História Over the Rainbow - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Visualizações 187
Palavras 1.017
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Homossexualidade, Nudez, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Enfim chegamos ao fim.

Obrigada por acompanharem a história e por gostarem. Espero que gostem também da versão da Bela e a Fera, e da Rapunzel, que em breve postarei aqui.

Capítulo 12 - 12 - Mais do que manteiga com mel


Lauren escutou alguém bater na porta. Olhou o relógio e viu que ainda não eram 8h da manhã. Ela tinha acabado de se levantar e se preparava para tomar o café

- Quem é? - perguntou.

- Camila.

- O que você quer aqui a esta hora?

- Dizer tchau. Estou me mudando.

Camila viu Lauren e sentiu vontade de chorar, mas segurou as lágrimas.

- Como assim se mudando? - disse Lauren sentando na cama.

- Não dá mais pra ficar, Lauren. Sua mãe me detesta, a Rita não está mais aqui, eu me sinto sozinha e triste nesta casa.

- Mas a casa é do seu pai também.

- No papel, talvez. Mas não minha. E tem outra coisa que preciso te falar.

Agora as palavras saíam tremidas, levemente enroladas, e ela sentia que poderia desmaiar. Percebendo que  Camila estava tremendo, Lauren pediu a ela que se sentasse na cama.

- Eu estou indo embora também por sua causa. Vai ser difícil dizer isso, mas vou pedir para você escutar até o fim. Estou indo embora porque é difícil ver você todos os dias e não poder encontrar em você. É muito difícil olhar dentro dos seus olhos, muito difícil não beijar sua boca. É difícil não deitar no seu colo, não fazer carinho em seu cabelo, não colocar você na cama e me deitar sobre você. É difícil não tirar sua roupa e beijar seu corpo inteiro, e depois entrar em você e sentir você pulsando em mim, na minha mão, na minha boca.

Lauren escutava tudo sem dizer nada, mas não conseguiu impedir que as lágrimas caíssem. Vendo que ainda não havia levado uma bofetada, possibilidade que Camila não havia descartado totalmente nas centenas de ensaios que fez daquela confissão dentro da sua cabeça.

- Eu amo você, Lauren. E vou sentir muita saudade. Fica bem, tá? - e abriu a porta para sair.

Estava quase fora do quarto quando teve a sensação de estar sendo puxada para trás. Ela se virou e Lauren estava parada bem à sua frente, segurando seu braço e puxando-a para perto. Camila sentiu os lábios de Lauren encostando nos seus, a língua dela tocando a sua. Elas se beijaram chorando, e, quanto mais choravam, mais se beijavam. Estavam agora na cama, onde continuaram a se beijar e começaram a se despir. Elas se amassavam como dois bichos, esfregando todas as partes do corpo, beijando o que encontravam pela frente, gemendo e chorando.

- Eu amo você há muito tempo, mas foi vendo você com outra pessoa que isso bateu mais forte em mim - Lauren disse chorando e passando a mão pelo cabelo de Camila. - E o ciúmes que eu senti não foi dele, foi de você.

Quando estavam completamente nuas, deixaram que seus corpos ficassem encostados e a sensação era de que poderiam se deixar derreter uma dentro da outra. Abraçadas de forma cada vez mais apertada, respiravam ofegantes enquanto as lágrimas caíam. Quando Camila começou a beijar a barriga de Lauren e foi descendo, deixando que uma das mãos  passeassem  pelos seios da amada enquanto a outra a penetrava, sentiu que se morresse naquele instante teria pelo menos entendido o sentido de todas as coisas. Era então para isso que estávamos aqui: para amar e nos deixar amar. Lauren gozou em sua boca, e Camila foi abraçá-la. As duas se olharam, riram e outra vez choraram.

- E agora? - quis saber Camila, tirando o cabelo de Lauren do rosto.

- E agora que a gente começa a viver - respondeu Lauren.

- Como?

- Como? Como eu não sei. Não sei também onde. Mas vai ser com você.

- Uma amiga está vindo me buscar. Eu vou passar uns dias na casa dela, depois verei se consigo pegar um pouco de dinheiro do meu pai e alugar um apartamento. Aí você pode ficar comigo.

As duas riram e se abraçaram outra vez. Voltaram a se beijar e iam começar a fazer amor novamente, quando a campainha tocou.

- Deve  ser a Katya - disse Camila se levantando. - Eu tenho que ir. Diz para a sua mãe que deixei uma carta na cozinha explicando tudo. Posso ver você mais tarde?

- Eu vou até você. Me deixa o endereço.

As duas começaram a se vestir sem pressa, mas pouco tempo depois escutaram uma gritaria lá em baixo e desceram correndo. Katya estava na porta, mas Camila não a reconheceu porque ela estava desmontada. Fiona tinha os braços abertos para que ela não entrasse na casa.

- Minha senhora - dizia Katya com uma voz muito grossa -, ou a  senhora me devolve os sapatos ou eu entro na marra.

- Os sapatos não são seus, você acha que sou tonta?

- Como não são meus? Claro que são. E custaram caro. Arrasta essa bunda branca flácida para o seu closet e me traz os sapatos!

- Então me prova que aqueles sapatos são seus.

- Provo. Traga eles e eu os calço na sua frente.

- Calçar não basta. Quero ver calçar e andar com eles para eu ter certeza. Quero ver um macho desse rebolar em cima daquele salto - gritou Fiona, rompendo escada acima para pegar os sapatos. Ela  estava tão nervosa que nem notou Lauren Cama paradas na escada, despenteadas e amassadas.

Voltou estendendo o braço e carregando o par de sapatos para Katya, que calçou sem sequer precisar sentar. Os sapatos couberam perfeitamente.

- Agora anda - disse Fiona já meio sem graça. E Katya começou a rebolar como a rainha de bateria da Vai-Vai. E foi rebolando que ela gritou para Camila:

- Vem, meu amor. Simbora desse hospício.

Na escada Camila sorriu e, virando-se para trás, beijou a boca de Lauren sem se importar com a madrasta, que olhava pálida e com a boca aberta. Enquanto passava por Fiona, sem dar tchau, Camila finalmente entendeu que durante anos aquele foi o grande medo da madrasta, que talvez tenha percebido que havia entrado ela e  a filha mais velha uma vibração diferente. Se for isso, "ela nem é tão insensível como eu supunha", pensou Camila.

Ela estava na porta quando escutou Lauren chamando seu nome. Camila parou e olhou para trás:

- Mais do que manteiga com mel - disse Lauren sorrindo.



Notas Finais


E ai gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...