História Outro Mundo - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Academia de Vampiros (Vampire Academy), Danila Kozlovsky, Zoey Deutch
Personagens Adrian Ivashkov, Christian Ozera, Dimitri Belikov, Rosemarie "Rose" Hathaway, Stan Alto, Tasha Ozera, Vasilisa "Lissa" Dragomir
Tags Dimitri Belikov, Lissa Dragomir, Romitri, Rose Hathaway, Vampire Academy
Exibições 46
Palavras 3.179
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Amigas, eu estou voltando cedinho em plena sexta-feira (Sexta não é dia de postagem) pq o próximo é extra do Dimitri, vcs vão ver, o russo vai precisar se explicar.

Capítulo 10 - Atração mútua e oculta


    Depois da minha tentativa fracassada de viver no meu horário humano por um dia, infelizmente eu percebi que o traidor do meu corpo se acostumou com o horários dos vampiros, e com pouco mais de uma semana que eu vim parar aqui, ele nem se queixava mais de sono e sim de cansaço por conta dos treinos. Eu juro que tem momentos que eu acho que não vou aguentar, e eu ainda não descobri o que aconteceu na Pensilvânia. Tudo o que eu sei é que lá é onde fica a corte do mundo moroi.

    Me revirei na cama e senti meu rosto ir contra um livro, logo depois senti meu pé acidentalmente derrubar outro livro no chão que eu presumi ser o de biologia. Merda! Acho que dormi enquanto eu estudava alguns livros que o Stan tinha me passado logo depois que eu terminei meu trabalho de biologia. Não estava sendo fácil eu tentar absorver tudo o que Stan tinha para me ensinar porque ele simplesmente não me suportava, e eu nem sei o que eu fiz para ele. Tudo bem, talvez o fato de eu ter chegado atrasada na aula dele uma ou duas vezes contribuíssem. 

    Me levantei preguiçosamente da cama e sorri ao imaginar que se eu estivesse na California uma hora dessas, eu estaria deitada na minha cama, ou talvez esparramada em algum sofá da minha casa com os meus amigos, com Dave observando tudo de longe, e estaríamos comentando sobre o nosso primeiro último dia de aula da escola Mckinley para os formandos de 2016. Fazia apenas pouco mais de uma semana que a minha vida tinha virado de cabeça para baixo, mas eu já sentia falta dos meus amigos. 

    Observando a calça legging preta que marcava bem as minhas curvas, eu me perguntei se a blusa cinza feita de um tecido grosso, que ia até a altura do meu umbigo e possuía mangas frouxas que iam até os meus cotovelos, iria me esquentar o suficiente para o treino matinal de hoje, já que os treinos matinais se resumiam em corridas ao redor do ginásio, mas ficando em dúvida, eu escolhi uma regata branca por baixo da blusa. 

    Fui para o meu treino com Dimitri e agradeci a escolha da blusa grossa, estava muito frio e caía uma coisa que eu acho que era neve fora de época. Por causa disso, Dimitri não me mandou fazer a mini maratona que eu fazia toda manhã. Fiquei um pouco desapontada pois eu realmente queria sentir a neve cair. 

    Por causa dos exercícios que eu estava fazendo, a blusa grossa se tornou incômoda demais, não que dentro do ginásio estivesse quente, mas com todo o calor que o meu corpo produzia ela se tornou desnecessária. Pedi tempo para Dimitri e virei de costas para ele e subi a blusa pelo meu tronco, agradecendo por eu estar vestida com uma regata branca por baixo, mas quando a blusa estava passando pelo meu pescoço, eu senti algo se agarrar ao elástico de meu cabelo, impedindo que eu me livrasse da peça. Logo constatei ser o pingente da marca da blusa. 

  -Por que esses malditos fabricantes colocam esses pingentes só para mostrar que essa droga é de marca? - Eu murmurei enquanto tentava tirar a blusa a todo custo. 

    A cena já estava se tornando patética e eu não iria pedir a ajuda de Dimitri com isso, quando eu já estava decidida a por a blusa de volta no lugar dela, eu sinto as mãos de Dimitri no meu cabelo.

  -Não se mexa. - Ele disse calmo enquanto mexia nos meus cabelos com uma só mão.

  -Ok. - Eu disse rápido e tentando ignorar o fato de ele estar a poucos centímetros de distância.

    Eu senti um barulho de tesoura perto dos meus cabelos e instintivamente me virei para frente, saindo do seu alcance e com a blusa já nas minhas mãos, eu o olhei horrorizada e questionei:

  -Você cortou o meu cabelo?

  -Não. - Ele disse um pouco divertido, com certeza se esbaldando com a minha desgraça, mas rapidamente colocou sua máscara de indiferença de volta - Eu cortei a linha do pingente que segurava ele a sua blusa. O pingente ainda está no mesmo lugar, já que você não me deixou tirar. 

  -Obrigada. - Eu disse sem graça e tentando tirar o pingente do meu cabelo, mas ele não saía, então eu puxei o elástico e resolvi deixar meus cabelos soltos - Pingente estúpido... 

  -Acho que chega de treino essa manhã. Isso doeu? 

  -Não, Camarada. - Eu disse enquanto esfregava minhas mãos pelo meu couro cabeludo - Acho que só arrancou alguns fios. Seus treinos me machucam mais. - Eu disse com uma pontada de humor na voz.

  -Você só reclamou nos dois primeiros dias. - Ele voltou com o seu tom de voz habitual - Eu disse que você iria se acostumar.

  -Sim, você disse. - Eu sorri minimamente para ele e, desistindo do meu elástico de cabelo, eu o joguei em cima de uma mesinha de apoio e comecei a juntar minha toalha e minha garrafinha d'água. E você também disse que eu era boa e tinha potencial.

    Nós caminhamos em silêncio para fora e quando eu saí, eu senti o quanto estava frio. Definitivamente eu quero de volta todo o calor que as praias da California poderiam oferecer. Eu olhei para a minha blusa pensando em vestir ela novamente, mas todo o trabalho e constrangimento que eu passei para tirá-la não valeriam de nada, então eu decidi aguentar o frio por mais alguns minutos até eu chegar no meu dormitório. 

    Eu olhei para Dimitri e me permiti apreciar o quanto ele estava lindo hoje. Ele estava concentrado em alguma coisa nas suas mãos que eu não dei importância, e seus cabelos presos por um elástico, junto com sua blusa de treinamento preta que ia até seus pulsos e suas calças que o deixavam incrivelmente sexy, me fizeram morder o lábio e olhar discretamente para o outro lado. Eles não podiam ter me arranjado um mentor menos sexy? Que droga!! Eu sabia que olhar para ele desse jeito era errado, eu sabia disso desde quando Cassie, aos 16 anos, se envolveu com um professor de ed. física 6 anos mais velho que ela. E eu ainda me lembro do quanto repreendi minha amiga por isso, e do quanto fiquei aliviada quando ouvi da boca dela "Foi só uma transa. Nosso joguinho de sedução foi bom mas acabou."

  -Tome. - Eu escutei a voz de Dimitri e olhei na sua direção novamente.

    Eu vi que ele estava me entregando o meu elástico e o pingente, e que ele ficou concentrado esse tempo todo em separar eles. Agradeci por essa pequena ocupação, porque aí ele não percebia que eu estava em uma luta interna comigo mesma por achar ele tão bonito. 

  -Obrigada. - Eu sorri na sua direção e peguei meu elástico - E obrigada também por não cortar meu cabelo. 

  -Eu jamais cortaria o seu cabelo, Rose. - Ele disse e soltou um pequeno, quase inexistente, sorriso. Dimitri me olhou por mais três segundos e depois foi embora. 

    Merda! Mil vezes merda! Eu definitivamente estava atraída por Dimitri Belikov, o meu mentor. 

    Entrei no meu dormitório e parei para refletir por um tempo sobre Dimitri. Ok, era só atração. Seria até estranho se eu não me sentisse atraída por ele, o cara é lindo demais. Mas era só isso, uma pequena atração, não chegava nem a ser uma paixonite de aluna pelo professor. Eu era capaz de lidar com isso.

    Já no refeitório para tomar café da manhã, eu sentei ao lado de Mason e recebi um abraço e um beijo na bochecha.

  -Você está linda hoje, Hathaway. - Ele piscou para mim.

  -Eu estou como todos os dias, Mase. - Eu revirei os olhos e dei um gole no meu suco.

  -Então ainda bem que você sabe que todos os dias você está linda. - Mason falou rindo.

  -Cara, não tem nem duas semanas que a garota chegou e você já está dando em cima dela. Fuja enquanto você pode, Rose. - Eddie falou fazendo com que todos na mesa rissem.

  -Não sou eu quem tem que fugir. - Eu disse olhando para Mason e pensando, só pensando que talvez, ele fosse bom para apenas uma ficada.

                                                 

    Naquele mesmo dia, eu decidi chegar atrasada na aula de Dimitri para ficar conversando um pouco com Lissa e Natalie. Depois de oito horários dentro de uma sala de aula, e com apenas um intervalo de meia hora entre os treinos, eu precisava me dar ao luxo de por o papo em dia com as minhas amigas.

  -Então quer dizer que você nunca namorou? - Lissa me perguntou perplexa.

  -Não. - Eu dei de ombros.

  -E todos os caras que você ficou? Nenhum deles era bom o bastante? - Natalie parecia surpresa - Eu também nunca namorei.

  -Eles eram ok, mas não eram bons o bastante para serem meus namorados. Alguns eram entediantes e chatos, outros quando viam Dave saiam correndo, alguns queriam algo sério mas eu não, e por fim, outros só queriam sexo mesmo. - Eu dei de ombros - Mas nenhum deles, sei lá, nunca despertaram algo mais em mim, era só diversão e pronto.

  -Você teve várias opções então. - Natalie dizia curiosa.

  -Sim, eu tive. - Eu sorri.

  -Então, Natalie - Lissa falou e eu pude sentir pelo laço que ela queria falar comigo em particular - Você pode ir atrás do Christian e dizer para ele que eu estou pedindo para que ele venha aqui?

  -Claro. - Ela disse sorridente e saiu.

  -O que foi? - Eu perguntei curiosa - O que você quer falar?

  -Eu quero saber com quais você já transou! - Ela disse empolgada e no mesmo momento eu travei.

    Ela pensava que eu tinha transado com algum deles? Oh meu deus! Não, definitivamente não. Todos eles não passaram de uns amassos. Até parece que eu ia perder minha virgindade com alguém que eu nem considero bom o bastante para ser meu namorado. 

  -Liss, eu... - Eu estava um pouco embaraçada para falar isso - Eu não...

  -Oh meu deus! Você é virgem! - Ela disse baixo e completamente chocada.

  -Claro que eu sou! Você acha mesmo que eu ia fazer algo mais do que beijar com alguém que não fosse bom o suficiente nem para ser meu namorado? 

  -E os que queriam só sexo? - Ela perguntou em um tom incrédulo que me faria ficar ofendida, mas pelo laço eu pude sentir que ela acreditava em mim.

  -Desses que eu fugia mesmo! - Eu ri. 

  -Mas você nunca conheceu um garoto que você já chegou a considerar? 

    Eu pensei um tempo na sua pergunta antes de responder. Tinha um garoto sim, e ele era tudo de bom, mas mais uma vez faltava nele aquela coisa que eu não sabia explicar, aquela coisa que me impedia de corresponder os sentimentos dele. 

  -Derek Ryan. - Eu disse de uma vez - Ele é da minha antiga escola, capitão do time de basquete. 

  -Ah! - Lissa soltou alguns gritinhos e bateu palmas - Me conte tudo!

  -Bem, nós tivemos que fazer par para um trabalho de química, ele era legal e rolou. Ele era o mais concorrido da escola. - Eu ri com a lembrança - Ele era gentil, carinhoso, engraçado e sabia me respeitar. Ele nem se importou com o fato de na época terem espalhado um boato que eu dormi com o time inteiro de futebol americano quando na verdade eu só fiquei com dois, e esses dois eram justamente os que queriam apenas sexo - Eu revirei os olhos, sendo acompanhada por Lissa - Até Dave gostava dele.

  -Como ele era fisicamente? - Lissa não se continha de empolgação.

  -Maravilhoso, da cor do pecado e com um bíceps de dar inveja! - Eu disse verdadeiramente empolgada - Mas ele não... - Eu não consegui terminar e acho que ela entendeu.

  -Entendo. - Ela sorriu - Ele era tudo de bom mas não era o SEU tudo de bom.

  -Exatamente! - Eu ri e eu senti ela ficar tensa pelo laço - Lissa, você est...

  -Srta Hathaway! - A voz de Dimitri soou ríspida atrás de mim - Você está atrasada vinte minutos.  

    Srta Hathaway? Dimitri furioso? Tô fodida. 

  -Princesa. - Ele disse fazendo uma reverência com a cabeça.

  -Dimitri, não precisa disso. - Lissa sorriu sem graça e eu fiz um gesto para ela ir - Eu tenho que ir embora. Até mais tarde. 

    Pedindo, na verdade suplicando, a qualquer deus que ele não tenha ouvido minha conversa com Lissa, eu me virei para ele e vi que ele não estava com o seu melhor humor. Ele se virou na direção oposta e começou a caminhar e eu o segui. Ele era alto e dava passos largos, e eu praticamente corria para não ficar atrás.

  -Ei Camarada, você quer me fazer correr uma maratona? 

  -Não me chame assim, eu já lhe disse! - Ele falou irritado e eu sorri internamente - Você é irresponsável! sempre chega atrasada nas aulas durante a manhã, e agora chega atrasada para ficar batendo papo com a princesa. Você não está aqui de férias, será que já não lhe disseram isso? Honre os seus compromissos e chegue no horário. Eu tenho mais o que fazer! - Ele disse ríspido e andando mais rápido. 

    Todo o progresso que nós fizemos durante essa semana foi por água abaixo ali mesmo. Eu parei de andar completamente irritada e ele só percebeu isso quando já estava a uns cinco metros de distância de mim. Ao perceber que eu não o acompanhava, ele parou bruscamente e se virou para trás.

    Minha vez.

  -Que porra você acha que eu sou? - Eu gritei completamente irritada e fui na sua direção - Quem você pensa que é para falar assim comigo? 

  -Você é só uma garota fútil e mimada que nem capaz de honrar seus compromissos é. E eu posso falar dessa maneira porque eu sou o seu mentor, e se você continuar chegando atrasada desse jeito nós vamos ter sérios problemas. - Ele disse baixo mas com a voz firme e autoritária. 

    Então ele achava que eu era o típico esteriótipo de garota rica? Esse homem não sabia nada sobre mim e saía me julgando somente pelas aparências. Eu não era fútil, e muito menos mimada. Eu posso ser rebelde, problemática e impulsiva, mas se tem uma coisa que eu não sou é fútil e mimada. Isso foi uma coisa que Abe e Ana nunca permitiram que eu fosse. 

  -Só porque você está sendo obrigado a perder o seu precioso tempo de guardião fodão comigo, não venha agir como se a culpa fosse minha! - Eu gritei e engoli a vontade de chorar - Que merda tem de errado com você? - Eu continuei gritando e dando graças a deus por estarmos longe de qualquer ser vivo que pudesse nos escutar.

  -Só vá para o treino, Rose. - Ele se abaixou um pouco na minha direção e disse com a voz controlada, e alguma coisa passava pelo seu rosto, mas eu não consegui decifrar. 

  -Só vá para o treino, Rose? - Eu o questionei e soltei um sorriso sarcástico - Só vá para o treino, Rose? - Eu falei um pouco mais alto - Escuta aqui, - Eu me aproximei mais ainda dele e tombei minha cabeça para trás para olhar nos olhos dele - Você realmente acha que eu vou treinar depois da enxurrada de coisas que você despejou em mim? Você realmente acha que eu estou agindo como se estivesse de férias nessa droga de lugar? Você realmente me classifica como uma riquinha mimada e fútil? 

    Eu esperei por uma resposta dele mas ela não veio, ele só continuou me encarando com o maxilar trincado. Totalmente lindo e idiota. Se ele acha que só porque ele é a porra de um guardião e até o guardião mais foda, como eu ouvi falar por aí, dá o direito de ele me tratar assim, ele se enganou. 

  -Eu não pedi para vir para essa droga de escola, eu não pedi para você me treinar. - Eu disse em um tom mais baixo, mas que demonstrava bem que eu estava irritada - E se você tem mais o que fazer... Ótimo! Peça para um outro guardião ser o meu mentor e se livre de mim. Simples assim.

    Fiquei calada esperando que ele respondesse, mas ele só me olhava com uma feição de indiferença, como se ele nunca fosse o que estava irritado naquela discussão. Isso acendeu mais ainda a raiva dentro de mim. Eu vacilei por poucos segundos e olhei para a sua boca, e eu percebi ele fazer o mesmo. Aquela maldita atração ainda continuava ali mesmo depois dele ter falado coisas horríveis para mim, e por um momento eu achei que vi o mesmo em seus olhos. Eu engoli a minha vontade de chorar, mais uma vez, e soltei um sorriso à la mazur.

  -Vá se foder, Guardião Belikov. - Eu disse e dei as costas para ele. 

    Eu cheguei no meu quarto e fui direto para o banheiro tomar um banho. Eu não queria chorar, eu nunca gostava de chorar, mas eu era um ser humano, ou quase isso, e não era de ferro. Foi só eu sentir a água quente cair sobre o meu corpo e os meus cabelos que eu desatei a chorar. Eu sabia que eu não estava chorando somente por causa das coisas que Dimitri disse para mim, estava chorando por ter os sentimentos de outra pessoa na minha cabeça fazendo uma confusão danada, estava chorando por ter um Strigoi poderoso atrás de me matar, estava chorando porque eu vim parar nessa escola de vampiros e eu tinha medo deles, do mesmo jeito que eu tinha ficado com medo do meu próprio pai. 

     "Você é irresponsável! [...] Honre os seus compromissos e chegue no horário. Eu tenho mais o que fazer!"

   As palavras dele ficavam batendo na minha cabeça e eu me perguntava o porquê de eu ter me deixado afetar tanto por elas. Eu preferia escutar tudo isso no modo lição zen, do mesmo modo que ele falou comigo quando eu quis bater na Mia, e não desse jeito ríspido e furioso. E a sua última frase, bem, essa foi a que mais doeu. Ele passou a impressão que eu estava tomando o precioso tempo dele, como se o tempo que ele gastasse comigo fosse um desperdício. As palavras que ele jogou em cima de mim em nada combinavam com as que ele falara para Dave no último domingo, e a atitude ríspida dele em nada se parecia com a gentil que ele teve essa manhã. Idiota! Isso que ele era... Um idiota estupidamente lindo e sexy! 

    Xingando a mim mesma, eu saí do banheiro e fiquei deitada na cama, tentando conter o choro a tempo de ir para a aula de Stan sem estar com a cara completamente inchada de tanto chorar. 


Notas Finais


Comentários????
Até domingo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...