podia ter dito aquilo a ele. Não, não e não.

Deixei que algumas lágrimas caíssem lentamente por minhas bochechas. Merda, aquele era o fim. Luke sabia do meu segredo mais obscuro, agora sim ele faria minha vida um inferno. Se antes eu pensava que tinha feito uma cagada grande, agora eu não conseguia nem pensar direito.

-Luke, olha... Você tem que me prometer que não vai contar para ninguém. -Me levantei rapidamente. -Você tem que me prometer que isso vai ficar só entre nós. É algo pessoal, eu não quero que as pessoas saibam. Luke você tem que prometer, você promete?

Falei desesperadamente, fazendo o loiro segurar meus braços e me fazer olhar em seus olhos.

-Hey, eu prometo. Não chora, você não precisa se desesperar. -Ele me puxou para um abraço apertado. E com aquele ato tão inesperado eu acabei chorando em seu ombro.

Senti as mãos dele acariciarem meus cabelos, tentando me fazer parar de chorar. Luke se aproximou de minha orelha e sussurrou palavras confortáveis, aquelas que me fizeram se agarrar mais ainda a seu corpo.

Parecia que naquele momento não existia mais ninguém, ou nada. As brigas de ontem nem se quer passavam por minha cabeça, a raiva que eu sentia de Luke pode ter levado Marnie havia sumido. O modo como ele me abraçava fazia parecer que tudo ficaria bem, sua voz em meu ouvido acalmava meu coração. Suas mãos me seguravam fortemente, me trazendo uma sensação de paz. Eu sentia que dentro daquele abraço nada nem ninguém poderia voltar a me machucar. Luke estava ali, ele estava sendo carinhoso e estava me dando seu ombro para chorar. Ele podia ter seus defeitos, mas ali, e naquele momento. Luke parecia ser minha salvação.

Eu o queria...Queria mais que tudo. Queria sentir seus lábios nos meus, queria sentir nossos corações baterem como um só.

Eu queria ter Hemmings só pra mim. Era pedir muito?

Não o queria com outras meninas, eu queria tê-lo só pra mim.

-Isso me machuca tanto, ela se foi Luke. -Eu chorei mais uma vez em seu ombro. -Ela me deixou. Eu estou sozinha, eu não tenho ninguém.

Luke me apertou mais ainda contra seu corpo.

-Eu tô aqui, Sophie. -Ele murmurou em meu ouvido. -Não chora.

Me afastei calmamente de seus ombros, e deixei que meus olhos fitassem aquela areia da praia. Luke levou uma de suas mãos em meu queixo e o levantou com cuidado. Deixei que meu olhar se encontrasse com o seu, Luke tinha um azul intenso nos mesmo. Eles estavam brilhantes e cintilantes, como duas pedras de cristal.

Com cuidado ele puxou meu rosto para mais perto do seu, tocou nossos narizes fracamente, e depositou um calmo carinho em minha bochecha esquerda.

-Obrigada. -Sussurrei. -Eu nunca imaginei que você estaria aqui em um momento desses.

Luke soltou um riso baixo e fechou os olhos me fazendo fitar seus cílios e pálpebras.

-Mas eu estou. Por você e pra você. -Ele voltou a me acariciar. -Me perdoa por ser um idiota. Me perdoa por sempre ter te magoado, ou ter te humilhado. Sophie, todos nós erramos e eu, errei. Me desculpe.

Luke choramingou baixo.

-Eu te perdoo. -Murmurei. -Você me magoou muito Luke, me humilhou sempre. Mas nesse momento, você está comigo. -Uni nossas testas. -E-eu gosto de você, Hemmings.

Luke sorriu com os olhos fechados, ele entrelaçou nossas mãos e depositou um leve carinho em uma delas.

-Eu também gosto de você.

Sorrimos juntos e selamos nossos lábios.

Seja lá oque eu ele estávamos tendo, eu não queria parar. Era bom ter seus braços em volta da minha cintura, enquanto seus lábios grudavam nos meus.

Eu simplesmente amava a forma em que quando nossas mãos se entrelaçavam, nossos corações batiam como um só.

Por mais doido que fosse. Eu gostava de ter Luke.

Gostava mesmo.

Estava completamente apaixonada por ele.


Notas Finais


Nada a declarar 😎❣️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...