História Our love - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Asui Tsuyu, Bakugo Katsuki, Midoriya Izuku, Personagens Originais, Todoroki Shouto, Uraraka Ochako
Visualizações 168
Palavras 1.318
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Me desculpem pela demora, esses dias foram muito puxados para mim. Espero que vocês curtam o capitulo, e me desculpem qualquer erro. Aliás, leiam as notas finais.

Capítulo 6 - Capítulo 5.


"Pouca coisa é necessária para transformar inteiramente uma vida: amor no coração e sorriso nos lábios."

Lembro-me exatamente do momento que li essa frase em uma revista, onde eu procurava por recortes para colocar em um caderno de Campo para um projeto da faculdade. Foram designados vários assuntos para os alunos de diversas equipes, e a minha foi para falar sobre um sentimento, a tristeza. Poderíamos falar o quanto triste era as crianças que viviam na miséria de alguns países africanos, ou poderíamos falar o quanto triste era a morte de um familiar querido. Mas, eu tive a resplandecente ideia de falar sobre morrer de tristeza.

É uma das coisas que eu realmente não esperava que conseguiria comprovar, mas consegui. Foi uma das minhas melhores notas por apresentação de projeto, e sinceramente eu me sentia orgulhoso daquele todo trabalho que tive, para enfim, conseguir comprovar minha tese.

Sobre a minha pesquisa, sim, é possível se morrer de tristeza. Primeiro, um dos casos é morrer de tristeza após a morte de um familiar, por isso alguns médicos recomendam acompanhamento psicólogo com os mais próximos do falecido. Outro caso é morrer de tristeza em relação a depressão, pode-se vir o suicidio, que é geralmente por enforcamento, overdose, ou cortes profundos em alguma veia que seja conectada ao coração.

Bem, eu conseguiria dizer para mim mesmo apartir de agora, que não poderia morrer de tristeza. Primeiro porque o coração que eu tinha no meu peito, ja não era mais meu, ele tinha um dono, e o que eu usava para me manter vivo, era da mesma pessoa que tinha roubado meu coração para si, mesmo que eu tivesse permitido algo como isso. O sorriso nos lábios era uma das coisas que eu tinha toda certeza possível que não iria escapar de mim, principalmente agora que eu poderia chama-lo de meu, isso era tão incrível.

- Então agora somos realmente namorados? -ele me perguntou, ajeitando o lençol que cobria o seu corpo desnudo sobre a cama, deslizando os dedos sobre o meu peito nu, dando um sorriso lindo-

- Você ainda acha que não? Depois do que fizemos... -dou uma risadinha baixa, passando a ponta da língua sobre meus lábios-

- Hmm, então posso te chamar de namorado? - ele ri, ainda um pouco vermelho, concordo com a cabeça duas vezes seguidas, e em seguida fecho meus olhos- Vamos dormir?

- Claro... - murmuro apertando mais seu corpo contra o meu, enquanto deslizava meus dedos pela sua cintura, e em poucos segundos voltando os pensamentos aos momentos que passamos nessa cama. -

Flashback on

- T-Todoroki...eu...a-aceito! -ele sorri largo com os olhos marejados, e em seguida pula em cima de mim me abraçando com força, sorrio acariciando sua cintura, andando em direção a cama, me sentando na mesma com ele no meu colo, o abraçando com força.

Em seguida, toco nossos lábios em um beijo calmo e lento, deslizando minhas mãos na pele de sua cintura, ela estava mais macia que normalmente, sorri entre o beijo, mordiscando o lábio inferior do esverdeado. Separei o beijo sentindo um filete de saliva ainda nos conectar, logo voltando a beija-lo com mais intensidade.

Sentia meu corpo começar a ficar quente, e mesmo com o ar condicionado ligado, eu sentia o calor liberado do meu corpo, e o do dele se juntarem e praticamente queimarem nossa pele, sorri novamente cortando o beijo encarando-o como um pedido de autorização para continuar aquilo no qual eu desejava, e ele também. Recebi um aceno tímido de cabeça como resposta.

Tiro-o do meu colo, deitando sobre a cama, subindo em cima do seu corpo, voltando a beijar sua bochecha enquanto subia minhas mãos pelo seu tronco, levando consigo sua blusa, tendo a ajuda do garoto para retirar a mesma, que fez questão de tirar a minha também. Sorri de canto, deslizando meus lábios pelo seu pescoço, beijando lentamente o mesmo, antes de voltar a beijar seus labios de uma forma mais prazerosa, e urgente.

Acaricio os seus mamilos lentamente, apertando-os com calma, ouvindo-o gemer baixo contra os meus lábios. Não sabia que pessoas sentiam prazer com aquilo, mas queria descobrir cada detalhe e cada ponto fraco do seu corpo.

Sorri ao afastar meus dedos do seu corpo, vendo-o arfar baixo. Deslizo minhas mãos até a sua cintura, me abaixando um pouco para beijar o seu pescoço. Deixo alguns chupões por aquela região, descendo meus beijos por toda a região dos seus ombros, sorrindo ao ver suas reações, ele é tão bonito.

Levantei meus olhos para o garoto, enquanto deslizei minha língua pelo seu peitoral moreno, mordendo levemente a pele daquela área. Rodeando seu mamilo com a ponta da minha língua, chupando-os levemente, ouvindo o mesmo soltar gemidos baixos e puxar um pouco do meu cabelo que estava preso entre seus dedos até alguns segundos.

Beijo sua pele, descendo meus lábios pela mesma, até chegar na barra da sua calça, abrindo os botões da mesma, deslizando o zíper que tinha segurado com as pontas dos meus dedos. Segurando na calça, puxando-a para baixo, enquanto descia meus beijos por suas coxas e pernas, mordiscando levemente a região delas.

Observo o rosto do meu namorado após ver o mesmo semi-nu, ele estava corado, com a respiração um tanto ofegante, os cabelos levemente molhados tocando a sua testa, sorri voltando a subir meu corpo, beijando-o com toda calma que conseguia. O modo como ele me retribuia me deixava mais apaixonado que ja estava.

Após alguns minutos, já estávamos nus. Ele me beijava agora sem vergonha, do jeito bonito no qual ele rebolava lentamente sobre o meu colo, enquanto eu penetrava com força o seu corpo. Os seus gemidos eram um dos sons mais bonitos e sinceros que eu ja tinha ouvido, eram como a sintonia de uma orquestra que havia ensaiado por alguns dias, e mesmo assim tinha saído perfeito. O som do mar, junto com o som dos seus gemidos contra meus ouvidos, e dos nossos corpos se chocando com volúpia eram uma sinfonia maravilhosa.

Suspirei ao deitar o mesmo sobre a cama novamente, ele já estava cansado daquela posição, apesar dela proporcionar um prazer absurdo. Respirei ofegante, vendo-o ficar de costas para mim, levantando um pouco o seu quadril para ajudar novamente na penetração.

Mordo meu lábio inferior voltando a penetrar o garoto com calma, iniciando novamente meus movimentos rápidos e fortes, ele gostava assim. Segurei o seu membro com um pouco de força, movimentando minha mão no mesmo ritmo ao qual eu me movimentava atrás de si, ouvindo-o gemer um tanto mais alto, eu tinha conseguido encontrar seu ponto G? Olhei em seus olhos quando o mesmo sorria contra o travesseiro, voltando a estoca-lo com mais força, diversas vezes tocando no mesmo local, ouvindo seus gemidos mais altos, gemendo baixo contra o seu ouvido.

Sentia meu ápice se aproximar, e o dele ja tinha chegado, sorri ao sentir seu líquido contra minha mão, ouvindo-o arfar um pouco mais do cansaço, me movimentando por mais alguns segundos antes de chegar ao meu limite, liberando meu líquido dentro do seu corpo, vendo-o sorrir contra o travesseiro. Sorri também, me retirando de dentro de si, o abraçando de lado.

- Eu te amo, Todoroki. - ele falou após alguns segundos em silêncio, sorrindo com as bochechas coradas e o cabelo molhado de suor. Era incrível o modo como ele me ajudava, não era apenas eu dando prazer para ele, ou ele para mim, era um prazer em conjunto. Eu não conseguia parar de me surpreender com o jeito que eu amava ele, quando achava que não iria ter mais surpresas, ele me surpreendia. Eu realmente amava esse garoto demais.

- Eu também te amo, Midoriya. -sorri, beijando sua testa, puxando-o para mais próximo de mim.

Flashback off

Deixei um sorriso escapar ao ver o mesmo dormir sobre o meu corpo, em seguida dormindo também abraçado ao mesmo.

Ele era a razão do meu sorriso, e eu não conseguia parar de ama-lo.

Notas Finais


Me desculpem pelo Lemon, eu tenho um pouco de vergonha de escrever coisas assim, que envolvem sexo, mas eu não conseguiria escrever algo tão forte ou detalhado, a relação deles aqui nessa história é simples, clichê e muito romântica. Quero deixar claro também algumas coisas aqui.
1: Sobre o que eu falei de algo triste, sim eu vou fazer isso, mas esperem isso para apenas o final da fanfic, ou últimos capítulos, não me matem.
2: Eu não vou prometer datas para capítulos, pois como ja avisei antes, a escola toma muito do meu tempo.
3: Sobre esse capítulo, o início do capítulo quando o Midoriya fala, foi depois do sexo, depois do Todoroki abraçar ele e enrolar eles no final do flashback.
4: Eu estou muito agradecida por todos os comentários, favoritos e visualizações, vocês são incríveis. Obrigada mesmo.
Enfim, qualquer coisa me chamem no Twitter, @osanudazai. até mais, anjos. Amo vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...