História Our Magical Life - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Eldarya
Personagens Ezarel, Jamon, Keroshane, Leiftan, Mery, Miiko, Nevra, Personagens Originais, Valkyon
Tags Black-dogs, Daphne, Eldarya, Ezarel, Guerra, Kyara, Lilith, Magia, Miticismo, Nevra, Novela, Romance, Valkyon
Exibições 89
Palavras 3.697
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Orange, Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hello! mais um capítulo!
Agradeço desde já aos que favoritaram e comentaram na fic.

(As 3 Garotas da capa são as personagens principais da história.)

Capítulo 2 - Capítulo Dois. - Nosso Dia-a-Dia De Cada Dia.


Fanfic / Fanfiction Our Magical Life - Capítulo 2 - Capítulo Dois. - Nosso Dia-a-Dia De Cada Dia.

Nos arredores de Eldarya uma certa Kitsune observava atentamente um grande e belo cristal azul, estava tão perdida em pensamentos que nem notou a entrada de um belo Elfo de cabelos compridos e azulados no enorme salão.

 

-Miiko? - Ele a chamou uma vez enquanto caminhava até ela, mas ela pareceu não ouvir - Miiko. - Chamou de novo a Moça, e dessa vez ela escutou, e se assustou com isso, logo o encarou com uma expressão furiosa.

 

-Ezarel, não apareça assim atrás dos outros do nada! - Repreendeu o Azulado que não conseguia conter um sorriso da cara da Raposa.

 

-Mas Senhora Miiko, eu lhe chamei desde que entrei na sala, a Senhora que estava muito distraída para me ouvir.

 

-Hm… - Ela apenas assentiu pensativa.

 

-Algum problema Senhora? - Ele perguntou se aproximando mais da Morena e ficando ao lado dela observando o rosto Angustiado e Preocupado da sua Senhora.

 

-Não...ou sim, eu não sei… - Balançou a cabeça de leve - Estou com um pressentimento, ruim ou bom, eu não sei ainda ao certo, mas algo irá acontecer, fique atento…

 

Ezarel nada disse, apenas encarou Miiko seriamente e logo depois começou a fitar o cristal, se perguntando o que de tão ruim, ou bom, poderia acontecer para Miiko estar daquele jeito, se tinha algo que Miiko tinha de dom era o dom da Intuição, e sua intuição nunca falhava.


 

(***)

Atuamente…
 

-Vamos logo Daphne! - Uma voz feminina e delicada disse ecoando por uma rua pouco movimentada da Califórnia.

 

-Acalme o passo Lily! - Uma outra voz disse mais ofegante.

 

-Não posso me conter, é o nosso último dia de aula, é a formatura - Uma Garota disse de costas dando-nos visão apenas de um uniforme escuro e medianos cabelos laranjas. - Sem contar que é o último ano que você estará estudando junto de Michael, não está ansiosa para vê-lo? - Ela perguntou se virando com um doce sorriso.

 

-Estudaremos na mesma faculdade de fotografia, iremos nos ver todos os dias pelos próximos três anos. - Daphne disse alcançando a Ruiva e começaram a caminhar juntas a caminho da escola.

 

Anos se passaram, e Daphne e Lilith cresceram e se tornaram lindas Garotas que agora estavam indo para seu último dia de aula.

 

Daphne tinha 1,63 de altura, a pele era morena-clara, seu rosto tinha feições belas e maduras demonstrando ser uma pessoa centrada, os olhos amendoados em um castanho puxado pro mel, cabelos castanhos escuros que batiam em sua cintura,lábios finos e avermelhados, maças do rosto avermelhadas e salientes, corpo escultural, seios grandes e fartos, barriga reta, cintura mediana, coxas grossas, glúteos grandes e firmes, Tinha um corpo lindo e um rosto muito belo com um sorriso encantador e olhos sedutores, poderia ser considerada uma ninfa de tão bela.

 

Já Lilith era totalmente o contrário da Amiga, mas ainda sim era excepcionalmente linda, era bem baixinha e tinha 1,48 de altura, a pele era branca e possuía um aspecto de veludo, seus olhos eram arredondados do mais lindo e puro azul-água que encantavam a todos com seu brilho inocente, bondoso e carismático, os cabelos eram ondulados e brilhantes, batiam quase dois dedos acima dos ombros da menina e possuíam a cor laranja-claro em um penteado meio preso-solto, tinha lábios rosados pequenos e carnudos, possuía sardas quase imperceptíveis pelas maças do rosto e topo do nariz, bochechas rosadas, seu corpo era magro, seios redondos e medianos quase pequenos, barriga reta, cintura fina de dar inveja a muitas, quadril estreito, coxas medianas e glúteos pequenos e redondos, suas mãos e pés eram pequenos e delicados, possuía um aspecto e uma aparência angelical, era delicada e fofa, tinha a beleza de uma boneca de porcelana, ainda usava o mesmo colar que tinha quando era pequena no pescoço.

 

Ambas vestiam o uniforme escolar, era uma blusa social cinza-escuro, um suéter bordô, saia de pregas preta que batia na metade de suas coxas, uma gravata meias ¾ pretas e sapatilhas de couro em um tom marrom-avermelhado,


 

-E por falar nisso… - Daphne comentou olhando de canto para a menina, enquanto caminhava pela calçada segurando os livros perto do peito. - E o seu pai? - Ela viu a Ruiva suspirar.

 

-Papai ainda quer me mandar para concluir meus estudos em Paris… - Ela comentou em um tom triste e Daphne franziu o cenho juntando as sobrancelhas.

 

-Ele ainda quer lhe pôr na faculdade de medicina?

 

-Sim, já deveria prever que ele faria isso, ele me colocou em muitos cursos de primeiros socorros e iniciação médica quando eu era menor..

 

-LILITH! DAPHNE! - Uma voz disse ofegante fazendo as meninas se virarem e darem de cara com um Garoto que trajava o mesmo uniforme que elas, porém em vez de saia e sapatilhas era uma calça social e sapatênis.

 

-Oh, Richel. - Lily comentou observando o menino vir cambaleando ofegante até elas.

 

-Me...esperem… - Ele disse puxando o ar com força e pegando do bolso da mochila uma bombinha de ar e a inalando, o Rapaz sacudiu a cabeça algumas vezes se recompondo e olhou para as meninas com um sorriso cansado no rosto - Bom dia Meninas.

 

-Bom Dia, Richie. - Elas o comprimentaram com um sorriso e voltaram a andar, agora com o rapaz.

 

Ele tinha 1,65 de altura, era pálido, possuía o cabelo loiro, escorrido e oleoso, os olhos eram castanho-claros, os lábios finos e sempre trêmulos como se estivesse sempre nervoso ao interagir com as pessoas (principalmente com Lilith), era bem magro e nem um pouco musculoso, um completo nerd que era muito amigo das meninas e apaixonado por Lilith.


 

-Seu Irmão e você irão vir para a festa de formatura hoje a noite? - Lily perguntou interessada e curiosa.

 

-A-Acho que Michael irá sim. - Ele respondeu um pouco nervoso.

 

-E você? - Daphne perguntou olhando curiosa para o menino.

 

-Não...sei. - Ele desviou o olhar.

 

-Ahh Rih, você tem que ir, será um luau na praia! tem coisa mais divertida?. - Lily comentou sorrindo animadamente.

 

-Eu não gosto muito de praia meninas, principalmente da água, argh.  - Ele disse fazendo uma careta e Lily franziu os lábios, já estavam nos portões da enorme escola particular.

 

-Que pena, a Lily AMA. - Daphne falou jogando a dica no ar e apressando o passo para entrar na escola.

 

-A-Ah...b-bem e-eu..eu… - Richie gaguejou nervoso tentando achar um meio de consertar a cagada, mas era tarde, a Ruiva já havia lançado um “Precioso ir” com um sorriso forçado para não ser rude e deu as costas ao rapaz. - Merda Richie. - Comentou com ele mesmo.

 

(***) - (...)

 

As aulas se passaram tranquilamente, somente no final da aula que foi um caos, assim que o sinal bateu foi a deixa para os “Zoeiros” da escola fazerem as maiores pegadinhas, já que já estavam dando adeus aquele lugar mesmo, pessoas tacando papel higiênico molhado, tinta e ovos nos outros, uma correria pelos corredores que faziam um tumulto na porta de saída da escola, os valentões batendo nos Nerds e em si mesmos assim que saíam da porta da escola, sem contar na enorme gritaria, um verdadeiro inferno.

 

Lilith e Daphne foram as primeiras a sair, saíram de fininho pelo tumulto e correram mais do que depressa assim que viram a limousine preta às esperando na porta da escola com a porta traseira aberta e o Shoffer fazendo um sinal desesperado com a mão para que elas entrassem logo, as duas praticamente se jogaram dentro do véiculo e o Shoffer fechou a porta entrando rapidamente no carro.

 

-Meu...Deus… - Daphne comentou com os olhos arregalados e os cabelos levemente bagunçados.

 

-Do céu… - Lilith prosseguiu e completou a frase da amiga enquanto respirava fundo e arrumava a presilha torta que prendia uma parte dos cabelos ondulados. - Todo ano é isso?

 

-Não mais Amiga, não mais para nós. - A Morena deu um sorriso cansado e se jogou para trás caindo no estofamento macio do banco.

 

O Motorista olhava para as Meninas pelo retrovisor do carro e acabou por sorrir e soltar uma risada.

 

-E então? como foi o último dia de aula das Madames? - Ele perguntou voltando o olhar na pista.

 

-Oi Papai. - Daphne coprimentou o Homem com um sorriso no rosto enquanto se ajeitava no banco.

 

-Foi  muito divertido! - A Ruiva exclamou animada - No clube de música fizemos uma despedida cantando “Don’t Stop Belive” e a Daphne e as Líderes de Torcida fizeram uma coreografia surpresa na hora do intervalo que foi muito demais!

 

-Haha, isso que eu chamo de entusiasmo Lily, por que você não é assim Daphne? - O Moreno  riu e provocou a Filha.

 

-Não preciso agir que nem criança para demonstrar que estou feliz ou animada com algo. - Ela disse olhando de canto para Lilith que deu a língua a ela.

 

O Pai de Daphne era o motorista e melhor amigo de Carlos, pai de Lilith, trabalhava na família desde que Daphne nasceu, tanto ele quanto Carlos eram pais solteiros, as meninas nem chegaram a ver os rostos de suas mães por um motivo que apenas os dois sabiam, mas não falavam sobre isso de modo algum.

 

-Mas ficou super feliz quando o Michael apareceu atrás de você hoje te convidando para ser par dele no baile - Lilith provocou a amiga com um sorrisinho perverso nos lábios, Daphne arregalou os olhos e tapou a boca da amiga assim que viu o Pai puxar ar para dizer algo a respeito.

 

-Quem é Michael? - Ele perguntou seriamente.

 

-Ni-Ninguém não Pai. - Ela disse apenas.

 

(...)

 

Depois de um tempo já estavam nos grandes portões da mansão de Lilith, a Menina desceu do carro e se apoiou na porta com os braços.

 

-Não queres almoçar aqui Daph? - Ela perguntou olhando para a Amiga que ainda se encontrava no carro.

 

-Não posso, tenho que arrumar algumas coisas para a formatura.

 

-Ahhh - A Menina disse manhosa. - Que porcaria.

 

-Huhu, vocês se verão em breve Lily. - Adam disse olhando para a Menina com um pequeno sorriso no rosto.

 

(***) - (...)

 

-Eu cheguei!  -  A Ruiva gritou animada adentrando correndo a mansão, nem abriu a porta, o Mordomo escutando seus passos e risadas deduziu que a Menina havia chego.

 

-Seja bem vinda Menina Clark. - Uma das empregadas disse sorrindo gentilmente para ela.

 

-Sabe se Papai irá em minha formatura hoje? - Ela perguntou com um doce sorriso nos lábios.

 

-Seu Pai foi chamado a uma reunião importante da empresa e não poderá comparecer hoje. - A Empregada disse tristemente e Lilith se espantou.

 

-M-Mas..mas é minha formatura!... - Ela disse se alterando um pouco, mas logo suspirou e olhou para baixo. - Ok, irei tomar meu banho. - Avisou indo em direção as enormes escadarias, mas enquanto subia se lembrou de algo que a fez parar e se virar para a Empregada - E onde…ela está?

 

-A Senhora Clark foi comprar algumas roupas.

 

Lilith fez uma leve careta e apenas murmurou um “obrigada” voltando a subir as escadarias, passou por um enorme e extenso corredor onde pode ver várias fotos em molduras grossas e caras, olhou para a maior que ficava situada no meio de todas elas, era uma pintura de sua mãe, fora feita na época que ela era viva e que seu pai ainda tinha vontade de pintar...e de viver, a imagem fora tão bem pintada que parecia até ser uma foto, aquele quadro, aquela única imagem que tinha da mãe, a fazia perceber o quão parecia elas eram, a pele clara, os cabelos ruivos, os lindos olhos azuis, os lábios, o nariz, apenas os olhos de sua mãe que eram mais puxados, havia herdado os olhos redondos do pai, sorriu ao ver tal lembrança.

 

Mas seu sorriso murchou ao ver o quadro ao lado do de sua mãe, a imagem do dia do casamento de seu Pai com Patrícia, sua Madrasta, a mulher vestia um vestido branco enorme e caro que a fazia parecer o bolo do casamento - na teoria de Lilith - Seu pai ao lado da mulher com o semblante sério e vestido a um terno escuro, na opinião de Lilith seu pai parecia mais preparado para um velório do que para um casamento, ou pior, do que para SEU casamento, e ao lado do homem estava Lily, com seus 13 anos, os cabelos presos a uma transa com pedrinhas de brilhante e um vestido amarelo horrível que sua Madrasta havia comprado para ela.

 

-“Se ela quisesse parecer uma comida não precisava me levar nessa junto, oras, se ela quis fazer cosplay de bolo não tem porque eu fazer de banana!” - Ela pensou um pouco irritada mas logo riu com o próprio pensamento e continuou o seu caminho até o quarto.

 

Ao chegar no enorme quarto de princesa que tinha foi logo trancando a porta e colocando a mochila no cabide, foi afrouxando a gravata do uniforme enquanto andava em direção ao banheiro, lá ela se trancou e tirou toda roupa e encheu a banheira com água morna, ao entrar na banheira começou a brincar com a água fazendo-a levitar e pequenas correntes formarem entre seus dedos.

 

Sua magia havia melhorado muito com o passar do tempo, ela havia aprendido a controlar a água com quase perfeição agora, mas treinava às escondidas bem longe do Pai e da civilização, apenas Daphne sabia o quão poderoso era seu poder, porém nem tudo era um “Mar de rosas”, os poderes dela estavam ficando fortes demais até mesmo para ela controla-los, muitas vezes quando brigava ou discutia com sua Madrasta a Ruiva se trancava no quarto e ali criava uma inundação, sua raiva puxava a água de todo ambiente para perto dela, então o chuveiro, a banheira, o vaso sanitário, a pia, tudo transbordava água, no dia do velório de sua tão amada Avó a praia sofreu um alta maré nunca vista em anos inexplicavelmente, porque será?

 

Suspirou e fechou os olhos tentando controlar as emoções, e com a cabeça doendo de tantos problemas e crises acabou por afundar na água e ficar submersa ali, a garota também podia ficar por até quase uma hora sem respirar debaixo d’água.

 

(***)

 

Daphne chegou em sua casa e jogou a mochila no sofá da sala do pequeno apartamento enquanto escutava música em seu celular, os fones de ouvidos eram brancos e era até mesmo possível escutar a música saindo por eles de tão alta.

 

-Oi Tio Cass.  - Ela comprimentou o homem que estava sentado no sofá lendo alguma revista de Moda.

 

O homem de cabelos pintados de azul e olhos quase negros levantou a cabeça e sorriu ao ver a sobrinha ali.

 

-Oi minha Linda. - Ele a comprimentou sorrindo e deixando a revista fechada a seu lado no sofá.

 

Daphene foi até a geladeira a abrindo e vendo se havia algo para comer, morava ela, seu pai e seu tio mais novo no apartamento, ela era a única mulher e não sabia cozinhar, muito menos Cassandro, seu Pai era o único que sabia fazer algo que dê para mastigar, mas ele trabalhava até o final da tarde, apenas deixava a Menina em sua casa e ia embora de volta ao serviço, e ainda mais hoje que nem poder subir para ficar com seu irmão ele pode direito, já que Patrícia havia ligado para ele gritando que exigia ser buscada as duas e quinze EM PONTO da tarde, sem atrasos.

 

-Eai? como foi seu primeiro dia de aula? conta pro Titio. - O Azulado disse fazendo graça e ela riu de canto.

 

-Falando assim me sinto até com sete anos. - Ela disse pegando uma caixa de pizza de ontem da geladeira e a colocando em cima da mesa. - “Eu devia ter ficado na casa da Lily…” - Pensou inflando uma das bochechas, fechou a geladeira e abriu a caixa de pizza, Cassandro se levantou e foi até a mesa também olhando com uma careta de nojinho para a pizza.

 

-Comer pizza fria de ontem é o ‘ôh’. - Ele disse fazendo drama - Quando que a minha vida de rainha vai chegar? óh céus.

 

-É Bixa, mas enquanto a Broadway não te descobre é isso que comeremos, a não ser que você queira ir para a cozinha todos os dias cozinhar. - A Morena disse pegando uma fatia e a mordendo, enquanto Cassandro desistia de seu drama Daphne fez uma careta - Eu odeio pizza de palmito…

 

-Reclama com o seu Papi isso aí, ele é o único Doido que ama palmito. - Cassandro brincou fazendo Daphne rir - É sério, ele parece gostar mais de palmito que eu.

 

-Hahahaha, para com isso Cass, hahahaha. - Ela ria com a mão na frente da boca.

 

(***)

 

Em outra dimensão, ou melhor, em Eldarya, no meio das terras do povo do local haviam comércios, , mercearias, padarias, costureiras, lojas de venda de armas brancas como espadas e machados, uma feira, entre essas coisas que uma aldeia teria, mas entre todas essas coisas havia uma espécie de “casa de festas”, era tipo um bar, onde o local era famoso por suas bebidas fortes, comidas gostosas, por shows que haviam em um palco e pelas Mulheres.

 

Eram divididas em três categorias, as Garçonetes, que apenas serviam os clientes entregando e anotando seus pedidos, as Dançarinas, que eram as que dançavam sensualmente para os clientes a noite, e as Acompanhantes de Luxo, que eram alugadas por homens com dinheiro e servem eles de todas as formas a noite inteira, seja o acompanhando durante show ou indo até os quartos que ficavam no piso de cima do local e dando uma noite de prazer a eles.

 

E lá poderíamos encontrar Kyara, uma Garçonete que enfeitiça a todos os homens com sua beleza exótica, ela é uma Gata trapaceira que usa muitos métodos a seu favor, mas é claro, nunca indo para cama com nenhum deles, nem que seja mentir a dizer que irá somente para pegar seu dinheiro e depois fugir.

 

-Kyara sirva à mesa treze. - A Balconista disse entregando a ela uma bandeja com duas canecas de cerveja.

 

-Okay. - Ela disse apenas, revirando os olhos com uma cara de tédio, odiava servir os outros, odiava esse emprego.

 

Foi até a mesa treze se segurando para não bater nos homens que se inclinavam para ver sua bunda assim que ela passava pela mesa deles.

 

Não era por nada que eles faziam isso, Kyara era Linda, possuía a pele clara, olhos heterocromáticos que chamavam a atenção por terem um brilho dominante e perigoso, um era dourado e o outro verde, tinha os lábios finos e delicados, os cabelos eram compridos e bem brancos, era magra, barriga reta, seios medianos, coxas grossas, glúteos grandes e redondos que davam inveja a muitas, tinha 1,56 de altura, e possuía orelhas e rabo de gato brancos, ela era uma Neko Pura, das mais bonitas e exóticas.

 

Ela usava um uniforme de maid curto na cor preta e cheio de babados brancos, meias que ia até as coxas e saltos pretos.

 

-Isso meu Amorzinho, traga as cervejas para os papais, HAHAHAHA. - Um velho, gordo e nojento disse rindo histericamente com mais dois amigos.

 

Kyara rosnou baixo e franziu as sobrancelhas irritada.

 

-Vem gostosinha. - Outro disse rindo também, todos já estavam ficando bêbados o que a deixava mais enojada ainda, ela entregou as três cervejas na mesa sem dizer nada.

 

-Quanto que tá a hora? - O Outro perguntou descaradamente.

 

-Não sei, pergunta pra sua mãe aquela vaca! - Ela retrucou irritada o olhando com raiva.

 

-Ohohoho, a Gatinha é Nervosinha. - O Velho gordo disse rindo e apalpando a bunda dela, logo depois pegando em sua cauda fazendo ela soltar um miado alto.

 

Pelo reflexo ela pegou a bandeja de aço que tinha em mãos e bateu com ela na cara do Gordo, fazendo ele cair no chão inconsciente, a bandeja se dobrou pela força que a Neko havia usado, todos no bar havia parado o que estavam fazendo para olhar para elas, até a música havia parado.

 

-ORAS SUA… - Um deles gritou com raiva tentando atacar a Gata com um soco, mas ela se abaixou fazendo ele errar, logo ela se levantou dando um gancho na barriga do homem fazendo ele voar até a mesa com a força do soco.

 

Um homem veio por trás dela e a pegou pela barriga enquanto o outro da mesa corria para ataca-la, mas ela conseguiu chutar o outro com as pernas livres, em pouquíssimos segundos o local por completo havia virado um inferno, todos estavam brigando e lutando contra si, até que uma mulher chegou e começou a gritar fazendo todos pararem o que estavam fazendo e olharem para ela.

 

Ela era bem baixa, 1,30 de altura, pele clara, olhos verdes-claros, cabelos negros presos a um coque, era gordinha, vestia um vestido vermelho bufante e botas vitorianas pretas, em sua mão tinha um leque preto.

 

-O QUE ESTÁ HAVENDO AQUI? - Ela gritou alto fazendo os ouvidos de todos doerem, principalmente os de Kyara, já que suas orelhas eram sensíveis. - TODOS PARA FORAAAA!!! - A Mulher apontou para a saída e todos os clientes saíram correndo deixando somente os empregados - QUEM É O RESPONSÁVEL POR ISSO?

 

Todos olharam para Kyara que permanecia em seu local com a bandeja ainda em mãos, a Morena desceu do palco e foi andando em passos firmes até a Gata, e antes que ela pudesse se desculpar ou se defender teve o rosto virado por um tapa forte.

 

-Não irei lhe despedir pois sei que não tens onde cair morta sua Vagabunda, mas se vacilar mais uma vez é olho da rua pra você. - A de vermelho disse com os dentes rangendo para a Gata. - TODOS PARA SEUS QUARTOS, KYARA LIMPARÁ TUDO.

 

(***)

 

Do lado de fora do bar as pessoas saíram reclamando e resmungando.

 

-Argh minha cabeça… - O Gordo de cabelos ralos disse cambaleando até sua casa, sendo seguido pelos outros dois amigos. - Nem vi ela me acertar direito.

 

-E o que você vai fazer chefe?

 

O homem apenas deu uma risada baixa e maldosa.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.

Elogios, Teorias, Ideias, perguntas e Críticas (Construtivas) são sempre bem vindos nos comentários, irei responder todos. ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...