História Our Sweet Cat - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, TWICE
Tags Bangtan, Bts, Chantzu, Chanyeol, Exo, Jungkook, Lemon, Taehyung, Taetzu, Tzukook, Tzuyu
Exibições 63
Palavras 1.453
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fluffy, Hentai, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oieee minhas amoras 😍😍💞💞
Então
Espero que eu consiga seguir com essa fic até o final
Juro que vou tentar okay? Juro Juradinho *levanta o mindinho*

Então os três primeiros capítulos vão ser as apresentações de cada personagem, contando um pouco da vida deles e tal
Espero que gostem e se divirtam com a história
Beijos da Tia B 💞

Capítulo 1 - ChanYeol


Fanfic / Fanfiction Our Sweet Cat - Capítulo 1 - ChanYeol

Em pleno 2096, após a Terceira Guerra Mundial, já era comum a existência de híbridos entres os humanos após muitas experiências genéticas usando animais e os próprios... A nova "raça" foi muito bem aceita, mas como tudo tem seu lado ruim, acabaram mantendo um sistema de "castas" assim como as dos próprios humanos entre eles.

"Sempre uns serão melhor que outros apenas por existirem e terem poder sobre os inferiores a eles, isso sempre terá um lugar em nossa sociedade e teremos que aceitar calados"

ChanYeol

Estava frustrado. Se bem que não posso reclamar da minha vida, sempre tive tudo que quis. A família Park estava entre as famílias mais bem sucedidas do país. Meus pais, um empresário e uma advogada bem sucedidos. Ambos alfas. Tiveram três primogênitos. Eu, Park ChanYeol. Minha irmã mais nova, Park Ho e meu outro irmão mais velho adotado, Park MinSoo.

Estávamos todos sentados a mesa de carvalho que muito provavelmente deveria ser importada de algum país bem longe daqui como praticamente todas as coisas dessa maldita casa.

-"Como você se achou no direito de tomar essa decisão sem nos consultar antes MinSoo?!" - Meu pai esbravejava alterado após a notícia do filho mais velho de que havia pedido sua namorada Jung Mi em casamento. Os dois namoravam a cerca de dois anos, com muitos protestos de nossos pais por causa da pobre menina ser uma ômega.

-"Não entendo o porque disso... Eu a amo, não deveria ser o que importa?" - MinSoo se pronunciou baixo, seus olhos focados no garfo em que ele brincava com a comida intacta do prato.

- "Não interessa para mim!" - O alfa mais velho socou a mesa, se levantando da cadeira - "Você é o irmão mais velho dessa família,  deveria dar o exemplo para os mais novos! Não acredito que submeteu nossa família a tal vergonha, temos uma reputação a zelar MinSoo! Você deveria se casar com uma fêmea alfa que é o que você também é! Aquela..." Coisa" que você escolheu como esposa nunca chegará aos nossos pés, nem ela e nem a família, e você sabe disso!" - Meu pai mantinha um desgosto notável na voz. Permaneci calado, afundando na cadeira cada vez mais a cada grito assim como Ho...
Os olhos de MinSoo pareciam pegar fogo enquanto ele também se erguia da cadeira, encarando o alfa.

-"Nunca mais se refira a Jung Mi e sua família dessa forma!" - Gritou fazendo todos ali ficarem um tanto surpresos, até mesmo meu pai que nunca esperaria essa reação dele - "Eu a amo e me casarei com ela sim, não preciso da aprovação de vocês para nada que eu faço a partir de hoje, já sou mais velho, vocês dois só tinham controle sobre a minha vida pois eu morava de baixo do teto de vocês, mas irei embora hoje mesmo, me mudarei com Jung Mi para o centro da cidade, comprei uma casa lá com o dinheiro que consegui juntar trabalhando, formaremos uma família e seremos felizes juntos... Eu agradeço por terem cuidado de mim quando minha família me abandonou... Mas já que trago tanta desonra para essa, não faço parte mais dela a partir de hoje. Passar bem Park. - MinSoo agora mantinha o tom calmo em sua voz. Após terminar de falar apenas se curvou e deixou o cômodo. Ao se retirar ele olhou para mim e Ho com um olhar de... Pena
... Mas também consegui enxergar o pedido de desculpas em seus olhos. Ele me abandonou... O único em quem eu confiava e amava naquela casa... Acabou de me deixar.

- "Nunca mais se aproxime ou tente contato com a alguém dessa família!" - Meu pai falou alto o suficiente para quem estivesse até no segundo andar da grande casa conseguisse ouvir. Suspirei baixinho recebendo o olhar do alfa, o que acabou fazendo eu me encolher automaticamente. - "ChanYeol... Minhas esperanças estão em você e sua irmã... Me prometam que trarão orgulho para mim e sua mãe... - O mais velho suspirou cansado, se sentando novamente. Meu olhar se alternou entre ele, que nos encarava, minha mãe, que mantinha a cabeça baixa, jurei que a mesma estava segurando o choro, mas deveria ser só impressão, e minha irmã, que apenas assentiu, de cabeça erguida e confiante, como se nada tivesse acontecido. E eu... Fiz o mesmo. Trazer orgulho aos meus pais era a coisa que eu mais queria na vida.

( 3 anos depois...)

Desde que MinSoo foi embora meus pais caíram em cima me mim, sempre me cobrando para ser o filho perfeito. Como agora era o único filho homem e o mais velho dali, exigiam sempre mais de mim. Meu pai me treinava para herdar a empresa de marketing da família, a qual faturava bilhões de wons por ano. Era uma grande responsabilidade. E claro que iria assumir quando fosse preciso, meu pai já estava velho, e preocupado com isso já estava conformado de que em pouco tempo a empresa passaria para as minhas mãos.
Mas enquanto isso não acontecia eu poderia seguir meu sonho de investir na música. Que foi aceita depois de um pouco de insistência pelos meus pais.
Já fazia duas semanas que havia me mudado definitivamente para o dormitório da universidade. A idéia não me agradava no início, mas assim que vi o lugar, quis ficar. Não era a toa que era uma das mais caras do país. Era enorme. Tudo extremamente organizado, limpo e bem cuidado. Só pessoas da alta classe andavam por aqueles extensos corredores me fazendo ficar aliviado, pelo menos não trombaria com nenhuma "praga" imunda dos ômegas. Argh! São pobres... Vai saber se aquelas "coisas" tomam banho... Credo.

Era isso que eu pensava, até a Diretoria decidir fundar um programa de bolsas de estudos para os alunos mais inteligentes e prodígios de outras universidades, só que públicas... Tem como ficar pior? Tem sim! Eu teria um, ou uma, colega de quarto a partir de agora. Que ótimo... Quando eu estava adorando poder ficar escutando música alta o dia inteiro sem me preocupar com alguém reclamando no meu ouvido eu recebo essa notícia.

Havia acabado de voltar da aula de piano. Estava feliz. É um dos instrumentos que eu mais gosto de tocar. E aproveitei para terminar uma de minhas composições no final da aula. Também havia marcado de sair por aí com os meninos mais tarde, para passar o tempo. Não podia ficar melhor, até que cheguei a porta do meu quarto e percebi que a mesma estava entreaberta, achei estranho, pois eu sempre a tranco. Franzi o cenho abrindo a porta e ao entrar vejo uma mala azul aberta, porém vazia, em cima da cama extra do quarto e o armário extra, antes vazio, agora continha uma grande variedade de roupas coloridas perfeitamente organizadas. Uma menina de estatura baixa, comparada a mim, se virou após acabar de colocar o último casaco no cabide. Seus olhos da cor âmbar me analisaram por uns segundos antes da mesma abrir um sorriso alegre e começar a caminhar em minha direção e parar uns cinco passos de distância. Seu cheiro era muito diferente. Mas suas orelhas acima da cabeça já denunciavam o que era. Assim como aquela coisa branca e felpuda atrás dela balançando de um lado para o outro indicando que estava feliz. Uma gata, literalmente. Suas orelhas brancas se abaixaram, escondendo-se em meio ao cabelo castanho enquanto o rosto ficava vermelho. Acabei analisando demais sua boca, com lábios pequenos e vermelhos que revelavam um sorriso tímido, com dentes brancos e perfeitos, mas seus caninos eram mais afiados do que de uma pessoa normal.

- "Olá... M-me chamo Chou Tzuyu. D-desculpe entrar assim no seu quarto, a diretora me deu chaves reservas. Parece que vamos ser colegas de quarto agora..."

Franzi o cenho novamente e dei de ombros enquanto passava por ela, ignorando a mão estendida em minha direção para um cumprimento. Uma das coisas que eu mais odeio em ser um híbrido de lobo é meu olfato apurado, pois parecia que o quarto estava todo infestado com cheiro de pêssego agora. Não chegava a ser ruim... Mas era um pouco enjoativo.

-"Não me interessa seu nome, Cat..."- Esbocei um sorriso de deboche enquanto pronunciava o novo apelido da garota. Ela realmente achava que eu seria legal com alguém da classe dela? Poupe-me por favor - "Infelizmente teremos que ser colegas de quarto sim, não pense que estou feliz com sua presença aqui..." - Seu rosto estava tão vermelho quanto um pimentão, ela abaixou a cabeça e passou a fitar os pequenos pés dentro das sapatilhas brancas. Sorri vitorioso.

Acho que vai ser legal infernizar a vida dessa "praga" até ela pedir para mudar de quarto...


Notas Finais


Vocês devem ter odiado o Channie né? Eu também odiei! Como fui capaz de criar esse monstro? 😨
Juro pra vocês que ele vai mudar... (Ou não 🌚)
Bem peoples da minha life, até o próximo capítulo com a apresentação do próximo personagem 💞💞💞
Beijinhos da Tia B 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...