História Out of everyday life - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ginga, Nijiiro
Visualizações 61
Palavras 3.636
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, Josei, Lemon, Lírica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Orange, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Quatro


Nijiiro: NATSU ISSO É LOUCURA!!! - Natsu estava no beliche de baixo enquanto ouvia as reclamações de Nijiiro, o mesmo andava de um lado para outro, extremamente irritado, Yume estava em um canto do quarto, se recusava em falar algo, mas sabia que precisava 


Yume: se você morrer eu invoco um demônio para te torturar no submundo!... - ela apenas diz isso apontando para a cara de Natsu e sai do quarto batendo a porta de uma forma violenta, Nijiiro volta a sua atenção para Natsu


Nijiiro: e agora hein Natsu? E se você morrer naquela merda Natsu? O que vai ser da gente hein Natsu? - Nijiiro falava como uma mãe


Natsu: vai ficar tudo bem...


Nijiiro: "Anh nanana Vai ficar tudo bem! Nanana! Determination nanana!" - Nijiiro imitava Natsu com uma voz idiota, o que seria engraçado, se o assunto não fosse sério - Natsu... - Nijiiro se senta ao lado do irmão e o olha com olhos de cachorrinho


Natsu: eu sei... E sinto muito... Mas pense nisso como apenas um passo adiante... Pode ser que futuramente eu até seja o dono dessa máfia... Veja com outros olhos por favor - Natsu encosta sua testa na de Nijiiro, o mais novo solta um suspiro e sorri logo em seguida


Nijiiro: booom... Eu espero que traga uma lembrança para mim... - Natsu solta uma risada, contagiando Nijiiro... Nijiiro mordia os lábios inferiores... Oh sim, Natsu odiava aquela mania estúpida, Nijiiro sempre fazia isso quando estava nervoso, Natsu se aproxima mais de Nijiiro quebrando o espaço entre eles com um selinho sem malícia alguma, apenas um inocente selinho entre irmãos


Natsu: eu vou falar com a mamãe e o papai... - ele diz se afastando, ele iria sair do quarto, mas se lembrou de algo e se virou para Nijiiro - Eu vou passar bastante um bom tempo em Los Angeles, sabe... Um bom tempo sem sexo... Então eu gostaria de uma despedida adequada... Já sabe como... - ele pisca para Nijiiro e sai finalmente do quarto, Nijiiro se joga na cama de baixo e suspira


Nijiiro: uma vez Natsu, sempre Natsu...


[...]


Ryoku e Itsuri estavam sala, ambos vendo um filme que Natsu não se deu ao trabalho de ver qual era, Natsu se pôs de pé de frente para eles, tapando a visão da tv e respirou fundo


Natsu: vou viajar amanhã para Los Angeles - Itsuri que tomava um copo de whisky, quase cuspiu tudo ao chão, Ryoku não teve outra reação que não fosse arquear um pouco as sobrancelhas


Itsuri: e podemos saber o por que? - ele diz limpando um pouco de whisky que escorria do canto de sua boca


Natsu: vai ser uma missão, vou entregar maconha para uma burguesa...


Itsuri: oh... Entendo... - ele deu o último gole em seu whisky e se levantou - você sabe que eu nunca gostei de você ir nessas "missões" meu filho... Mas se cuide ok? - ele afaga a cabeça de Natsu que sorri para o pai, Itsuri vai para a cozinha, provavelmente pegar mais whisky, Natsu olhou para a mãe, que não falava nada


Ryoku: ...pode trazer uma lembrança para mim? - depois de um tempo ela fala


Natsu: posso sim... - Natsu sorri e sobe as escadas 


[...]


Yume: eu realmente estou preocupada Nijiiro... - Ambos estavam deitados na cama de casal que Yume tinha em seu quarto, olhando para o teto, pensando em tudo... - e se ele não voltar?... Ninguém nunca voltou...


Nijiiro: não diga isso... Ele é o Natsu!... Ele nunca saiu com NENHUM arranhado de NENHUMA missão dada por Takeo, por que ele iria morrer agora? - Nijiiro falava tentando consolar Yume, era possível ver algumas lágrimas se formando no canto dos olhos da irmã


Yume: AhHhHhHh!!! Eu vou processar Natsu usagit!!! - ela enterra a cabeça nos lençóis - Vou processar Natsu Usagit por que ele é um homem que me faz sofreeer!!! - Nijiiro ao ver o drama que a irmã fazia, riu abafado 


Nijiiro: ok ok... - ele se levanta - vou me preparar - ele diz indo em direção à porta, na intenção de sair do quarto 


Yume: preparar para 'quê? - Nijiiro lança a ela um olhar de quem falava "já sabe" - oohh... Devo por os fones de ouvido no máximo?


Nijiiro: deve sim


[...]


Nijiiro estava saindo do banho, um bom e velho banho antes do sexo era sempre bom ao seu ver, ele não pretendia nem sequer se vestir, Natsu iria tirar todas as suas roupas de qualquer forma... 


A porta é aberta e Natsu entra, ele pega um casaco e veste 


Natsu: se vista rápido, te espero na garagem em cinco minutos - ele diz e em seguida sai do quarto, deixando um Nijiiro plantado com uma cara de quem não entendeu nada, era estranho ele querer sair à essa hora, já iria dar meia noite

Mas mesmo assim, Nijiiro passou um creme corporal de morango, o preferido de Natsu, vestiu uma roupa de frio, calça jeans, moleton, mais um casaco por cima e um sapato vermelho, logo em seguida se perfumando, uma fragrância adocicada... Nijiiro desce às escadas e vai para a porta dos fundos, onde entra na garagem e encontra Natsu encostado na sua moto


Nijiiro: qual o nosso destino? - ele diz se aproximando 


Natsu: segredo...


[...]


O frio era cortante... Nijiiro não sabia a quanto tempo os dois estavam correndo com a moto na estrada, mas não havia mais casas ao redor, apenas a estrada, logo a frente, Natsu avistou um posto de gasolina e foi parando a moto na intenção de reabastecer, Nijiiro desce da moto e anda até uma máquina que vendia doces, ele tirou um canivete do bolso e cortou alguns fios atrás da máquina, logo a luz dela é desligada, Nijiiro consegue abrir a máquina como se fosse uma geladeira, ele aprendeu esse truque com o seu pai, pegou algumas barras de cereais, pois não era muito chegado em doces fortes, enquanto isso Natsu abastecia o tanque da moto, Nijiiro se aproxima dele e o entrega uma barra


Natsu: 'pra quê isso?... - ele diz olhando para a barra


Nijiiro: 'pra enfiar no rabo - ele diz com um olhar de "você é burro? Que loucura!" e logo em seguida mordendo seu doce saudável, ambos terminaram seus lanches um pouco antes do tanque encher, e quando encheu, eles não esperaram e seguiram o caminho novamente - agora é sério, para onde vamos? - Nijiiro perguntava impaciente


Natsu: se você perguntar mais uma vez, juro por Zalgo que capoto a moto... - e nem uma palavra foi dita o caminho inteiro


[...]


Os dois chegaram em uma propriedade privada... Provavelmente era uma fazenda... Natsu parou a moto e Nijiiro desceu


Nijiiro: o que significa isso?... - ele olhava para Natsu de mãos cruzadas, esperando uma explicação


Natsu: venho observando as pessoas dessa casa... São um casal. O cara comprou essa fazenda recentemente, só para agradar sua amada ficante... Nessa hora os dois devem estar dormindo...


Nijiiro: isso não explica NADA Natsu... - Nijiiro já estava querendo montar naquela moto novamente e deixar Natsu sozinho na estrada - por que caralhos você me trouxe aqui?!


Natsu: a tanto tempo não nos divertimos Nijiiro - Natsu tira duas facas da cintura, uma de cada lado - e estou com tanto medo de essa ser a minha última noite com você... Você vai divertir seu irmão... Não é?... - Nijiiro sorri mostrando os dentes, Agora sim Natsu estava falando sua língua, Nijiiro pega uma das facas


Nijiiro: é claro, eu adoraria deixar sua noite mais agradável... - ele anda até o pequeno portão da fazenda, Nijiiro pula ele facilmente e olha para trás -  você não vem?


[...]


Abrir a porta da casa não foi nenhum pouco difícil para os dois, já tinham anos de experiência com isso, tanta que os dois usavam uma luva para não deixar digitais... Aquela casa era grande e rústica, e mesmo no escuro, Nijiiro via cada parte dela... Como se guardasse tudo na sua memória, Nijiiro foi para a cozinha e viu pendurado na parede uma coleção de facas, uma mais bonita que a outra, Nijiiro logo largou a que estava usando e pegou uma faca de cabo vermelho bem mais afiada... Nijiiro volta para Natsu na sala


Nijiiro: os quartos devem ser lá em cima... Vamos? - Nijiiro pegou na mão de seu irmão mais velho e subiu as escadas lentamente, ele não estava com pressa... A noite seria longa


[...]


Nijiiro observava de perto o casal dormir, Natsu estava sentado em uma cadeira um pouco distante, ele queria apenas aproveitar o show que o seu irmão mais novo iria dar... Nijiiro passa a faca lentamente pela bochecha da mulher... "Ela é tão bela..." Nijiiro pensa "deve foder legal para ganhar uma fazenda do namorado"... Uma vez Nijiiro sempre Nijiiro... Ele tampa a boca dela com força, fazendo a mesma acordar, mas não deu tempo para ela gritar ou chamar a atenção do seu namorado, pois uma faca já atravessava sua cabeça, Nijiiro tirou sua faca e a limpou em sua camisa, olhou para Natsu e o mesmo sorria, fazendo um sinal para que o mesmo continuasse, Nijiiro pegou o corpo da mulher e tirou da cama, pondo logo em seguida no chão, o travesseiro estava completamente melado de sangue, Nijiiro se deitou naquele lado da cama e abraçou o homem que ali estava deitado, o mesmo logo se meche e se vira para olhar sua "mulher"


???: Kelly?... - Nijiiro resmunga um "hurrum" fininho e chega mais perto do homem, que pela cara, ainda dormia - o que foi gatinha?... - o homem puxa Nijiiro pela cintura e da um beijo em sua bochecha, era óbvio que ele pensava que era a "Kelly" a quem ele estava beijando, Natsu se contia para não rir da cena e estragar tudo - não está com sono?... Você quer brincar mais? É isso?... - o homem tenta passar a mão pela intimidade de Nijiiro, mas se assustou quando encontrou uma pequena montanha ali - gatinha?...


Nijiiro: vamos brincar filho da puta... - Nijiiro sobe no colo do homem e aperta uma região em seu pescoço, o mesmo tenta se livrar de Nijiiro assim que percebeu o que estava acontecendo, mas já era tarde demais, Nijiiro já o tinha desacordado...


[...]


Nijiiro: bem vindo ao incrível e maravilhoso show dos irmãos Usagit! Entre e pegue a pipoca pois o show hoje é de graça!!! - Nijiiro falava para uma plateia invisível, estavam na sala, o homem que Nijiiro descobriu que se chamava Nicky, estava amarrado em uma cadeira, ele chorava e olhava para Nijiiro com uma cara de ódio, Natsu estava sentado no sofá, apenas observando aquilo como se fosse a coisa mais interessante do mundo - hoje aqui conosco temos um convidado especial! Nicky! Gostaria de falar algo? - Nijiiro diz ficando frente à frente com Nicky


Nicky: vai se foder sua putinha... - Nicky apesar do medo falou, pobre coitado, era melhor ele ter ficado de boca fechada, Natsu riu alto, jogando a cabeça para trás


Natsu: será que aqui tem pipoca? - ele se levanta indo para a cozinha, deixando Nijiiro sozinho com Nicky, Nijiiro pegou sua faca novamente


Nijiiro: o que deveria fazer com você... Nicky?... - ele diz enquanto rodopiava a faca


Natsu: já sei! - Natsu saiu da cozinha comendo um pacote de salgadinho, pois a pipoca não tinha - vamos mutilar ele, moer sua carne, misturar com ração e dar para os porcos que acabei de ver pela janela, que tal? - a cada palavra que Natsu soltava, o homem soltava uma lágrima - não fique assim, não é tão ruim acabar como esterco...


Nijiiro: você sempre tem as melhores ideias! Mas o que acha de antes brincarmos um pouquinho? - Nijiiro vai até a cozinha e volta com um alicate - pode tirar os sapatos dele? - Natsu deixa os salgadinhos de lado e tira os sapatos de Nicky


Nicky: por favor... - ele chorava como um bebê - vocês querem dinheiro? Eu tenho dinheiro! Vamos fazer um acordo! - Nijiiro não dava ouvidos, ele apenas se ajoelhou e prendeu uma das unhas de Nicky com o alicate, Nijiiro deu uma última olhada do homem antes de puxar com tudo o alicate, fazendo a unha sair por inteira - SEU FILHO DA PUTA!!! VOCÊ VAI QUEIMAR NO INFERNO SEU DESGRAÇADO!!! - Nicky gritava mais e mais


Nijiiro: eu já estava destinado a ir para o inferno no meu primeiro segundo de vida na terra... Te matar só vai me dar um passe V.I.P para conhecer Hitler... - e ao terminar a frase Nijiiro arranca mais uma unha do pé de Nicky... - Natsu, poderia ir na cozinha pegar sal, álcool, pimenta e tudo que for ardido? - Natsu afirma indo para a cozinha - hoje vai ser uma longa noite...


[...]


Nicky se encontrava com vários cortes, todos fundos e preenchidos com sal, se ele se se movimentasse doía, então apenas ficava parado, no mesmo lugar...


Nijiiro agora observava junto à Natsu sua perfeita "obra de arte", aquilo aos olhos de Nijiiro era lindo, Nicky tinha sua cara toda esfolada e não conseguia falar nada, Nijiiro tinha feito um bom trabalho...


Nijiiro finalmente tinha se cansado, ele pegou sua faca e cortou as cordas que seguravam Nicky, quando Nicky viu que Nijiiro o soltou, tentou correr, mas Nijiiro tinha antes cortado atrás do seu calcanhar, fazendo cada passo ser dolorido, pobre Nicky, não conseguida dar dois passos sem balbuciar em dor e sangrar pelas feridas em sua pele, Nicky conseguiu com muito esforço, sair andando pelas portas do fundo, Nijiiro e Natsu apenas o acompanhava, ele foi para o celeiro e lá parou ao ver que não tinha saída


Nijiiro foi até ele lentamente e tocou em seu rosto desfigurado, logo ele enfiou sua faca lentamente na barriga de Nicky, que não lutou, apenas ficou parado enquanto cospia sangue, como se tivesse subitamente desistido, Nicky cai de joelhos, deixando seu corpo inteiro cair em seguida, morrendo por fim... Tudo acabou ali, palmas foram ouvidas por trás de Nijiiro, que virou e encontrou Natsu o aplaudindo


Natsu: a quanto tempo não o via fazendo um show tão belo... - Nijiiro fazia reverências, como se estivesse agradecendo - agora nós temos que dar um jeito em tudo isso...


[...]


Depois de triturar os dois corpos, dar para os porcos e limpar qualquer vestígio de sangue, Nijiiro e Natsu se encontravam jogando cartas em frente a lareira da sala de jogos que a fazenda tinha


Natsu: bati! - ele diz mostrando todos os seus jogos na mesa - e bati pela terceira vez! Sabe oque isso significa...? - Nijiiro revira os olhos, em sua família o jogo era basicamente: se o oponente batesse 3 vezes seguidas, você teria que pagar uma prenda


Nijiiro: o que vai ser? - ele diz pegando todos os baralhos e embaralhado para assim poder jogar de novo, Ele viu Natsu aproximar o rosto e fazer um biquinho adorável em sua direção, Nijiiro sabendo o que Natsu queria, deu um selinho rápido no irmão, que inflou as bochechas com raiva


Natsu: assim não! Eu quero um beijo! - ele diz fazendo biquinho de novo


Nijiiro: e o que eu acabei de fazer? Foi um beijo não é? - ele diz distribuindo as cartas na mesa, Natsu suspira


Natsu: poderia por obséquio introduzir sua língua na minha cavidade bocal? - ele faz biquinho de novo e Nijiiro ri


Nijiiro deixa as cartas de lado e ataca os lábios de Natsu, era óbvio que eles não iam ficar só em beijos, Nijiiro sabia disso, até por que Natsu já estava o deitando no sofá e passando a mão por todo o corpo de Nijiiro, que só sabia gemer em meio as carícias recebidas pelo irmão... Eles esperaram muito para isso, Nijiiro iria dar a melhor noite para Natsu, já que iam ficar tanto tempo separados. O beijo foi rompido pela maldita falta de ar, o que fez com que Natsu descesse dos lábios para o pescoço, sentindo o gosto do hidratante de morango que Nijiiro havia passado, Nijiiro passava sua mão boba pelo membro de Natsu ainda coberto pela calça, logo abrindo o zíper da calça e massageando aquele membro ainda por cima da cueca box, Natsu deixou o pescoço de Nijiiro só para gemer no pé do ouvido do mesmo, ambos os dois eram muito bons na hora do sexo, então era praticamente uma loucura quando os dois faziam aquilo juntos... Natsu se levantou um pouco apenas para tirar e sua camisa e a camisa de Nijiiro, quando se deram por sí, todas as suas roupas já tinham voado pela sala, os dois corpos se encontravam juntos, pelados e cheios de desejo


Natsu se sentou no sofá e tocou na base do seu membro já ereto, ele olha para Nijiiro como se dissesse "já sabe o que tem que fazer", Nijiiro não ponderou, se levantou no sofá e se ajoelhou no meio das pernas de Natsu, o mesmo, esfregava seu membro no rosto de Nijiiro como um meio de provocação, e Nijiiro, sem esperar, abocanhou apenas a cabeça, passando a língua por ela toda, fazendo Natsu vez ou outra revirar os olhos com a sensação, a sucção que Nijiiro dava em seu membro era incrível, Natsu tirou as mãos da base de seu pênis e as encostou no sofá, deixando todo o trabalho do boquete com Nijiiro, o mesmo enfiou por completo o membro na boca assim que se cansou de puxar apenas a cabeça, Nijiiro conseguiu engolir toda aquela estrutura de 18 centímetros, chegava a ser impressionante, o mesmo nem sequer se sentia enjoado por ter ele tocando em sua garganta como a maioria se sentia... E quem ganhava com isso? Natsu é claro


Como se fosse pouco, Nijiiro começou a circundar com a língua o pênis de Natsu, que ainda estava todo em sua boca, Natsu jogou a cabeça para trás e começou a sussurrar palavras desconexas, quando foi que o seu irmãozinho tinha ficado tão bom no sexo oral? Ele se perguntava isso toda a vez. Nijiiro então começou a movimentar sua cabeça para frente e para trás, sempre fazendo questão de reproduzir sons eróticos com a boca, o que só piorava a situação de Natsu, que estava prestes a gozar, mas Nijiiro percebeu antes e deu uma última chupada forte antes de largar o membro do mais velho, que gemeu algo inaudível em protesto, isso fez Nijiiro dar uma boa risada e em seguida, subiu no colo de Natsu, fazendo os dois membros se encostarem e fazendo Nijiiro arfar junto à Natsu


Nijiiro: trouxe camisinhas?... - Natsu negou - droga... - Nijiiro sorri, sua barriga doía quando Natsu não usava camisinha e acabava por ejacular dentro de sí, pensava que era por conta do sêmen que custava a sair de dentro de si, mas faria uma exceção para aquela noite, até por que não dava mais para regressar


Nijiiro posicionou o membro de Natsu na sua entrada, o mesmo arfou e deitou sobre o sofá, para ter uma visão mais ampla de Nijiiro, Natsu gostava de quando Nijiiro ficava por cima (o que raramente acontecia) então tinha que aproveitar do melhor jeito o possível, tendo a melhor visão o possível


Nijiiro desceu lentamente, sua boca estava entreaberta, as sobrancelhas curvadas, sua expressão que fazia no momento era "estupravel", quando chegou até o final, soltou o ar que prendia dos pulmões e balançou o quadril, fazendo Natsu gemer seu nome e ao mesmo tempo, levar as duas mãos para cada lado das coxas de Nijiiro e cravar suas unhas ali, com certeza ficaria uma marca roxa horrível, sabia o quanto a pele de Nijiiro era sensível, mas essa era a intenção, deixar Nijiiro o mais marcado possível


Nijiiro começou com os movimentos de sobe e desce, sendo que toda a vez que chegava ao talo, soltava um gemido diferente, Natsu tinha vontade de guardar cada um deles para a viagem, os gemidos eram finos e sôfregos, dignos de um filme pornográfico


Nijiiro tinha suas pernas bambas, era possível ver um pouco de saliva no canto de sua boca e o olhar luxurioso, porém ele estava se cansando de quicar, e Natsu, quando percebeu isso, apenas jogou Nijiiro para trás, sem sair de dentro dele, e ficou na famosa posição "mamãe e papai", Nijiiro estranhou, já que nunca Natsu tinha feito isso com ele, porém não reclamou, ele tinha uma vista perfeita: Natsu com um olhar sôfrego e bochechas vermelhas


Logo Nijiiro sente uma das mãos de Natsu tocar o seu membro, o que fez Nijiiro soltar um gemido longo e logo por as mãos no peitoral de Natsu, arranhando em seguida, Natsu começa a se movimentar lentamente enquanto mordia o lábio inferior, na tentativa falha de conter seus gemidos, Nijiiro sabia como contrair seu interior para o deixar mais apertado do que já era, Natsu volta a olhar para Nijiiro e começa a estocar forte, e a medida que ia mais rápido, mais rápido ele movimentava sua mão, fazendo Nijiiro praticamente gritar para que ele fosse mais e mais rápido, Natsu sentia que ambos já estavam chegando, então com isso em mente, se aproximou de Nijiiro e lhe deu um beijo, não um selinho, um beijo de verdade, e enquanto eles se beijavam, o ápice veio, os gemidos dos dois foram abafados pelo beijo, e Natsu só deixou os lábios de Nijiiro, quando finalmente o orgasmo de ambos acabaram... E assim que acabou, Nijiiro olhou espantado para o irmão...


Natsu: o que foi?... - ele diz encostando a testa na de Nijiiro - não gostou?...


Nijiiro: eu adorei mas... Por que você foi tão gentil comigo?... 


Continua?...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...