História Our soul - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Hong Jisoo "Joshua", Junghan "Jeonghan", Seungcheol "S.Coups"
Tags Jeongcheol, Jeonghan, Jihan, Joshua, Scoups, Seventeen
Exibições 36
Palavras 863
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela, Yaoi

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 11 - U t i


Fanfic / Fanfiction Our soul - Capítulo 11 - U t i

 

 

Não houve explicações, mei  se cuidou e como as famílias passaram a não se encontrar mais, ela não passou mais mal. Jeong encontrava com Jisoo todos os dias na escola , mas ele passou a notar que ele apenas poderia ser do garoto religioso de forma escondida. E não era isso que o chinês queria.

Por isso ele acabou aceitando namorar SeungCheol, ninguém entendia o que tinha feito o garoto novo aceitar o pedido de namoro, pra todos Cheol era  um estúpido, mas mal sabiam que ele se tratava de um desesperado, fazia de tudo pra que a atenção do namorado fosse totalmente sua, mas não estava funcionando o agradar tanto, estava enjoando Jeong.

Depois desses poucos meses que se passaram ,as coisas pareceram começar a se encaixar,a Rainha tornou a aparecer em um dia qualquer e não disse nada, apenas passou caminhando em meio a cozinha, acenou e saiu em direção a janela. Mei estranhou tal fato, mas entendeu o que estava acontecendo quando Jeong entrou esbaforido, trombando pela casa e gritando que ele não sabia o que fazer.

-Mãe! O pai do Jisoo sofreu um acidente mãe, você tem que ir lá ver como ele está. –

Mei sorriu notando a preocupação nos olhos arregalados do filho, o abraçou, acariciou seus cabelos e o fez se acalmar ate que tivesse entendido um pouco mais do tal acidente, e assim pode prometer que Iria visitá-lo. Mais a noite a rainha voltou,entrou no quarto e se sentou ao pé da cama suspirou e perguntou como a mulher estava, porem, não deu tempo pra que ela respondesse.

- Te dei um pouco de férias, bom o mundo espiritual ficou por um tempo tranquilo, o beijo e toda a troca de boas energias que o seu filho trocou com o príncipe Hong naquela noite, fez com que grande parte dos espíritos envolvidos encontrasse seus lugares e se mantivessem tranquilos. Mas Jeong foi contra todos os planos, Seungcheol é um ser que está sendo usado e controlado pelo espírito do meu marido, e sabendo disso eu tenho que te levar ao encontro dele.-

Eu apenas estava me focando em cada uma daquelas palavras que ela ia me dizendo, cada um daqueles detalhes, estava confusa, tinha varias perguntas pra fazer mas nunca tinha tempo e mesmo que eu não tivesse aceitado com todas as letras fui levada a um lugar lindo.Parecia um sitio, uma casa semelhante a uma casa de campo, paredes claras telhas de cerâmica e janelas grandes de madeira. Tudo era extremamente claro e aos poucos uma porção de pessoas começaram a aparecer, todos vestidos de branco, não estava sequer prestando atenção nessas pessoas, pelo menos até entrarmos em uma espécie de elevador, junto uma paz enorme me invadiu junto a vontade incontrolável que tive de chorar, imediatamente, o senhor que nos acompanhava se virou, era meu pai, ele estava bonito, sereno e a luz que emanava dele parecia me fazer querer explodir de tão forte, mas nenhuma palavra sequer foi dita, alguns sorrisos trocados e o nosso andar no subsolo chegou . Ele nos acompanhou ainda em silencio já que a rainha tornou a falar.

-Ele está numa espécie de coma, uma espécie de depressão muito forte se apossou e isso o revoltou, ele nunca foi uma pessoa  que se submetia a qualquer coisa. Por isso ele começou a controlar o namorado de jeong.

Era difícil de respirar ali, era escuro, uma luz verde iluminava a cama dele e as roupas claras se sobressaiam ,  ele estava abatido, magro, uma porção de aparelhos pareciam ligados em varias partes do seu corpo, alem de algo curioso e brilhante que saia do topo de sua cabeça e atravessava a parede pra não sei onde. Meu pai se aproximou da cama,tocou a testa do homem, fechou os olhos e começou a  parecer fazer uma oração, no mesmo instante fui empurrada delicadamente pra perto e então ele acordou.

Os olhos que inicialmente pareceram cansados inicialmente, se arregalaram e me olharam fixamente , me assustaram e então eu pude enfim  ouvi-lo.

- Mei! Você.. Eu estou sentindo muita dor, por favor.. Me perdoe! Eu não deveria ter te agredido nem fisicamente nem sentimentalmente, eu fui um péssimo esposo, você tem de cuidar bem do nosso filho e não deixar com que ele encontre alguém tão ruim quanto eu.-

-Jeong não esta feliz com o namorado dele,  eu penso que deveria tentar fazer com que ele fique com Jisoo. –

Mas mal terminei de falar e ele se ergueu, arrebentou alguns daqueles aparelhos ligados ao seu corpo e gritou

-NÃO! O HONG NÃO! ELE TEM DE FICAR COM O SEUNGCHEOL ...-

-Mas o Jeong ama o Jisoo.. – murmurei e ele tornou a interromper

- AMOR UMA OVA, EU NÃO VOU PERMITIR QUE FIQUEM JUNTOS, SE JEONG FICAR COM JISOO SEUNG MATA OS DOIS...EU NÃO VOU PERMITIR..

Os olhos daquele homem novamente mudou sua expressão, pareciam arder em fogo e me assustou de modo que acabei começando a chorar e nesse momento me arrastaram pra fora, mas assim que sai daquela sala apenas acordei, mas ainda sim estava completamente abalada.

-Matar.. não..- Resmunguei em meio as poucas lagrimas que escorriam pelo meu rosto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...