História Our Scars - Capítulo 62


Escrita por: ~

Postado
Categorias Candice Accola, Ian Somerhalder, Joseph Morgan, Katerina Graham, Nina Dobrev, Paul Wesley, Phoebe Tonkin, Steven R. McQueen, The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Alaric Saltzman, Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Hayley Marshall, Isobel Flemming, Jeremy Gilbert, Klaus Mikaelson, Mary Louise, Matt Donovan, Olivia "Liv" Parker, Rebekah Mikaelson, Stefan Salvatore, Tyler Lockwood, Valerie Tulle
Tags Delena, Drama, Klaroline, Romance, Stelena
Exibições 111
Palavras 1.621
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpa pela demora amores! Quase 100 favoritos💜 obrigada.

Capítulo 62 - Real Love


Fanfic / Fanfiction Our Scars - Capítulo 62 - Real Love

POV Damon

Elena tinha mexido em algo delicado e complicado. Algo que ninguém havia ousado em mexer, incluindo eu. Lily Salvatore. A mulher autêntica e diferenciada pela sua classe. Sua vida havia mudado do dia pra noite depois de um terrível acidente que tirou a vida de seu motorista e tirado o movimento de suas pernas. 

Depois que minha mãe foi internada e quando constataram que ela havia perdido os movimentos, ela entrou em depressão. E pouco tempo depois enlouqueceu. 

- Acho melhor eu ir.- Stefan fala.

- Você não vai sair daqui até me contar o que sabe da minha mãe!

POV Elena

Eu me sentia culpada. Damon deveria estar querendo acabar comigo, jogar na minha cara o quanto estava com raiva. Respiro fundo secando minhas lágrimas. Miranda penteava meus cabelos em silêncio.

- Filha não se preocupe...

- Ele agora deve está com raiva, eu nunca deveria pedido ao Stefan...

- Você não pode passar o resto da vida se culpando. Elena, eu entendo.

- Eu não sei... Tudo isso me sufoca.- Mordo o lábio segurando minhas lágrimas. 

- Ei. Vem cá.- Viro abaixando minha cabeça, mas ela segura meu queixo.- Não deixe isso acabar com você. Katherine você têm um futuro lindo. 

- Mãe eu...

- É hora de deixar o passado de lado e amar. Amar e se dedicar a esse futuro.- Ela põe a mão sobre minha barriga.- Sua gravidez é de risco, precisa de cuidados e a mocinha está muito estressada.- Riu sem graça concordando.- Bonnie o que acha de fazer companhia a essa chatinha?

- Chata?

- Elena você é chata demais! - Minha amiga joga uma almofada.- Mas dar pra aguentar.

- Mentirosa! - Jogo de volta.- Obrigada...- Sorriu.

- Por te aguentar?

- Também, mas por está comigo desde os momentos obscuros até minhas crises de bipolaridade. Você têm sido uma amiga maravilhosa.

- Vou chorar Lena.- Bonnie brinca fazendo minha mãe ri.

- Me abraça.- Digo me levantando. Estava muito carente. 

Duas semanas depois...

POV Damon

Duas semanas havia se passado, Elena evitava o máximo falar comigo, na verdade os pais dela acharam melhor nos afastar por um tempo. Aquilo era torturante, porque eu desejava estar ao seu lado, mas ela se afastava. Elena agora está sendo acompanhada por uma psicologa. Jenna Summers. 

Eu queria contar a ela que em breve iria visitar minha mãe. Graças a ela e seu ex namorado descobrir o que tanto tortura minha mãe. A falsa loucura criada pelo meu pai. Meu sangue ferve só de pensar em tamanha frieza. 

Estou no jardim da bela e enorme mansão Gilbert observando Elena e a psicóloga caminharem pelo jardim. Não via minha namorada há alguns dias, estou hospedado em um hotel junto com meu filho. Elena parecia bem distraída, mal notou minha presença como sempre, desde que começou a ser analisada pela psicóloga.

- Ela ficará bastante feliz em ver você.- Miranda comenta também observando sua filha.- A Jenna disse que apesar dos poucos dias sendo acompanhada, ela vem demonstrado melhora.- Fico bastante feliz em saber.- Se sente mal por meu marido ter afastado vocês dois?

- É difícil ficar longe de quem se ama.- Ela sorrir concordando.- Só não quero que ela deixe de me amar.

- Acho isso meio difícil.- Miranda rir batendo no meu ombro.- O que acha de um chá? Daqui alguns minutos a Jenna parti.

Acompanho Miranda até a sala de estar. Seus serviçais nos servem educadamente, me sinto em casa.

- Sei que está investigando seu pai.- Miranda fala dando um gole no seu chá.

- Tia Miranda eu desconfio que existe alguém desviando dinheiro de uma das contas do meu pai.

- Como assim querido? - Ela olha pra mim sem entender.

- Hayley sempre fica com as planilhas de entrada e saída do saldo de contas do meu pai. Ela verificou nesses últimos meses e altos valores foram retirados.

- É preocupante. Acha que alguém esteja dando um golpe no seu pai?

- Licença Miranda, estou indo embora. A Elena continua no jardim.

- Obrigada Jenna.- Miranda agradece se levantando e indo até a psicóloga.

- Até mais.

Aproveitei que Miranda acompanhava Jenna e fui até o jardim encontrado Elena de costas segurando uma pequena caixa nas mãos. 

- Mãe? - Elena pergunta ouvindo meus passos.

- Não...- Ela fecha os olhos pondo a mão no peito.- Não foi minha intenção.

- O que faz aqui? - Sua voz saí falha, estava nervosa.

- Sei o quanto é difícil, mas não consigo passar mais um segundo sem você...

E sem menos esperar, Elena me beija. Um beijo cheio de saudades. Seguro sua cintura aprofundando cada vez mais nosso beijo, mas ela se afasta quando por acidente minhas mãos pousam em seus quadris.

- Me desculpa anjo eu...

- Eu te entendo.- Ela se afasta deslizando os dedos na caixa branca com listras azul marinho.- Você não consegue resistir...- Elena diz rindo sem graça.

- Isso é verdade, mas não sinto falta apenas do seu calor. Sinto falta de conversar com você. De ouvir seus pitis. De ver você sorrindo pra mim.- Ela sorrir com as bochechas coradas.- Como agora. Com as bochechas coradas.

- Preciso te mostrar algo.- Sento com ela na grama do belo jardim.- A Caroline comprou com ajuda da minha mãe.- Minha namorada entrega a caixa.- Sei que têm vindo aqui há dias. 

- O que é isso?

- É algo que nos representa agora.- Abro a caixa segurando as lágrimas. Eram dois sapatinhos de bebê. Tão delicados.- Agora somos futuros papais.

- Serei o melhor pai do mundo. Super paizão!- Ela concorda gargalhando, como sentir falta dessa risada gostosa.- Não ri. Meu filho será bonito como eu. As garotas vão pirá! - Ela ria com a cabeça já encostada no meu ombro.

- Impossível Salvatore. E se for uma garotinha?

- Torço pra ela nascer com a beleza da mãe, portanto ela ficará em casa. Nada de namoradinho até completar vinte e um.

- O que? Isso é ridículo Damon!

- Mas antes disso tudo... Eu preciso contar a minha mãe.

- O Stefan te contou.

- Ele contou tudo que eu precisava saber. Como ele teve coragem de provocar o acidente que tirou a vida do nosso motorista? E como ele teve coragem de fazer todos acreditarem que minha mãe ficou louca? - Giuseppe havia se tornado um monstro.

- Ei...Calma.- Seguro as mãos dela que estão no meu rosto.

- Ele destruiu a vida da Lily! Ele destruiu a minha vida.- Digo sentindo meu corpo fraquejar e minha alma gritar.

- A Caroline já sabe?

- Ela está tão bem com o Klaus, achei melhor contar no momento certo. Você acredita que ela anda saindo com a Rebekah?

- O que está acontecendo? Ontem Bonnie reatou com o namorado. Jeremy está saindo com uma garota. Deixa eu ver...

- Eu não me importo com nada agora...- Seguro seu queixo encarando aqueles lábios viciantes.- Quero apenas te beijar anjo.

Passamos o resto do dia ali. Deitados na grama encarando o céu azul. Acompanho ela entrando em seu quarto, ela meio que lutou para me deixar entrar.

- Como estão os ferimentos? - Toco no seu ombro que têm um pequeno arranhão.

- Praticamente sarados. Não se preocupe. Eu vou no banheiro já volto.

Eu não devia, mas estou vasculhando as coisas da minha namorada. Eu deveria confiar nela e esquecer tudo e seguir, certo? Mas não, estou procurando algum medicamento que ela pode ter tomado. Elena não era tão esperta no quesito esconder algo de mim. Ela tinha escondido atrás de suas roupas. Misoprostol. Medicamento abortivo.

- Damon? - Seguro firme o medicamento.- O que está fazendo? 

Vou até ela segurando seu rosto entre minhas mãos. Ela parecia assustada.

- Comprei na semana que a Jenna venho! Ela me fez mudar de ideia! - Elena se explicava nervosa.

- Jogar isso!

- Não acredita em mim? - Elena pergunta com os olhos já cheios de lágrimas.- Damon...

- Eu acredito em você, mas...- Ela toma das minhas mãos indo até o banheiro.

- Feliz? - Pergunta irônica.- Foi um momento difícil.

- Me desculpe anjo eu não queria ser grosso com você.

- Cala boca Salvatore! - Ela segura a gola da minha camisa.- Você fala tanto.- Riu segurando seu quadril envolvendo suas pernas na minha cintura. Sigo com ela em meu colo até sua cama.- Já pensou em como vai chamar nosso bebê?

- Não! Você que escolhe.- Aperto sua bunda fazendo ela respirar fundo.- Pequena você não está com fome?

- Estou cansada.

- O que acha do Salvatore aqui dormir com você? - Minha namorada nada fala.- Só dormir.

- Antes tenho que tomar um banho.

- Vou com você.- Elena não me impediu.

Tiramos nossas roupas ficando completamente nus entrando na banheira. 

- Isso é maravilhoso! - Digo sentindo a água quente relaxar meus músculos. 

- Damon...- Olho pra ela que está com a cabeça encostada e de olhos fechados, parecia refletir. - Me toca.- Mordo o lábio me aproximando dela. Seguro sua cintura a puxando para meu colo tocando partes de seu corpo de forma lenta. - Eu te amo...

Não fizemos nada além de trocar carícias. Elena vestiu uma roupa confortável e eu fiquei apenas de bermuda. A minha sorte era porque tinha deixado algumas roupas desde a última vez que estive aqui.

Deitei com Elena em sua cama alisando seus cabelos. Ela fechava os olhos lentamente, em poucos minutos ela acabaria dormindo. Tão serena.

Agora eu sabia, eu tinha certeza. Era real, era único e verdadeiro. O recomeço estava mais próximos de nós e nada nos impediria. 

- Esse é o nosso recomeço.- Digo próximo do seu ouvido.

 

 


Notas Finais


Até o próximo amores 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...