História Our promisse will never be broken - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Delfina, Gaston, Jim, Luna Valente, Matteo, Miguel, Monica, Nico, Nina, Pedro, Personagens Originais, Ramiro, Simón, Yam
Visualizações 50
Palavras 1.100
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Self Inserction, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E aí, fente, tudo bacaaanaaaaaaaaaa?
O que acontecerá com nossa Lu sem memória? Ou será mesmo que ela não se lembra de NADA? Será? Descubram aqui nesse capítulo que eu amei escrever hihihihihihihi...

Capítulo 17 - "I think I know you"


                                          Pov's Matteo.B

- Não conheço vocês.
- Como assim, Lu? - Gastón perguntou, preocupado - É uma brincadeira, não é? Não é nada engraçado - parecia querer convencer a si mesmo.
- Não, me desculpem não estou brincando. 
Não, não, não, não, não. 
Isso é ruim demais para estar acontecendo. 
- Éramos próximos? 
- Éramos melhores amigos.
- Quais são seus nomes?
- O meu é Matteo e o dele é Gastón - aquilo parecia o dia em que nos conhecemos. Exceto pelo fato de Luna ter perdido a memória e não ter machucado a boca.
- Nos conhecemos desde quando?
- Há 7 anos. Você tinha se machucado e eu e Gastón perguntamos se você estava bem - respondi.
Continuamos respondendo perguntas sobre nossa amizade e sobre ela.   

(...)
Estava no alojamento e Simón bateu na porta. 
- Entre.
- Foi anunciado os nomes que estarão em cada alojamento - já tinha me esquecido disso.
Me levantei e o acompanhei até o mural de notícias.
"Alojamento Masculino 1":
Pedro Arias
Ramiro Ponce
Matteo Balsano
Lucas Lopez
Simón Álvare
z
"Alojamento Masculino 2":
Nicolás Navarrro
Bruno Hall
Gastón Perida
Jonh Parker"

Tinham outros alojamentos, masculinos e femininos, mas só queria ver em qual eu estaria e em qual Gastón estaria.
Miguel não estava errado em dizer que separaria nós dois.
Lembrei que o pátio estava vazio essa hora, e o que eu mais queria era pensar claramente. 
No meio do caminho, vi Luna e Valentina se aproximando dela. Comecei a escutar a conversa, escondido atrás de uma planta: 
- Oi Luninha.
- Oi. É... Me desculpe, mas... Nos conhecemos? 
- Como assim? Luna, pare de brincadeiras. 
Não aguentei, tinha que fazer açguma coisa. Por mais que eu não podia bater em Valentina, tinha que dizer umas boas verdades na cara dela.
- Engraçado, não é, "meu amor"? Tenho, absoluta, certeza de que a culpa é toda sua. Está satisfeita, Valentina? Nossa, porque se eu tivesse um coração podre igual ao seu, estaria pulando de alegria. Mas acho que eu tenho um certo sentimento chamado: felicidade. 
- Do que está falando?
- Você não passa de uma mimada. É tão tapada, que nem percebeu o que fez. Não existem palavras para descrever o quão desprezível você é. Sinto tanta pena de você. 
- Isso é um término? 
- E você, continua apenas se preocupando com si mesma. De verdade, queria que me dissesse um dia como consegue ser tão indiferente, vendo essa situação. Situação, a qual você criou. 
- Ela só bateu a cabeça e caiu no chão. Só isso. Ela não morreu.
- Você ainda não percebeu? Valentina, ela não faz ideia de quem sou eu. Ela não faz ideia de quem você é. E muito menos, das outras pessoas que existiram na vida dela.
Valentina não respondeu. Estava completamente paralisada. Realmente, não acreditava no que ela tinha feito.


(...)
- Você é um parente dela? - o médico me perguntou
- Não, mas o pai dela pediu para eu ver o resultado dos exames.
- Tem como provar?
- Sim - mostrei uma espécie de carta com a assinatura dele.
- Está bem. - ele, finalmente, me entregou os papéis.
"Caro (a), senhor (a) Valente, 
Informo-lhe que Luna Valente, padece de amnésia. Não será necessário repouso. Chances poucas de recuperação.
     Atenciosamente, Clínica de Medicina do Colégio."
Não conseguia me mover. O máximo que alcancei foi o celular e mandar uma mensagem a Miguel.
Minutos depois, ele apareceu. Não sabia o que dizer, só entreguei o envelope.
Ele leu e ficou com a mesma expressão que eu. Talvez, até pior.
- Eu... não consigo... acreditar. Minha filha. Matteo, sei do que aconteceu entre você e Gastón. Não deixe suas diferenças estragarem uma amizade tão bonita. Por favor, tente ajudá-la. Sei que conseguirão. Tenho totalmente certeza que conhecem ela mais do que eu mesmo a conheço. Então, tente ajudá-la a se lembrar. Só te peço isto. Ela é uma das coisas mais importantes na minha vida.
- Na minha também - sorri fraco
Tinha que vê-la. Mas primeiro ver Gastón. E tentar falar com ele, para aumentar a trégua e ajudar nossa amiga. Apesar de tudo isso estar acontecendo, o que mais importava era ela. E somente, ela.
No meio do caminho, encontrei uma pessoa que ainda não sabia de nada. E isso era péssimo.
- Você não estava doente, Sabby?
- Melhorei mais rápido e eu queria ver Luna. Onde ela está? Queria saber as novidades. E abraçar minha amiga. Ela não me ligou nem mandou uma mensagem desde ontem a tarde. Estava preocupada.
- Você ainda não sabe. Ah, como isso é horrível.
- Saber de quê?
- Falar em voz alta, só torna tudo mais real... Ok, vou tentar te explicar da melhor maneira possível. Vou ser bem direto. Luna perdeu a memória.
- O QUÊ? COMO ASSIM? Matteo, isso não tem graça.
- Como eu queria que fosse brincadeira. Pelo que parece Valentina bateu na cabeça dela e nossa pequena esqueceu de todos. 
- EU VOU MATAR AQUELA GAROTA - Sabrina tentou correr mas eu a segurei
- Calma, calma. Apesar de eu ter certeza que foi ela, não temos provas. Estava indo encontrar Gastón para irmos falar com ela. Quer ir junto?
- Tá, tá. Mas depois, estilhaço ela com as mãos.
Depois de alguns minutos, o encontramos no alojamento novo.
- Oi.. - eu disse 
- É.. Oi, Matteo..
- Precisamos conversar. - expliquei tudo a ele. Sobre os resultados dos exames, Luna e a trégua. 
Por incrível que pareça, ele aceitou. 
Minutos depois, estávamos indo até o alojamento novo de Luna.
Chegamos e ela estava no sofá próximo a janela, observando o jardim do lado de fora. Como sempre.
- Oi, princesa.
- Ah, oi gente. Quem é a menina nova? - aquela pergunta ainda era estranha nos meus ouvidos. Ela se referia a Sabrina, sua melhor amiga.
- Eu sou.. Sabrina... Éramos melhores amigas. - Sabby olhou pra mim e sussurrou - Estou muito triste. Não acredito que isso está acontecendo.
- Lu, nós queremos te ajudar a lembrar. Mas para isso você tem que colaborar, ok?
- Tudo bem. O que tenho que fazer? - sua voz curiosa continuava a mesma. Sorri com aquilo.
- Venha conosco. - ela assentiu se levantando. Descíamos as escadas, até Lucas nos ver. Ele já sabia, mas parecia que não tinha visto Luna depois do acidente.
- Ela ainda está...? - assenti.
- Sim, Luna não se lembra de quem somos.
- Espera. Acho... que.. - ela interrompeu - Te conheço. Por acaso seu nome é... Lucas?


Notas Finais


E ai, o que acharam?
Luna lembra de Lucas? Mas espera, como? Ela não estava sem memória?
E ela ainda está. Só que...
É, se vocês pensaram que eu não irei contar spoilers, acertaram. Nos vemos no próximo capítulo. Beijosss ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...