História Over and out - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, One Direction
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Harry Styles, Louis Tomlinson, Luke Hemmings, Michael Clifford, Niall Horan, Personagens Originais
Tags 5 Seconds Of Summer, Larry Stylinson, One Direction
Visualizações 13
Palavras 2.185
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey everybody, mais um capítulo quentin quentin ^-^
Aproveitem
Boa leitura <3

Capítulo 28 - Vingt-Huit


*Point of View*: Jasmine

Ainda estávamos na segunda semana de 2016 e o trabalho duro na divulgação do álbum já havia começado. Passávamos horas tendo reuniões na gravadora com a nova gestão da banda,  onde ocorria o planejamento de novos eventos de divulgação,  e escolhíamos coisas como: estúdio para gravar clipes,  empresa de transporte para nos levar aos shows marcados fora de Nova York e etc. Com a rotina corrida de shows marcados em diferentes lugares, duas entrevistas que conseguimos marcar (meu coração saía pela boca só de saber que eu falaria numa rádio local), e ensaios, tivemos que nos demitir do One Road One Sex. Era triste sair do lugar que deu origem à banda e foi cenário de momentos tão especiais, mas foi necessário devido à nossa agenda.  

Depois de nos apresentarmos em diferentes casas de shows em Nova York e até mesmo em São Francisco (!), era dia da banda ter sua primeira entrevista num programa de rádio, tudo bem que a emissora não era tão popular e o programa era transmitido ao vivo às quatro da manhã,  mas era um ótimo começo. O dia seria agitado, depois de sairmos da gravação do programa iríamos ao set para gravar nossa curta parte do clipe Little Beginners  (minha música preferida do cd)  já que a maior parte do vídeo continha cenas de atores contratados. 

Ao chegarmos por volta das duas da manhã na rádio Central Soundness, fomos recebidos por uma simpática mulher de meia idade que nos mostrou nosso camarim onde tínhamos uma mesa farta de pães e cafés.  Sério,  sem hipérbole, o móvel devia ter trinta pães recheados com geléia de morango e quarenta e cinco copinhos cheios de café. Nossa primeira mesa de comida num camarim não era toda essa variação que mostram na tv,  mas com certeza era melhor que nada. 

Com uma gestão profissional cuidando da banda, não podíamos levar mais de uma pessoa além da banda para nossos compromissos, por isso quem nos acompanhava era Brittany, que fez a banda acontecer e nos ajudou a levar música mais a sério.  A menina de cabelo cor de lilás algodão doce fez questão de pôr um reboco de pó compacto em meu rosto, já que teimava que a entrevista seria transmitida também por vídeo e que a iluminação podia não favorecer meu tom natural de pele.Caminhei, mais pálida que o normal, até a mesa de comando onde Remery e Nick já se encontravam sentados  e enturmados com Erick, nosso entrevistador da madrugada. 

Depois de quinze minutos  de duração da entrevista onde falamos sobre a trajetória da banda, futuros planos de carreira,  e jogos como "eu nunca" e "verdade ou desafio", tocamos Little White T-shirt e nosso próximo single Little Beginners, e encerramos nossa participação ali. A sala de gravação era simples e pequeno, porém aconchegante e convidativo como as outras salas do prédio da rádio. Quando o sol já aparecia anunciando o começo do dia, voltamos ao nosso camarim e pegamos cinco sanduíches de geléia de morango para viagem, já que sabíamos que a gravação do clipe seria longa e cansativa. 

A equipe responsável pela banda era composta por três pessoas: Marley, que cuidava dos horários e compromissos da banda, Ellen que ajudava na divulgação da RTTR e nos acompanhava em todos os shows e entrevistas, e Brittany, que antes cuidava de tudo um pouco sobre a banda, mas agora só administrava nossas redes sociais e respectivos figurinos. 

A gravação do clipe durou três horas num set neon azul onde tive que dublar repetidas vezes a letra da música que antes era minha queridinha e pós gravação se tornou uma tortura cantá-la.  Como de costume, Remery me ajudou a "roubar" pedaços de torta e trufas que nos foram oferecidas pela equipe do set. Tentei colocar o sono em dia durante o trajeto na van, mas fui impedida por uma Brittany indelicada que puxava meu cabelo com o intuito de me acordar. 

Cheguei em casa completamente moída,  e como de costume tomei um banho para tentar me reconstruir e fui à cozinha preparar um sanduíche vestindo um pijama casual em plena três horas da tarde: calça moletom branca e uma camiseta preta três tamanhos maiores que o meu.

-Jas!  Jas, me ajuda aqui!- Niall pediu com pressa que eu o ajudasse com um milhão de sacolas do supermercado, interrompendo meu momento de prazer com meu sanduíche de atum e maionese.- Ufa! Muito obrigado, se não fosse por você acho que o chão teria sugado meus braços de tão pesadas que estão essas sacolas.- comentou enquanto pegava um copo d'água na geladeira e limpava o suor de cansaço que escorria pela testa.

-Isso não faz o menor sentido Horan. - ri da hipérbole do loiro enquanto comecei a guardar as compras no armário.  

-Eu sei, só preciso de um banho bem frio para pôr os pensamentos em ordem. Em pleno inverno  tá fazendo esse calor todo, nem parece que estamos em Nova York.

-Deve ser o aquecimento global.- falei sem dar muita importância.  

-Eu adoraria te ajudar a guardar as coisas, mas preciso muito de um banho, tudo bem pra você? 

-Okay, de boa, você já veio trazendo tudo isso, o mínimo que posso fazer é arrumar os produtos.- falei sorrindo de forma simpática.  

-Obrigadão Jas... Ah, se você quiser continuar nossa conversa sobre aquecimento global comigo no banho, está convidada.  - disse dando uma piscadela que misturava humor, ironia e duplo sentido na frase de forma muito estranha. Senti uma espécie de eletricidade percorrer pelo meu corpo ao imaginar nossos corpos molhados e despidos tão perto. E eu arranhando suas costas molhadas no box. E minha boca chupando seu pescoço enquanto minha mão o masturbava. Engoli seco despertando daquele devaneio e tentando não demonstrar que estava ficando excitada com meus pensamentos impuros.  Será que é muito errado desejar ser penetrada por um anjo?

-Não, valeu, e-eu... tô muito cansada para discutir sobre assuntos ambientais. 

-Um banho frio pode te despertar.- disse se aproximando como se quisesse me devorar. 

-Lave bem...Os pés... e as costas também.  - sorri sem graça mudando de assunto. O mesmo apenas assentiu e sorriu um pouco envergonhado, caminhando em direção ao banheiro.

Bufei. Como eu era burra. O queria tanto mas tinha medo de me entregar. Não que tivéssemos voltado à friend zone, porém só tinha coragem de o beijar, e mesmo assim sentia como se estivesse sendo invasiva. Era difícil pensar em transar com outro homem, já que Michael foi o único que fez toda minha razão e constrangimento sumirem, o único que sabia exatamente o que me dava prazer e o que me incomodava, meu medo era de chegar a hora H e eu não conseguir seguir em frente com Niall, melhor era esperar até o momento que ele me deixasse louca ao ponto de não pensar essas bobagens e apenas relaxar e transar. 

(...)

- Encomendei o álbum e ele vai chegar daqui a quinze dias. Mal posso esperar para ouvir suas músicas,  baixinha.

-Se conseguir aprender todas as músicas em um dia eu te perdôo por ter sido um amigo babaca com Ashton na virada do ano. - disse autoritária cruzando os braços.  

-Ah Jas, qual foi? Se for pra culpar alguém aqui culparia você.

-Eu? O que fiz de errado, Senhor Hood?

-Mudou de país. - revirei os olhos com a afirmação desnecessária. - E   não adianta fazer bico, sério, nós éramos um quinteto cara, e passar o ano novo longe de você e perto do Mike na fossa seria tortura pra mim. 

-Eu te entendo, mas precisava largar o Ash?

-Chamamos ele para vir, mas o moleque  teimou que queria ficar em casa jogando videogame, você queria que eu o arrastasse pra rua?

-Tá Cal, ainda acho que o certo seria você ficar com seu amigo, mas entendo que seu jeito de pensar é diferente e você não gosta de clima de enterro, e já que a vítima da situação te perdoou, vamos esquecer o assunto e falar das novidades. - Calum assentiu concordando com a trégua. - O que tem acontecido de novo aí em Sidney? Fora as novidades musicais, porque já estou sabendo que a 5 seconds of summer tá gravando seu segundo ep! - bati palminhas em comemoração, mas vi que meu amigo ganhou uma expressão cabisbaixa e não olhava mais em meus olhos. 

-É que além de estarmos tocando em festivais por aqui e ganhando visibilidade,  tem uma notícia que nos afetou bastante... - Antes que eu pudesse perguntar o que era, ele prosseguiu- A filha do Mike nasceu semana passada.- aquilo caiu como uma bomba de mim, e como de costume tive que segurar as lágrimas para não preocupar Calum. - E... ele vai ajudar a cuidar da educação e da parte financeira,  mas não criou vínculo com o bebê,  Michael tá tão mal que vi seus pulsos cortados no dia em que a meninafoi liberada da maternidade.

-E-eu... Não sei... O que dizer...- perplexidade era pouco para definir meu estado. Era deprimente ver o estado em que o garoto que mais amei e que sempre alegrou a todos estava. Não queria chorar por causa do nascimento da menina, e sim porque Michael havia chegado a esse ponto.  Sendo arrependimento ou não pela traição,  a questão era que ele não desejava a menina, mas não queria abandoná-la.  Assim imaginei, apesar de tudo ele sempre teve bom coração e assumiria com a responsabilidade. -Mas...- comecei com a voz baixinha- vamos falar de outra coisa Cal...- àquela altura tinha conseguido controlar o choro, e falei sobre assuntos bolos com meu amigo como se a notícia não tivesse me afetado. 

(...)

-Você é uma merda de Cj viu?- provoquei Niall que tentava pela   milésima vez cumprir a penúltima missão de gta no videogame. 

-Quero ver fazer melhor, sua boba!- me mostrou a língua como uma criança de três anos, arrancando uma gargalhada de mim. Aceitando o desafio arranquei o console de sua mão e consegui cumprir a missão.  

-A garotinha aqui joga gta San Andreas antes de você ir parar na barriga da sua mãe. 

-Você está se contradizendo Jasmine,  sou mais velho. 

-Tá bom, já que você é tão mais velho assim desliga esse jogo e vem deitar aqui comigo. - logo o loiro correu para arrancar o cabo que ligava a televisão e se ajeitar debaixo do edredom ficando com o rosto próximo do meu. Depois de alguns segundos o observando, o puxei pela nuca para um beijo. Seu ritmo estava mais acelerado que de costume, e suas mãos passeavam pelos meus quadris. Apenas um beijo já estava me fazendo  suspirar,  no entanto queria algo mais lento e carinhoso porque apesar de fingir estar bem, a notícia de que Michael estava se cortando me deixou abatida e sem ânimo para sexo.  

Ao invés de chorar feito desesperada na frente de Niall, disfarcei minha tristeza e passei o final da tarde o beijando e recebendo seus carinhos.  Consegui enganar a mim mesma por algumas horas, mas minutos antes de ir dormir imaginei como seria tudo diferente se Michael não tivesse me traído,  e desejei quebrar meu orgulho/medo e pedir para que não se cortasse mais. No entanto o medo foi maior, e apenas chorei baixinho com a coberta por cima do rosto até adormecer.

(...)

-Me perdoa por ter te tratado daquela forma, só fiquei com medo de que você viesse falar sobre o Louis e vocês estavam juntos e...

-Eu te perdôo Harry... entendo seus motivos e... enfim, já passou, você agiu por impulso, e é isso. Página virada.- falei aliviada na mesa do One Road One Sex onde subitamente o mesmo tinha marcado por mensagem um encontro comigo. 

-Não é só isso Jas, eu te magoei, e você é muito importante pra mim.  Te amo como uma irmã mais nova, não devia ter te machucado desse jeito, fui um babaca, e ultimamente tenho sido um babaca com todo mundo e feito tudo errado, nem sei o que estou fazendo.  - bufou e cobriu seus olhos com as mãos.

-Mas por que você está assim? Por causa da Julia? Se for, saiba que ela está bem melhor e namorando com Bryan. 

-Não é isso. É que ver Louis me faz lembrar do cara errado que fui, e sei lá não consigo mais olhar em seus olhos, ele se apegou demais a mim e...

-Você só queria sexo com ele? 

-No começo sim, mas vejo que o garoto se apegou mesmo a mim e  não consigo o enxergar da mesma form. Gosto dele, mas não sei se é esse amor todo, é tudo muito novo porque nunca namorei com um cara... Não faço ideia de como o tratar, se vou ser um cara legal, essas coisas...

-Olha, pelo que parece você não ama o Louis porque não o conhece além da cama. Por que vocês não votam a se relacionar mas de uma forma diferente? Deixe claro pra ele que é tudo uma experiência.  Vocês se encontram,  se conhecem melhor, assim você aprende como tratar um possível namorado antes dele ser realmente seu namorado. 

-Tem razão.  Você é numa gênia Jasmine, por isso que te amo!- comemorou por algo tão simples ao beijar o topo da minha cabeça.  




Notas Finais


Terminou meio sem sentido esse capítulo porque resolvi guardar os próximos acontecimentos para as atualizações seguintes.
Espero que tenha gostado
Obrigada aos que já favoritaram e comentaram aqui
Volte sempre
Obrigada pela preferência
Até o próximo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...