História Out of everyday life - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ginga, Nijiiro
Visualizações 54
Palavras 2.501
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, Josei, Lemon, Lírica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Orange, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 10 - Dez


Na sala dos Usagit's, era presente Nijiiro, Ryoku, Yume, Itsuri, Takeo e mais dois capangas. Takeo fora chamado com urgência por Ryoku, e em menos de meia hora já estava presente, Nijiiro o olhava com fúria, tudo o que ele mais queria era pular em seu pescoço e rasgá-lo com a boca por ter deixado seu irmão ir para tal missão


Takeo: então?... Por que me chamaram aqui? - Takeo já tinha uma leve impressão do por quê que ele foi chamado, mas mesmo assim perguntou. Nijiiro suspira pesadamente e levanta do seu lugar no sofá, anda até Takeo, que observa seu corpo tão magro e com curvas tão ressaltadas, Nijiiro nem sequer tinha vestido algo, ainda continuava com a mesma cueca. Os capangas de Takeo também notaram aquele corpo, quem deixaria de notar um corpo tão escultural afinal?


Nijiiro: Natsu me atendeu e me mandou o código 456... - "se acontecer alguma coisa com o meu irmão, irá acontecer algo muito pior com você..." Takeo lembra das palavras que Nijiiro disse naquela manhã na mansão, seus olhos se arregalaram e olharam para Nijiiro, que tinha um olhar vazio em seus olhos - e você vai nos ajudar a resgatá-lo! - e com essa frase, essa pequena frase, Nijiiro puxa um canivete de trás de si e o bota no pescoço de Takeo, no mesmo instante em que Yume puxa uma espingarda, Ryoku uma arma pequena e Itsuri uma pequena granada, na qual ele já estava pronto para tirar o pino caso algo acontecesse, os capangas de Takeo não tiveram tempo de puxar suas armas de tão rápido que foi esse ato - não vai?... Afinal foi VOCÊ que o mandou para essa missão, e para quê? Só por uns diamantes? - Nijiiro deixou algumas lágrimas escorrerem


Takeo: ok... acho que em uma semana podemos por um plano de resgate em açã- - Nijiiro aperta mais o canivete, fazendo com que consequentemente um filete de sangue escorresse pelo seu pescoço - d-dois dias! Dois dias e tudo estará pronto! - Takeo suava frio, mas é claro, nunca viu um lado tão obscuro da família Usagit... Porém Nijiiro manteu seu canivete


Nijiiro: eu quero três passagens, Eu, Yume e Itsuri vamos, você tem apenas DOIS dias para conseguir essas passagens, arrumar um bom plano de resgate e fuga, arrumar reforços e treinar esses seus capangas de merda que não conseguem nem puxar uma arma na hora certa. Por que afinal de contas vamos para Los Angeles, uma das maiores cidades com tráfico de drogas, vamos lidar com outro tipo de máfia e Takeo você só tem DOIS dias para arrumar tudo isso para mim - Nijiiro o olhava intensamente, Takeo apenas o observava, sem poder dizer nada, Nijiiro abaixa seu canivete, fazendo assim sua família também guardar suas armas atrás do sofá, Nijiiro sorri docemente e segura o queixo de Takeo, o dando um selinho leve e rápido - sei que vai conseguir, caso o contrário eu vou te matar... - Nijiiro se senta em sua posição inicial ao lado de sua família-  sabe onde é a saída, já pode ir... - e com isso, Takeo sai pela porta da frente com seus capangas


Ryoku: e quanto a mim?... - Ryoku pergunta referindo-se ao resgate - eu não vou?...


Nijiiro: você tem um bebê agora dentro de você, por acaso quer perdê-lo? - Ryoku abaixa a cabeça e concorda em silêncio


Yume: eu... Eu vou arrumar minhas malas... Não sabemos por quanto tempo iremos ficar por lá... - Yume subiu as escadas e foi ao seu quarto, ela foi muito afetada com isso, e "arrumar as malas" era na verdade "chorar em posição fetal"


Itsuri: vamos subir Ryoku... - Itsuri sussurra no ouvido de sua esposa e a mesma concorda, deixando ser levada para seu quarto por seu marido, provavelmente quando os dois estivessem a sós, iriam chorar pelo seu filho, por que afinal ainda amavam Natsu, mesmo sabendo de seus erros, por que eles ainda eram uma família


Nijiiro acabou ficando sozinho mais uma vez, ele não tinha mais forças para chorar, mas o sentimento de vazio em seu coração continuava... Por algum motivo, Nijiiro lembra das palavras de sua mãe quando ele ainda era pequeno, quando ele tinha apenas 5 anos de idade...


~flashback on~


Nijiiro olhava pela janela da sala um casal feliz de mãos dadas, ambos pareciam muito felizes, parecia que eles poderiam viver toda a sua vida assim, felizes um com o outro... Nijiiro odiou isso, a felicidade dos outros o incomodava desde pequeno... Nijiiro tirou seu tapa olho e depois olhou para o casal


Nijiiro: discuta com ele... - Nijiiro diz olhando para a menina. Ela logo para de caminhar e solta bruscamente sua mão da mão de seu namorado, logo o empurrando, as cenas a seguir parecia-se com uma briga entre o casal - termine com ele... Mande ele encontrar outra... Fale para ele que gosta de outro... - a menina gritava com ele mais afoita que das outras vezes, o rapaz não sabia o que estava acontecendo com sua companheira, a menina corre de seu agora ex namorado e o deixa sozinho, esse que logo depois cai de joelhos e parece chorar... Nijiiro suspira e coloca seu tapa-olho de volta, logo indo até a cozinha, onde sua mãe fazia chocolate em calda


Ryoku: Nijiiro... - afirma a presença de seu filho na cozinha, Ryoku estava com a barriga no sétimo mês de gestação, esperava uma menina, esperava Yume - te deixo lamber a tigela de chocolate quando acabar aqui - Nijiiro sorri levemente com as palavras de sua mãe, mas ele estava ali para saber de outra coisa, e Ryoku tinha o receio de saber o que era essa outra coisa...


Nijiiro: por que eu me sinto tão vazio?... - seria cômico se não fosse tão triste, pois afinal de contas era apenas uma criança de 5 anos perguntando tal coisa para sua mãe. Ryoku já foi interrogada várias vezes com a mesma questão por parte de Nijiiro, e ela nunca sabia o que responder, porém dessa vez ela pegou Nijiiro no colo e o colou no balcão da cozinha, já sabendo o que responder


Ryoku: sabe Nijiiro... Quando eu tinha 15 anos, eu me sentia do mesmo jeito que você - Nijiiro prestava atenção no que sua mãe dizia - eu me sentia vazia por dentro, parecia que nada poderia preencher esse espaço vazio... Eu não tinha amigos, era muito fria com todos... Até que um garoto idiota veio até mim com a ideia mais idiota ainda de me "conhecer melhor"... - Ryoku solta uma risada baixa ao lembrar daquela época - é óbvio que eu me recusei a falar com ele de primeira, mas ele insistiu tanto que eu aceitei... E com isso nós nos apaixonamos... E sim, esse idiota era seu pai, que incrivelmente ainda continua idiota... - Nijiiro acompanhou sua mãe em uma risada - mas o eu eu quero dizer é: alguém vai vir na sua vida para preencher esse vazio dentro de você, assim como o seu pai fez comigo... Mas, caso você falhar e não conseguir segurar essa pessoa com unhas e dentes... Você pode se considerar uma pessoa morta por todo o resto de sua vida... - Nijiiro se assusta com o que sua mãe diz, e se ele não conseguisse segurar tal pessoa? Ele seria uma pessoa morta por dentro pelo resto de sua vida? Não ter amor de outra pessoa seria praticamente se sentenciar a morte? Era isso que sua mãe queria falar? Nijiiro estava muito confuso... - agora vá tomar um banho, seu irmão chegará mais tarde para brincar com você...


~flashback off~


Nijiiro: eu vou te salvar, afinal de contas... - Nijiiro funga seu nariz - afinal de contas, antes de sermos amantes somos uma família... - Nijiiro levanta do sofá da sala e vai até o quarto de Yume, ele abre a porta do quarto e encontra Yume sentada na ponta de sua cama, concentrada olhando para o nada - amanhã iremos treinar... - Nijiiro fecha a porta sem dizer mais nenhuma palavra, ele sabia que Yume já havia entendido, ele vai para o seu quarto e se prepara para dormir...


Mas é óbvio que ele não conseguiu dormir, ficou se revirando em sua cama até o momento em que seu celular apita, ele o pega agilmente, na esperança de ser Natsu, mas se decepciona um pouco ao ver que era Ginga o chamando no SNS


"Ginga: ainda acordado?

Nijiiro: sim

Ginga: olhe pela janela :>"


Nijiiro olha pela janela de seu quarto e percebe que ela tinha uma vista boa para a janela de Ginga, onde o mesmo apareceu com uma bola de pelo preta nos braços, que Nijiiro julgou ser seu coelho. Ginga liga para Nijiiro, que atende logo em seguida


Nijiiro: o que está fazendo com o meu coelho?


Ginga: eu não sei, eu já ia matar ele pensando que era um rato...


Nijiiro: como ele conseguiu chegar até aí?


Ginga: devem ter brechas em algum lugar das casas, elas já estão aqui por tanto tempo... Vai ver ele passou por essas brechas... - Nijiiro concorda, sem ter com o que puxar assunto - você vai pra aula amanhã? - Nijiiro pensa no treinamento que iria ter com Yume e solta um suspiro


Nijiiro: eu não vou poder ir... Sinto muito... - Nijiiro se perguntou do por que de estar se desculpando, ele não se desculpava nem com sua mãe


Ginga: ah... O que vai fazer amanhã? - Nijiiro pensou nas desculpas que poderia dar que não fossem tão falsas a ponto de Ginga o questionar


Nijiiro: eu... Tenho que testar os portes físicos de Yume amanhã de manhã, ela é a líder do clube de esportes afinal, tenho que ao menos fazer isso já que eu sou uma grande influência para o grêmio estudantil... Então isso significa que Yume também não vai poder ir amanhã - Nijiiro se auto glorifica pela mentira tão bem feita que ele havia feito de última hora


Ginga: ah... entendendo... Bom, então no caso, você vai ter que acordar cedo, não é?


Nijiiro: sim...


Ginga: então o que ainda está fazendo acordado? Não sabe que dormir tarde e acordar cedo não faz bem para o nosso metabolismo? Principalmente para nós jovens que ainda estamos em fase de crescimento? - Nijiiro suspira


Nijiiro: as vezes você é muito chato sabia? Eu já ia dormir, mas você me chamou, então... Tchau...


Ginga: tchau - a ligação é encerrada por Ginga, Nijiiro solta um riso abafado e fecha as cortinas de sua janela, vendo Ginga também fazer o mesmo. Nijiiro se deita levando apenas 10 minutos para adormecer dessa vez. Parece que falar com Ginga o fez se sentir bem de qualquer forma... Ele se sentiu bem falando com Ginga...


[...]


Nijiiro vestia roupas cinzas de moleton, sua calça e camisa eram de moleton, Yume também vestia a mesma coisa que Nijiiro, porém de cor rosa claro, quase um branco. Os irmãos iriam treinar até seus corpos gritarem "chega" naquela manhã. Porém os dois se encontravam orando no pequeno altar que tinha na parede da sala, uma oração que pedia pela sua proteção e pela proteção de seu irmão, na qual eles nem sabiam se estava vivo ou não


Nijiiro e Yume: ... satã esteja conosco, Ethan. E com seu espírito, Ethan... - Nijiiro e Yume terminam sua oração e olham um para o outro, logo depois os dois saíram em silêncio de casa, e assim que chegaram na calçada começaram a correr o mais rápido que podiam até um galpão que pertencia à Takeo, onde se era treinado os recrutas da gangue, lá seria um bom lugar para se treinar... E sem nem mesmo antes alongar eles correram, correram o máximo que puderam para chegar até o seu destino...


Eles correram cerca de 6km até chegar a tal galpão, que ficava em beira de estrada, eles pularam a cerca do mesmo e entraram, o primeiro passo ela treinar a pontaria, iriam usar muitos tipos de armas, então treinar isso era mais que necessário... Depois um pouco da defesa tanto de balas quanto de explosivos, depois os reflexos e por último o combate corpo a corpo para finalizar


[...]


Vou poupar vocês de tantos detalhes. Eles treinaram a manhã e tarde inteira, ambos já estavam pingados de suor e seus corpos estavam latejando de tanto cansaço... Yume tenta dar mais um murro em Nijiiro, esse que consegue desviar com um pouco de dificuldade, mas o mesmo se abaixa e da uma rasteira em Yume, que a faz cair deitada no barro seco


Yume: CHEGA!!! - a voz de Yume estava rouca por não ter tomado um pingo de água em todo o treino - c-chega... Chega... Vamos parar por aqui... - ela se levanta e se apoia nos joelhos


Nijiiro: vamos pra casa... - Nijiiro não ia mentir, também estava morrendo de cansaço, ele segue com Yume para fora do galpão onde eles pulam a cerca de metal e foram andando para sua casa


[...]


Nijiiro estava sentado na varanda de sua casa com Yume tomando sorvete, seus corpos estavam mais relaxados e menos tensos. Nijiiro olha para o lado e percebe que Ginga, Space e seus pais estavam de saída, provavelmente a família iria sair para algum lugar para se divertir. Mas assim que Space vê Yume, ela sorri, logo pedindo permissão de seus pais para atravessar a rua e ver sua amiga, Ginga faz a mesma coisa e segue Space para o outro lado da rua


Space: meu deus do céu, vocês estão todos roxos, isso é sangue na sua camisa Yume? - Space pergunta de uma forma preocupada para Yume


Yume: boa tarde também Space... - Space cora e sorri se aproximando de Yume, acabando por ficar no meio de suas pernas


Space: aahhh... Yume-chan você fica tão bonita sem seu tapa-olho... - Space elogia olhando fixamente o olho vermelho de Yume, a proximidade entre as duas era perigosa


Ginga: não sabia que o treinamento ia ser tão pesado ao ponto de vocês sangrarem...


Nijiiro: não foi tão pesado assim... Para nós não... Mas se vocês fossem provavelmente já estariam mortos... - Nijiiro não estava brincando, mas os irmãos Ritsu acabaram por levar na brincadeira e riram - é melhor vocês irem, seus pais estão esperando... - e com isso dito, eles se despedem e seguem até seus pais, Nijiiro e Yume terminam seu sorvete e entram em sua casa - acho que Space gosta de você...


Yume: eu tenho certeza... - os dois começam a subir as escadas em direção ao quarto


Nijiiro: e o que vai fazer a respeito?


Yume: eu não sei... Space é uma garota legal... Se tudo der certo quem sabe?... - Yume entra em seu quarto e Nijiiro entra no seu também "sempre soube que era sapatão" Nijiiro solta uma risada e tira sua roupa, logo depois indo ao banheiro para tomar um banho refrescante


Continua...?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...