História Our Sweet Cat - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, TWICE
Tags Bangtan, Bts, Chantzu, Chanyeol, Exo, Jungkook, Lemon, Taehyung, Taetzu, Tzukook, Tzuyu
Exibições 48
Palavras 1.855
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fluffy, Hentai, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltei com a apresentação do Tae!!!!
Esse capítulo ficou grandinho porque estava realmente inspirada para escrever a história do Tae kk 💞

Boa leitura

Capítulo 2 - TaeHyung


Fanfic / Fanfiction Our Sweet Cat - Capítulo 2 - TaeHyung


TaeHyung

Sorri satisfeito comigo mesmo após acabar de arrumar a mesa de jantar. Me esforcei muito para fazer essa bendita lasanha à bolonhesa que estava me dando água na boca só de olhar. O queijo ainda borbulhava em cima da massa. Resolvi cozinhar após encontrar o velho livro de receitas da minha avó no fundo da gaveta, que já estava acumulando poeira aliás. Achei que minha mãe gostaria da surpresa para seu aniversário. Demorei muito, mas consegui arrumar a casa inteira, demorei cerca de 4 horas, mas valeu a pena ver tudo brilhando e com um cheirinho bom, agora eu preparei um jantar especial, só espero que esteja bom e ela goste de tudo após um dia longo de trabalho. Ela é faxineira no Queen Vell, um dos melhores hotéis de Daegu. Não tenho vergonha por ser um trabalho humilde, na verdade eu tenho orgulho, por ser um trabalho honesto, e por ela ser uma mulher guerreira, que batalhou muito para conseguir cuidar de mim desde que meu pai a abandonou assim que soube da gravidez.
Me encostei na pia, com os braços cruzados na altura do peito, encarando o teto, pensativo. Se ele voltasse, o que eu faria?...
O abraçaria fortemente, chorando enquanto recobrava todo o carinho de pai que não tive por todos esses anos? Ou me afastaria, com raiva e nojo do mesmo, por ter nos abandonado quando mais precisávamos?
Muito provavelmente a segunda opção. A raiva é bem maior que a "saudade", já que nunca ao menos o conheci...

Dei um pequeno pulo no lugar quando escutei a porta da frente bater e um sorriso automaticamente se formou em meu rosto. Em poucos passos eu já estava no meio da sala, assistindo minha mãe fazer o velho ritual de tirar os sapatos e os guardar no pequeno armário ao lado da porta, deixando sua pequena e gasta bolsa bege por lá também. Seus cabelos negros, já com alguns fios grisalhos por estar atingindo a idade, estavam amarrados em um coque, mas fios rebeldes estavam apontados pra cima. As rugas pelo seu rosto já bem visíveis marcavam sua pele que era clara como a luz da lua. Também haviam grandes orelhas escuras em baixo de seus olhos revelando as noites mal dormidas. Tudo isso eram meros detalhes que significavam para alguns que ela estava um pouco acabada, mas para mim... Ela estava linda. A humana mais linda de todas. Sim, minha mãe era uma humana e meu desaparecido pai, pelas poucas informações dele que consegui arrancar dela, era um híbrido de lobo. Resultando em mim, um meio a meio. Não nasci com orelhas acima da cabeça ou um rabo e agradeço muito por isso, a única anomalia física são meus olhos que são cinza claros, mas meus instintos são normais de um lobo. Já até me acostumei com a vontade de caçar os coelhos que vejo perto de casa... Mas pelo pouco que pesquisei sobre experiências genéticas, descobri que os híbridos de lobo curiosamente não tem as características físicas de um lobo, tirando a cor dos olhos, como orelhas, rabo ou até mesmo focinho. Graças aos céus.

Eu sorria de maneira torta, a observando enquanto a mesma ainda nem notara minha presença na sala. Me aproximei em passos rápidos e a envolvi com meus braços, em um abraço apertado.

- "Seja bem vinda em casa, Omma" - Respirei fundo, sentindo seu perfume de rosas, daqueles que pessoas velhas usam sabe? Mas eu gostava, era bom.
Seus braços se ergueram e eu esperava que ela retribuisse o abraço de urso, mas ao invés disso, suas mãos me afastaram, com certa brutalidade, de perto dela enquanto a mesma fazia uma careta de dor.

- "TaeHyung! Pare de gritar! E não me aperte, meu corpo está todo doendo! Eu estou com sono, vou subir e tomar um banho..." - Ela dizia séria com uma das mãos nas costas. A mais velha se dirigiu em direção às escadas de madeira.

Nas últimas semanas estivemos brigando constantemente, o dinheiro estava faltando, as contas para pagar acumulando e ela tendo que fazer hora extra para conseguir um aumento no salário que j era baixo. Por isso sempre chegava exausta e estressada em casa. Resultando em brigas sem motivo quando eu tentava contar alguma novidade do meu dia para ela.

-"Ma-mas Omma... É seu aniversário..." - Pronunciei depois de me recompor, estava um pouco pasmo. Ela havia esquecido do próprio aniversário? - "Eu arrumei a casa inteira... E fiz um jantar especial para você" - Minha expressão estava cabisbaixa enquanto eu brincava com os meus próprios dedos enquanto mantinha a cabeça abaixada - "Ah! Quase me esqueci... E tenho uma surpresa" - Ergui a cabeça de repente me lembrando da carta que havia chegado à tarde, sorrindo novamente.

- "TaeHyung..." - A morena estava com dois dedos em cada têmpora, as massageando de olhos fechados _ "Eu não estou com paciência para nada, estou com uma enxaqueca horrível. Não estou com fome... Se você sujou alguma coisa na cozinha, lave. Eu só quero subir, tomar um banho e dormir. Então por favor... Dá um tempo... Se quiser ser útil de alguma forma, deixe um copo de água no meu quarto e me deixe em paz hoje... Vai ser um ótimo presente de aniversário" - Ela pronunciou baixo, falando entre dentes, fazendo meu sorriso sumir com tal falta de compaixão. Meu coração se partiu com as palavras cruéis que saíram de sua boca. Mordi o lábio inferior, contendo o choro, e abaixei a cabeça, sentindo meus olhos lacrimejarem.
-"Sim, Omma..." - Falei baixo, escutando os passos na escada e logo eu estava sozinho novamente na sala. Soltei um suspiro baixo enquanto me direcionava para a cozinha e embrulhava a travessa de lasanha com papel alumínio, a colocando na geladeira, minha fome havia passado. Peguei o papel que cuidadosamente eu havia deixado dentro da mesma carta que havia chegado e o reli, ali noticiava que Kim Taehyung foi escolhido para o programa de bolsa de estudos da Universidade Hongik em Seul, uma das melhores e mais caras do país. Suspirei deixando o envelope em cima da mesa, de manhã ela veria.
Guardei as louças e talheres que antes estavam perfeitamente alinhadas em cima da mesa e subi com o copo de água, o deixando no quarto de minha mãe, o colocando na mesinha ao lado de sua cama, junto ao remédio de dor e seu calmante para dormir.

Meu quarto era bem simples, só havia uma cama de solteiro, um armário pequeno e uma mesinha velha de computador, que na verdade eu usava para estudar, pois não tinha condições de comprar um.
Era bem abafado mesmo com a janela aberta, então dormia apenas de boxer. Naquela noite dormi agarrado ao travesseiro depois de derramar algumas lágrimas no mesmo. Estava sentindo falta da minha antiga mãe, estava sentindo falta de carinho... Quero ir logo para Hongik... Não quero mais ser um maldito fardo para minha mãe.

( 2 semanas depois...)

Eu carregava a mala cinza pelo grande corredor da Universidade. Eu me sentia dentro de um dos doramas que minha mãe assistia na televisão.
Vocês devem estar se perguntando como ela reagiu. Bem... Quando minha mãe descobriu ela ficou feliz, pelo menos eu acho... Ela sorriu pequeno depois de ler o papel e me deu um rápido abraço, dizendo estar orgulhosa de mim.

- "Se você ficar com o olhar tão perdido assim vai acabar batendo de frente com um desses mauricinhos mal caráter..." - YoonGi se pronunciou, me tirando dos meus pensamentos e roubando minha atenção das grandes pilastras brancas e douradas que haviam em volta do prédio. YoonGi é um grande amigo se infância que, graças aos céus que ouviram minhas preces, também foi convocado para vir junto por seu notável e impressionante desenvolvimento de softwares para robôs que ganhou um concurso mundial o tornando bastante conhecido na nessa cidade e em Daegu, nossa cidade natal já que passou em vários programas de televisão.
Seus cabelos atualmente estão em tons mesclados de verde e seus olhos são castanhos, ele é dono de uma pele muito clara, o que o rendeu o apelido de "Suga".  YoonGi é humano e acha "muito interessante" o fato de eu ser metade lobo.

- "Perdão... Só estou impressionado em como aqui é grande e... Bonito... Nunca havia visto nada igual..." - Meu olhar é atraído para as pinturas famosas nas paredes, o que também fez YoonGi as olhar, não sabia se eram réplicas, mas parando para analisar todo a dinâmica do local não duvidava nada de que eram as originais.

Estava tão distraído admirando o local que acabei chocando de frente com alguém, fazendo as duas pessoas caírem de bunda no chão. Aish! Logo comigo... Agora minha bunda está dolorida...

- "Aigoo! M-mil desculpas! Eu não te vi, estava tão entretida conversando com meu amigo que acabei batendo em você! Você está bem?" - Uma voz doce começou a tagarelar de modo nervoso. Assim que olhei para a tal menina dona voz, a mesma estava praticamente em cima de mim, como se "conferisse" se estava tudo no lugar, seus grandes olhos da cor âmbar me hipnotizaram por tamanha beleza.

- "Tzuyu! Você é muito distraída! Quase que o garoto funde a própria bunda com o chão!" - Outro menino, que estava com ela, começa a falar, ele era um tanto baixinho e mantinha os braços cruzados. Sua pele era bem clara e os cabelos alaranjados faziam o mesmo chamar bastante atenção, já não bastasse por sua beleza, porque se eu falasse que o garoto é feio... Alguém por favor me dê um soco.  E acho que YoonGi também notou isso pois não parava de fitar o garoto de cima a baixo. O baixinho a puxou pelo braço,  a fazendo se levantar e, consequentemente, sair de cima de mim.

-"Jimin-Oppa! Pare de ser chato, eu só estava vendo se ele estava bem!" - A menina mantinha um bico nos lábios, a fazendo ficar extremamente fofa, e eu encarava a cena ainda sentado no chão com cara de idiota. Agora que a garota estava de pé, pude observá-la melhor, tinha pernas bonitas e um... Rabo... Branco e... Macio... Pois aquilo roçou na minha perna quando ela veio para cima.

- "Que seja, me desculpe pela minha amiga idiota garoto... Vamos logo Tzu, você ainda tem que achar o seu quarto!" - O alaranjado pegou a mala azul da garota que acabou caindo no chão com o nosso "encontro" e a arrastou pelo corredor com protestos de mesma, que ainda se virou e soltou um "Me desculpe" seguido de um "Tchau" com um aceno. Sorri de lado e apenas ergui a mão para ela, que voltou a seguir o amigo. Meus olhos seguiram até YoonGi que rindo, me deu a mão, ajudando-me a levantar e pegar minha mala que também havia caído.

- "Ok né... Um estressadinho e uma... Gatinha" - Ele ria colocando as mãos no bolso da calça jeans

- "Literalmente" - O acompanhei na risada enquanto voltávamos a seguir pelo corredor, na procura de nosso quarto que após muito sacrifício,  conseguíssemos que fossem o mesmo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado amores 💞
Sei que ficou meio triste a história dele e tals... *suspira* Desculpe

Notaram os primeiros indícios daquele Yoonmin maroto? 🌚 heuheuhue

Até o próximo capítulo 😍
Beijos da Tia B 💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...