História Our Moment - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Lacey (Belle), Ruby (Chapeuzinho Vermelho)
Tags Desabafo, Red Beauty
Visualizações 86
Palavras 1.383
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Yuri
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Peço desculpas caso não tenha ficado bom, ou ficou muito deprê

É só como to me sentindo no momento, podemos dizer...

É mais um desabafo, só que no formato de Belle desabafando, espero que entendam...

Capítulo 1 - Moments will be broken


Pov Belle French

 

Acho que vocês devem ter ideia de minha história, devem ter ideia das coisas que passei com Rumpelstiltskin, não, não vim falar sobre ele.

Essa não é uma história minha e dele, mas sim, minha e dela. Ruby Lucas. Ou se preferirem, a chapeuzinho vermelho.

Desde que eu e Gold terminamos mais uma vez, e eu decidir que seria a última vez que ficaríamos nessa montanha russa de termina e volta, comecei a frequentar mais a lanchonete de Granny, o que acabou resultando numa aproximação maior entre eu e a garota de olhos verdes.

Sempre que fechava a biblioteca, era pra cá que eu vinha, sempre as 18h, eu passava por aquela porta onde aquele sinal anunciava minha chegada, sempre as 18h, Ruby colocava um chá no balcão em frente da mesma cadeira que eu sempre sentava.

E era aqui que eu estava, com um caderno e caneta em cima do balcão escrevendo sobre esses nossos encontros, precisando desabafar com alguém e quem melhor do que um papel? Quem melhor do que aquilo que jamais te julgará?

Eu não sei bem te informar quando e muito menos como meus sentimentos por Lucas mudou drasticamente, de repente parei de olhá-la apenas como amiga e comecei a vê-la como a mulher bela, incrível que é.

A olhá-la e desejar com todas minhas forças para que ela fosse minha.

Minha amante.

Minha namorada.

Minha noiva.

Minha esposa.

Minha tudo…

Mas eu não podia.

Sempre soltei certas indiretas sobre o que sentia, sei que não é muito de meu feitio, mas quando se trata da morena, eu simplesmente travo e não sei nem mesmo formular frases coerentes. Mas voltando aos encontros, mesmo quando eu não abria a biblioteca, tipo domingo que eu tirava para descansar, eu sempre venho pra cá, para o meu chá, pra vê-la e conversar sobre coisas mais aleatórias possíveis, e quando o assunto acabava, bom, ainda podia vê-la.

Olhando em direção do relógio, via que já era 20h e até agora, nenhum chá, nenhuma morena…

Suspiro resignada, sabia que não iria ter a sua visão hoje, sim, a vi quando cheguei, mas ela rapidamente saiu me deixando apenas um beijo rápido na bochecha pra correr em direção da esquina onde encontrou Dorothy, em seguida, pela boca de zangado, fico sabendo que era uma paquera da morena.

Devo ter visto ela por uns 10 ou 5 minutos, quando to acostumada a vê-la por 5 horas nos melhores dias, isso quando as duas iam pra casa e ficávamos mais horas trocando sms.

- Querida? - Olho pra frente vendo Granny sorrindo de canto. - Ta tudo bem? Chegou faz duas horas e não pediu nada, e daqui a pouco está na hora de fechar.

Olho em volta notando que quase não tinha mais clientes ali, também, era o que, 20:30? Se bobear mais tarde ainda.

- Desculpe Granny, eu… só… - Franzo a testa tentando entender o porque ainda continuava ali, acho que alguma parte de mim, dizia que Ruby voltaria pra ficar comigo, já a outra, dizia quão idiota eu era.

- Eu sei… - Diz a senhora suavemente segurando minha mão que ainda mantinha a caneta entre os dedos. - Sei o que sente pela minha neta.

A olho com os olhos levemente arregalados, penso em perguntar como descobriu, mas logo sorrio de lado quando lembro que os mais velhos sempre sabem, de uma forma ou outra, eles sempre sabem de tudo.

- Realmente prefiro você do que Dorothy, não que ela seja ruim, é só que… - Dizia ela mexendo as mãos.

- Mas Ruby prefere passar o tempo com ela. - Sorrio de lado olhando em direção da porta ao ouvi-la abrir, mas apenas revelando Archie.

- Você tá com ciúmes…

Abro a boca para descordar, mas rapidamente a fecho. Estava com ciúmes? Não, não era possível. Se bem que, essa hora era nosso. Só não nós falávamos quando algo acontecia com uma das duas, e mesmo quando acontecia, a troca de sms era constante, Ruby mandou sim, algumas mensagens após sair preocupada, afinal ontem tinha brigado novamente com Gold que tinha passado do limite.

Passo a ponta do dedo indicador e do meio sobre meu pescoço aonde ainda estava levemente dolorido (tanto que doí sempre que eu falava algo, ou dependendo do meu movimento, até engolindo saliva) e o roxo praticamente sumindo.

- Por que não fala com ela? - Pergunta a mais velha após atender Archie.

Nego com a cabeça fechando meu caderno e prendendo a caneta sobre a capa do mesmo.

- Ela tá se divertindo Granny. - Digo sorrindo de leve a olhando sabia que meus olhos estavam marejados, odiava ser sentimental e ter a sensação de ser a segunda opção. - E é isso que importa.

Levanto me esticando para deixar a dor nas costas por está meio “dobrada” no balcão, bocejo baixo, hoje na biblioteca foi até agitado, parece que a sala de Henry vai ter que fazer alguns trabalhos e decidiram ir todos no mesmo horário, imagina a confusão que foi.

- Eu já vou… - Digo após pegar minhas coisas, vendo a senhora me dirigir um sorriso fraco me acompanhando até a saída.

Suspiro quando vejo Ruby na esquina na companhia daquela garota, mesmo estando um pouco longe, dava para ver o quanto estavam se divertindo, é, dentro de mim, me dizia que eu não fazia nenhuma diferença.

Me pergunto o que Gold fez comigo, antes meu auto astral não era assim, mas agora tudo me coloca para baixo, sempre penso que sou segunda opção, sempre penso coisas negativas de mim, entendem? Será que isso seria o início de uma depressão?

- Por favor, não fale nada para sobre o que aconteceu aqui, nem que fiquei até agora. - Peço me virando para a senhora que me abraça com força.

Suspiro sentindo meu lábio dá uma leve tremida, sentia que a qualquer momento choraria, então me afasto indo rapidamente pelo caminho ao contrário das duas garotas, mesmo que aquele caminho fosse mais longe para minha casa, naquele momento eu só precisava de um tempo, precisava pensar, colocar a cabeça no lugar.

Se algum dia, Ruby saberia como fiquei esse dia? Provavelmente, ela sempre ler os contos que escrevo, então sempre fuça nos meus cadernos em casa, se um dia eu marcar bobeira com esse caderno, e eu irei pela minha lerdeza, ela saberá… Provável que venha falar que eu devesse falar algo na hora, mas ela se divertiu, é o que importa.

O amor é isso certo? Mesmo que você tenha falado com a pessoa o dia inteiro por mensagens, não ver a hora de chegar e ver o rosto dela, tanto ao vivo ou chamadas de video, e não dá por algum motivo disso acontecer, como agora que ela saiu pra se divertir, e eu precisava do nosso momento e esperava que ela lembrasse disso, pelo o que houve e por ser o NOSSO momento, eu precisei ficar na minha.

Nem sei mais o que estou escrevendo, com certeza está tudo confuso, mas como eu disse, quando se trata de Lucas, eu simplesmente não consigo formular uma frase coerente.

Já em casa, guardo tudo deixando o caderno em cima do guarda roupa com certa dificuldade, me deito na cama e encaro o teto suspirando profundamente, olho em direção do celular quando o mesmo vibra e noto que era notificação de sua mensagem.

Ruby:

Ainda quero saber o que houve…

boa noite, te amo! S2” (21:00)

Sorrio de lado de leve, como ficar brava com ela? Como ficar chateada? Sabia que minhas respostas vagas tinha a alertado que não estava bem, mas mesmo assim, não resultou o efeito esperado. Fechado os olhos aos poucos sem responder sua mensagem, e aos poucos vou caindo nos braços de Morfeu relembrando minhas últimas escritas nas linhas do caderno:

Ruby… sei que irá ler, provavelmente brigará consigo pela lerdeza, mas… está tudo bem. Mesmo que aquilo ontem tenha acontecido, vê-la se divertir, me alegra e faz a dor, a tristeza desaparecer um pouco. É como li uma vez, temos que dedicar mais tempo às outras pessoas e as vezes, momentos são para ser quebrados. E o nosso ia ser quebrado mais cedo ou mais tarde.

 

Eu te amo, independente do que aconteça no futuro…!”


Notas Finais


Aos leitores das minhas histórias, explicações:

Vou deletar daqui a pouco...

Só passando pra avisar, irei continuar a história, mas peço paciência, to passando por alguns momentos tensos.

Pensando em me matar até...

Então, só mais um pouco de paciência e se puder leitor avisar leitor que não estiver sabendo, eu agradeço.

Pois to tendo certa dificuldade pra entrar na conta e quando entro é pra postar alguma one que já tinha feito.

Espero sinceramente que entendam!

Mrs. Ada Wong


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...