História Outlaw - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Festa Rachas Dinheiro Sexo Adolescente Colegial
Exibições 26
Palavras 702
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boom dia
Feliz dia das crianças para nossos pequenos, feliz dia das crianças para nós adolescentes, feliz dia da criança para os avós, feliz dia das crianças a todos aqueles que mantem um sonho vivo em sua alma, feliz dia da criançada
Tenham uma ótima leitura
Amo vocês

Capítulo 25 - Ameaça


Fanfic / Fanfiction Outlaw - Capítulo 25 - Ameaça

Rodrigo On~
Acordamos tarde hoje, a luz era forte e o hotel estava em silencio só se ouvia os carrinhos de serviço de quarto pelo corredor, levantamos e fui pro chuveiro, o silencio era mutuo sabíamos que estávamos sofrendo cada um sua dor por termos que voltar para vida real, descemos e tomamos café da manhã em um chalé de comidas caseiras, o lugar trazia uma nostalgia deixando tudo ficar mais difícil, entramos no carro e estou dirigindo por horas, ainda em silencio, conversamos pouco e o silencio volta a tona, no radio da cidade avisa que hoje fará sol, logo em seguida toca Blank Space da Taylor Sulfite (adoro zoar o nome dela), Ariel sorri e eu resisto em mudar a música para irrita-lá, curtimos a moda pop dela por um tempo ainda conversando pouco sobre as coisas, faltam 20 km para voltarmos para a vida real, paramos para almoçar e a irrito mais um pouco, ela ri  e brincamos o almoço todo até voltarmos para a estrada, 10 km pra vida real, no rádio tocava New Divide do Linkin Park, a volta para casa parecia passar como um raio, como se tivéssemos de avião ou em um trem bala 3 km, a noite caia, lugares conhecidos passando pela janela como cenas de filme já eram conhecidos, nunca pensei que sentiria um aperto desses no peito, agora o cenário era familiar, estávamos de frente do seu condomínio, com o freio de mão puxado mantive o foco no para brisa.
   - Obrigada por me fazer fugir da realidade - Sorriu
   - Magina - Sorri de lado
   - Roh….eu ….e…- Disse e seus olhos encontraram os meus, sua camisa subia e descia com o ritmo da sua respiração, ela sorriu e não resisti, peguei na sua nuca e a beijei, pedi passagem com a lingua e ela abriu espaço, explorei a sua boca macia e quente, com a mão direita a levantei passando pelo freio de mão e a fazendo sentar no meu colo, minhas duas mãos estavam em sua cintura a apertando contra mim e suas mãos estavam no meu rosto nos separamos para respirar e suas costas se chocaram com o volante pressionando a buzina.
   Gargalhada - Desculpa - Disse ela rindo
  - Relaxa - RI com ela ainda no meu colo
  - Eu preciso ir - Sorriu
  - Tudo bem
Ela saiu do meu colo pegando sua bolsa e abrindo a porta.
  - Thau - Disse antes de fechar a porta
Ela respirou fundo e entrou em casa, e eu me joguei no banco do carro repassando os últimos minutos, sorri com aquilo e liguei o carro.
Rodrigo Off~
Kaue On~
Estava de noite,  mandei mensagem para Rebecca me encontrar no mesmo lugar de sempre ela recusou no começo mais depois se um pouco de charme cedeu, acabara de estacionar na frente de uma mercearia fechada e segui para uma viela mal iluminada atrás do deposito da mesma e lá estava ela sorrindo quando me viu, sorri em resposta e fui pra perto dela, que sorriu mais ainda ela se encostou em uma pilha de caixas.
  - Sabia que sentia minha falta - Disse
- Você não tem ideia - Sorri aproximando meu corpo do dela - Fecha os olhos - Pedi
  Ela fechou os olhos e abriu um largo sorri, com a mão esquerda segurei seu pescoço com força, ela abriu os olhos e tentou gritar.
   - Você não tem ideia de com quem esta lidando sua vaca mimada, me deixa em paz ou eu vou fazer coisas que você não vai gostar entendeu?
  Ela fez que sim, seu rosto estava vermelha e ela estava sufocada, mantive minha mae firme no seu pescoço quando tirei a adaga do bolso ela começou a chorar, sorri ao ver a sua reação cravei a adaga numa das caixas e desci rasgando a mesma bem próximo do seu rosto.
  - Espero que ninguém saiba da nossa conversinha, ou vou ser obrigado a arruinar a sua vida inutil, entendeu querida - Disse passando a ponta da lamina sobre seu rosto, ela acentiu e soltei seu pescoço ela caiu no chão entre soluços e tentar respirar, apenas me virei e voltei pro carro.
Kaue Off~


Notas Finais


Beijokasss ❤ capitulo curto se der posto outro hoje mesmo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...